terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Lição 5 - Vencendo o Desespero e o Medo

Aula presencial dia 3 de Fevereiro de 2019 

Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  
Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e 
adicionar conteúdo para uso na sua EBD. 


Hinos sugeridos para essa Aula

33 - Com Tua Mão

131 - De Valor em Valor

178 - Gloriosa Paz










Lição 5 - Vencendo o Desespero e o Medo


Texto Áureo
"Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize. (Jo 14:27)
"Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo" (Rm 5.1)
Paz além do nosso entendimento. Em um de seus diálogos com os discípulos, Jesus os acalentou acerca da paz que tanto o homem busca. As palavras do Mestre visavam trazer um sentimento de tranquilidade para aqueles que puderam experimentar a companhia do próprio Deus durante o Seu ministério terreno (Jo 14:27), Mais adiante, em outro momento especial, Jesus apresenta como essa paz se faria presente em meio ao Seu povo (Jo 16:7). Em seu discurso, o Senhor apresenta o Espírito Santo como agente desta paz. Quando o indivíduo começa a trabalhar em busca do amadurecimento do fruto do Espírito Santo, ele conhece a paz que foi apresentada pelo apóstolo Paulo aos filipenses: a paz que excede todo entendimento (Fp 4:7). (Revista Betel, 2016, 2º trim)



Verdade Aplicada
Enquanto estivermos neste mundo, estamos sujeitos a vivenciar varias situações difíceis, porém sempre poderemos contar com o socorro de Deus.



Objetivos da Lição
1 – Mostrar qual a origem do pânico;
2 – Ensinar o que ocasiona a síndrome do pânico;
3 – Revelar como a síndrome do pânico deve ser tratada.



Motivo de Oração
Clame pela verdadeira paz nos corações



Sl 46.1,2,10
1 - Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem-presente na angústia. 
2 - Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. 
10 - Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre as nações; serei exaltado sobre a terra.
Pv 1.33
3 - Mas o que me der ouvidos habitará seguramente e estará descansado do temor do mal.
Is 35.4
4 - Dizei aos turbados de coração: Esforçai-vos e não temais; eis que o vosso Deus virá com vingança, com recompensa de Deus; ele virá, e vos salvará.



ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução.
1 – Origem do Pânico.
2 – O que leva à Síndrome do Pânico ?
3 – Tratando a Síndrome do Pânico.
Conclusão.



INTRODUÇÃO
A síndrome do pânico tem assombrado a muitos e destruído outros. No entanto, não podemos nos esconder atrás dos medos que vem sobre nós, nos aprisionando em suas grades invisíveis, geradas por angustia e sentimentos.



1. ORIGEM DO PÂNICO

Definição de Pânico
1. Que provoca medo, terror, e foge ao controle da racionalidade
2. Pavor intenso e repentino, às vezes sem motivo aparente, que provoca reações de desequilíbrio emocional.
Fonte: (dicionário Caudas aulete) http://www.aulete.com.br visitado em 25/01/19

1.1 O que é a Síndrome do Pânico ?
A síndrome do pânico afeta o individuo em sua totalidade, ou seja, no físico, no mental e no emocional. Esta síndrome se apresenta como um transtorno de ansiedade[...]
Ansiedade é o mesmo que Pânico?
É impossível passar a vida sem sentir ansiedade. Crianças pequenas ficam ansiosas antes das festinhas de aniversário, crianças maiores tem ansiedade antes de uma prova, adolescentes se angustiam frente à perspectiva da primeira relação sexual, adultos então...nem se fala...são inúmeras as causas que os deixam ansiosos. Tudo isso é normal e faz parte do crescer e evoluir.
Algumas pessoas, porém, são extremamente ansiosas. Isso significa que em qualquer situação de expectativa ou de adversidade, sofrem como se o pior cenário fosse iminente. E a consequência física é imediata: falta de ar, sensação de um  “bolo” no peito, palpitação, enjôo e tonturas, entre os sintomas mais evidentes. Isso caracteriza uma crise de ansiedade. Atrapalha as atividades cotidianas e desmotiva os relacionamentos sociais e familiares.
A Síndrome do Pânico é mais que isso. É um transtorno de ansiedade. Como se fosse uma crise de ansiedade amplificada, mais intensa, maior. Bem maior. A sensação que as pessoas tem é de morte iminente, inevitável. Isso dá mais que medo, dá pânico! Daí o nome.

(http://g1.globo.com/bemestar/blog/doutora-ana-responde/post/como-diferenciar-uma-crise-de-ansiedade-da-sindrome-do-panico.html) visitado em 25/01/19

1.2 Sintomas Perigosos.                     
Um numero cada vez maior de pessoas tem chegado às emergências dos hospitais com sintomas diversos que se assemelham a problemas cardíacos como taquicardia, respiração acelerada e falta de ar [...]
Sintomas como visão embaralhada, tremores, mãos e pés frios também tem sido vistos nas emergências dos hospitais.
"Há momentos que somos atingidos em algum ponto fraco por acidente, tragédia, enfermidade, ou uma situação indesejada. Há também os impulsos e desejos interiores que podem nos levar a momentos de angústia ou carência. Há momentos em que nós, de repente, nos encontramos em uma situação difícil que não tínhamos previsto. Há momentos em que ouvimos ou vemos notícias devastadoras que nos fazem, momentaneamente, sentir como se o tapete tivesse sido tirado de debaixo dos nossos pés. A ansiedade aparece. O pânico manifesta-se inesperadamente. O medo nos toma de surpresa.
Quando nos deparamos com tais momentos de crise, podemos adotar uma dentre duas opções: podemos abrir a porta e convidar que essas emoções negativas e improdutivas entrem em nossos corações, ou podemos tomar medidas imediatas para recuperar a nossa paz e segurança [...] Toda pessoa passa por momentos de ansiedade, pânico ou medo na vida.
O erro surge quando aceitamos essas emoções, quer com os braços abertos quer com relutância, e permitimos que elas fiquem e, gradualmente, encontrem um lugar de descanso em nossos corações [...] Em vez de permitirmos que 'coisas' negativas aprisionem o nosso coração, devemos fazer o que Jesus fez e ensinou".
(STANLEY, C. Paz: maravilhoso presente de Deus para você. RJ: CPAD, 2004, pp.55-6.)
No entanto, vale ressaltar que o servo fiel conta com a certeza de que está guardado o tempo todo, pois tem a proteção do senhor a seu favor. (Revista do professor)
1 Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem-presente na angústia. 
2 Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. 
10 Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre as nações; serei exaltado sobre a terra (Sl 46.1-2,10).

1.3 Um mal que atinge a alma.
A crise de síndrome de pânico é assustadora porque o individuo vive um momento de sensação de morte.
Não podemos nos esquecer que o ser humano é composto por espírito alma e corpo. Logo sabemos que somos atingidos por situações que farão bem e mal aos três componentes da formação humana[...]
Mesmo sendo novas criaturas (2Co5. 17) estamos sujeitos aos males que atingem o nosso corpo físico, como também a nossa alma, e para cuidar desses males precisamos de ajuda de profissionais. A síndrome do pânico atinge hoje cerca de 4% dos brasileiros.

Acredito que é um momento oportuno, para a liderança da igreja pensar com carinho sobre o tema, ou vamos continuar aumentando os números de irmãos vitimados por este mal?



2. O QUE LEVA À SÍNDROME DO PÂNICO
Muito se pergunta acerca do que leva uma pessoa a desenvolver os sintomas da síndrome do pânico, mas a ciência ainda não tem respostas conclusivas para isto.

2.1 Possíveis Causa.
Os fatores mais investigados em busca das causas que possam ser responsáveis pelo aparecimento da síndrome são as questões genéticas e traumas ocorridos na infância, e, também a possibilidade da combinação dos dois. Embora os fatores genéticos são os mais prováveis., ainda existe outros fatores que são apontados como possíveis causadores:uso de drogas, abuso infantil e problemas ocorrido com a criança na hora do parto.
O tratamento tanto terapêutico quanto psiquiátrico, devera ser buscado[...]. Também vale ressaltar a importância do apoio espiritual que irá fortalecer a fé nos momentos mais difíceis (Sl 23.4). (Revista do professor).
Nota: Destaque que o apoio espiritual mencionado pelo nosso comentarista cabe a nós que fazemos parte da igreja do Senhor. Temos o dever de orar e crer que Jesus é poderoso para curar.
...e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão. (Mc 16.18)
Já vivenciei situações de pessoas sendo curadas de doenças da alma, que até faziam uso de medicamentos controlados e eram dependentes do mesmo, todavia somente o profissional que acompanha o doente poderá dar alta ou suspender o uso de medicamentos. Quando Jesus curou o leproso ele ordenou que fosse mostrar ao sacerdote como determinava a lei(Lv14)

Jesus estendeu a mão, tocou nele e proferiu: “Quero. Sê purificado!” E, no mesmo instante a lepra se retirou daquele homem. 14Em seguida, Jesus lhe ordenou: “Não fales sobre este acontecimento a ninguém; porém, vai, mostra-te ao sacerdote e oferece pela tua purificação os sacrifícios que Moisés determinou, para servir de testemunho ao povo.

2.2 Doença não é sintoma de pecado.
É preciso cuidado ao lidar com a pessoa que está enfrentando uma doença da alma, para não associar automaticamente à prática do pecado.
Professor se possível comente o suplemento abaixo, interessante:
 Culpa, perdão e cura.
Certa vez, Jesus disse a um paralítico que o perdoava, e os escribas e fariseus murmuraram entre si: “Quem é este que diz blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus?” (Lc 5.21). Foi por causa dessa incredulidade que o Senhor propôs: “Qual é mais fácil? Dizer: Os teus pecados te são perdoados, ou dizer: Levanta-te e anda?” (Lc 5.23).
As palavras de Jesus provocaram espanto na cidade de Cafarnaum. Antes de declarar o paralítico curado, Jesus primeiramente proferiu uma palavra de perdão. No contexto do Antigo Testamento, o pecado e as doenças eram conceitos inter-relacionados (Sl 103.3). Essa era a crença popular de Israel nos dias de Jesus, e o contexto mostra que o paralítico também pensava assim. O ensino neotestamentário revelará que, de fato, há uma relação entre o pecado e as doenças (Jo 5.14; Tg 5.15,16). Todavia, devemos observar que nem sempre a lei de causa e efeito pode ser usada para justificar determinadas doenças ou fatos ocorridos (Jo 9.1,2; Lc 13.1-5). Na narrativa lucana, Jesus, o Filho do Homem, demonstrou o seu poder tratando o problema da alma, removendo a culpa e depois cuidou do corpo, removendo a enfermidade (Lc 5.24). (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2015 » 2º Trim.)

2.3 O Perigo da Falta de Tratamento.
È natural o individuo no momento da crise o individuo sentir desejo de parar de fazer o que está fazendo. [...]
Muitos acabam por falta de tratamento desenvolvendo a chamada agarofobia, que é identificada como o medo de não poder fugir imediatamente para o espaço onde se sentem protegidas que no caso da maioria é a própria casa.
Drauzio – O que caracteriza a agorafobia?
Dr.Tito P. de Barros (psiquiatra) A principal característica da agorafobia é estar associada ao transtorno de pânico. Geralmente, a pessoa relaciona esse transtorno a determinadas situações ou ambientes e passa a evitá-los com medo que deflagrem ataques de pânico. Por exemplo, sair de casa sozinha. Se algum dia ela saiu de casa a pé ou de carro e passou mal no trânsito, evita sair desacompanhada. Precisa sempre de alguém de confiança por perto. Mesmo dentro de casa, se teve um ataque de pânico, dormindo ou enquanto tomava banho, não consegue mais ficar sozinha.
As situações que desencadeiam o processo são muitas. O agorafóbico teme enfrentar congestionamentos, passar por túneis e pontes, viajar em estradas que não tenham telefones de emergência instalada a cada 1 ou 2 quilômetros, porque julga que sair dali será difícil ou embaraçoso ou, ainda, porque o socorro não estará disponível se ocorrer uma emergência.

( https://drauziovarella.uol.com.br/entrevistas-2/agorafobia/) visitado em 28/01/19



3. TRATANDO A SÍNDROME DO PÂNICO
Quando se tem uma enfermidade a maior duvida é quanto ao melhor tratamento, No caso da síndrome do pânico, o tratamento conjugado é o mais eficaz. Medicamento e terapia associados alcançam um melhor resultado mais rapidamente.

3.1 A Avaliação Médica é Necessária.
O tratamento médico não será necessariamente longo. O medico é o profissional habilitado para avaliar melhor cada caso e adotar a conduta necessária para que se possa controlar os níveis de ansiedade que estão provocando eventos de crise,é sempre bom lembrar que a leitura bíblica é o melhor componente nestas horas.
"O que é a meditação bíblica? O verdadeiro objetivo da meditação bíblica não é ajudar ninguém a fugir da angústia de um divórcio, ou do dissabor de uma doença grave, escondendo-se em um mundo fantasioso. Pelo contrário, a verdadeira meditação nos ajuda a aplicar a verdade bíblica a circunstâncias difíceis ou estressantes.
Algumas palavras descrevem a meditação cristã da Escritura: refletir, ponderar e até ruminar. Assim como a vaca primeiro engole a comida para mais tarde regurgitá-la e mastigá-la outra vez; também o crente, em seu momento de reflexão, alimenta a memória com a Palavra de Deus e depois a traz de volta a seu consciente, quantas vezes forem necessárias. Cada nova 'mastigação' produz ainda mais nutrientes para o sustento da vida espiritual.
A meditação, portanto, nada mais é que o processo de revolver a verdade bíblica na mente sem parar, de forma a obtermos maior revelação do seu significado e certificarmo-nos de que a aplicamos a nossas vidas diárias. J. I. Packer certa vez disse que "meditar é despertar a mente, repensar e demorar-se sobre um assunto, aplicar a si próprio tudo que se sabe sobre a obra, os caminhos, os propósitos e as promessas de Deus'".

(HODGE, K. A mente renovada por Deus. RJ: CPAD, 2002, pp. 85-6.)

3.2 A Terapia é Indispensável.
Durante a busca pela cura o tratamento terapêutico acaba por se tornar indispensável. [...]
Este tratamento irá contribuir significativamente para a solução do problema.
[...] Quando busca respostas na terapia o individuo toma conhecimento das suas enfermidades e pode apresentá-las àquele que sara todas as nossas enfermidades (Sl 103.3)

Ele é o que perdoa todas as tuas iniqüidades, que sara todas as tuas enfermidades, (Salmos 103:3)

3.3 A Necessidade de uma Conduta Ideal.
É importante ressaltar a necessidade de um procedimento de cuidado extensivo[...], a alimentação tem que ser a mais saudável possível, acompanhada de atividades físicas regulares e principalmente o controle para uma condução ideal da qualidade do sono.



CONCLUSÃO
Infelizmente, os acontecimentos no mundo estão cada vez piores e têm levado muitos a uma condição de medo generalizado e outros a momentos de pânico incontrolável, mas o Senhor Deus nos da à certeza de que nEle estamos seguros, pois ele cuida de nós (Jo 16.33) 

                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             
   





                                                                                                                                                                              
[     

Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio para nossos estudos !

Alguns links Interessantes sobre o Assunto :


Síndrome do Pânico
Dr Antonio Maspoli
Universidade Presbiteriana Mackenzie

Síndrome do Pânico
Dr. Drauzio Varella

Tratamento Médico
Síndrome do Pânico - sintomas, prevenção e tratamento
 Psiquiatra Eugênio Campos