segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Lição 12 - O processo de formação do discípulo II.

Aula presencial dia 17 de setembro de 2017

Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso slide semanal traz uma abordagem completa de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide, Tenha liberdade de alterá-lo se desejar, Divulgue e Compartilhe.


1 - Identificar o significado de ser um discípulo de Jesus;
2 - Demonstrar a necessidade da coerência na vida do discípulo de Jesus Cristo;
3 - Compreender as atitudes indispensáveis do discípulo de Jesus Cristo.

 Texto Áureo
“E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me” (Lucas 9.23)

Verdade Aplicada
O Senhor Jesus Cristo continua chamando e estabelecendo 
condições para ser Seu discípulo.
  
Motivo de Oração
Clame pela salvação dos seus vizinhos.

Hinos sugeridos.
Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.

127 - O Senhor da Ceifa Chama

432 - Consagrado ao Senhor

545 - Porque Ele Vive



 Lucas 14.25-27; 33-35 
25 Ora, ia com ele uma grande multidão; e, voltando-se, disse-lhe:
26  Se alguém vier a mim e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo.
27  E qualquer que não levar a sua cruz e não vier após mim não pode ser meu discípulo.
33  Assim, pois, qualquer de vós que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo.
34  Bom é o sal, mas, se sal degenerar, com que se adubará?

35  Nem presta para a terra, nem para o monturo; lançam-no para fora. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.


Segunda-Feira –  Lc 9.24 
9 : 24 Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará.

Terça-Feira –  Lc 9.25 
9 : 25 Porque, que aproveita ao homem granjear o mundo todo, perdendo-se ou prejudicando-se a si mesmo?

Quarta-Feira –  Lc 9.26 
9 : 26 Porque, qualquer que de mim e das minhas palavras se envergonhar, dele se envergonhará o Filho do homem, quando vier na sua glória, e na do Pai e dos santos anjos.

Quinta-Feira –  Lc 14.28 
14 : 28 Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?
  
Sexta-Feira –  Lc 14.29 
14 : 29 Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele,

Sábado –   Lc 14.30-32 
14 : 30 Dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar.
14 : 32 De outra maneira, estando o outro ainda longe, manda embaixadores, e pede condições de paz
14 : 31 Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil?.


IMPORTANTE
Apresento neste BLOG o Esboço da Lição e os comentários como 
professor de EBD em cima do PAE - PLANO DE AULA EXPOSITIVA 
NÃO APRESENTO O CONTEÚDO COMPLETO DIGITALIZADO DAS REVISTAS
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !




ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução
1. A identidade do discípulo.
2. O que significa seguir a Jesus?
3. Atitudes do discípulo de Jesus Cristo.
Conclusão
Clique aqui para Visualizar o PAE (Plano de Aula Expositiva) da Editora Betel



                   



TEXTO ÁUREO
“E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me” (Lucas 9.23)

VERDADE APLICADA
O Senhor Jesus Cristo continua chamando e estabelecendo condições para ser Seu discípulo.
Professor como ponto de contato com o tema comente com seus alunos:
“A salvação é um presente, mas o discipulado é caro. Aqueles que seguem Jesus devem estar propensos a pagar o alto preço. (Comentário Bíblico Pentecostal. Volume 1. 1ª Edição. RJ: CPAD, p.418).
Portanto alcançar status, posição privilegiada, obter vantagens, não corresponde às características dos verdadeiros discípulos de Jesus. Que o Espírito Santo nos ajude entender esta lição.

INTRODUÇÃO
Tornar-se um discípulo de Jesus Cristo não está limitado a um culto, uma experiência espiritual isoladamente. Como disse Paul Bendor-Samuel: “Ser discípulo é um estado ativo de aprendizado e crescimento”.
O requisito para ser discípulo, nos dias de Jesus, foi um obstáculo intransponível para muitos, continua sendo nos dias atuais:
“E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me” (Lc 9.23).

1. A IDENTIDADE DO DISCÍPULO
Continuando nosso estudo sobre o processo de formação do discípulo, é relevante uma profunda e sincera reflexão sobre o que significa ser um discípulo de Jesus Cristo. Como afirmou John Stott: “A razão de quase todas as nossas falhas é a facilidade que temos de esquecer nossa identidade como discípulos”.
È muito interessante o termo utilizado por nosso amado irmão comentarista “processo de formação”. Este processo ocorre seguindo Jesus bem de pertinho,ou seja,plena comunhão com Jesus,como varas de uma videira:
4 — Estai em mim, e eu, em vos; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim.
5 — Eu sou a videira, vós, as varas; quem está em mim, e eu nele, este dá muito fruto, porque sem mim nada podereis fazer.(Jo15.4-5)

1.1. O significado do termo “discípulo”.
Vários sentidos são encontrados nas palavras “ensinai” (Mt 28.19) e “ensinando” (Mt 28.20) na língua grega: “fazei discípulos”; “instruir”; “tornar-se um discípulo”; “ser um discipulo”; “aprendiz”; “seguidor”. É importante saber que na época era comum, como vemos em Mateus 22.16 e Mateus 9.14. Os fariseus tinham discípulos; João Batista também. Os filósofos, antes de Cristo, tinham discípulos. Assim, quando o Senhor Jesus ordenou que a Igreja fizesse discípulos de todas as nações, os apóstolos entenderam o que isso significava.
Note no texto abaixo que nos fala simultaneamente dos discípulos de Jesus e também dos discípulos de João, mostrando-nos que era bem comum entre eles a expressão discípulos.
1 E, aconteceu que, acabando Jesus de dar instruções aos seus doze discípulos, partiu dali, a ensinar e a pregar nas cidades deles.
2 E João, ouvindo no cárcere falar dos feitos de Cristo, enviou dois dos seus discípulos,

1.2. Resgatando nossa identificação como discípulo.
Tendo em vista a forte tradição religiosa católica romana no Brasil, o grande crescimento da quantidade de pessoas em nosso país que afirmam professar a fé evangélica, a multiplicação das denominações evangélicas, o forte sincretismo religioso observado, também, entre muitas igrejas evangélicas, talvez esteja na hora de resgatarmos o sentido da palavra “discípulo”, principalmente quando estivermos na prática do evangelismo e instruindo os novos convertidos.
Obs.Sincretismo:  Sistema filosófico ou religioso que combina princípios de diversas doutrinas.
 https://www.priberam.pt/dlpo/sincretismo [consultado em 12-09-2017].

A importância da identificação do discípulo de Jesus se da pelo fato de existir também o falso discípulo de Jesus. Paulo alertou sobre esta possibilidade:
Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si.( At 20:29-30)   
Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. (2Co 11:13)
Jesus disse que o joio cresceria no meio do trigo. Tem joio demais na igreja de hoje. A liderança precisa tomar uma posição, voltar a refletir o temor de Deus. A liderança precisa voltar a profetizar “assim diz o Senhor” e não o que temos ouvido de muitos, “assim dizem os senhores”, grandes dizimistas ou detentores de algum tipo de poder natural.
Boa parte da liderança e crentes de hoje, estão trocando seu direito de primogenitura por um prato de lentilhas. São os vendilhões do templo, trocam o eterno pelo passageiro. A igreja está adoecida, em razão de sua própria promiscuidade e superficialidade espiritual.
Precisamos devolver o lugar da Bíblia na Igreja. Mas Bíblia pura; precisamos voltar à Palavra, precisamos de líderes que tenham coragem de dizer: isto é pecado! A Igreja precisa ser uma igreja pura, que reflita o amor de Deus. Formada por verdadeiros redimidos, por gente comprometida com Deus, que ama mais a Cristo que a própria vida e não mais a própria vida que Cristo. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2014 » 3º Trim)

1.3. O significado de ser um discípulo de Jesus Cristo.
Considerando o exposto anteriormente, quando Jesus chama os primeiros discípulos (Mt 4.18-22), é possível que eles não vislumbrassem, num primeiro momento, para onde Ele os conduziria e nem o tremendo impacto que causaria em suas vidas, porém sabiam bem o significado de “vinde após mim” (Mt 4.19) ou “segue-me” (Mt 9.9; Jo 1.43).
Professor que tal utilizarmos a metáfora do sal e da luz para explicar o verdadeiro significado de ser um discípulo de Jesus? No final da aula, ore juntamente com os seus alunos, pedindo ao Senhor fortalecimento espiritual e discernimento bíblico, a fim de cumprir o compromisso de sermos discípulos autênticos e transparentes, para a glória de Deus.
13 — Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens.
14 — Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
15 — nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa.
16 — Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus.
(Mt 5.13-16)

