segunda-feira, 7 de maio de 2018

Lição 7 - Deus espera de nós uma resposta

 Aula presencial dia 13 de maio de 2018 



Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e adicionar conteúdo. Não deixe de Divulgar e Compartilhar nas Redes Sociais !

1 - Ensinar que o homem foi criado por Deus e para Deus;
2 - Enfatizar que a atitude humana precisa estar de acordo com a revelação de Deus;
3 - Refletir sobre três respostas que Deus espera do ser humano.


 Texto Áureo
“Porque também a nós foram pregadas as boas-novas, como eles,
mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou,
porquanto não estava misturada com a fé
naqueles que a ouviram”. (Hebreus 4.2)

Verdade Aplicada
Nossas respostas e atitudes para com Deus precisam estar de acordo
com a Sua Palavra, que nos revela o que Ele espera de nós. 

Motivo de Oração
Ore para que o homem encontre em Deus as respostas de que precisa.

Hinos sugeridos.

166 - Deixa Entrar o Rei da Glória

303 - Precisamos de Jesus

419 - Vinde Pecadores





Gênesis 3.8-9
8 E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim.
9 E chamou o Senhor Deus a Adão e disse-lhe: Onde estás?
Isaías 5.1-2
1 Agora, cantarei ao meu amado o cântico do meu querido a respeito da sua vinha. O meu amado tem uma vinha em um outeiro fértil.
2 E a cercou, e a limpou das pedras, e a plantou de excelentes vides; e edificou no meio dela uma torre, e também construiu nela um lagar; e esperava que desse uvas boas, mas deu uvas bravas.



Segunda-feira -  Lucas 13:6-9 
6 - E dizia esta parábola: Um certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha, e foi procurar nela fruto, não o achando;
7 - E disse ao vinhateiro: Eis que há três anos venho procurar fruto nesta figueira, e não o acho. Corta-a, por que ocupa ainda a terra inutlmente?
8 - E, respondendo ele, disse-lhe: Senhor, deixa-a este ano, até que eu a escave e a esterque;
9 - E, se der fruto, ficará e, se não, depois a madarás cortar.

Terça-feira -  Romanos 1:18-21 
18 - Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.
19 - Porquanto o que Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque deus lho manifestou.
20 - Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis.
21 - Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.

Quarta-feira -  Romanos 10:16-21 
16 - Mas nem todos têm obedecido ao evangelho; pois Isaías diz: Senhor, quem creu na nossa pregação?
17 - De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela Palavra de Deus.

18 - Mas digo: Porventura não ouviram? Sim, por certo, pois por toda a terra saiu a voz deles, e as suas palavras até aos confins do mundo.
19 - Mas digo: Porventura Israel não o soube? Primeiramente diz Moisés: Eu vos porei em ciúmes com aqueles que não são povo, com gente insensata vos provocarei à ira.
20 - E Isaías ousadamente diz: Fui achado pelos que não me buscavam, fui manifestado aos que por mim não perguntavam.
21 - Mas para Israel diz: Todo o dia estendi as minhas mãos a um povo rebelde e contradizente.

Quinta-feira -  Romanos 11:33-36 
33 - Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus!
34 - Por que quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro?
35 - Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado?
36 - Porque dele e por Ele, e para Ele, são todas as coisas; glória, pois, a Ele eternamente.Amém.

Sexta-feira -  Hebreus 4:1-2,11 
1 - Temamos, pois, que, porventura, deixada a promessa de entrar no seu repouso , pareça que algum de vós fica para trás.
2 - Porque também a nós foram pregadas as boas novas, como a eles, mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada com a fé naqueles que a ouviram.
11 - Procuremos, pois, entrar naquele repouso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência.

Sabado -   Hebreus 11:6 
6 - Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.




IMPORTANTE
Apresento neste BLOG o Esboço da Lição e os comentários como 
professor de EBD em cima do PAE - PLANO DE AULA EXPOSITIVA 
NÃO APRESENTO O CONTEÚDO COMPLETO DIGITALIZADO DAS REVISTAS
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !



ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução
1. Por Deus e para Deus.
2. A importância da atitude humana.
3. Respostas ou atitudes do ser humano
Conclusão
Clique aqui para Visualizar o PAE (Plano de Aula Expositiva) da Editora Betel



                   


Lição 7 - Deus espera de nós uma resposta

TEXTO ÁUREO

"Porque também a nós foram pregadas as boas novas, como eles, mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada com a fé naqueles que a ouviram". (Hebreus 4.2).

