sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Lição 10 - O Perigo da Crise Emocional no Exercício do Poder

   





 













Ponto de Partida
Somente Deus tem todo o poder. Ele é Onipotente.


Texto Áureo
A Soberba do homem o abaterá, mas o humilde de espírito obterá honra." (Provérbios 29.23)

Verdade Aplicada
É imprescindível que cuidemos, também, da nossa saúde emocional e deixemo-nos ser guiados pelo Espírito Santo.

Texto de Referência
Filipenses 2.5-10
5 - De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus
6 - Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
7 - Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
8 - E, achando na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz.
9 - Pelo que também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo nome,
10 - Para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra.


Objetivos da Lição
- Comentar sobre a tentação por buscar de poder.
- Estudar acerca do perigo da crise emocional.
- Falar sobre a crise emocional e a inversão de valores

Introdução
Nesta lição, abordaremos sobre a crise emocional gerada no exercício do poder.

1 - A Tentação por Busca de Poder
Nossa Lição de hoje é sobre uma das grandes tentações humanas: a busca do poder e o desejo de conquista.
"Mas, agora, vos gloriais em vossas presunções; toda glória tal como esta é maligna" (Tiago 4.16)
A gravidade da presunção e da arrogância humana pode ser comprovada na segunda parte do versículo acima: "toda glória tal como esta é maligna". (Pr.Eliezer de Lira e Silva - Revista CPAD - 3T - 2014).

1.1 - Somente Deus é Onipotente
O Salmista Davi Afirma: 
"Uma coisa disse Deus, duas vezes a ouvi: que o poder pertence a Deus" (Sl 62.11)
"Tua é, Senhor, a magnificência, e o poder, e a honra, e a vitória, e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu é, Senhor, o reino" (1Cr 29.11)

1.2 - O Poder absoluto dado a Jesus
O Senhor Jesus, após ressuscitar, afirmou que recebeu "todo o poder no céu e na terra" (Mt 28.18).
Sua vinda se dará em esplendor, em glória, majestade e poder. Todos os reinos da terra saberão que Jesus Cristo é o Senhor e que todo domínio lhe pertence.

1.3 - Tentativa de ser como Deus: Sugestão de Satanás
O inimigo semeou na mente e no coração do primeiro casal o anseio por independência: "sereis como Deus" (Gn 3.5).
Desde então, a história registra diversos exemplos de busca desenfreada por poder ...

2 - O Perigo da Crise Emocional
Nos textos de Isaías 14.12-20 lemos o que aconteceu com o rei da Babilônia. "Estrela da manhã, filha da alva" (Is 14.12). poderiam ser nomes usados para adorar os reis da Assíria e da Babilônia. É mais provável que o significado seja que desaparecerão, como a estrela da manhã, quando nascer o sol. Há várias interpretações para o caído, nestes versículos.
(1) Ele é Satanás, porque a pessoa, aqui, é poderosa demais, para ser qualquer rei humano. Embora Satanás possa se encaixar na interpretação dos versículos 12-14, não se encaixa bem no restante do capítulo.
(2) Poderia ser Senaqueribe ou Nabucodonosor, reis com supremo poder. Seu povo os considerava como deuses. Esses reis queriam governar o mundo.
(3) Poderia ser uma referência a Satanás e também um grande rei humano, possivelmente Nabucodonor, porque a Babilônia é retratada como a sede do mal em Ap 17-18. A soberba foi o pecado de Satanás, e também o da Babilônia. Comum a todos os três pontos de vista é a verdade de que a soberba se opõe, voluntariamente, a Deus, e resultará em juízo. Israel cometeu o engano de ficar orgulhosa demais para depender e confiar em Deus, e nós somos vulneráveis ao mesmo tempo.(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - 840)

Nos textos de Ezequiel 28.11-19 lemos o que aconteceu com o rei de Tiro.
O livro de Ezequiel conta-nos a história do rei de Tiro. Ali, a malignidade, a arrogância e o orgulho humano levaram um poderoso rei a perder tudo o que tinha. Ele era poderoso em sabedoria e entendimento, acumulando para si riquezas e poder. Mas seu coração tornou-se arrogante, enchendo o interior de violência, iniquidades, injustiças do comércio e profanação dos santuários (Ez 28.4,5,16,18). Em pouco tempo desmoronou. Não há ser humano no mundo que resista às tentações da arrogância, do poder e do orgulho. Triste é o final de quem se entrega à malignidade do orgulho das presunções humanas (Pr.Eliezer de Lira e Silva - Revista CPAD - 3T - 2014).
"Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti." (Ez 28.17).
No devido contexto a profecia de Ezequiel contra o rei de Tiro parece conter uma referência velada a Satanás como verdadeiro governante de Tiro e como o deus deste mundo (2Co 4.4; 1Jo 5.19). O rei é descrito como um visitante que estava no jardim do Éden (v13), que fora um anjo "querubim ungido" (v14), e uma criatura perfeita em todos os seus caminhos, até que nela se achou iniquidade (v15). Por causa do seu orgulho pecaminoso (v17), foi precipitado do "monte de Deus" (Ez 28.16-17; cf. Is 14.13-15) (Bíblia de Estudo Pentecostal - CPAD - pg 1211).
Tal fato não causa surpresa, atualmente há governantes em várias partes do mundo que vivem na soberba e estão sob a direção de Satanás.
Os textos proféticos serviam... para alertar que este mal quer dominar os que estão no poder.

2.1 - A Síndrome em torno das Lideranças
Enquanto a Igreja está na terra, irá conviver com aqueles que têm sido dominados pela soberba e o desejo de poder para dominar e possuir.
O apóstolo João fez menção de um homem que gostava de se colocar em primeiro lugar : "Tenho escrito à igreja; mas Diótrefes, que procura ter entre eles o primado, não nos recebe" (3Jo 9).
Diótrefes vivia ansioso por posição e poder.
Tudo o que sabemos sobre Diótrefes, é que ele queria controlar a igreja. João denunciou :
(1) sua recusa em ter algo a ver com os outros líderes espirituais
(2) sua calúnia feita aos líderes
(3) seu mau exemplo recusando-se a receber qualquer professor ou pregador
(4) sua tentativa de excluir aqueles que se opunham à sua liderança.
Pecados como orgulho, inveja e calúnia ainda estão presentes na igreja e, quando um líder tem o hábito de encorajar o pecado e desencorajar as ações corretas, ele deve ser detido. Se ninguém se manifestar, grandes danos podem acontecer à igreja. Devemos confrontar o pecado na igreja. Se o ignorarmos, ele continuará a crescer. Um verdadeiro líder cristão é um servo, e não um autocrata!(Pr.Eliezer de Lira e Silva - Revista CPAD - 3T - 2014).

2.2 - O Caso de Saul
Saul tinha tudo para ser um homem de sucesso e foi um fracasso.
Saul começou bem e terminou mal; suas decisões foram desastrosas e desastradas porque tropeçou nas próprias pernas.
Saul foi ungido rei de Israel, era humilde,todavia, ao longo de sua trajetória deixou de ouvir à Deus, desprezando e rejeitando a Palavra de Deus, decidiu fazer a sua própria vontade, cometendo o pecado de rebelião.
"Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do Senhor, Ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei." (ISm 15.23).
Saul lutava constantemente com o sentir-se inferior, com a inveja, insegurança, arrogância, impulsividade e mentira. Como uma folha levada pelo vento, Saul vacilava entre seus sentimentos e suas convicções. Tudo o que dizia e fazia era egoísta, porque se preocupava apenas consigo mesmo. Ele não se decidiu a ser sinceramente devotado a Deus. Como Saul não permitiu que o amor de Deus desse descanso ao seu coração, nunca se tornou o homem de Deus. (Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - 449).

2.3 - Características emocionais que fizeram Saul Tropeçar
Notamos no registro bíblico que Saul não soube lidar com alguns aspectos emocionais e psicológicos.
1 - Impaciência e a obediência parcial (1Sm 10.8; 13.8-14)
2  - Juramento Insensato
3 - Sem Comunhão com Deus
4 - Confiando em si mesmo, em plena guerra
Esses aspectos foram fundamentais para colher resultados desastrosos.

3 - A Crise Emocional e a Inversão de Valores


3.1 - As Consequências são Inevitáveis
"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna." (Gl 6.7-8)

3.2- Os Efeitos da crise emocional na liderança geram sequelas
[Editando

A origem do orgulho  Deus não suporta a soberba, pois conhece qual é a sua origem. A origem da soberba fica bem explicita nas profecias de Isaias e também muito bem explicado pelo nosso amado Pr.Clementino (comentarista).Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. (Is 14:12-14)

O orgulho é abominação ao Senhor  A soberba (orgulho) é o antônimo da humildade, e segundo o livro de Provérbios a arrogância evidencia a insensatez de uma pessoa. O temor ao Senhor é o princípio da sabedoria (Pv 1.7), logo quem teme a Deus aborrece o mal; a soberba e a arrogância (Pv 8.13). O temor ao Senhor é um antídoto contra o mal (Pv 16.6). Sem o reverente temor, nos tornamos vulneráveis ao mal, ao pecado. A soberba não somente desagrada a Deus, mas ela destrói nossos relacionamentos e a nós mesmos. Salomão já era rei quando reconheceu que sem Deus não teria condição de governar o seu povo com justiça. Ele num gesto de humildade pede a Deus sabedoria, pois reconheceu suas limitações. O soberbo não consegue reconhecer suas deficiências. Atualmente falamos muito a respeito de avivamento. Realmente precisamos de um, porém uma das condições para experimentarmos um avivamento genuíno é a humilhação. Isso mesmo. Observe o que nos diz 2 Crônicas 7.14: “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face [...]”. Que tenhamos consciência de que Deus resiste e continuará resistindo aos soberbos (Tg 4.6). Todavia, o Pai Celeste dá e dará graças àqueles que têm o coração quebrantado e contrito, que se chega a Ele com humildade. (SUBSÍDIOS ENSINADOR CRISTÃO,CPAD,2013,4º trim.) Existe um ditado que diz: “Se queres conhecer uma pessoa, dê a ela poder”. Infelizmente o orgulho tem sido demonstrado por pessoas que esperávamos que fossem exemplos dos fieis, mas como já estudamos em lições anteriores, nos últimos dias seriam assim...Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, (2Tm3.1-2).

Deus dá graça aos humildes "Humildade - Os humildes não reivindicam autoridade absoluta. Não fingem ter uma sabedoria perfeita. A palavra humildade deriva da palavra latina humus, que significa 'solo' e 'terra'. Os atos de humildade não soam com as palavras 'eu tenho'. Sua música começa com 'eu venho do pó'. Tanto em meio à crise quanto à bonança, a maneira como agem proclama 'eu sou limitado. Não possuo todo o conhecimento, toda a força, todas as habilidades e nunca possuirei'. Tenham eles lido as Escrituras profundamente ou não, eles conhecem em seus corações e sabedoria que se encontra nelas [...]. Agir com humildade não é de modo algum intimidar-se ou esquivar-se. Na verdade, quando se tem de lidar com questões difíceis, os humildes sempre se tornam os mais audazes. Conhecendo suas limitações, eles ficam livres de qualquer necessidade de fingir ser mais do que na verdade são. Conhecendo seu lugar em relação àquele que conhece a todos, eles se abrem a Deus e aos outros de um jeito que o orgulho jamais permitiria. Eles possuem uma forma de liderança que brota de raízes completamente diferentes das que alimentam o 'eu tenho'. Sua liderança é nova e revigorante" (DOUGHTY, S.Vivendo Com Integridade:Liderança espiritual em tempos de crise. 1 Ed., RJ:CPAD,2010,pp.60-61).

3.3 -  Falta de saúde e equilíbrio emocional prejudica o vocacionado

"Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia; (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?) (1Tm 3.4-5)
Trabalhadores e voluntários cristãos, ás vezes, cometem o engano de se envolver de tal maneira em seu trabalho a ponto de negligenciar suas famílias, e, especialmente, a firme disciplina de seus filhos. A liderança espiritual, no entanto, deve começar em casa. Se uma pessoa não está disposta a cuidar de seus filhos, discipliná-los e ensiná-los, ela não é qualificada para liderar a igreja. Não permita que suas atividades de voluntário lhe afastem das suas responsabilidades familiares. (Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - 1752)

Conclusão
A relação entre poder e saúde emocional merece atenção especial.
A receita contra isso é a dependência da boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
É pensar com moderação acerca de si mesmo, viver uma vida em paz e não se deixar levar pelo orgulho e pela tentação do poder.