quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Lição 13 - Mulheres: As Primeiras Testemunhas da Ressurreição

Aula presencial dia 29 de Setembro de 2019 





Hinos sugeridos para essa Aula

183 - Ressuscitou

291 - A Mensagem da Cruz

545 - Porque Ele Vive









                                       

Lição 13 - Mulheres: As Primeiras Testemunhas da Ressurreição
Ressurreição: Do grego αναστασις (anastasis) . A palavra αναστασις (anastasis) vem de ανιστημι (anistemi), se referindo ao ato de fazer levantar, erguer-se, levantar-se do repouso, levantar-se dentre os mortos.


Texto Áureo
"Dizendo: Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite.", (Lc 24.7)
Estas palavras de Jesus se cumpriram integralmente. A Bíblia, afirma que o túmulo de Jesus foi encontrado vazio (Mt 28.6). Onde, pois, estava o corpo crucificado?

Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como havia dito. Vinde, vede o lugar onde o Senhor jazia. ( Mateus 28:6 )


Verdade Aplicada
A missão de Deus é dada igualmente às mulheres e homens que devem trabalhar juntos capacitados pelo Espírito Santo.



Objetivos da Lição
• Mostrar como as mulheres devotaram amor a Jesus mesmo após a Sua morte;
• Ensinar que elas foram os primeiros cristãos a ver Jesus ressurreto;
• Apresentar o testemunho das mulheres ante a ressurreição.



Motivo de Oração
Ore pelas mulheres em todo o mundo, para que elas tenham as forças renovadas em Cristo. 





 Lucas 24.1-5 
1 - E, no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado.
2 - e acharam a pedra revolvida do sepulcro.
3 - E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus.
4 - E aconteceu que, estando elas perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois varões com vestidos resplandecentes.
5 - E, estando elas muito atemorizadas e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos ?




INTRODUÇÃO 
Esta lição nos mostra a importância da presença feminina no ministério de Jesus.
Como discípulas, elas tiveram um papel ativo, ouvindo as parábolas e ensinos do Mestre, além de serem contribuintes do Seu ministério.
Jesus em seu ministério valorizou as mulheres, admitindo-as como cooperadoras em sua missão terrena, vejam exemplo:
1 - E aconteceu, depois disso, que andava de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do Reino de Deus; e os doze iam com ele,
2 - e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios;

3 - e Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, e Suzana, e muitas outras que o serviam com suas fazendas.( Lc 8.1-3)



1. O SEPULCRO É VISITADO PELAS MULHERES 
As mulheres, guiadas pelo sentimento de gratidão por tudo o que Jesus fez e representou para elas, continuaram a demonstrar amor ao Mestre, mesmo depois de morto. A afetividade delas tornou-se um modelo de devoção para todos nós

1.1  Elas visitaram no primeiro dia da Semana. 
Enfatize que segundo o evangelho de Marcos, as mulheres teriam ido ao sepulcro ao nascer do sol, enquanto Lucas escreveu que foi de madrugada. É importante lembrar que ambos não estavam presentes nesta visita, provavelmente seja o motivo do horário não ser apresentado precisamente.
E, passado o sábado, Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem ungi-lo.
E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã cedo,
ao nascer do sol. ( Marcos 16:1,2 )
Enquanto que Lucas descreve:
Era uma manhã de domingo, o primeiro dia da semana, e, muito de madrugada, as mulheres se dirigiam para o sepulcro de Jesus (Lc 24.1). O sepulcro era escavado na rocha e fechado com uma pedra, de maneira que era difícil para uma pessoa conseguir abri-lo sozinha. É importante destacarmos que as mulheres doaram o melhor de si mesmas, pois elas se levantaram bem de madrugada. Não menosprezando os demais, mas elas foram um exemplo de coragem, enquanto os outros discípulos estavam recolhidos em algum lugar.
Diligência e coragem. 
Enquanto os homens, como discípulos, estavam “com medo dos judeus” (Jo 20.19,26), as mulheres estavam observando o triste espetáculo da crucificação. Diz Marcos: “E também ali estavam algumas mulheres, olhando de longe, entre as quais também Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José, e Salomé” (Mc 15.40), as quais serviam a Deus. Depois, diligentemente, foram ver o local, no qual Jesus fora sepultado por Jose de Arimatéia (Lc 23.50,55,56). Passado o Sábado, “Maria Madalena, Salomé e Maria, mãe de Tiago, compraram aromas para irem ungi-lo. E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã cedo, ao nascer do sol” (Mc 16.1,2). De certo, aí, vemos o cuidado e o desvelo feminino, por parte daquelas mulheres, que foram beneficiadas por Jesus, o seu Salvador. Ao vê-lo sepultado, quiseram demonstrar o carinho por Ele, levando aromas para ungir seu corpo.
( Lições CPAD Jovens e Adultos » 2000 » 2º Trimestre )

1.2  Elas prepararam Especiarias. 
As especiarias eram qualquer coisa de cheiro agradável (Lc 24.1b). Elas eram preparadas e misturadas para o embalsamento do corpo, quer dizer, eram ervas cheirosas que, esfregadas no corpo do morto, retardavam ou impediam a decomposição. [...] Contudo, insistimos que ficou para a posteridade cristã o exemplo de gratidão, dedicação por tudo o que o Senhor fez e representa.
É importante destacar que as mulheres foram recompensadas sendo as primeiras testemunhas da ressurreição de Jesus.
As mulheres tiveram um papel importante no ministério de Jesus, na sua paixão e ressurreição. Todos os Evangelhos destacam a atuação delas durante a crucificação, a morte, o sepultamento e ressurreição do Messias. O destaque dado às mulheres era algo incomum na cultura judaica, para quem Mateus escreveu o Evangelho que leva o seu nome.
As mulheres que contemplaram, de longe, a crucificação do Salvador (Mt 27.55-60), agora olham o túmulo de Jesus de perto (Mt 27.61). Elas retornam ao sepulcro no alvorecer do domingo. Pela fé aquelas mulheres se tornaram as primeiras testemunhas da ressurreição. Que privilégio!
( Lições CPAD Jovens » 2018 » 1º Trim. )

1.3  Elas não acharam o Corpo de Jesus. 
Ao chegarem no sepulcro, viram que a pedra que o fechava estava revolvida (Lc 24.2-3). Quem poderia ter removido de seu lugar? Deveria ter sido alguém muito forte, ou então pessoas chegaram ali antes. Lucas não responde essa questão, mas Mateus diz que um anjo do Senhor descendo do céu causou um grande terremoto e em seguida removeu a pedra, assentando-se sobre ela (Mt 28.2). Qual não foi a segunda surpresa ao constatarem que o corpo do Senhor Jesus não estava lá, o túmulo estava vazio. Embora elas não compreendessem o que estava acontecendo, essa tornou-se a mais poderosa mensagem: a do túmulo vazio.
"Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como tinha dito. Vinde e vede o lugar onde o Senhor jazia." (Mt 28.6)
Ele ressuscitou, Confúcio está no túmulo, Buda está no túmulo, Maomé está no túmulo, Gandhi está no túmulo, Allan Kardec está no túmulo, Chico Xavier está no túmulo, mas Jesus está vivo; a morte não pôde detê-lo; Seu túmulo está vazio! Este é o ápice da mensagem de João: o Crucificado ressuscitou! Se Jesus não tivesse ressuscitado, nossa fé seria vã e também a nossa pregação (1 Co 15.14).
As tentativas de varrer as evidências da ressurreição da História foram inúmeras, mas esta axiomática verdade prevalece: Cristo ressuscitou dos mortos e foi feito as primícias dos que dormem (1 Co 15.20). Esta, aliás, é a mensagem arvorada pela Igreja. O Filho de Deus, que fora executado em uma cruz, ressuscitou dentre os mortos (At 2.24-32).

A maior importância da ressurreição não está no passado — Cristo ressuscitou —, mas no presente — Cristo está — vivo (KREEFT; TACELLI. Central Gospel, 2008, p. 275). 



2. ANJOS CONFORTAM AS MULHERES 
As mulheres foram ao sepulcro antes dos discípulos. 
Consequentemente, elas creram primeiramente na ressurreição de Jesus.
Vejamos como isso sucedeu e que lições podemos aprender desses fatos.

2.1  A Perplexidade das Mulheres. 
O texto de Lucas 24.4 nos fala que dois homens com vestes resplandecentes pararam próximo a elas. É claro que era uma maneira diferente de se referir aos anjos. O mais importante, porém, é que naquele momento, apesar destas mulheres ficarem confusas com o fato de o túmulo estar vazio, e atemorizadas com a presença daqueles anjos, elas tiveram uma resposta.
Espanto e privilégio. Quando se aproximaram do sepulcro, estavam preocupadas com a pedra que fora posta à sua entrada (Mc 16.3). No entanto, não havia mais razão para tal, pois a pedra já estava removida por um anjo por que Deus ressuscitara Jesus, (Mt 28.2; At 2.32; 3.15; 4.10). A experiência vivida pelas mulheres, ali, no Horto do Sepulcro, talvez não tenha sido observada por outra pessoa. À direita do túmulo, estava um anjo, que a Bíblia chama de “jovem”, “vestido de roupa comprida e branca, e ficaram espantadas”. Elas foram as primeiras e únicas pessoas a ouvirem a palavra tranquilizadora do anjo, dizendo: “Não vos assusteis; buscais a Jesus, o Nazareno, que foi crucificado; já ressuscitou”. (Mc. 16.6)

( Lições CPAD Jovens e Adultos » 2000 » 2º Trim. )

2.2  Novas Informações às mulheres. 
O serviço de informação celestial entrou em ação através daqueles dois anjos. É curiosa a maneira como um deles informa as mulheres o que estava acontecendo em relação à pessoa de Jesus: “Por que buscais o vivente entre os mortos? Não está aqui, mas ressuscitou.” (Lc 24.5-6). Dada a perplexidade e emoção, elas demoraram a atender inicialmente.
Testemunhas especiais. Parece-nos significativo o fato de Jesus, após sua ressurreição, ter aparecido, “primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios” (Mc 16.9). Ele não apareceu a Pedro, a Tiago ou a qualquer dos seus discípulos, não obstante ter compartilhado mais o seu ministério com eles. Após ouvirem a mensagem do anjo, Maria Madalena correu a anunciar o auspicioso fato aos discípulos, que estavam entristecidos e chorando. Lamentavelmente, quando aqueles ouviram a notícia da ressurreição, da boca de uma mulher, não o creram (Mc 16.11). Será que eles teriam perdido a fé? Ou será que descreram porque as boas novas foram transmitidas por uma mulher? O fato é que as primeiras testemunhas do grande milagre da ressurreição de Jesus foram as mulheres que o serviram em seu ministério.

( Lições CPAD Jovens e Adultos » 2000 » 2º Trim. )

2.3  As Mulheres Recordam as Palavras de Jesus. 
Aquelas mulheres eram fiéis discípulas, que vinham da Galileia por ocasião da Pascoa. Tanto elas como os apóstolos receberam as mesmas palavras de Jesus, possivelmente em ocasiões distintas, quando estavam na Galileia. O certo é que o anjo disse que recordassem o que o Mestre dissera: “Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e, ao terceiro dia, ressuscite.” (Lc 24.7).
As mulheres foram ativas durante o ministério de Jesus, e tal atitude prevaleceu mesmo após a morte de Jesus. Segundo o Pr. Elinaldo Renovato de Lima há vários episódios neotestamentários nos quais as mulheres aparecem com notoriedade e distinção. Vejam lista baixo:
1. Última pessoa ao pé da cruz (Mc 15.47).
2. Primeira pessoa no túmulo (Jo 20.1).
3. Primeira pessoa a proclamar a ressurreição (Mt 28.8).
4. Primeira pessoa a pregar aos judeus (Lc 2.37,38).
5. Presente na primeira reunião de oração (At 1.14).
6. Primeira pessoa a saudar missionários cristãos na Europa (Mt 16.13).

7. Primeira pessoa convertida na Europa (At 6.14).



3. O TESTEMUNHO DAS MULHERES 
Os homens estavam resguardados possivelmente em algum lugar de Jerusalém ou arredores. Para eles havia uma barreira psicológica tremenda em crer que Jesus houvesse ressuscitado.

3.1  As Mulheres Anunciam a Ressurreição Primeirame. 
A visita ao sepulcro trouxera em tão pouco tempo àquelas mulheres uma percepção real de que Jesus ressuscitara. Agora cabia a elas anunciarem tão alegre noticia, porém, ao testemunharem, não creram em seu testemunho a princípio (Lc 24.9-11). Ao contrário, suas palavras foram ouvidas como um delírio para os onze discípulos e os demais, que também não creram. Exceto Pedro que resolveu ir ao sepulcro e analisar por si mesmo o que ocorrera, e ficou admirado.
Um dos motivos da desconfiança das boas novas acerca da ressurreição de Jesus foi a tradição cultural com relação às mulheres:
Entre os judeus, de modo geral, as mulheres eram vistas como inferiores aos homens. O historiador Josefo relata que as mulheres podiam dar graças, desde que houvesse um homem presente, e que cem mulheres não valeriam mais do que dois homens. A mulher não podia ler as Escrituras na sinagoga, mas um escravo, homem, podia. Certos rabinos desconfiavam até que a mulher tivesse alma. No entanto, Jesus valorizou a mulher em seu ministério. Dialogava com elas, em diversas ocasiões (Mt 15.21-28; Jo 4); Enquanto o Talmude dizia que era preferível destruir a Torá (Lei) do que transmiti-la às mulheres, Jesus lhes ministrava o ensino (Lc 10.38-42). Certo rabino escreveu a Deus: “Eu te agradeço porque não nasci escravo, nem gentio, nem mulher”. Enquanto isso, Jesus ouvia as mulheres, curava suas enfermidades (Lc 13.11), e usava-as como exemplo em suas parábolas (cf. Lc 15.8-10; 18.1-8). Sem dúvida, ao nascer de uma mulher, Jesus dignificou a maternidade (Lc 1.28; Gl 4.4).( Lições CPAD Jovens e Adultos » 2000 » 2º Trim. )

3.2  Quem eram as Mulheres que Anunciaram. 
Ao traçar a narrativa da ressurreição. Lucas apenas descreve que foram mulheres, evidentemente seguidoras de Jesus, que foram testemunhas do túmulo vazio. O autor do Evangelho, porém, de início, omite o nome delas para depois falar pelo menos das três mulheres principais: Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago; além de outras (Lc 24.10).

Subsídio Bibliológico
“Uma leitura mais atenta dos versículos que registram a atuação da mulher nos tempos do Novo Testamento revela o destaque que elas tiveram no trabalho de expansão da Igreja. Destacamos a seguir o comentário da Bíblia de Estudo Pentecostal (CPAD) a respeito de duas referências bíblicas - Lc 8.3 e Rm 16.1:
Lc 8.3. Essas mulheres, que tinham recebido cura e atendimento especial da parte de Jesus, honravam-no, contribuindo fielmente para o seu sustento e dos seus discípulos. O serviço e a devoção delas continuam sendo um exemplo para toda mulher que nEle crê. As palavras de Jesus em Mt 25.34-40 aplicam-se a nós na proporção em que lhe servimos.

Rm 16.1. Provavelmente, foi Febe a portadora desta epístola. Ela era uma servidora (ou, que fazia o trabalho de diaconisa) na igreja em Cencréia, próximo a Corinto. A construção linguística do versículo em apreço, no original, indica que ela desempenhava a função de diácono, talvez porque no momento havia falta, ali, de elementos masculinos para o diaconato. Febe ministrava aos pobres, aos enfermos e aos necessitados, além de prestar assistência a missionários tais como Paulo. As saudações de Paulo a nada menos de oito mulheres neste capítulo, indicam que as mulheres prestavam serviços relevantes às igrejas”.

3.3  A Notícia da Ressurreição Atestada. 
sepulcro vazio e Jesus ressuscitado são fatos que não foram cridos por todos inicialmente, mas que foram atestados depois (Lc 24.11-12). Segundo Lucas, Pedro correu até o lugar e vendo os lençóis “retirou-se, admirado consigo aquele caso”. Depois Jesus manifestou-se a dois discípulos no caminho de Emaús, um deles se chamava Cleopas (Lc 24.18). A seguir, Jesus apareceu no meio dos discípulos durante o relato de Cleopas e o outro discípulo do caminho de Emaús (Lc 24.34-36). Na verdade, eles discutiam acerca da ressurreição, quando, com provas irrefutáveis, apareceu no meio deles. A notícia das mulheres tornou-se a mensagem de todos eles e da cristandade em geral: Jesus ressuscitou e vive!
As testemunhas
Há doze referências bíblicas às aparições do Cristo ressurreto. Testemunharam esse evento inadjetivável: Maria Madalena (Jo 20.15,16; Mc 16.9); as mulheres no túmulo (Mt 28.9); dois discípulos no caminho para Emaús (Lc 24.13-31); Pedro (Lc 24.34; 1 Co 15.5); dez discípulos (Tomé ausente; Jo 20.19); os Onze (incluindo Tomé; Jo 20.26); os sete discípulos que foram pescar (Jo 21.1-22); os Onze em algum monte na Galileia (Mt 28.16,17); os doze (incluindo Matias; 1 Co 15.5; At 1.21-26); Tiago, irmão do Senhor (1 Co 15.7); todos os apóstolos (1 Co 15.7; Mc 16.19,20; Lc 24.50-53; At 1.3-12,36); e outros 500 irmãos (1 Co 15.6 — a maior parte ainda estava viva quando Paulo escreveu esse texto, confirmando, assim, a ressurreição).
As aparições do Cristo ressurreto, além de confirmar Sua ressurreição, cumpriram o propósito de instruir os discípulos e fortalecê-los na fé.

Fonte: Lições bíblicas nº 57





 CONCLUSÃO 
Mesmo o Senhor tendo falado durante Seu ministério terreno que era necessário morrer e ressuscitar, parece que os Seus discípulos não se lembravam desta revelação.
Mesmo assim, as mulheres que o seguiam foram ao sepulcro e, com surpresa, atestaram que o túmulo estava vazio.
A partir daí, aqueles discípulos dispersos e céticos foram de tal modo impactados e transformados que se tornaram a maior sociedade missionária do mundo.


QUESTIONÁRIO

1.    O que eram as Especiarias ?
R.: Qualquer coisa de cheiro agradável (Lc 24.1b)

2. Ao chegarem no sepulcro, o que as mulheres viram ?
R.: que a pedra estava revolvida (Lc 24.2-3)

3. O que Lucas 24.4 nos fala ?
R.: Que dois homens com vestes resplandecentes pararam próximos às mulheres (Lc 24.4)

4. Quais as três mulheres citadas por Lucas ?
R.: Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago (Lc 24.10)

5. No exercício de Seu ministério, o que Jesus não seguiu ?
R.: O padrão judaico de não dar espaço para as mulheres (Lc 8.1-3,43-48).



BIBLIOGRAFIA

[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 3 trimestre 2019, ano 29, número 112 - Editora Betel


                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             
    
   







                                                                                                                                                                              
[     

Olá Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio, Bom Estudo.

Ao terceiro dia, Jesus Cristo ressuscitou como havia dito. Paulo disse: "Sem a ressurreição de Cristo, nossa fé seria vã" (1 Co 15:17). Jesus Cristo tem o total controle sobre a vida e sobre a morte, esta é a nossa maior segurança sobre a nossa salvação pessoal. Ao ressuscitar, ficou quarenta dias na terra, instruindo seus apóstolos e aparecendo para muitos (Atos 1), feito isso, ocorreu a sua ascensão aos céus, neste dia foi prometido que Jesus voltará para buscar a sua Igreja.


Para saber mais clique no link abaixo e terá acesso a um ESTUDO MARAVILHOSO sobre: Clique Aqui - Estudo : Ressurreição e Ascensão de Jesus Cristo