domingo, 10 de janeiro de 2021

Lição 3 - Mardoqueu e sua Integridade

    



Ponto de Partida
Nada pode obstruir nossa comunhão com Deus.


Texto Áureo
"E todos os servos do rei, que estavam à porta do rei, se inclinavam e se prostravam perante Hamã, porque assim tinha ordenado o rei acerca dele; porém Mardoqueu não se inclinava nem se prostrava." (Ester 3.2)

Verdade Aplicada
É fundamental que o discípulo de Cristo possua uma vida íntegra.

Texto de Referência
Ester 2.21-23
21 - Naqueles dias, assentando-se Mardoqueu à porta do rei, dois eunucos do rei dos guardas da porta, Bigtã e Teres, grandemente se indignaram e procuraram pôr as mãos no rei Assuero.
22 - E veio isto ao acontecimento de Mardoqueu, e ele o fez saber à rainha Ester, e Ester o disse ao rei, em nome de Mardoqueu.
23 - E Inquiriu-se o negócio, e se descobriu; e ambos foram enforcados numa forca; e foi escrito nas crônicas perante o rei.
Ester 6.1
1 - Naquela mesma noite, fugiu o sono do rei; então mandou trazer o livro das memórias das crônicas, e se leram diante do rei.

Objetivos da Lição
- Refletir sobre o valor da Integridade.
- Apresentar a importância do discernimento.
- Extrair lições de Mardoqueu para os dias atuais.

Introdução
Veremos nesta lição que Mardoqueu manteve o seu caráter íntegro como servo de Deus.
Conforme abaixo, Mardoqueu viveu na época do rei Assuero.

Mardoqueu

Qualidades e Realizações
- Expôs uma trama de assassinato contra o rei
- Importou-se o suficiente para adotar sua prima
- Recusou-se a inclinar-se diante de qualquer pessoa.
  Prostrava-se apenas diante de Deus

Lições da Vida
- As oportunidades que temos são mais importantes que as 
  que gostaríamos de ter
- Podemos confiar que Deus tece os acontecimentos da vida para nosso 
  melhor, mesmo que não sejamos capazes de enxergar a perspectiva 
  completa

Estatíticas Vitais
Local        : Susã, uma das várias capitais da Pérsia
Ocupação: Oficial judeu que se tornou o segundo na hierarquia 
                    de Assuero
Parentes   : Filha Adotiva: Ester.   Pai: Jair
Contemporâneos: Xerxes (Assuero), Hamã

Versículo Chave
"Porque o judeu Mardoqueu foi o segundo depois do rei Assuero, e grande para com os judeus, e agradável para com a multidão de seus irmãos, procurando o bem do seu povo e trabalhando pela prosperidade de toda a sua nação" (Et 10.3)

Fonte: Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - Pág.1184


1 - Mardoqueu e sua Integridade
Integridade: A palavra integridade pode ser definida como "solidez, ou estado de ser inteiro, isto é, completo". Daniel nos deixou o exemplo de que é possível permanecer íntegro mesmo vivendo em meio a corrupção. Os servos de Deus são chamados para que sejam luz em meio às trevas. Uma pessoa íntegra não é dividida, não age com duplicidade, não finge, não faz de conta e, mesmo diante do perigo, não nega a sua fé. Daniel nunca escondeu sua fé e o fato de que orava a Deus, pois segundo o texto bíblico, ele orava em seu quarto com as janelas abertas (Dn 6.10). As pessoas íntegras não escondem nada de ninguém. Suas vidas são transparentes. (Lições CPAD 4T 2014)

1.1 - Integridade consistente em terra estranha
É impossível falar sobre o livro de Ester sem que venha à mente o cativeiro babilônico. Este fato, ocorrido no século VI a.C., é um dos mais importantes da história hebraica. 


1.2 - Integridade na criação e acompanhamento de Ester
A conduta de Ester nos faz ver que Mardoqueu a educou nos caminhos do Senhor. Ester chegou a ser rainha, mas ela não perdeu o amor ao Deus que fora ensinada por seu primo.

Caráter: Conjunto das qualidades de uma pessoa que determina sua conduta em relação a Deus, a si mesma e ao próximo.


1.3 - Integridade na atitude para o rei Assuero
O livro de Ester revela fatos e acontecimentos que evidenciam a integridade de Mardoqueu para com o rei da Pérsia.
Abaixo algumas recomendações de Paulo relacionado ao tema:"Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de 
uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo." ( Fp 2.15 )
"Uma regra fundamental que devemos cumprir como cidadãos e cristãos, é o ato de honrar (reconhecer, considerar) aqueles que merecem honra.” "Admoesta-os a que se sujeitem aos principados e potestades, que lhes obedeçam, e estejam preparados para toda a boa obra.", Tt 3.1
 
2 - Mardoqueu demonstra discernimento
[...]Aprendemos a enxergar por meio da vida de Mardoqueu que a intimidade com Deus nos oferece maturidade e capacidade para discernir entre o bem e o mal.
 
2.1 - Vivendo em terra estranha
[...]Mardoqueu nos ensina que, não importa onde estejamos, nos momentos de crise, não adiante ficar se lastimando e chorando. Sua história de vida nos faz observar que nestes momentos é preciso orar, jejuar e buscar a face do Pai até que Ele envie o Seu socorro.

“A integridade e a comunidade evangélica

Charles Colson tem razão quando nos lembra que muitas pessoas tomam uma resolução acerca do evangelho baseado em nosso estilo de vida. Todos conhecemos pessoas que nos dizem que foram ‘desligadas’ pela igreja, em virtude de falta de integridade ou por farisaísmo hipócrita. Não precisamos rememorar os escândalos envolvidos com pessoas ocorridos nos anos oitenta para testemunhar a perda de integridade dentro da igreja cristã […] Se for verdade que Deus honra a integridade, devemos nos esforçar em favor desta virtude mesmo a grande custo pessoal. Se os cristãos não forem conhecidos pela integridade através de seu testemunho cristão, é duvidoso que sejamos conhecidos por outra coisa. A integridade está no centro de famílias fortes; é o fundamento de ministérios eficazes e de nosso testemunho no mundo”.(LUTZER, E. W. Quem é você para julgar? RJ: CPAD, 2005, pp.237-239).


2.2 - Percebendo as oportunidades
A Bíblia registra dezenas de personagens que souberam aproveitar as oportunidades. [...]Muitas vezes, pequenas oportunidades são o começo de grandes honras.

Lança o teu pão sobre as águas, porque, depois de muitos dias, o acharás” (Ec 11.1).Lançar o pão sobre as águas é fazer o bem e ter esperança quanto a um futuro desconhecido.Para “lançar o pão sobre as águas”, é preciso ter fé. A fé “é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem” (Hb 11.1). Só aquele que crê que Deus supre as nossas carências pode tomar esta atitude. Não tenha medo de lançar sementes, pois Deus “é poderoso para fazer [...] além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera” (Ef 3.20). Ao invés de olharmos somente para as nossas carências e necessidades, venhamos a olhar para aqueles que estão necessitados da nossa ajuda.

Embora tenhamos fé, não podemos prever o nosso amanhã. Viver é contar com os imprevistos; por isso, acredito que “lançar o pão sobre as águas” é, diante do inesperado, procurar agir de maneira sábia, fazendo o que é bom para ajudar o próximo. (Lições CPAD Jovens e Adultos  » 2013 »  Trimestre)  

2.3 - Lidando com a exaltação
Que possamos ser como Mardoqueu: praticar o que Deus quer que pratiquemos, e não segundo o nosso desejo. Assim, não seremos dominados pela soberba.

“Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos e se apartem da simplicidade que há em Cristo” (2 Co 11.3)

Jesus é o nosso exemplo perfeito de humildade (Fp 2.5-8). Jesus não buscava a glória deste mundo. Algumas vezes ele foi para o deserto ou até para outra cidade, a fim de fugir da glória passageira deste mundo (Mc 1.45).


3 - Lições de Mardoqueu para os dias atuais
Mardoqueu possui algumas lições que podemos extrair para as nossas vidas hoje: um homem honrado [Et 2.21-23]; só dava glória a Deus [Et 3.2-4]; um homem que por sua devoção foi usado por Deus, também em pleno Império Persa, junto ao rei [Et 10.3].

3.1 - Não tenha medo dos desafios
[...]Mardoqueu sabia que era um grande desafio e um risco enorme, porém era preciso que isso acontecesse, porque o propósito era salvar o seu povo. Diante dos riscos da vida, devemos confiar em Deus, que pode nos dar o escape [1Co 10.13].

1 Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem-presente na angústia. 

2 Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. 

10 Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre as nações; serei exaltado sobre a terra (Sl 46.1-2,10).


3.2- A Vida cristã exige perseverança
Perseverança é a base fundamental da vida de qualquer cristão. Perseverança significa persistir em seguir Jesus, mesmo enfrentando dificuldades. [...]Que sejamos perseverantes em seguir ao Senhor, tendo a certeza que Deus opera em nossa vida como operou na vida de Mardoqueu.

perseverança(latim perseverantiaConstância, firmeza, pertinácia.( Dicionário Priberam da Língua Portuguesa)

O valor da paciência e da perseverança (vv.7,8). No versículo sete Tiago evoca uma imagem agrícola para exemplificar o valor da paciência e da perseverança. Tal imagem é comum aos destinatários de sua época. O líder da Igreja em Jerusalém nos ensina que tanto a paciência quanto a perseverança são valores que devem ser cultivados, não em alguns momentos, mas durante a vida toda. A fim de vencermos as dificuldades, privações, inquietações e sofrimentos da existência terrena, precisaremos da paciência e da perseverança. Essas características também estão relacionadas à nossa esperança na vinda do Senhor. Sejamos pacientes e perseverantes em aguardá-la, pois ela, conforme nos diz as Escrituras, está próxima (Fp 4.5; Hb 10.25,37; 1Jo 2.18; Ap 22.10,12,20). (Lições CPAD Jovens e Adultos  » 2014 » 3º Trimestre)  



3.3- Crença e valores sólidos bem definidos
Mardoqueu foi ameaçado de morte, mas isso não foi suficiente para que se calasse. Quando soube a trama da morte do rei, seus valores falaram mais alto e acabou por denunciar o plano. Por muitas vezes, o mundo produz muitas vozes, tentando nos desanimar, trazendo ansiedades que podem prejudicar nossa vida de oração. Contudo, quando possuímos valores bem definidos e sólidos, nada nos afasta do amor de Cristo [Rm 8.35-39].

Os princípios, leis ou normas que regem a vida cristã encontram-se nos inúmeros mandamentos morais, sociais e religiosos descritos nas Sagradas Escrituras. Podemos afirmar que a base da ética bíblica e dos valores cristãos é o santíssimo caráter de Deus. As Escrituras, nossa única fonte legítima da vontade de Deus, expressam a vontade de Deus para o seu povo. Os inúmeros mandamentos éticos e morais da Bíblia revelam a natureza santa, ética e moral de Deus. Portanto, o estudo dos valores e da ética cristã tem como base o caráter santo de Deus. Como você já sabe: Deus é santo (Lv 11.44; 1Sm 2.2), justo (2Cr 12.6; Ed 9.15), bom (Sl 25.8; 54.6), e verdadeiro (Jr 10.10; Jo 3.33).


Conclusão
Nesta lição observamos que a integridade deve ser a nossa marca. Vimos que devemos seguir o exemplo de Mardoqueu, que viveu em uma sociedade pecaminosa, porém manteve-se fiel e temente ao Senhor, pois possuía valores sólidos e bem definidos.



    










Nenhum comentário:

Postar um comentário