“Se quisermos restaurar o nosso mundo, em primeiro lugar devemos nos libertar da noção confortável de que o cristianismo é uma mera experiência pessoal, que se aplica somente à vida privada de alguém. ‘Nenhum homem é uma ilha’, escreveu o poeta cristão John Donne. Mas um dos grandes mitos de nossos dias é o de que nós somos ilhas — que as nossas decisões são pessoais e que ninguém tem o direito de nos dizer o que fazer nas nossas vidas particulares. Nós nos esquecemos facilmente de que cada decisão particular contribui para o ambiente moral e cultural em que vivemos [...]. Os cristãos são salvos não apenas de alguma coisa (o pecado), mas também para alguma coisa (a soberania de Cristo sobre toda a vida). A vida cristã começa com a restauração espiritual, que Deus opera pela pregação da sua Palavra, da oração, da adoração e do exercício dos dons espirituais em uma igreja local. Este é apenas o começo indispensável, pois somente a pessoa redimida pode ser cheia do Espírito de Deus e pode verdadeiramente conhecer e realizar o plano de Deus.
(COLSON, C.; PEARCEY, N. O Cristão Na Cultura de Hoje. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2006, pp.36,37,39,40).

2. O QUE SIGNIFICA SEGUIR A JESUS ?
O discípulo acaba sendo identificado com a pessoa que ele está seguindo. E é preciso seguir bem de perto. Assim expressou o rabino Yose Bem Yoezer: “Deixe-se cobrir pela poeira dos pés do seu rabino”. Foi o que o próprio Jesus disse: “O discípulo não é superior a seu mestre, mas todo o que for perfeito será como o seu mestre” (Lc 6.40).

2.1. A resposta humana ao chamado de Cristo.
Ser um discípulo de Jesus Cristo é uma resposta do ser humano à manifestação da graça salvadora. Por que uma resposta? Porque a iniciativa é de Deus. Deus amou o mundo e enviou Seu Filho Unigênito (Jo 3.16); “Cristo morreu por nós, sendo nós ainda, pecadores” (Rm 5.8). No caminho de Damasco, Saulo de Tarso perguntou: “Senhor, que queres que eu faça?” (At 9.6). O carcereiro de Filipos perguntou: “...que é necessário que eu faça para me salvar?” (At 16.30). Após o apóstolo Pedro terminar o primeiro anúncio da Palavra de Deus, depois da descida do Espírito Santo, aqueles que “compungiram-se em seu coração” (At 2.37), perguntaram: “Que faremos, varões irmãos?. São exemplos do ser humano respondendo positivamente ao chamado de Deus, ao Evangelho de Jesus Cristo.
Professor com relação ao chamado é importante destacar que os primeiros discípulos entenderam e atenderam o chamado do Senhor, e em todos os tempos houve inúmeros casos que confirma que não fomos nós que escolhemos o Senhor, foi ele que nos escolheu.
16 Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda.
Não fomos chamados apenas para desfrutar dos privilégios da salvação, mas também para ser discípulo do Salvador a um mundo que jaz no maligno.  

2.2. A necessidade de coerência na vida do discípulo de Cristo.
Como pode uma pessoa dizer que tem Jesus, está em Jesus, segue Jesus e não ser como Ele? Como pode ser um discípulo de Jesus e não seguí-Lo? É contraditório, incoerente, engano. Não basta crer, pois os demônios também creem (Tg 2.19). Não basta profetizar, expulsar demônios e fazer maravilhas em nome de Jesus (Mt 7.22). Não basta saber quem é Jesus (Mc 5.7; Lc 4.41). Não basta apenas fazer parte de um grupo de discípulos – Judas Iscariotes também estava lá (Mt 10.1).
O apostolo Paulo entendia bem o que significava ter coerência, era viver em plena comunhão com Jesus e em santificação.
porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro. (Fl 1.21)
Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.(Gl 2.20).
“Os cristãos estão unidos com Cristo através de dois relacionamentos espirituais: eles estão em Cristo e Cristo habita neles (‘Vós, em mim, e eu, em vós’, Jo 14.20). Nossa posição em Cristo é permanente e nos dá inúmeras bênçãos espirituais que promovem nossa santificação. Cada crente, por exemplo, é uma nova criatura em Cristo, o que o capacita a levar uma vida transformada (2Co 5.17). O relacionamento Cristo em nós significa sua residência permanente no crente (Cl 1.27). A essência da santificação cristã é experimentar a presença pessoal de Cristo, ‘Cristo vive em mim’, Gl 2.20. Os cristãos podem manifestar Cristo em suas vidas somente porque Ele reside neles (Fp 1.20,21).
(HOLLOMAN, Henry. O poder da santificação. RJ: CPAD, 2003, p.29-30).  

2.3. Identificando a verdadeira fé do discípulo de Cristo.
É preciso cuidado. É preciso pensar biblicamente. É importante refletir à luz do texto bíblico como um todo. E aí vamos entender que todo discípulo de Jesus crê. Mas nem todo que declara que crê é um discipulo (Jo 2.23-24). Uma fé que não conduz à submissão, entrega e obediência não torna uma pessoa discípulo de Jesus. Outro exemplo encontramos em João 12.42-43: “...muitos creram nele; mas não o confessavam por causa dos fariseus, para não serem expulsos da sinagoga. Porque amavam mais a gloria dos homens do que a glória de Deus”. Uma fé que não conduz à renúncia e à confissão pública não torna a pessoa um discípulo de Jesus.
Professor, o nosso comentarista nos deixa claro que a fé do discípulo, não é morta, mas deve produzir submissão entrega e obediência. Podemos ainda acrescentar que produz obra,explique para seus alunos o comentário abaixo: 
Fé e obras. Ao ler desavisadamente a Epístola de Tiago o leitor pode afirmar que ela contradiz os ensinamentos do apóstolo Paulo quanto à doutrina da salvação pela fé (Rm 4.1-6). Todavia, ao estudarmos cuidadosamente o tema em questão, veremos que os ensinos paulinos e os de Tiago em hipótese alguma se contradizem. Quando Paulo escreve sobre as obras, ele se refere à Lei — o orgulho nos rituais judaicos e na obediência a um sistema de regras religiosas — enquanto que Tiago, às obras de misericórdia ao próximo necessitado. O meio-irmão do Senhor não se opôs ao apóstolo dos gentios. Enquanto Paulo anunciava ao pecador a salvação pela graça mediante a fé (Ef. 2.8), Tiago doutrinava os crentes sobre a impossibilidade de vivermos a fé de Cristo sem manifestar os frutos de arrependimento (Mt 3.8). O primeiro preocupou-se com a causa da salvação e o segundo, com o efeito dela. (Lições CPAD Jovens e Adultos » Sumário Geral » 2014 » 3º Trim)

3. ATITUDES DO DISCÍPULO DE JESUS CRISTO
Como encontramos na Bíblia, a resposta humana ao chamado de Cristo se expressa não apenas em palavras, emoções, concordância ou admiração, mas em decisão e atitudes.

3.1. Amar a Cristo acima de tudo e todos.
Ir com Jesus e acompanhá-lo é uma coisa. Ser discípulo de Jesus Cristo vai além. Para ser discípulo, precisa amar a Jesus Cristo mais do que a família e a si próprio (Lc 14.26; Mt 10.37), A palavra “aborrecer” tem o sentido de “amar menos”. O Senhor Jesus alertou sobre o conflito que pode surgir dentro da família caso um de seus membros decida seguí-Lo. De forma alguma, o discípulo de Jesus deixará de honrar pai e mãe; cumprir seus compromissos com a família. Deve ser um pacificador, mas sem comprometer seu dever para com o Senhor Jesus Cristo. Nenhum amor que temos nesta vida pode ser comparado ao que devemos ter por Ele.
Amados quando me converti com 15 anos (1980), enfrentei esta situação desconfortável, pois minha família não era evangélica, todavia eu amava Jesus com toda minha alma, mas nunca deixei de honrar meus pais e amar meus irmãos. O resultado não poderia ter sido outro,toda minha casa se converteu ao Senhor,porque o Senhor é fiel e misericordioso.(inclusive um dos convertidos é o Eder,criador deste blog)
Hoje tenho minha própria família, filhos, fato que de forma alguma será empecilho quanto à realização da obra do Senhor e amá-lo de toda alma.
Pr.João Duque, homem de Deus, nos ensinava:
“Cuidar bem da família é honrar ao Senhor”
“Cuide bem de sua família, depois cuide da obra, que proveito teria você ganhar o mundo e perder sua família?”
O apostolo Paulo concordava com esta idéia:
Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus? (2Tm 3.5)

3.2. Levar a sua cruz.
Quando Jesus falou “levar a sua cruz” (Lc 14.27), a multidão sabia que se tratava de um instrumento de pena de morte, comumente utilizado entre os romanos, para os escravos e criminosos. Num sentido figurado, significa enfrentar o sofrimento, provação, reprovação por parte da sociedade, vergonha e expor-se a morte. Um homem condenado carregava a cruz até o local onde seria executado. Ou seja, levar a cruz é crucificar o eu. Em outro texto diz: “tome cada dia a sua cruz” (Lc 9.23).
E qualquer que não levar a sua cruz e não vier após mim não pode ser meu discípulo” (Lc 14.27).
Tomar cada dia a cruz. “...tome cada dia a sua cruz, e siga-me” (Lc 9.23c). Só toma a cruz quem já decidiu seguir a Cristo. Tomar a cruz significa renunciar ao seu próprio “eu” (o viver segundo a carne, fazendo a nossa própria vontade), e de bom grado sofrer por amor de Cristo. E isso acontece com todo o crente fiel, sincero, humilde e obediente. Jesus disse: “...no mundo tereis aflições...” (Jo 16.33; ver 2 Tm 3.12). A cruz inclui aflições, tribulações, perseguições, de modo claro e explícito. Há crentes, infelizmente, que, dominados pelo relativismo e pelo modernismo, entendem que a vida deve ser de tal forma que não tenha qualquer sofrimento. Muitos são adeptos da falsa Teologia da Prosperidade, que prega o paraíso na terra, sem pobreza, sem doença, sem aflições, contrariando a Palavra de Deus. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2000 » 2º Trim)
   
3.3. Renunciar tudo quanto tem.
Renúncia é parte do custo de viver como discípulo na terra (Lc 14.33). Alguns sentidos desta palavra no grego: “dar adeus a”; “despedir”; “abandonar”. É preciso que Jesus Cristo esteja acima de interesses e projetos pessoais. É necessário prontidão para deixar qualquer relação que não seja compatível com o caminho de Jesus Cristo. A título de exemplo, citamos a história da esposa de Ló, que, após sair da cidade de Sodoma, mesmo recebendo a ordem para não olhar para trás (Gn 19.17), não resistiu e “ficou convertida numa estátua de sal” (Gn 19.26) Ela e sua família receberam os anjos em casa, preparam-lhes um banquete e  ouviram sobre o juízo de Deus sobre aquele lugar. Contudo, ela não deu adeus “a vida em Sodoma”! Não “abandonou” o que ficou em Sodoma!

2. O custo. Jesus deixa bem claro quais são as implicações envolvidas na vida daquele que aceitasse o chamado para ser seu discípulo. Tornar-se discípulo é bem diferente de se tornar um simples aluno. No discipulado, o seguidor passa a conviver com o mestre, enquanto na relação professor-aluno essa prática não está presente. O aprendizado acontece diuturnamente, e não apenas durante algumas aulas dadas em domicílio ou numa sala. Quem quiser segui-lo deve, portanto, avaliar os custos. Seguir a Cristo envolve renúncia, significa submissão total a Ele. Jesus lembrou as pessoas desse custo, pois não queria que o seguisse apenas por empolgação (Lc 14.25-27). Muitos querem ser discípulos mas não querem renunciar nada. Às vezes precisamos sacrificar até mesmo o nosso relacionamento religioso na família, abrir mão de algumas coisas para seguir a Jesus. O que o Mestre está requerendo de você? (Lições CPAD Jovens e Adultos» 2015 » 2º Trim)

CONCLUSÃO
Em Romanos 8.29, encontramos que Deus chama pessoas “para serem conforme à imagem de Seu Filho”, parecidas com Ele, Enquanto caminhamos, observamos e ouvimos. É um processo. Temos muito a aprender, “até que todos cheguemos à medida da estatura completa de Cristo (Ef 4.13).


Bibliografia
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Revista EBD Betel Dominical Professor - 3 trimestre 2017, ano 27, número 104 - Editora Betel
PAE - Plano de Aula Expositiva - Auxílio EBD - http://editorabetel.com.br/auxilio/beteldominical/


1. O que os discípulos sabiam bem?
R: O significado de “vinde após mim” (Mt 4.19) ou “segue-me” (Mt 9.9; Jo 1.43).

2. Por que ser um discípulo é uma resposta do ser humano à manifestação da graça salvadora?
R: Porque a iniciativa é de Deus (Jo 3.16).

3. Qual o sentido da palavra “aborrecer”?
R: “Amar menos” (Lc 14.26).

4. O que é renúncia?
R: É parte do custo de viver como discípulo de Jesus Cristo na terra (Lc 14.33).

5. O que a esposa de Ló não “abandonou”?

R: O que ficou em Sodoma (Gn 19.26).


                                AGORA VAMOS AOS VÍDEOS SOBRE ESTA LIÇÂO.  TENHA BOM ESTUDO !                                  
Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.
               

                 
                
                  

                    
                                     
                                                                                                                                                                              
[     

Estimado professor, alguns links sobre nosso tema desta semana, li, gostei e quero compartilhar com meus amados :

Identidade Cristã



                                                         MUSICA ESCOLHIDA DESTA SEMANA                                                               
Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.

  Hora do Salvador   
Duração: 4:40 minutos - Voz da Verdade 

                                                                                                                                                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário