domingo, 11 de junho de 2017

Lição 12 - Judá é levado para o cativeiro da Babilônia

Aula presencial dia 18 de Junho de 2017

Estimados professores,   acredito que já tenha percebido que nosso slide semanal traz uma abordagem completa de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se a todo o conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Divulgue e Compartilhe.


1 - Entender o propósito de Deus a respeito do exílio;
2 - Ter a certeza que o Senhor é Soberano entre as nações;
3 - Mostrar as consequências do pecado do povo de Judá.

 Texto Áureo
“E queimou a casa do Senhor, e a casa do rei, 
e também a todas as casas de Jerusalém, e incendiou
todas as casas dos grandes.” (Jeremias 52:13)

Verdade Aplicada
Os graves erros cometidos por seus
líderes fizeram com que o povo de 
Judá se afundasse cada vez mais
em seus pecados.
  
Motivo de Oração
Ore pelo governo e pela igreja no Brasil

Hinos sugeridos.
Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.

63 - Acordai, Acordai

115 - Trabalhai e Orai

127 - O Senhor da Ceifa



 Jeremias 52:14,15,16,28 
14 - E todo o exército dos caldeus, que estava com o capitão da guarda, derribou todos os muros que rodeavam Jerusalém.
15 - E os mais pobres do povo, e a parte do povo que tinha ficado na cidade, e os rebeldes que se haviam passado para o rei da Babilônia, e o resto da multidão, Nebuzaradã, capitão da guarda, levou presos.
16 - Mas dos mais pobres da terra deixou Nebuzaradã, capitão da guarda, ficar alguns, para serem vinhateiros e lavradores.
28 - Este é o povo que Nabucodonozor levou cativo no sétimo ano: três mil e vinte e três judeus.

Segunda-Feira –  Jeremias 52:28 
52 : 28 Este é o número do povo que Nabucodonosor levou cativo: no sétimo ano, três mil e vinte e três judeus;

Terça-Feira –  Jeremias 52:29 
52 : 29 No décimo oitavo ano de Nabucodonosor levou ele cativas de Jerusalém oitocentas e trinta e duas pessoas;

Quarta-Feira –  Jeremias 52:30 
52 : 30 No vigésimo terceiro ano de Nabucodonosor, Nebuzaradão, comandante da guarda imperial, levou cativos dentre os judeus, setecentas e quarenta e cinco pessoas. Todas as pessoas são quatro mil e seiscentas.

Quinta-Feira –  Jeremias 52:31 
52 : 31 No trigésimo sétimo ano de exílio de Joaquim, rei de Judá, no ano em que Evil-Merodaque começou a reinar em Babilônia, no dia vinte e cinco do décimo segundo mês, libertou do cárcere a Joaquim, rei de Judá.
  
Sexta-Feira –  Daniel 1:1 
1 : 1 No terceiro ano do reinado de Jeoiaquim, rei de Judá, veio Nabucodonosor, rei de Babilônia, a Jerusalém, e a sitiou.

Sábado –   Daniel 1:2 
1 : 2 O Senhor entregou nas suas mãos a Jeoiaquim, rei de Judá, e uma parte dos utensílios da casa de Deus, e ele os levou para a terra de Sinear, para a casa do seu deus, e pôs os utensílios na casa do tesouro do seu deus.



IMPORTANTE
Apresento neste BLOG o Esboço da Lição e os comentários como 
professor de EBD em cima do PAE - PLANO DE AULA EXPOSITIVA 
NÃO APRESENTO O CONTEÚDO COMPLETO DIGITALIZADO DAS REVISTAS
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !





ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução
1. O propósito de Deus quanto ao exílio
2. A convocação ao arrependimento
3. A hora de voltar para casa
Conclusão
Clique aqui para Visualizar o PAE (Plano de Aula Expositiva) da Editora Betel



                   


INTRODUÇÃO
O castigo foi necessário para mostrar ao povo que Deus não havia mudado. Ele queria que o Seu povo retornasse à verdadeira adoração. Ele mostrou Seu grande amor ao trazer Israel de volta após um longo exílio na Babilônia.
Estamos caminhando para o fechamento do trimestre e também dos estudos baseados no livro de Jeremias, na lição de hoje comentaremos sobre o propósito de Deus no período do exílio de Israel enfatizando o final deste período.

TEXTO ÁUREO.
E queimou a casa do Senhor, e a casa do rei, e também a todas as casas de Jerusalém, e incendiou todas as casas dos grandes. (Jr 52:13).
Tudo estava no controle de Deus, é exatamente isso que acontece quando a prova ou correção vem de Deus, tem inicio, meio e fim.

VERDADE PRÁTICA.
Os graves erros cometidos por seus líderes fizeram com que o povo de Judá se afundasse cada vez mais em seus pecados.
A responsabilidade dos lideres é muito grande, pois interfere diretamente nas condições do povo diante de Deus.
Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.(At 20:28,29)

1. O PROPÓSITO DE DEUS QUANTO AO EXÍLIO
O povo de Israel foi eleito para ser um povo exclusivo do Senhor. Mas, durante o decorrer dos anos, a nação se desviou dos verdadeiros ensinamentos. Israel estava andando segundo seu bel-prazer, praticando toda sorte de pecados. Estava andando mais para trás do que para frente (Jr 7:23-24). Como se recusaram a ouvir as advertências de Deus, o juízo foi derramado sobre eles.

1.1. As causas que levaram o povo ao exílio 
A teologia em boca de ímpio. Quando o capitão da guarda babilônica encontrou a Jeremias, pôs-se a teologizar: “O SENHOR, teu Deus, pronunciou este mal contra este lugar; e o SENHOR o trouxe e fez como tinha dito, porque pecastes contra o SENHOR e não obedecestes à sua voz; pelo que vos sucedeu tudo isto” (Jr 40.3,4).
Como um gentio idólatra e estranho à comunidade de Israel poderia ter uma ideia tão clara da justiça de Deus? De qualquer forma, havia ele entendido perfeitamente a justiça divina, enquanto que os judeus, iludidos pelos falsos profetas e pregadores, esperavam uma paz que não existia e uma prosperidade que já era miséria.
É hora de despertarmos dessa letargia, e passar a entender o que nos tem reservado o Senhor (Ef 5.14-18). Se perseverarmos na fé, herdaremos as eternas bem-aventuranças. Caso contrário: seremos destruídos (Is 30.21). (Lições CPAD Jovens e Adultos  2010 » 2º Trim.)
Tomou o capitão da guarda a Jeremias, e disse-lhe: O Senhor teu Deus pronunciou este mal, contra este lugar.
E o Senhor o trouxe, e fez como havia falado; porque pecastes contra o Senhor, e não obedecestes à sua voz, portanto vos sucedeu isto.(Jr 40:2,3)

1.2. Uma vida sem perspectiva 
O que gera a falta de perspectiva é o afastamento de Deus, Jesus nos disse:
...”porque sem mim nada podeis fazer”.(Jo15.5)
Não conheço alguém que vive uma vida com Jesus dizer que não tem perspectiva e esperança, infelizmente não foi o caso do povo de Judá que se aprofundavam cada vez mais no oceano da desobediência...
...porque pecastes contra o SENHOR e não obedecestes à sua voz; pelo que vos sucedeu tudo isto.(Jr40.3)
Quando Israel estava diante do mar vermelho a situação era muito mais complicada, todavia eles não estavam afastados do Senhor e a ordem de Deus foi:
Então disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem.(Ex14.15)

1.3. O cativeiro agora era uma realidade 
Desde a chamada do patriarca Abraão, o povo de Israel deveria ser diferente, isto é, monoteísta (adorar um único Deus), enquanto os demais povos eram politeístas (adoravam vários deuses). Através dos séculos, depois de entrar na terra Prometida, o povo de Israel se deixou vencer continuamente pela idolatria, contrariando os mandamentos do Senhor Deus (Êx 20.3-5).
Como falamos em lições anteriores o cativeiro era uma demonstração do amor de Deus,corrigindo seu povo.
Porque o Senhor corrige o que ama,E açoita a qualquer que recebe por filho.(Hb12.6)

2. A CONVOCAÇÃO AO ARREPENDIMENTO
Em seu livro, o profeta Jeremias nos apresenta um cenário envolvendo a perversão da Judá e de sua consequente derrota para os babilônios. Conforme a rebeldia do povo aumentava, mais vulneráveis se tornavam, sendo incapazes de compreender a vida e a realidade divina.

2.1. Os profetas no exílio  
Deus não abandonou seu povo, pois é fiel em suas promessas, veja:
Esforçai-vos, e animai-vos; não temais, nem vos espanteis diante deles; porque o Senhor teu Deus é o que vai contigo; não te deixará nem te desamparará. (Dt 31.6)
Mesmo vivendo uma situação caótica em terras idolatra, Deus tinha seus profetas Daniel, Ezequiel, que eram a voz de Deus para o povo.
Professor destaque em sua classe que o grande problema de afastar-se de Deus é ficar insensível à voz de Deus, mesmo havendo profetas não há arrependimento e mudança, pois o pecado cria uma barreira entre o homem e Deus e vice-versa.
Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça.(Is59.2)
Infelizmente esta era a situação de Israel naqueles dias, havia profetas, mas não havia ouvidos abertos e sensíveis a voz de Deus. Que o Senhor nos ajude pois nos últimos dias da igreja na Terra não será muito diferente:
Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;
E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.(2Tm4:3,4)

2.2. É preciso louvar ao Senhor 
1. Possíveis definições para louvor e adoração? Provisória e precariamente, podemos descrever adoração e louvor como um estado de consciência onde se reconhece simultaneamente a grandiosidade de Deus e a efemeridade da condição humana. É a busca insaciável por mais da pessoa de Deus, sem nenhum interesse alheio a esse fim. É desejo pessoal de dedicar o máximo de si a Deus e ao próximo. Partindo destas ideias fica evidente que existem níveis e intensidades diferentes na adoração e louvor, não necessariamente uma hierarquia ou uma escala. (Lições CPAD Jovens e Adultos 4º Trim).
“Ó, vinde, adoremos e prostremo-nos! Ajoelhemos diante do SENHOR que nos criou” (Sl 95.6).
Professor neste tópico é importante explicar para nossos alunos que louvores e adoração não estão vinculados a possíveis situações favoráveis que estamos passando, o verdadeiro louvor vem de um coração sincero que adora ao Senhor independente das circunstancias, por exemplo, Paulo e Silas estavam presos e açoitados, mas adoravam ao Senhor:
E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança.
O qual, tendo recebido tal ordem, os lançou no cárcere interior, e lhes segurou os pés no tronco.E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam.(At 16:23-26).

2.3. Mesmo no cativeiro, Deus cuida do Seu povo 
Em todas as situações que já passaram o povo de Israel não resta menor dúvida que o senhor tem cuidado do seu povo em todo tempo, inclusive no cativeiro babilônico. Comente com sua classe pelo menos alguns pontos sugeridos abaixo.
Embora estivesse a testemunhar o pior momento da história de Israel no Antigo Testamento, Jeremias sabia perfeitamente que o Senhor resgataria o seu povo: “Não temas, pois, tu, meu servo Jacó, diz o SENHOR, nem te espantes, ó Israel; porque eis que te livrarei das terras de longe, e a tua descendência, da terra do seu cativeiro; e Jacó tornará, e descansará, e ficará em sossego, e não haverá quem o atemorize” (Jr 30.10).
Vejamos como esta profecia começou a ser cumprida:
1. A volta de Israel à sua terra. A nação de Israel começou a ser dispersa em 722 a.C., quando os assírios destruíram o Reino do Norte, levando cativas as dez tribos de Israel. Segundo se especula, as dez tribos perderam a sua identidade, misturando-se aos povos de sua dispersão. A profecia de Ezequiel, porém, diz o contrário: todas as tribos, inclusive a de Dã, voltarão à Terra de Promissões onde recuperarão sua formosa herança (Ez 48.1,2,32).
2. O restabelecimento do Estado de Israel. Quem diria que, três anos após o término da Segunda Guerra Mundial, estaria sendo proclamado o Estado de Israel? Deus fez o impossível acontecer. Mesmo com os seis milhões de judeus assassinados pela Alemanha de Hitler, Israel
tornou-se realidade: “Quem jamais ouviu tal coisa? Quem viu coisas semelhantes? Poder-se-ia fazer nascer uma terra em um só dia? Nasceria uma nação de uma só vez? Mas Sião esteve de parto e já deu à luz seus filhos” (Is 66.8).
No dia 14 de maio de 1948, era proclamado o Estado de Israel que, apesar de todas as oposições gentias, vem representando um eloquentíssimo e cabal testemunho do cuidado de Deus em relação ao seu povo.
3. A retomada de Jerusalém. Afirmou o Senhor Jesus em seu Sermão Profético: “E cairão a fio de espada e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem” (Lc 21.24).
Podemos datar a inauguração do tempo dos gentios a partir de 586 a.C., ocasião em que os babilônios conquistaram e destruíram Jerusalém. No entanto, Deus começou a reverter tal situação em junho de 1967, quando os exércitos israelenses retomaram o lado oriental da Cidade Santa. Em 1980, o então primeiro-ministro Menachen Begin proclamou Jerusalém como a capital una e indivisível de Israel.
Dias atribulados estão reservados a Jerusalém, mas o Senhor tem um firme compromisso com Sião, e jamais a desamparará. (Lições CPAD Jovens e Adultos 2010 » 2º Trim.)

3. A HORA DE VOLTAR PARA CASA
O profeta Jeremias assegurou que o Senhor resgataria o Seu povo do cativeiro (Jr 30:10; 46:27). Do mesmo modo, Moisés e Salomão, séculos antes, haviam falado sobre uma restauração após o cativeiro (Dt 30:1-5; 1Rs 8:46-53). Outros profetas também asseguravam o livramento do exílio (Ez 39:25-27; Am 9:13-15; Sf 2:7; 3:20).

3.1. A restauração do povo de Israel 
Jeremias orava ao senhor:
 “Converte-nos, SENHOR, a ti, e nós nos converteremos; renova os nossos dias como dantes. Por que nos rejeitarias totalmente? Por que te enfurecerias contra nós em tão grande maneira?” (Lm 5.20,21).
Note que a restauração de Israel também foi fruto das orações de Jeremias.Pergunte para a classe:”Vocês tem orado em favor da igreja”?Motive sua classe fazê-lo,a oração de um justo pode muito em seus efeitos(Tg 5.16).
Neemias também orou por Israel:
6 - Estejam, pois, atentos os teus ouvidos, e os teus olhos, abertos, para ouvires a oração do teu servo, que eu hoje faço perante ti, de dia e de noite, pelos filhos de Israel, teus servos; e faço confissão pelos pecados dos filhos de Israel, que pecamos contra ti; também eu e a casa de meu pai pecamos.
7 - De todo nos corrompemos contra ti e não guardamos os mandamentos, nem os estatutos, nem os juízos que ordenaste a Moisés, teu servo.(Ne1.6-7)


3.2.  O Senhor é Soberano 
Deus dá o escape. Com a ascensão do império medo-persa no ano 536 a.C, o rei Ciro, instigado por Deus, permite que um grupo de judeus retorne a Jerusalém, a fim de reconstruir os muros da cidade e reerguer o Santo Templo (Dn 8.3; Ed 1.1). O Senhor sempre dá um escape aos seus servos, quando estes o honram e lhe obedecem à Palavra. Observemos que Ciro era um rei gentio. Isso nos mostra que Deus, para cumprir o seu propósito, usa a quem Ele quer e como quer. (Lições CPAD Jovens e Adultos »  2011 » 4º Trim.)
Tal fato nos mostra mais um exemplo relacionado à soberania de Deus
3.3. Deus é Deus em qualquer circunstância.
É importante destacar para classe que assim como abundancia não é sinônimo de bênçãos de Deus, dificuldades em diversas áreas não é sinônimo de ausência de Deus,conforme nos ensina o comentarista,Deus será sempre Deus,independente das circunstâncias ele estará cuidando e preservando o seu povo. 
Então respondeu Jó ao SENHOR, dizendo:
Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido.
(Jó 42:1)
CONCLUSÃO
Tudo que aconteceu com o povo de Israel foi por causa de sua desobediência, que trouxe como consequência o cativeiro. Deus até nos permite sermos subjugados, mas não para sempre. Isto dura o tempo que for preciso para que aprendamos e cresçamos em Sua presença.

Bibliografia
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Revista EBD Betel Dominical Professor - 2 trimestre 2017, ano 27, número 103 - Editora Betel
PAE - Plano de Aula Expositiva - Auxílio EBD - http://editorabetel.com.br/auxilio/beteldominical/




1. O profeta Isaías havia dito a qual rei sobre a incursão babilônica?
R: O rei Ezequias (2Rs 20:16-17)

2. Quem vê todas as coisas?
R: O Senhor (Sl 33:13-15).

3. Mesmo no exílio, o profeta Daniel orava voltado para qual direção?
R: Jerusalém (Dn 6:10).

4. Quanto tempo o povo ficou cativo na Babilônia?
R: Setenta anos (Jr 29:10).

5. Quem o Senhor usou para libertar o Seu povo do cativeiro?
R: O rei Ciro (Ed 1:1-3).

                                    AGORA VAMOS AOS VÍDEOS SOBRE ESTA LIÇÂO.  TENHA BOM ESTUDO !                                  
Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.
                  

                   

                  

                 
                                                                                                                                                                                        
[     

Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.

  Aula Teologia - Pós-Cativeiro Babilônico  
Duração: 9:50 minutos - EETAD  


  O Cativeiro Babilônico  
Duração: 21:00 minutos -  Programa Evidências
  Teólogo e Arqueólo Rodrigo Silva  


                                                         MUSICAS ESCOLHIDAS DESTA SEMANA                                                              
Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.

  Liberto da Escravidão  
Duração: 3:35 minutos - Hino 137 da Harpa Cristã 


                                                                                                                                                                                      

Nenhum comentário:

Postar um comentário