sexta-feira, 30 de abril de 2021

Lição 6 - A Misericórdia de Deus

       



 










Prof. Pr. Éder Tomé

Subsídio





Lição 6 - A Misericórdia de Deus

Texto Áureo
"As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim." (Lamentações 3.22)

Verdade Aplicada
O Senhor Deus, que é riquíssimo em misericórdia, agiu para nos reconciliar com Ele por intermédio de Jesus Cristo.

Texto de Referência
Lamentações de Jeremias 3.21-26
21 - Disto me recordarei no meu coração; por isso, tenho esperança.
22 - As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim.
23 - Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade.
24 - A minha porção é o Senhor, diz a minha alma, portanto, esperarei nele.
25 - Bom é o Senhor para os que se atêm a ele, para a alma que o busca.
26 - Bom é ter esperança e aguardar em silêncio a salvação do Senhor.


Objetivos da Lição
- Destacar a grandeza das misericórdias do Senhor
- Falar que a misericórdia e a fidelidade estão ligadas
- Ensinar que Deus trabalha visando a restauração

Introdução
De acordo com o dicionário Oxford Languages, misericórdia é o sentimento de dor e solidariedade com relação a alguém que sofre uma tragédia pessoal ou que caiu em desgraça; dó, compaixão, piedade. 

Na Lição 2 estudamos sobre os atributos de Deus, e vimos que a MISERICÓRDIA é um atributo comunicável de Deus, ou seja, Deus compartilha, pelo menos em certa medida com o homem.
Nesta lição 6 vamos tratar sobre "A Misericórdia de Deus", na CONCLUSÃO coloquei uma reflexão, ao qual o professor poderá fazer com seu aluno sobre a nossa misericórdia para com o próximo baseada no que Jesus disse: "Bem-aventurado os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia" (MT 5.7)

1 - As misericórdias do Senhor
A misericórdia de Deus é Ele deixando de nos castigar como merecemos por causa dos nossos pecados; dando oportunidade ao homem para rever seus conceitos da prática de coisas erradas; sendo longânimo diante do nosso arrependimento.
A Bíblia é repleta de passagens bíblicas mostrando a misericórdia de Deus. O que dizer da Misericórdia de Deus para com a humanidade ? Adão pecou e desgraçou todos os seres humanos restando a nós a condenação eterna, mas a graça (favor imerecido) de Deus é muito maior, pela misericórdia de Deus fomos alcançados pela tão grande salvação.
"... porque, no caso do pecado, a condenação veio por causa de um só pecado. Porém, no caso da salvação, Deus perdoa os que têm cometido muitos pecados, embora não mereçam esse perdão" (Rm 5.16 NTLH).
Ao estudar a Bíblia observamos que em todas as dispensações bíblicas que já passamos : Inocência, Consciência, Governo humano, Promessa, Lei e agora na dispensação da graça, Deus tem mostrado a sua infinita misericórdia para com a humanidade.

1.1 - As misericórdias de Deus não têm fim


1.2 - As misericórdias de Deus são novas a cada manhã
Como um dia renasce com o sol após uma noite escura, assim a cada tropeço do homem segue uma oportunidade de arrependimento.
Misericordioso e piedoso é o Senhor, lônganimo e grande em benignidade (Sl 103.8)
Deus manifesta sua misericórdia, sua bondade, sua compaixão, levando as pessoas ao conhecimento da verdade, da sua vontade, levando a mensagem da salvação, pois sua misericórdia é muito grande.
O grande problema é que muitas pessoas desprezam a mensagem de Deus, desprezam sua graça, sua misericórdia e não se voltam para o arrependimento. Para aqueles que se arrependem o resultado é o perdão!
No Livro de Jonas, deparamos com a mensagem do profeta Jonas anunciando um tempo de juízo sobre a cidade de Nínive, a capital do império assírio, que representava a crueldade, perversidade, impiedade e todo tipo de maldade: "Eis que daqui a quarenta dias Nínive será destruída!" (Jn 3.4). "Quando o rei de Nínive tomou conhecimento da pregação e de tudo o que ocorria na cidade, ele se levantou do trono, tirou o manto real, vestiu-se também de pano de saco e sentou-se sobre cinzas (Jn 3.6) então o rei decretou um Jejum em Nínive conclamando o povo : "Cobri-vos de vestes de arrependimento e lamento, tanto as pessoas como os animais. E todos os cidadãos orem a Deus com todas as suas forças. Cada pessoa abandone seu mau caminho e toda atitude violenta. Talvez Deus volte sua face para nós, e acalme o furor da sua ira, de modo que não sejamos destruídos!" (Jn 3.8-9) Neste episódio, Deus manifestou a sua grande misericórdia: "Deus observou tudo quanto fizeram: como se converteram do seu mau caminho e abandonaram a violência. E atendeu as orações do povo, voltou atrás e não destruiu a cidade como havia ameaçado." (Jn 3.10). Se o rei de Nínive tivesse escarnecido, ridicularizado e zombado da mensagem do profeta Jonas não teria a mesma sorte, apóstolo Paulo escreveu : "Não erreis: Deus não se deixar escarnecer" (Gl 6.7).

1.3 - As misericórdias de Deus não fazem acepção de pessoas
Todos foram colocados em desobediência perante o Senhor para que Ele use de misericórdia para com todos, sem fazer acepção de pessoas.
A Misericórdia de Deus se estende a todos seres humanos, sem distinção de povos, nações e raças, tanto é que estendeu sua misericórdia para a cidade de Nínive, para a prostituta Raabe, para o ladrão da cruz em seu último momento de vida, reflita isso com seus alunos.
Deus não faz acepção de pessoas, mas e você? O atributo "misericórdia" está presente em você para com o seu próximo?
"Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis" (Tg 2.8)
A Lei Real é uma conclamação de Tiago a que os crentes obedeçam a verdadeira lei. O termo "lei", neste versículo, refere-se aquilo que é o mais importante da lei, a sua própria essência. Portanto, quem faz acepção de pessoas está quebrando a essência da lei. O amor ao próximo é o coração de toda lei: "A ninguém devais coisa alguma,  a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei ... (Rm 13.8,10). Só o amor é capaz de impedir quaisquer tipos de discriminação. Quem ama, não precisa da lei (Gl 5.23) (Pr.Eliezer de Lira e Silva - Revista CPAD - 3T - 2014)

2 - As misericórdias de Deus e Sua fidelidade    


Como já mencionei, Deus poupou Nínive da destruição naquele momento de arrependimento daqueles moradores, perdoou-os, demostrando sua FIDELIDADE aos que se arrependem, o próprio Jesus elogiou a fé dos ninivitas por haverem ouvido a pregação do profeta Jonas e se arrependerem de seus pecados, zelando por sua palavra : "... se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei sua terra" (2Cr 7.14)
No Novo Testamento, Jesus saiu pregando a sua mensagem, ao se ver rejeitado por aquela geração (Jo 1.11) afirmou : "No dia do juízo os habitantes de Nínive se levantarão contra essa geração e a condenarão, porque se converteram diante da pregação de Jonas. E aqui está quem é maior do que Jonas" (Mt 1.24).

2.1 - As misericórdias de Deus estão atreladas à esperança
Através do profeta Jeremias, Deus convoca o povo de Judá ao arrependimento. A Bíblia relata que, em vez de haver comoção e remorso e voltar-se para Deus (como fez a cidade de Nínive), os reis, sacerdotes e o povo endureceram ainda mais o coração com as palavras de Jeremias (2Cr 36.11,13). Deus estava cumprindo Sua palavras, profetizadas séculos atrás, de castigar a nação, caso ela insistisse na rebeldia, principalmente no pecado de idolatria. Os seus pecados de idolatria estavam em evidência o tempo todo, principalmente o culto à "rainha do céu". Esta "divindade" possivelmente é uma referência a deusa Ishtar (Astarte), adorada na mesopotâmia, deusa mãe da fertilidade, do amor e da guerra, que teve seu culto difundido em Judá (Jr 7.18). (Pr.Clementino de Oliveira Barbosa - Revista Betel - 2T - 2017)
O profeta Jeremias descrevia a misericórdia de Deus, conclamando Judá ao arrependimento, querendo mostrar que se atentarmos para a misericórdia de Deus, haverá esperança, pois sem esperança, a vida perde o seu significado, por vezes, se lamentava do povo de Judá desprezar a disposição divina em perdoá-los frente a um arrependimento verdadeiro 


"A esperança é essa em que Cristo morreu pelos nossos pecados e ressuscitou dos mortos a fim de que possamos ser regenerados para uma viva esperança." (Dr, Mark Jones)
O profeta Jeremias por vezes conclamou ao povo que se eles não atentassem para a misericórdia de Deus não haveria esperança. Vendo o comportamento apático do povo frente a misericórdia de Deus, Jeremias se sentia sem força, sem alegria: "Contudo, quero lembrar do que pode me dar esperança" (Lm 3.21)
A esperança é um componente fundamental na vida dos justos :
"Jamais invejes os pecadores em teu coração; é muito melhor temer o Senhor para sempre! É certo que sempre haverá um futuro, e tua esperança não será aniquilada! (Pv 23.17- 18 King James)
A esperança cristã está enraizada na fé na salvação em Cristo (Gl 5.5), é a esperança futura da ressurreição dos mortos (Atos 23.6), da redenção do corpo e de toda a criação (Rm 8.23-25) dá glória eterna (Cl 1.17), da vida eterna e herança dos santos (Tt 3.5-7), do retorno de Cristo (Tt 2.11-14), da transformação à semelhança de Cristo (1 Jo 3.2-3), da salvação de Deus (1 Tm 4.10) ... (www.gotquestions.org)

2.2 - As misericórdias de Deus estão atreladas à disciplina




Cuidado com o seguinte pensamento : Deus é misericordioso, posso fazer o que quiser, que Deus está pronto para me perdoar a qualquer momento ! Cuidado, leia o que a Bíblia diz a respeito : 
Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados, mas uma horrível expectativa de juízo e fogo ardente prestes a consumir todos os inimigos de Deus. (Hb 10.26-27)

2.3 - As misericórdias de Deus estão atreladas ao arrependimento


3 - Deus trabalha visando a restauração
 

A única esperança é o Senhor Jesus, o único que pode nos restaurar a Deus. Restaurar é restituir, e isso se aplica tanto a possessões e bens (Êx 22.14; Is 58.12; Lc 19.8) como também a pessoas (Jr 30.17). O plano de Deus é restaurar todas as coisas (At 3.21), mas Ele começou com os seres humanos. Nós estávamos perdidos, como o filho pródigo, e fomos restaurados a Deus pelo arrependimento (At 3.19; 2Co 7.10) e pela fé em Jesus (Rm 5.1). (Pr.Esequias Soares - Revista CPAD - 3T - 2017)

Apóstolo João escreveu em sua epístola :
"Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo" (1 Jo 2.1). Hoje Jesus é nosso Advogado visando nossa restauração, mas chegará o dia que Jesus será o Juiz, como está escrito: "E também o Pai a ninguém julga, mas deu Filho todo o juízo;" (João 5.22)


3.1 - A esperança em meio às aflições
A aflição pode ser suportada pelo homem que mantém a esperança viva em Deus. Podemos passar pelas aflições da vida, o cristão não está livre de passar aflições, Jesus disse: "Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo" (Jo 16.33), nós sabemos que Deus está no controle de tudo, sua misericórdia e fidelidade para conosco traz a esperança mesmo em meios as tragédias, as pandemias, ao luto, a crise econômica, as doenças, etc.
A vontade de Deus para as nossas vidas é boa, perfeita e agradável (Rm 12.2). O escritor aos hebreus reconhece que o Senhor, muitas vezes, usa a provação para corrigir-nos e fazer brotar em nossa vida o "fruto pacífico de Justiça" (Hb 12.3-11). No exercício desse processo, crescemos como pessoas e servos de Deus, aprendendo na faculdade das aflições da vida. Assim, podemos dizer inequivocamente que "todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto" (Rm 8.28) (Pr. Eliezer de Lira e Silva - Revista CPAD - 3T - 2012)

3.2- A aflição é temporal e Equilibrada


Reflita com seu aluno, que Deus não nos deixa só diante das aflições, tudo que passamos é permitido por Deus, e nada do que passamos vai além do que podemos suportar.
É possível desfrutar da paz de Cristo em meio as aflições. Mas como? parece-nos loucura! Nesse período temporal de aflições, podemos experimentar a paz que excede todo o entendimento, quando entendemos Deus agindo segundo a sua vontade, que nada sai do controle de Deus, que nossa fé está em Deus e que unicamente nEle está nossa confiança.

3.3 - O propósito das aflições é levar o homem a refletir



Conclusão
1 - As misericórdias do Senhor estão à disposição de cada pessoa esperando a conscientização e a mudança de vida.
2 - O ato de bondade é dar chance ao homem para reconhecer os seus atos pecaminosos.
3 - A misericórdia está disponível, mas precisa da resposta favorável do homem.

Uma reflexão: Vimos que a Misericórdia de Deus para com o homem é infinita, dura para sempre, todavia, temos tido misericórdia para com nosso próximo? temos perdoado? temos sido tolerantes com os fracos na fé? Diga ao seu aluno que exercer misericórdia é um ponto relevante na fé de cada um que serve a Deus. Jesus disse: "Bem-aventurado os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia" (MT 5.7)
Será que a misericórdia de Deus estará na nossa vida se não tivermos misericórdia do nosso semelhante ?