VERDADE APLICADA
Nossas respostas e atitudes para com Deus precisam estar de acordo com a Sua Palavra, que nos revela o que Ele espera de nós.
A verdade aplicada pode ser utilizada como primeiro contato com o tema:
*O grande problema hoje é encontrar pessoas que professam uma fé em Deus e estão realmente dispostas a obedecer à voz de Deus.
Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;

E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.(2 Tm 4:3,4)

OBJETIVOS DA LIÇÃO
1 - Ensinar que o homem foi criado por Deus e para Deus;
2 - Enfatizar que a atitude humana precisa estar de acordo com a revelação de Deus;
3 - Refletir sobre três respostas que Deus espera do ser humano.

TEXTO REFERÊNCIA
Gênesis 3.8-9
8 E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim.
9 E chamou o Senhor Deus a Adão e disse-lhe: Onde estás?
Isaías 5.1-2
1 Agora, cantarei ao meu amado o cântico do meu querido a respeito da sua vinha. O meu amado tem uma vinha em um outeiro fértil.
2 E a cercou, e a limpou das pedras, e a plantou de excelentes vides; e edificou no meio dela uma torre, e também construiu nela um lagar; e esperava que desse uvas boas, mas deu uvas bravas.

INTRODUÇÃO
Fomos criados para vivermos em comunhão com Deus. Porém, o pecado distanciou o homem do Seu Criador. Então, o Senhor tomou a iniciativa para restaurar esta comunhão. Como o ser humano tem reagido a esta ação divina?
Em toda a historia Deus sempre tomou a iniciativa para restaurar o homem, pois o mesmo não conseguiria por si só reatar a comunicação e comunhão com o criador...( veremos no tópico 1.2)

1. Por Deus e para Deus.
Deus é o Criador de todas as coisas (Gn 1.1). Ele é o Princípio,  a Causa, a Fonte de tudo o que existe. Contudo, no momento da criação do ser humano, Deus o distingue de todos os demais seres criados (Gn 1.26; 2.7). O homem foi criado à imagem de Deus, com capacidade de relacionamento com o Senhor e constituído como mordomo da criação de Deus (Salmo 8). "Porque dele, e por Ele, e para Ele (Rm 11.36). 

1.1. A revelação de Deus.
O Senhor Deus sempre transcenderá a capacidade intelectual do ser humano. Só é possível conhecermos Deus porque Ele decidiu Se revelar. Ao criar o homem e a mulher. Ele falou com eles, os abençoou e lhe deu instruções (Gn 1.28; 2.8, 25-17). É nítido na Bíblia o interesse de Deus em ser conhecido pela humanidade. O apóstolo Paulo fala sobre o perigo de se ter pensamentos equivocados a respeito de Deus (Rm 1.18-21). Por que razão surgiram tantas ideias erradas sobre Deus? Porque os homens rejeitaram o conhecimento acerca de Deus, que Ele próprio tornou acessível, fechando suas mentes.
Professor, neste tópico sintetize sobre as diferentes formas de Deus se revelar ao homem:
 Revelação geral ou natural. É aquela em que o Senhor se revela por meio da natureza e da consciência humana. No que concerne à natureza, a Bíblia nos é clara: "Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos" (Sl 19.1; Rm 1.19,20). Quanto à consciência, Deus se utiliza da comunicação não-verbal para revelar aos homens toda sua vontade, como vemos em sua Palavra"... os quais mostram a obra da lei escrita no seu coração, testificando juntamente a sua consciência e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os" (Rm 2.15). A revelação geral ou natural é dirigida a todos os homens, e pode ser absorvida pela razão.
Revelação especial. É aquela em que Deus emprega duas formas especiais para se comunicar com o homem: a Palavra escrita e Cristo.
a) Por meio da Palavra. Deus ordenou a Moisés que escrevesse sua mensagem revelada "num livro" (Êx 17.14). A revelação escrita substituiu a tradição oral, como testemunho da existência e comunicação de Deus (Êx 34.27; Jr 30.2; Ap 1.19). Essa revelação escrita é chamada de Escritura (2 Tm 3.16), ou Escrituras (Mt 22.29; 26.56).
b) Por meio de Cristo. Essa revelação é sublime (Jo 1.14,18). Não se trata de uma comunicação através das palavras de um profeta, mas da revelação de Deus por meio de uma Pessoa santíssima e co-eterna com o Pai (Jo 1.1; 14.9; Hb 1.1-3). O propósito da revelação especial é conduzir o homem a Deus (Jo 14.6-11). Nela, encontramos o plano divino para a salvação de todo ser humano.
A revelação especial de Deus foi dada aos homens tanto pelas Escrituras quanto pelo Verbo de Deus. Estes são os mais completos meios pelos quais Deus se revelou à humanidade (Mt 22.29; Jo 5.39).
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2008 » 4º Trimestre)

Comentário igual, mas de outra fonte:

“A revelação de Deus à humanidade
Se admitimos que Deus de fato fala, é a Bíblia o único meio de Ele se comunicar conosco? Deus também torna-se conhecido, até certo ponto, a todas as pessoas mediante a criação e através da consciência. Tal maneira de Deus falar é usualmente chamada de revelação geral ou natural. Os capítulos 1 e 2 da epístola aos Romanos esboça a forma pela qual Ele fala conosco. Romanos 1.20 refere-se ao conhecimento divino disponível a todas as pessoas, em todos os lugares; é o conhecimento colhido junto à natureza: "Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis [...].
A Bíblia afiança que Deus fala através da consciência do indivíduo (Rm 2.14,15). O próprio fato de que as pessoas, em todos os lugares, possuem uma consciência, uma idéia de certo e errado que se coaduna com a Bíblia, mostra-nos que há uma autoridade acima de cada indivíduo e das circunstâncias. Até aqueles que rejeitaram a Bíblia retêm a consciência, embora esta opere à base daquilo em quem se acredita ser o certo e o errado".
(MENZIES, W. W.; HORTON, S. M. Doutrinas Bíblicas: os Fundamentos da Nossa Fé. RJ: CPAD, 2005, pp.17,18.).

1.2. Fomos criados para Deus.
Desde o livro de Gênesis é nítida a ênfase do persistente interesse de Deus em se relacionar com os seres humanos. Mesmo após colocar o homem no jardim do Éden e lhe dar instruções, o texto sagrado indica que o relacionamento do Criador com o ser humano permanecia por intermédio de contatos e observações divinas (Gn 2.18-21). No relato da queda do primeiro casal, a iniciativa de aproximação foi de Deus (Gn 3.8).
Deus não se aproximou com fogo, trovões e relâmpagos. Não produziu um som estridente e assustador. Em outras versões, a tradução é: “quando soprava o vento suave da tarde...ouviram a voz do Senhor...” (NTLH) ou “ouviram o som da movimentação do Senhor Deus, que estavam passeando pelo jardim...” (BKJ). O Senhor já estava sinalizando que estava se aproximando para ajudar. Mas, para ajudar, busca atrair primeiro: “Onde estás?” (Gn 3.9). O Senhor não o arranca do esconderijo, mas provoca uma reação ou resposta da parte do homem. Com misericórdia, graça e amor, o Senhor Deus continua chamando todos os seres humanos para que se voltem a Ele (2Co 5.19-20).(Revista do professor)
Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação.
De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus.(2 Co 5:19,20).

1.3. O exemplo de diferentes gerações de Israel.
Como estamos reagindo à iniciativa de Deus em conduzir-nos conforme Seus propósitos para nossa vida? Infelizmente, nem todos reagem ou respondem favoravelmente. Um exemplo bíblico dessa realidade são diferentes gerações de Israel: a que saiu do Egito, a que entrou e conquistou a Terra Prometida e a que se levantou após a geração de Josué e dos anciãos. As duas primeiras tinham promessas de Deus; testemunharam os milagres do Senhor; tinham líderes que viviam em profunda comunhão com Deus. O que as diferenciava foi a reação ao agir de Deus.
A geração que passou pelo mar vermelho pela lógica deveria ser a mais obediente a Deus e à sua revelação, todavia como bem nos explica o comentarista não foi isto que aconteceu, como entender tal fato?
Explique que o homem não pode consolidar sua fé baseada em milagres, mas num viver devocional a Deus por meio da oração, jejum, leitura da bíblia, do temor (estudado na lição passada). Todos que querem ser sustentados por milagres certamente sucumbirão na primeira tempestade pois a sua casa não estará bem fundamentada:
E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia;
E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.(Mt 7:26,27)
Os textos de 1 Coríntios 10.5 e Judas 5 não apenas registram o desagrado de Deus, mas, também, as causas. A terceira geração não observou os mandamentos e estatutos que Deus transmitiu por intermédio de Moisés e deixou o Senhor (Jz 2.12). Trata-se de um alerta para nós. O apóstolo Paulo exortou os membros da igreja em Corinto quanto ao que foi escrito sobre Israel: “para aviso nosso” (1Co 10.11). Como temos reagido à revelação e ao agir de Deus?(revista do professor)
Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos.
Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia.(1 Co 10:11,12).

2. A importância da atitude humana.
É necessário que a atitude ou resposta humana esteja de acordo com a revelação de Deus, como se encontra na Bíblia, nossa regra de fé e conduta. Por isso o princípio bíblico, visto no tópico anterior, nos mostra que a iniciativa é de Deus e que Ele estabeleceu condições e instruções quanto ao relacionamento do ser humano com Ele (Êx 8.27).

2.1. Não é qualquer atitude que Deus aceita.
Não é de qualquer maneira ou baseados tão somente no nosso conhecimento e criatividade que nossas atitudes ou respostas para Deus serão aceitas por Ele. Vide o exemplo de Caim, considerado o primeiro ato de adoração registrado na história humana, pois, antes de Abel, foi ele que teve a iniciativa de apresentar uma oferta ao Senhor. Contudo, Deus não atentou para ele e para sua oferta (Gn 4.3-5). A reação de Caim demonstrou desinteresse em conhecer os motivos de Deus para não o aceitar, mesmo depois de o Senhor ter falado com ele (Gn 4.5-7).
Os textos do Novo Testamento indicam que a vida de Caim não condizia com a de um adorador (1 Jo 3.12; Jd 11). O escritor aos Hebreus registra a diferença entre os irmãos, não na oferta em si, mas na atitude: “Pela fé, Abel ofereceu a Deus...” (Hb 11.4). Aparentemente, ambas as oferendas demonstravam gratidão, ação de graças e devoção a Deus. Nenhuma oferta apresentada pelo ser humano a Deus é capaz de dispensar a fé. Pois sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11.6). Notar que o texto de Gênesis primeiro menciona a pessoa, depois a oferta (Gn 4.4-5).(revista do professor).
Como sabemos a escola dominical é um agente preventivo e corretivo quanto aos falsos ensinos, portanto não deixe de alertar seus alunos sobre o falso culto, que não é baseado na fé e não são aceitos por Deus. Infelizmente no anseio de inovar, muitos lideres estão perdendo a direção de Deus quanto a verdadeira adoração(Jo 4.23),a tonica tem sido a adesão ao modismo litúrgicos e o resultado são cultos sem mensagem, sem a aprovação e aceitação de Deus,como a oferta de Caim mencionada muito bem por nosso comentarista.Senhor tenha misericórdia do seu povo!
Modismos Litúrgicos: Inovações estranhas que são incorporadas à liturgia do culto cristão, com a finalidade de transformá-lo em um espetáculo ou show para os presentes.
( Lições CPAD Jovens e Adultos » 2011 » 2º Trim)

2.2. O fracasso das tentativas humanas.
Encontramos, ainda, em Gênesis, o relato da construção de uma torre com os seguintes objetivos: tocar no céu; fazer um nome; e não ser espalhado (Gn 11.1-9). Um exemplo de seres humanos conscientes de suas próprias capacidades, dominados pelo orgulho e pela auto-suficiência. Este acontecimento ilustra bem o pensamento de chegar ao céu pelos próprios esforços e recursos (Sl 49.6-8 – “seus recursos se esgotariam antes”); a busca pela glória humana (Ef 2.8-9); e a insubmissão aos planos de Deus (“para que não sejamos espalhados” – Gn 9.1-7; 11.4).
Professor destaque que muitas atitudes contrarias a direção do Espírito Santo pode estar baseadas em influencias malignas:
16 - Mas, agora, vos gloriais em vossas presunções; toda glória tal como esta é maligna.(Tg 4.16)

Quão diferente é o relato da torre de Babel da experiência de Jacó, quando, este viajava para Harã (Gn 28.10-17). Ele vê em sonho que uma “escada era posta na terra, cujo topo tocava os céus”. O Senhor Deus estava em cima dela e falou com Jacó. Uma linda demonstração da graça divina. A iniciativa é de Deus. Deus saiu ao encontro dele. É possível uma comunicação entre o céu e a terra? Sim, é possível, porque Deus quer e providencia o necessário. O próprio Jesus Cristo tomou esta figura e se apresenta como o verdadeiro e único acesso a Deus (Jo 1.51; 14.6).

•  Predisposição e discernimento espirituais
‘Acordado, pois, Jacó do seu sono, disse: Na verdade o Senhor está neste lugar, e eu não o sabia. E temeu e disse: Quão terrível é este lugar! Esse não é outro lugar senão a Casa de Deus; e esta é a porta dos céus’ (Gn 28.16,17). Não se encontrava o patriarca num suntuoso templo; achava-se no relento. Mas ali, tendo por cobertura os céus, viu Jacó os anjos de Deus subirem e descerem por uma escada que ligava os céus à terra. Em simplicidade contemplou Jacó o Eterno. Tem você igual predisposição para enaltecer a Deus?” (ANDRADE, C. As Disciplinas da Vida Cristã. 1.ed., RJ: CPAD, 2008, pp.65-7)

2.3. A importância de seguir as instituições divinas.
Deus não apenas chamou Abraão, lhe fez promessas e o abençoou, mas, também lhe deu mandamentos, estatutos, preceitos e leis (Gn 18.19; 26.5). Quando Deus enviou Moisés para libertar o povo de Israel do Egito, Faraó propôs a Moisés que o povo sacrificasse e adorasse a Deus na própria terra do Egito. A resposta de Moisés foi: “Deixa-nos ir...para que sacrifiquemos ao Senhor, nosso Deus, como ele nos dirá” (Êx 8.27). Por isso o povo teve que parar no Sinai e esperar até que as instruções divinas chegassem. A impaciência e rebeldia do povo levaram-no a adorar segundo padrões das outras nações (Êx 32.1-8).
Quando Davi tentou levar a arca de Deus para Jerusalém sem observar as instruções divinas, mesmo tendo boa vontade, alegria, louvores e união, o resultado foi morte e tristeza. Quando fizeram segundo a ordenança do Senhor, a arca chegou à cidade de Davi (1Cr 15.13, 15, 29). Nossa atitude para com Deus deve ser de acordo com as Suas instruções para nós, pois elas ensinam o que Deus espera de nós.(revista do professor)
É tão simples não é mesmo?Porque então muitos optam por caminhos complicados e opostos a vontade de Deus?
Certamente se esqueceram que são instrumento para serem usados e estão querendo usar a Deus, misericórdia!
Veja um exemplo que nos deixou nosso amado Jesus:
Jesus disse-lhes: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou, e realizar a sua obra.(João 4:34)

3. Respostas ou atitudes do ser humano.
Neste tópico refletiremos sobre três respostas ou atitudes que Deus espera de todos que têm conhecido as boas novas de salvação.
Evidentemente não esgota o assunto, uma vez que o espaço não permite abordar outros aspectos. Que o Espírito Santo nos ajude a desfrutarmos de todas as bençãos que o Senhor Deus tem para nós.

3.1. Fé como resposta para Deus.
A Bíblia registra que sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11.6). Não é crer apenas no início do relacionamento com Deus, mas até a nossa partida para a eternidade. Não é crer apenas em algumas circunstâncias, mas continuar crendo em qualquer situação. Foi o que faltou aos israelitas que pereceram no deserto e não entraram na Terra Prometida. O texto sagrado diz que a “pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada com a fé naqueles que a ouviram.” (Hb 4.2). Viram as manifestações sobrenaturais na terra do Egito, testemunharam os acontecimentos no Sinai, desfrutaram da providência divina no deserto, porém não creram que o Altíssimo era poderoso para lhes dar vitória sobre os povos que habitavam em Canaã (Nm 13.31-33; 14.11).
Porque também a nós foram pregadas as boas novas, como a eles, mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada com a fé naqueles que a ouviram.(Hebreus 4:2)
  
 A pregação sem proveito (Hb 4.2). Os israelitas ouviram as “boas novas”. A razão pela qual muitos não entraram no “repouso”, ou seja, em Canaã, é que “a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada com a fé naqueles que a ouviram” (v.2). Aí, vemos a importância da fé para a salvação. A Bíblia assevera que sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11.6).
Hoje, em todo o mundo, é grande a provocação ao Senhor. Os ímpios estão em rebelião aberta e declarada contra Deus. Infelizmente, também há crentes que ouvem a Palavra nas igrejas, mas preferem continuar desobedecendo aos preceitos do Senhor.(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2001 » 3º Trim)

Não faltou da parte de Deus: Palavra, sinais, provisão e promessa. Porém, faltou fé da parte do povo. O apóstolo Paulo, escrevendo aos romanos, lembra-lhes: “tu estás em pé pela fé” (Rm 11.20). Prossigamos na caminhada cristã, olhando sempre para Jesus, autor e consumador da fé (Hb 12.2). Devemos fixar os nossos olhos em Jesus Cristo, nosso maior e melhor exemplo de perseverança.(Revista do professor)

3.2. Obediência como resposta para Deus.
O texto bíblico de Romanos 10.16 enfatiza mais uma resposta necessária da parte humana: obediência. Na resposta humana a Deus, mais importante do que o ato de sacrificar em si, está a obediência (1Sm 15.22). A genuína fé conduz à obediência. A Bíblia relata: “Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu...” (Hb 11.8). O povo de Israel, que no Egito e no deserto testemunhou a glória de Deus e os Seus sinais, deveria ter respondido a deus com obediência, porém, disse o Senhor: “não obedeceram à minha voz” (Nm 14.22).
Obediência é o que Deus espera de todo aquele que nasceu de novo, foi vivificado pelo Espírito Santo e tem conhecido a Palavra de Deus: “que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência.” (Hb 4.11). O apóstolo Paulo, exortando os tessalonicenses, escreve que assim como foram instruídos sobre como deveriam viver e agradar a Deus, assim deveriam andar, ou seja, obedecer, Praticar (1Ts 4.1). Não apenas conhecer, mas viver de acordo com o que sabemos acerca da vontade de Deus. Notemos as palavras de Jesus Cristo aos Seus discípulos: “Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se a fizerdes.” (Jo 13.17).(Revista do professor)

3.3. Frutos como resposta para Deus.
Jesus Cristo disse: “vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça” (Jo 15.16). Estamos frutificando? É interessante atentar para o texto bíblico de Isaías 5.1-7, que compara Israel a uma vinha que pertence a Deus e o cuidado e providência do Senhor para com Sua vinha. A seguir, o texto diz que Deus, o Senhor da vinha, “esperava que desse uvas boas, mas deu uvas bravas.” (Is 5.1-7) Ao contar a parábola da figueira estéril (Lc 13.6-9), Jesus mencionou que, apesar de todo o cuidado, o proprietário da figueira procurava fruto e não achava.
“Para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra e crescendo no conhecimento de Deus” (Cl 1.10).
Os ramos que não produzem fruto são arrancados (Jo 15.2). O propósito do ramo é produzir fruto. Se isto não ocorre, o ramo perde sua valia, por isso o lavrador o tira. Um triste exemplo deste tipo de sentença é encontrado na história de Israel. Este povo foi designado para ser a videira de Deus, a fim de refletir o amor, a misericórdia, a bondade e a glória de Deus entre as nações. Mas fracassou, e veio o julgamento (Is 5.1-7; Rm 11.21).(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2005 » 1º Trim.)

[...]. Deus espera que sejamos frutíferos. Para tanto, temos a Palavra de Deus, o Espírito Santo, a comunhão com a Igreja, o Corpo de Cristo, e o Sangue de Jesus, que nos purifica de todo pecado. É importante destacar que a parábola da figueira estéril, registrada por Lucas (Lc 13.6-9), é um alerta para atentarmos para os meios da graça e dos privilégios que temos desfrutado, pois o Senhor Deus tem sido longânimo.

CONCLUSÃO
Quais têm sido nossas respostas e atitudes diante da ação e da Palavra do Senhor em nossa direção ? Deus espera de nós uma resposta. Quanto mais reagirmos positivamente ao agir de Deus em nós, mais recebemos dEle e prosseguimos no processo de aperfeiçoamento (Rm 8.29).


Bibliografia
[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 2 trimestre 2018, ano 28, número 107 - Editora Betel
PAE - Plano de Aula Expositiva - Auxílio EBD - http://editorabetel.com.br/auxilio/beteldominical/

1. No relato da queda do primeiro casal, de quem foi a iniciativa de aproximação?
R: De Deus (Gn 3.8).

2. O que a reação de Caim demonstrou?
R: Desinteresse em conhecer os motivos de Deus para não o aceitar (Gn 4.5-7).

3. O que a Bíblia registra em Hebreus 11.6?
R: Que sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11.6).

4. Qual a resposta necessária da parte humana Romanos 10.16 enfatiza?
R: Obediência (Rm 10.16).

5. Ao contar a parábola da figueira estéril, o que Jesus mencionou?
R: Que, apesar de todo o cuidado, o proprietário da figueira procurava o fruto e não achava (Lc 13.6-9).

                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             




[ Aguarde a Postagem ]


                                                                                                                                                                              
[     

Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio para nossos estudos !

Vídeo Pr. César Minto
A Resposta que Deus espera de nós

                                                                                                                                                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário