sábado, 8 de maio de 2021

Lição 7 - O Ministério de Profeta

     

 

 










Pr. Éder Tomé

Subsídio





Texto Áureo
"E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente, apóstolos, em segundo lugar, profetas, em terceiro, doutores, depois, milagres, depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas" (1Co 12.28)

Leitura Bíblica em Classe
      1 Coríntios 12.27-29
27 - Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular.
28 - E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar  profetas, em terceiro doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.
29 - Porventura são todos apóstolos? São todos profetas? São todos doutores? São todos operadores de milagres?

Efésios 4.11-13
11 - E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores.
12 - Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;
13 - Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,


Introdução

Nesta Lição vamos dar continuidade ao estudo dos
Nesta Lição, seu aluno precisa entender que : 
1) A atuação do Profeta no Antigo Testamento foi
    diferente da atuação do profeta neotestamentário.
2) O Ministério de Profeta (Efésios 4.11) é diferente do dom espiritual de
    Profecia que estudamos na Lição 5 (1 Co 12.10)
3) O Ministério de Profeta também é um dom para a igreja atual.

I -  O Profeta do Antigo Testamento

1 - Conceito


O que o Antigo testamento ensina sobre o termo "Profeta"?
"Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias nos falou pelo Filho" (Hb 1.1-2).   
Deus chamou pessoas comuns, com personalidades diferentes, em situações diferentes para pronunciar mensagens diferentes em nome de Deus. Atentemos para alguns termos:

NAVI
Profeta no termo hebraico é "navi" aparece a primeira vez em Gênesis quando Abimeleque, rei de Gerar, antes de ter chegado a Sara esposa de Abraão, pensando ser sua irmã, em sonhos foi advertido por Deus para "Restituir a mulher ao seu marido, porque profeta é e rogará por ti, para  que vivas; porém, se não lha restituíres, sabe que certamente morrerás, tu e tudo o que é teu" (Gn 20.7). Neste versículo, Deus chama Abraão de profeta. O termo hebraico "navi" provavelmente vem do termo hebraico "nivva" que significa "designar alguém como arauto" , para proclamar e anunciar a mensagem de Deus.  Tanto para Abraão como para Moisés aparece o termo "navi" (profeta), sendo que apenas Moisés tenha de fato sido um arauto.

ISH ELOHIM
Profeta aparece também no termo hebraico "Ish Elohim" que significa "Homem de Deus" esse termo aparece na maioria das vezes aplicado ao profeta Eliseu: "... A este tempo determinado, segundo o tempo de vida, abraçarás um filho. E disse ela: Não meu Senhor, homem de Deus, não minta à tua serva" (2Rs 4.16).
Muitas vezes os profetas eram chamados "homem de Deus", como em Deuteronômio 33.1 e 1Reis 13. O uso desse termo enfatiza a diferença de caráter entre o profeta e as demais pessoas. Isso se vê na maneira que a mulher sunamita falou do profeta Elias: "Vejo que este que passa sempre por nós é santo homem de Deus" (2Rs 4.9). (www.ultimato.com.br)

RO'EH   e   "HOZEH"
Profeta aparece também no termo hebraico "Ro'eh" e no termo "hozeh" ambas aplicadas no sentido de "vidente" : "Depois, Amazias disse a Amós: vai-te, ó vidente, foge para a terra de Judá, e ali come o pão, e ali profetiza;" (Amós 7.12)

A septuaginta (LXX) traduz os três termos: navi, ro'eh e hozeh por prophetês (profeta) no sentido de "falar por alguém".
O profeta é um homem de Deus, por Ele comissionado, é um homem que vê além dos demais, que tem descortino, que entende, que vem como arauto. (Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho - Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil)

2 - O Ofício









3 - O Profetismo
 

Alguns profetas trabalhavam individualmente, totalmente independente de outros profetas ou grupos proféticos. De fato Elias, sentiu-se tão isolado que achava que não existia outra pessoa que estivesse buscando a Deus (1Rs 19.10,14). Outros profetas se reuniram em "escolas de profetas" (2Rs 2.3-5; 4.38; 9.1). As vezes o profeta se fundamentava em sonhos e visões, mas Jeremias deixa claro que profetizar "eu tenho sonho" não garantia que a mensagem era de Deus (Jr 23.28-32). (www.ultimato.com.br).

ESCOLA DE PROFETAS
O grupo dos "filhos dos profetas" que estavam em Betel" era semelhante a uma escola, uma reunião de discípulos em torno de um profeta reconhecido como Elias e Eliseu. Estes grupos de profetas, localizados em todo o país, ajudaram a conter a onda de declínio espiritual e moral da nação que começou sob Jeroboão. Os alunos de Betel foram testemunhas oculares da sucessão do ministério profético de Elias para Eliseu.
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - 752)

No entanto, hoje em dia, os estudiosos têm questionado muito este conceito de "uma escola de profetas". Veja-se esta citação de Alan MacRae: "Não há evidências bíblicas da existência de grupos de homens treinados para serem profetas. Deus chamava os profetas como indivíduos. Isto foi verdade com Moisés, Samuel, Isaías, Jeremias, e em muitos outros casos onde há registro de chamada. A obra profética era um atividade individual, em que cada homem recebia uma mensagem vinda de Deus e a transmitia ao povo de Deus. Somente num sentido mais amplo é que o termo "profeta" se aplicava a grupos de pessoas"

As chamadas "escolas" aparecem no Norte, em Israel: Ramá, Betel, Gilgal, Jericó e Samária. Eram um fenômeno mais comum em Israel que em Judá. Eram muito mais agrupamentos de pessoas ouvindo os ensinos dos profetas, e não, necessariamente, escolas no sentido que o termo tem. Parece que nem sempre eram bem vistas, posto que Amós fez questão de dizer que não era "filho de profetas" (Am 7.14-15). Ele rejeitou a identificação com qualquer grupo, não vendo isso como mérito ou credencial. Não havia um "seminário de profetas", ensinando disciplinas curriculares. O ser profeta não dependia de um curso, mas de uma chamada de Deus. E as escolas de profetas apenas supriam, no Norte, a ausência da Torá. (Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho - Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil)

Quatro funções básicas da profecia entre os hebreus. Elas são válidas ... permanecem balizadoras da função profética em nosso tempo:
1 - O profeta tinha a responsabilidade de encorajar o povo de Deus a confiar exclusivamente na sua graça, no seu poder.
2 - O profeta tinha a responsabilidade de avisar ao povo que sua segurança dependia de fidelidade à aliança.
3 - O Profeta devia encorajar Israel quanto às coisas futuras.
4 - A profecia se autenticava, em termos de previsão, quando se cumpria.
(Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho - Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil).

II - O Profeta em o Novo Testamento
Antes de entrar propriamente dito neste tópico para entender o ministério de profeta no Novo Testamento, esclareça para sua aluno que o dom de profecia que estudamos na Lição 5 não pode ser confundido com o ministério de profeta. Ambos está disponível para a igreja hoje, todavia, há diferenças.

DOM DE PROFECIA
O dom de profecia está disponível a todos, o cristão pode buscá-lo da mão do Senhor, e se for da vontade de Deus, ele receberá:
"Segui o amor e procurai, com zelo, os dons espirituais, mas principalmente que profetizeis" (1Co 14.1)
"O dom de profecia é para todos: Todos podereis profetizar" (1Co 14.31).
O Dom de profecia é uma capacitação sobrenatural do Espírito Santo concedida a uma pessoa do povo para transmitir a mensagem divina. (Pr. Antonio Gilberto)

MINISTÉRIO DE PROFETA
Sobre o ministério de profeta, não é para todos, é Deus que concede esse ministério não para que homem algum se glorie, mas com vistas ao aperfeiçoamento dos santos, para edificação do corpo.
"...E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para edificação do corpo de Cristo" (Ef 4.11)
O ministério de profeta, não é para todos, olha a pergunta: 
"São todos profetas?" (1Co 12.29)
No ministério profético, Deus usa principalmente a mente do profeta; no dom de profecia, Deus usa principalmente o aparelho fonador da pessoa. (Pr. Antonio Gilberto)

Outra questão que tem que ser esclarecida para o Aluno, é que a atuação do Profeta no Antigo Testamento foi diferente da atuação do profeta neotestamentário.

Já vimos no primeiro tópico que o profeta do Antigo Testamento era um homem separado por Deus para ser seu porta-voz para a nação Israel e até mesmo para outras nações. No Novo Testamento o ministério de profeta aparece mais ligado a uma comunidade local, a uma igreja local, como edificador e não como uma pessoa que recebe uma revelação desvendando o futuro, o oculto.

Mas o básico está aqui: a Igreja está edificada sobre o fundamento dos "apóstolos e profetas" (Ef 2.20), como a comunidade do passado, Israel, estava edificada sobre "sacerdotes e profetas".
O sacerdotalismo judaíco, que é levitismo do templo, cede lugar à Palavra. Os profetas faziam o papel da Palavra ainda não concluída. Como aconteceu com os profetas neotestamentários: eles era a voz de Deus naquele momento. Temos a Bíblia como voz de Deus hoje. O profeta deve saber interpretá-la e deve saber comunicá-la. Nunca deve ultrapassá-la ou complementá-la. (Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho - Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil).

1 - A Importância do termo "profeta" em o Novo Testamento



2 - O Ofício do profeta neotestamentário 




3 - O Objetivo do dom ministerial de profeta


Profetas para os dias de Hoje
Como há grande necessidade hoje de mensagens proféticas, denunciando a corrupção, as injustiças sociais, o abuso de autoridade, o afrouxamento dos padrões de moralidade e a frieza espiritual do povo de Deus - tão comum nas mensagens dos profetas (do Antigo Testamento)
(www.ultimato.com.br)



III - Discernindo o Verdadeiro Profeta do Falso

1 - Simplicidade x Arrogância


Quando lemos Deuteronômio 18.9-22, temos em mãos três observações a fazer, vejamos:

O Verdadeiro Profeta : Falar Tudo o que Deus Ordenar
"Eis que lhe suscitarei um profeta no meio de seus irmãos, como tu, e porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu ordenar" (Dt 18.18)

A Verdadeira Profecia : Se Cumpre
"Quando o tal profeta falar em nome do Senhor, e tal palavra se não cumprir, nem suceder assim, esta é palavra que o Senhor não falou; com soberba a falou o tal profeta; não tenhas temor dele." (Dt 18.22)

A Verdadeira Profecia : Não é adivinhação, feitiçaria
"Entre ti se não achará quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador de encantamentos, nem quem consulte um espírito adivinhante, nem mágico, nem quem consulte os mortos, pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao Senhor;" (Dt 18.10-12).
 
2 - Pelos frutos os conhecereis


Como nos dias da antiga Israel, hoje algumas pessoas afirmam ter mensagens de Deus. Ele ainda fala com seu povo, mas devemos ser cautelosos antes de dizer que alguém é um porta-voz de Deus. Como podemos saber quando as pessoas estão falando em nome do Senhor?
(1) Podemos verificar se suas profecias se realizam ou não ...
(2) Podemos avaliar suas palavras segunda a Bíblia. Deus nunca se contradiz, de modo que se alguém disse algo contrário à Bíblia, podemos saber que aquilo que essa pessoa está dizendo não vem de Deus.
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - 316)

A prova de um verdadeiro profeta não são seus milagres, mas sim a sua vida de santidade e a sua palavra que está em acordo com a revelação das Escrituras Sagradas (Mt 7.21-23). (www.ultimato.com.br).

Mateus 7.21-23
21 - Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
22 - Muitos me dirão naquele Dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E, em teu nome, não expulsamos demônios? E, em teu nome, não fizemos muitas maravilhas?
23 - E, então, lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.

3 - Ainda sobre o falso profeta


Conclusão
1 - O ministério de profeta, juntamente com o dos apóstolos, era um dos pilares na liderança da Igreja do primeiro século (Ef 2.20).
2 - Apesar de ao longo da história da igreja o ministério de profeta ter perdido preeminência, sabemos o quanto ele é importante para a vida espiritual da Igreja de Cristo.
3 - O profeta do Senhor, com autoridade e sabedoria divina deve desmascarar as injustiças, o falso profetismo e primar pela edificação da Igreja do Senhor Jesus.