segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus.

Aula presencial dia 5 de novembro de 2017

Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de alterá-lo, Divulgue e Compartilhe !


1 - Explicar como e onde a salvação foi elaborada, o que ela é e porque necessitamos dela;
2 - Mostrar três importantes aspectos da salvação na vida humana;
3 - Apresentar como essa tão grande salvação produziu benefícios para as nossas vidas.

 Texto Áureo
“Porque o Filho do homem veio buscar e salvar 
o que se havia perdido”. (Lucas 19:10)

Verdade Aplicada
A salvação é um presente oferecido por Deus à humanidade. 
Um benefício que não depende de nenhuma obra humana.
  
Motivo de Oração
Ore para que os novos convertidos sejam 
firmes e não voltem atrás em suas decisões.

Hinos sugeridos.
Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.

169 - Oh! Jesus me Ama

509 - Ao Passar o Jordão

545 - Porque Ele Vive





Romanos 3.19-20
19 Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus.
20 Por isso, nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado. 

Efésios 2.8-10
8 Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus.
9 Não vem das obras, para que ninguém se glorie.
10 Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.




Segunda-Feira –  Mateus 7:13 
7 : 13 Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;

Terça-Feira –  Atos 4:12  
4 : 12 E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.

Quarta-Feira –  Romanos 3:23-24 
3 : 23 Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
3 : 24 Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.

Quinta-Feira –  Romanos 5:12-18 
5 : 12 Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.
5 : 13 Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei.
5 : 14 No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não tinham pecado à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir.
5 : 15 Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos.
5 : 16 E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação.
5 : 17 Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo.
5 : 18 Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida.
  
Sexta-Feira –  Efésios 1:5 
1 : 5 E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade,

Sábado –    Colossenses 2:14 
2 : 14 Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.


IMPORTANTE
Apresento neste BLOG o Esboço da Lição e os comentários como 
professor de EBD em cima do PAE - PLANO DE AULA EXPOSITIVA 
NÃO APRESENTO O CONTEÚDO COMPLETO DIGITALIZADO DAS REVISTAS
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !




ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução
1. A necessidade da salvação.
2. Os processos que envolvem a salvação.
3. Vivendo como salvos.
Conclusão
Clique aqui para Visualizar o PAE (Plano de Aula Expositiva) da Editora Betel



                   


TEXTO ÁUREO
“Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”. (Lc 19:10)

VERDADE APLICADA 
        A salvação é um presente oferecido por Deus à humanidade. Um benefício que não depende de nenhuma obra humana.

        TEXTO REFERÊNCIA 
Romanos 3.19-20; Efésios 2.8-10

INTRODUÇÃO
A salvação é uma ação de Deus. Ele nos concedeu como favor; jamais poderemos recompensá-Lo ou pagar-lhe. A salvação é um pequeno dom, um favor não merecido, impossível de ser produzido pelo ser humano; um benefício legítimo de Deus.
Professor você deve ter percebido que alguns pontos na lição 6 já foram abordados em lições anteriores, portanto estudá-los contribui para uma fixação de conhecimento. Por exemplo o tópico 2.1 menciona a regeneração que foi o nosso assunto da lição 5 e nesta oportunidade vamos contextualizar(regeneração) com o nosso estudo (salvação).
Como já comentei com os irmãos, também sou professor do ensino médio (SP) e utilizo este método: “Contextualizar conhecimento já adquirido no processo de ensino/aprendizagem”  
Normalmente os resultados são muito bons, porque é aproveitar algo que o aluno já sabe na construção de novos conhecimentos... 

1. A NECESSIDADE DE SALVAÇÃO
Em termos práticos, todo ser humano já nasce sob o domínio do pecado, destituído da glória de Deus, e, por esse motivo, necessita de salvação (Rm 5.12). A salvação é o retorno a Deus e a Seus princípios; é o rompimento com uma vida errante e digna de condenação.
O foco principal de uma igreja “evangélica” é pregar sobre a salvação, até mesmo porque evangelho é boas novas e cuja mensagem é o sacrifício de Jesus para salvação do pecador.
Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.
Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos. (1 Co 1:18,23).

1.1. A necessidade foi elaborada desde a eternidade.
O plano da salvação, por ser divino, é perfeito. Ele foi elaborado desde antes da fundação dos tempos, isso significa que, mesmo Adão tendo desobedecido a Deus e colocado toda a humanidade em desgraça (Rm 5.12), Deus nunca perdeu o controle, pois a salvação foi elaborada antes mesmo que Adão pensasse em existir (2Tm 1.9). O Senhor Deus, por sua presciência (1Pe 1.2), já sabia que o ser humano iria pecar! Assim, ainda antes do pecado, o plano divino de salvação foi elaborado (1Pe 1.20). O Cordeiro de Deus, Jesus Cristo, já estava escolhido, aguardando o momento da manifestação, na “plenitude dos tempos” (Gl 4.4).
 “A única esperança de salvação da humanidade encontra-se no sangue de Jesus Cristo, o Filho de Deus, derramado no Calvário. Este ato redentor e propiciatório dos pecados do homem, já estava marcado e determinado, na mente augusta e onisciente do Criador, antes da fundação do mundo. Assim, tanto a Queda da humanidade originada na desobediência do primeiro Adão, como a sua salvação pelo segundo Adão foram preconhecidas e providenciadas dentro do plano de Deus. Prevista a Queda do homem, Deus determinou, logo e para sempre, o único meio restaurador do ser humano: a propiciação pelo sangue do Cordeiro imaculado, Jesus Cristo, seu Filho amado”. (Lições CPAD Jovens e Adultos Sumário Geral » 2000 » 2º Trimestre )  
 E ela dará à luz um filho, e lhe porás o nome de JESUS, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.(Mt 1.21)
O nome de Jesus é forma grega do nome Josué (no hebraico, Yeoshuah), que significa “O Senhor salva”
O nome de Jesus está diretamente relacionado à sua missão em resgatar o pecador. Vejam também no  evangelho de Lucas:
1.47 - e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador.
2.11 - pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.
2.30 - pois já os meus olhos viram a tua salvação.
Deus tomou a iniciativa para nossa salvação. É importante destacar que a salvação não é uma ação divina de “ultima hora”, como se Deus pudesse ser surpreendido (Ap 13.8). Cada cordeiro sacrificado no Antigo Testamento apontava para Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (Jo 1.29). (Revista do professor)

1.2. A salvação é o resgate do perdido.
“Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”. (Lc 19.10).
Por que necessitamos tão urgente da salvação? Porque a Bíblia nos ensina que o homem sem Deus está perdido, e, por esse motivo, precisa ser resgatado (Mc 10.45; Lc 19.10). Não há um ser humano que possa resgatar outro. Os recursos humanos, tais quais boas obras, dinheiro, boas intenções, são insuficientes para a salvação (Sl 49.7-8). Mas Cristo Jesus “se deu a si mesmo por nós, para nos remir” (Tt 2.14). A palavra remir indica resgatar, livrar (usada no sentido de comprar).
E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão.(Hb 9:22).
A reconciliação pelo sangue. O Antigo Testamento anunciava a vinda de Jesus, sua paixão e morte, apresentando também a importância do sangue, no sacrifício do Calvário: "...é o sangue que fará expiação pela alma" (Lv 17:11). Isso é confirmado no Novo Testamento: "... sem derramamento de sangue não há remissão" (Hb 9:22). Expiação significa "remir a culpa", e por extensão, "reconciliação", É a restauração de uma relação quebrada. Na cruz fomos reconciliados com Deus (2Co 5:19; Ef 2:11-19).(Lições CPAD Jovens e Adultos - 2008 - 1 Trim)












1.3. A salvação é a união entre o homem e Deus.
A Bíblia nos ensina que o pecado nos separa definitivamente de Deus, e, sendo nascidos de semente corruptível, a única coisa que merecemos receber é a morte (Is 59.2; Rm 5.10). A vida eterna é uma dádiva que o Senhor gratuitamente nos tem oferecido para expressar Seu grande amor. Ela se apoia única e exclusivamente na morte expiatória de Cristo, e a única condição para recebê-la é que nós estejamos em Cristo Jesus, nosso Senhor, isto é, unidos pessoalmente a Ele pela fé (Ef 2.13-16).
E tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo e nos deu o ministério da reconciliação,
 isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados, e pôs em nós a palavra da reconciliação.
(2 Co 5.18-19).
Segundo o Pr.Esequias Soares da Silva o referido substantivo reconciliação (Rm5.11) só aparece quatro vezes no Novo Testamento grego, e vem do verbo katallasso, “reconciliar”. Quanto ao verbo reconciliar, encontrado nestas passagens: Rm 5.10; 1Co 7.11; 2Co 5.18-20 significa mudar de inimizade para amizade. Foi isso que aconteceu entre nós e Deus!

2. OS PROCESSOS QUE ENVOLVEM A SALVAÇÃO
A salvação em si é um conjunto, no qual alguns fatores passam a agir na vida do cristão, conduzindo-o cada vez mais a uma profunda intimidade com Deus. Destacaremos aqui os principais pilares dessa consolidação: a regeneração, a justificação e a adoção.

2.1. A Regeneração.
A regeneração é uma ressurreição espiritual. É uma mudança instantânea operada de maneira secreta por Deus em cada um de nós, e só se conhece em seus resultados (Ef 2.10).
O significado literal da palavra regeneração é “gerado novamente”. Esta palavra é usada raramente nas Sagradas Escrituras (Mt 19.28; Tt 3.5). No entanto, a doutrina da regeneração se evidencia bastante no ensino bíblico que pertence à salvação. É a doutrina da nova vida, que Deus gera em nós quando nos convertemos.
Professor destaque em sua classe que muitas coisas acontecem na vida do homem que recebe a Jesus como seu Salvador, enfatize a regeneração que além de ser uma obra sobrenatural operada na vida do pecador também é um diferencial entre o salvo e o não salvo.
não em virtude de obras de justiça que nós houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou mediante o lavar da regeneração e renovação pelo Espírito Santo,(Tt 3:5)

2.2. A justificação.
"[Do heb. tsadik, do gr.diakaios; do lat.justificationem]. Ato de declarar justo. Processo judicial que se dá junto ao Tribunal de Deus, através do qual o pecador que aceita a Cristo é declarado justo (Rm 5:1). Ou seja: passa a ser visto por Deus como jamais tivera pecado em toda a sua vida (Rm 5:1). A justificação é mais que um mero perdão. O criminoso perdoado, ou anistiado, continuará criminoso. Mas se Deus o justificar, tornar-se ele justo (Rm 8:1). A justificação é obtida única e exclusivamente pela fé em Cristo Jesus."Para conhecer mais leia Dicionario Teológico,CPAD,p.198.
Por isso, nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.(Rm3.20)
Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo;(Rm5.1)

2.3. A adoção.
A adoção é o processo pelo qual uma criança é aceita em uma família, quando por natureza não tinha direito algum de pertencer àquela família (Jo 1.12). Enquanto a regeneração trata de uma ressurreição, onde se passa da condição de morto para vivo diante de Deus; e a justificação faz com que esse vivo possa apresentar-se diante de Deus sem culpa, a adoção dá ao renascido o privilégio de fazer parte da família de Deus, o torna filho (Rm 8.15; Gl 4.5; Ef 1.5). A reconciliação efetuada por Jesus Cristo faz com que o homem deixe a condição de inimigo de Deus, seja adotado por Ele e se torne diretamente um filho.
Prezados professore,com relação à doutrina da adoção coloco abaixo alguns comentários sobre o tema,os mesmos deixam bem claro um posicionamento,evidentemente fundamentado na palavra: “A regeneração dá a pessoa à natureza de filho de Deus. A adoção dá-lhe a posição de filho”; Jo. 1.12; Rm. 8.14-17; I Jo. 3.1

Obs. Os dois comentários abaixo não divergem sobre o tema.


Comentarista: Esequias Soares da Silva(CPAD)
Adoção de filhos é uma das grandes doutrinas da fé cristã. Ela nada tem com filiação, e sim com posição. A expressão deriva de dois termos gregos: “huios” = filho, e “thesis” = posição. A adoção quase não era usada entre os judeus. Os casos mencionados na Bíblia ocorreram fora do ambiente cultural de Israel, como o caso de Moisés (no Egito), Êx 2.10 e At 7.21. O caso de Ester (na Pérsia), Et 2.7,15. O mundo greco-romano onde foi escrito o Novo Testamento, sim, este praticava a adoção de filhos. O termo “huiothesia” é de origem romana, adotado pelos gregos. Paulo, inspirado pelo Espírito Santo o emprega cinco vezes: Rm 8.15,23; 9.4; Gl 4.5; Ef 1.5.
Em nossa cultura, adota-se quem não é filho, mas no caso da Bíblia a adoção espiritual é para quem já é filho de Deus. A Bíblia é clara: “adoção de filhos” (Rm 8.15; Gl 4.5). Deus não adota um crente como filho; este é gerado como tal, pelo Espírito Santo, na regeneração. Na adoção, recebemos a posição de filhos adultos e herdeiros, espiritualmente falando. “Adoção de filhos” não é nossa colocação na família de Deus; isto se dá no novo nascimento. Na adoção, o crente já como filho é elevado à posição de filho adulto e herdeiro da família. Na regeneração há mudança de natureza, pela filiação; na adoção, há mudança de posição.
Lembremo-nos: Deus só adota a quem já é seu filho!
A nossa adoção de filhos de Deus tem ainda um aspecto a cumprir-se no futuro: Rm 8.23 — é a nossa ressurreição ou transformação do nosso corpo, quando então seremos conformados com Jesus Cristo (1Jo 3.2).
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 1998 » 2º Trim)

Comentarista: Claudionor Corrêa de Andrade(CPAD)
Antes de aceitarmos a Cristo, éramos apenas criaturas; agora, co-herdeiros de Cristo Jesus com pleno acesso a todas as bênçãos que, nEle, reservou-nos o Pai Celeste (Ef 1.13; 1 Co 3.21). A adoção, portanto, é uma das mais belas e confortadoras doutrinas da Bíblia.
1. Definição etimológica. A palavra adoção, considerada literalmente, significa colocar na posição de filho.
2. Definição teológica. No Novo Testamento, o vocábulo descreve o ato pelo qual Deus recebe, como filho, alguém que, legal e espiritualmente, não desfruta do direito de tê-lo como Pai. A partir desse momento, passa esse alguém, mediante o sacrifício de Cristo no Calvário, a desfrutar de todos os privilégios que Deus preparou àqueles que aceitam a Cristo como único e suficiente Salvador. O termo adoção encontra-se apenas nas epístolas paulinas (Rm 8.15,23; 9.4; Gl 4.5; Ef 1.5).
não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.(Rm 8:15-16)

3. VIVENDO COMO SALVOS
A Bíblia relata que Jesus Cristo, em Sua oração sacerdotal, declarou acerca de Seus discípulos: “Não são do mundo” (Jo 17.14, 16). Eis um grande desafio: antes da salvação, estávamos no mundo. Após a experiência da regeneração, continuamos no mundo. Como vivermos neste mundo, sendo salvos?

3.1. Seguros na obra de Jesus Cristo.
É fundamental que estejamos seguros quanto à perfeita obra redentora de Jesus Cristo. Por isso, o aos Hebreus registrou: “...pode também salvar perfeitamente...” (Hb 7.25a); “...seu próprio sangue...havendo efetuado eterna redenção” (Hb 9.12a); “...oferecendo-se uma vez, para tirar os pecados...” (Hb 9.28a). Dignas de destaque as características da obra de Jesus Cristo: perfeita, eterna  e única! Aleluia!
É importante notar que, quando da instituição da Páscoa (Êx 12), o sangue do cordeiro era passado nos umbrais e nas vergas das portas das casas (Êx 12.7). O Senhor Deus disse: “...vendo eu sangue...não haverá entre vós praga de mortandade...” (Êx 12.13). Assim também, hoje podemos descansar, pois o sacrifício de Jesus Cristo na cruz do Calvário é perfeito e o Seu sangue suficiente para resgatar-nos da nossa vã maneira de viver (1Pe 1.18-19).(Revista do professor)
Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais,Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado,(1 Pe 1:18,19)

3.2. Firmados na Palavra de Deus.
Em um tempo repleto de instabilidades e temores, os discípulos de Jesus Cristo encontram segurança na imutável e eterna Palavra de Deus. O apóstolo Paulo exortou a Timóteo que permanecesse na Palavra de Deus (2Tm 3.14-17). É tão relevante para nossa segurança a relação com a Palavra de Deus que a primeira investida do maligno semeou dúvida quanto ao que Deus disse (Gn 3.1).
“O Espírito Santo revelou explicitamente que haverá, nos últimos tempos, uma rebeldia organizada contra a fé pessoal em Jesus Cristo.
Muitos crentes se desviarão da fé porque deixarão de amar a verdade (2Ts 2.10) e de resistir às tendências pecaminosas dos últimos dias. Por isso, o evangelho liberal dos ministros e educadores modernistas encontrará pouca resistência em muitas igrejas.
A popularidade dos ensinos antibíblicos vem, sobretudo pela ação de Satanás, conduzindo suas hostes numa posição cerrada à obra de Deus. A segunda vinda de Cristo será precedida de uma maior atividade de satanismo, espiritismos, ocultismos, possessão e engano demoníacos, no mundo e na igreja.
A proteção do crente contra tais enganos e ilusões consiste na lealdade total a Deus e à sua Palavra inspirada, e a conscientização de que os homens de grandes dons e unção espirituais podem enganar-se, e enganar os outros com suas misturas de verdade e falsidade. Essa conscientização deve estar aliada a um desejo sincero do crente praticar a vontade de Deus (Jo 7.17) e de andar na justiça e no temor dEle.
Os crentes fiéis não devem pensar que pelo fato da apostasia predominar dentro do cristianismo nesses últimos dias, não poderá ocorrer reavivamento autêntico, nem que o evangelismo segundo o padrão do NT não será bem-sucedido. Deus prometeu que nos ‘últimos dias’ salvará todos quanto invocarem o seu nome e que se separarem dessa geração perversa, e que Ele derramará sobre eles o seu Espírito Santo” (Bíblia de Estudo Pentecostal. RJ: CPAD, p.1870).

3.3. Revestidos da armadura de Deus.
Evidentemente que poderíamos destacar muito mais sobre a nossa vida de salvos. Contudo, o espaço não permite. Porém, cada um de nós pode prosseguir na presente reflexão. Assim, concluímos esta lição enfatizando que é imprescindível, enquanto vivermos neste mundo, que estejamos revestidos da armadura de Deus, considerando que “dias maus” fazem parte da nossa existência debaixo do sol (Ef 6.10-18).
Dentre outras peças da armadura, destacamos o “capacete da salvação” (Ef 6.17). Em 1 Tessalonicenses 5.8b, o apóstolo Paulo cita: “...tendo por capacete a esperança da salvação”. Assim escreveu John Stott: “A batalha é quase sempre ganha na mente”. São várias as exortações bíblicas quanto a importância da mente: Colossenses 3.2; Filipenses 4.8; Romanos 12.2 (é pela renovação da mente que é possível viver no mundo, mas não se conformar com o mundo); Isaías 26.3.(Revista do professor)
Professor, o Diabo, ao tentar Jesus no deserto, concentrou-se em lançar dúvida em sua mente: "Se tu és o Filho de Deus". Não será diferente conosco! Pergunte a seus alunos se eles estão convictos acerca da própria salvação.

CONCLUSÃO
Acredito que podemos declarar: “Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação?” (Hb 2.3) Adoremos a Deus por tão preciosa dádiva e, no poder do Espírito Santo, anunciemos, até os confins da terra, a bendita e gloriosa mensagem de salvação em Cristo Jesu, até que Ele venha!


Bibliografia
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Revista EBD Betel Dominical Professor - 4 trimestre 2017, ano 27, número 105 - Editora Betel
PAE - Plano de Aula Expositiva - Auxílio EBD - http://editorabetel.com.br/auxilio/beteldominical/


1. Quando a salvação foi elaborada?
R: Antes mesmo que Adão pensasse em existir (2Tm 1.9).

2. Do que fomos comprados e libertados?
R: Da escravidão do pecado (1Co 6.20).

3. Antes éramos “escravos do pecado”, como devemos viver agora?
R: Como “servos de Cristo” (Rm 6.18, 22).

4. É fundamental que estejamos seguros de quê?
R: Da perfeita obra redentora de Jesus Cristo (Hb 7.25).

5. O que o apóstolo Paulo exortou a Timóteo?
R: Que permanecesse na Palavra de Deus (2Tm 3.14-17).

                                AGORA VAMOS AOS VÍDEOS SOBRE ESTA LIÇÂO.  TENHA BOM ESTUDO !                                  
Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.






                                                 
                                                                                                                                                                              
[     

Estimado professor, este tema será abordado na revista da CPAD, segue abaixo Link com a lição sobre o tema, vale a pena conferir !



                                                         MUSICA ESCOLHIDA DESTA SEMANA                                                               
Antes de Assistir os vídeos, se a radio do site estiver tocando, suba a página até a radio e 
toque no vídeo da musica que estiver tocando para interromper o som.

  Salvação Perfeita  
Duração: 4:00 minutos - Hino IPB 

                                                                                                                                                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário