terça-feira, 24 de novembro de 2020

Em Breve

 1° Trimestre de 2021



Lição 1 – A Pessoa do Espírito Santo
Lição 2 – A Atuação do Espírito Santo no Plano da Redenção
Lição 3 – O Batismo no Espírito Santo
Lição 4 – A Atualidade dos Dons Espirituais
Lição 5 – Fruto do Espírito: o Eu Crucificado
Lição 6 – Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
Lição 7 – Cultuando a Deus com Liberdade e Reverência
Lição 8 – Comprometidos com a Palavra de Deus
Lição 9 – Vivendo o Fervor Espiritual
Lição 10 – O Senhor Jesus Cura Hoje
Lição 11 – Compromissados com a Evangelização
Lição 12 – A Urgência do Discipulado
Lição 13 – Voltados os olhos para a Bendita Esperança

Lição 9 - Enfermidades Psicossomáticas

  





 













Ponto de Partida
Em Cristo nós somos sarados


Texto Áureo
"E Deus limpará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor" (Apocalipse 21.4a)

Verdade Aplicada
É importante que exista uma parceria entre família e igreja para identificação, tratamento e acompanhamento dos que sofrem diferentes doenças.

Texto de Referência
Isaías 53.4
4 - Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.
Mateus 10.5-8
5 - Jesus enviou este doze e lhes ordenou, dizendo: Não ireis pelo caminho das gentes, nem entrareis em cidade de samaritanos;
6 - Mas ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel;
7 - E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus.
8 - Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai.


Objetivos da Lição
- Aprender a relação entre doença e pecado.
- Ensinar sobre doença mental e suas características.
- Falar sobre esquizofrenia e o papel da Igreja neste quadro.

Introdução
Esta lição tem por objetivo explanar sobre as doenças psicossomáticas, bem como o quadro de relação que há entre a doença e o pecado.
As doenças psicossomáticas são desordens emocionais ou psiquiátricas que afetam também o funcionamento dos órgãos do corpo. Esses desajustes provocam múltiplas queixas físicas, e que podem surgir em diferentes partes do corpo. (Leia mais, clique --> hospitalsantamonica.com.br)
Nesta esteira, será comentado de modo específico sobre a esquizofrenia e o papel da Igreja para esses casos.

1 - O Drama da Doença
As doenças originaram-se da queda do homem no Éden. Antes do pecado não havia doenças, envelhecimento e morte. A primeira enfermidade foi de ordem emocional. A Bíblia sustenta que Adão e Eva, ao pecarem, sentiram medo (Gn 3.8-10). Depois, certamente sobrevieram-lhes as demais sequelas emocionais, psicológicas e físicas. É do pecado, como estado e como ato, que procedem todas as doenças. (Pr. Antonio Gilberto - Revista CPAD - 2T - 2007).
Deus fez o homem para ter uma vida física eterna, com sua queda veio a doença e a morte. Adão viveu 930 anos (Gn 5.5), Noé viveu 120 anos (Gn 6.3) e a partir de Davi,  o homem passou a viver 70 anos, e se alguns, pela sua robustez, chegar aos 80, o melhor deles é a canseira e enfado (Sl 90.10). Relativo a nossa vida física, não tem mais jeito, temos que conviver com as doenças e com a morte. Assim como todos nós vamos morreu um dia, todos corremos o risco de ficar doentes. Mas não é por causa desta maldição que assolou o mundo, que Deus nos abandona na doença. Deus tem todo o poder e pode curar qualquer doença, inclusive as psicossomáticas. 
Uma confusão que ainda temos em nosso meio é associação que alguns fazem entre doença e pecado. É um equivoco sustentar que se alguém está doente, está em pecado. De um modo geral, adoecemos porque somos pecadores.
Os amigos de Jó: Elifaz em seu discurso acusou Jó de estar sofrendo e doente por causa do pecado, visto que em sua teologia os bons e justos não sofrem (Jó 5). Já Bildade em seu discurso em detrimento do seu entendimento teológico e suas tradições religiosas da época, acusou Jó de ter praticado um pecado oculto (Jó 8). Zofar fez o mesmo discurso de Elifaz e Bildade, chamou Jó para o arrependimento dos pecados para reverter a situação de sofrimento e restabelecimento da saúde. Mas, Jó dotado de sabedoria divina (e não apenas conhecimentos teológicos e de suas tradições religiosas) tinha certeza que sua situação não era decorrente de um pecado praticado (Jó 11). Como Jó não aceitava essa associação entre doença e pecado na sua vida pessoal, foi chamado de jumento sem entendimento. Jó em contrapartida, afirmou que seus amigos tinha uma sabedoria humana e que ele iria recorrer a Deus em sua defesa, buscando a sabedoria que vem do alto, a sabedoria divina. (Jó 11)
Alguém pode ficar doente em decorrência de algum pecado praticado?

1.1 - A relação entre doença e pecado
Alguém pode pensar que a nossa conversão e intimidade com Deus afastará a doença completamente de nós.
Os proponentes da "Teologia da Prosperidade" ensinam que o crente fiel não pode adoecer (são os "Elifaz, Bildade e Zofar" dos dias atuais), pois a doença e do Diabo. Propalam que todo cristão deve viver uma vida plena, isenta de doenças; e que, na idade avançada, devem viver sem dor ou sofrimento. Segundo esses "teologos", quem fica doente não está reivindicando seus direitos como filho de Deus ou não tem fé. (Pr. Antonio Gilberto - Revista CPAD - 2T - 2007).
Porém, é preciso considerar que a promessa que temos sobre nós é a de um corpo transformado, sem adoecimento.

1.2 - A promessa de um corpo transformado
Porém, é preciso considerar que a promessa que temos sobre nós é a de um corpo transformado, sem adoecimento.
No entanto, a nossa cidadania é dos céus, de onde aguardamos com grande expectativa o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará nossos corpos humilhados, tornando-os semelhantes ao seu corpo glorioso, pelo poder que o capacita a colocar tudo o que existe debaixo do seu pleno domínio (Fp 3.20-21)
Eis que vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista de imortalidade. (1Co 15.51-53)

1.3 - O Gemido da Criação
Os cristãos veem o mundo como ele é fisicamente decadente e espiritualmente infectado pelo pecado. Mas os cristãos não precisam ser pessimistas, porque tem esperança na glória futura. Eles esperam o novo céu e a nova terra que Deus prometeu, e esperam a nova ordem de Deus que libertará o mundo do pecado, da doença e do maligno. Enquanto isso, os cristãos andam com Cristo no mundo, onde curam tanto os corpos como as almas das pessoas, e combatem  os efeitos malignos do pecado no mundo. 
Nós ressuscitaremos com corpos glorificados, semelhantes ao corpo que Cristo tem agora, no céu (1Co 15.25-58). Nós temos "um gosto antecipado", a "primeira parte" ou primeira entrega da glória futura - O Espírito Santo - como garantia de nossa vida ressurrecta (veja 2Co 1.22; 5.5; Ef 1.14). (Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - Pág.1678)

O Corpo ainda não está plenamente salvo
Na cruz, Jesus garantiu a salvação de nosso espírito, alma e corpo, dando-nos direito à vida eterna e à cura das enfermidades, em seu nome (Is 53.4,5; Mc 16.18). Entretanto, quanto ao corpo, o efeito da obra salvífica ainda não se manifestou plenamente. Isso porque, enquanto o espírito e a alma (o homem interior - 2Co 4.16) são salvos no momento da conversão a Cristo, o corpo ainda aguarda a completa redenção (Rm 8.23; ICo 15.42-45,53,54). Todavia, isto não significa que não podemos ter uma vida saudável.(Pr. Antonio Gilberto - Revista CPAD - 2T - 2007).

2 - As Enfermidades Psicossomáticas
Tudo começa na mente.
Se a mente não estiver sã, o corpo também não estará. De acordo com a Medicina e a Psicologia, muitas doenças são causadas por problemas emocionais, tais como medo, inveja, ira, mágoa, ódio. A Bíblia adverte que não devemos estar inquietos por coisa alguma e que precisamos ter paz interior (Fp 4.6-8). Por isso, amar e perdoar são sentimentos preventivos contra as doenças mentais e emocionais (Jo 13.34,35; Cl 3.13; Sl 18.1a; Rm 12.10)
Doenças causadas por tensão emocional.
Há inúmeras doenças que têm origem nesse terrível inimigo da saúde. Por isso, a Bíblia ensina: "O coração alegre é como o bom remédio, mas o espírito abatido seca até os ossos" (Pv 17.22). Ler Pv 14.30; 15.13; Ne 8.10.
Fatores que contribuem para doenças psicossomáticas.
a) Competitividade excessiva. O mundo moderno é extremamente competitivo, razão pela qual grande parte das pessoas é ansiosa. A Bíblia nos recomenda "descansar no Senhor" (Sl 37.5,7; Mt 6.30-34).
b) Luta pelo sucesso profissional. A falta de preparo profissional, o desemprego e a obtenção de um bom desempenho profissional, levam muitos a ficarem frustrados. O crente em Jesus não se desespera, mas confia no Senhor (Sl 55.22; 1Pe 5.7).
c) Insucesso na vida afetiva. Há muitos que sofrem porque não conseguem se casar e constituir família. Isso também ocorre no meio evangélico. O remédio? Confiar em Deus. Ele é a solução para todos os nossos problemas.
d) Estresse. O estresse ocasional não causa neuroses ou outro tipo de doença da mente. Entretanto, o estresse constante tende a desenvolver enfermidades mais graves. Por isso, a Bíblia ensina que não devemos andar ansiosos (Mt 6.25), e que nossas ansiedades devem ser lançadas sobre o Senhor (1Pe 5.5-7). Nesse sentido, a igreja deve ser instruída à luz da Palavra e da ciência social, pois, conforme nos ensina a Bíblia, devemos entregar o nosso caminho ao Senhor; confiar nele, e Ele tudo fará (Sl 37.5; Mt 6.33). (Pr. Antonio Gilberto - Revista CPAD - 2T - 2007).

Assista vídeo abaixo e entenda como a mente pode agir diretamente sobre o corpo (Reportagem Domingo Espetacular - Tv Record)



2.1 - A Doença mental e o preconceito
Preconceito leva à negação da doença mental e ao atraso do seu tratamento. Pessoas tendem a confundir problemas mentais com reações a situações do stress e do dia-a-dia.
O psiquiatra Afonso de Albuquerque afirma que a ignorância e o preconceito da sociedade sobre a doença mental levam frequentemente os familiares a "negar a possibilidade" da existência da doença em alguém que lhe é próximo. (Leia mais, clique --> Negação da Doença)

2.2 - As Características da doença mental


3 - O Drama da Esquizofrenia
Nem todas as doenças mentais são graves e incapacitantes, como é o caso da depressão. Infelizmente, a esquizofrenia é uma doença grave e incapacitante.

3.1 - A Esquizofrenia é uma das mais graves doenças mentais
A esquizofrenia, chamada no século XIX de "demência precoce", pois pensava-se que era um tipo de "senilidade" que acometia pessoas jovens.
Senilidade significa confusão mental e perda da consciência experimentada por pessoas de muita idade.

3.2- Quando surge a Esquisofrenia
Cerca de 3% da população pode apresentar a esquizofrenia. Ela é uma das causas genéticas, biológicas e neurológicas.
A esquizofrenia surge no final da adolescência e no começo da vida adulta (entre 16 e 30 anos), podendo surgir em idade mais avançada, não é regra.

3.3 - A Igreja diante da Esquisofrenia
A Igreja bem orientada e consciente pode funcionar como um ponto de apoio e suporte tanto para os pacientes quanto para as suas famílias.
Uma doença mental pode ter várias causas e a solução nem sempre é simples, nem rápida. Mas Jesus oferece esperança. Qualquer que seja a origem, existem algumas atitudes essenciais que você pode tomar como cristão para ajudar alguém com uma doença mental. (Leia mais, clique --> Como ajudar alguém com Doença Mental)

Conclusão
Hoje não é possível viver sem doenças físicas e mentais.
Chegará o dia em que não mais experimentaremos este drama.
Enquanto este dia não chega, nós devemos, como cristãos, compreender que as doenças psicossomáticas podem surgir na vida das pessoas e das famílias, inclusive nas nossas.