sábado, 31 de outubro de 2020

Lição 6 - A Importância do cuidado com a espiritualidade e as emoções

   






CLIQUE AQUI - BAIXAR SUBSÍDIO - PB.GERSON TOMÉ

CLIQUE AQUI - BAIXAR O SUBSÍDIO - ABAIXO




Texto Áureo
"E o Senhor disse a Caim: Por que te iraste ? E por que descaiu o teu semblante?" (Gênesis 4.6)

Verdade Aplicada
Investir no relacionamento com Deus, conforme a Palavra de Deus orienta, muito contribui no ajustamento de nossas emoções e espiritualidade.

Texto de Referência
Gênesis 4.1-6
1 - E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu, e teve a Caim, e disse: Alcancei do Senhor um varão.
2 - E teve mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.
3 - E aconteceu, ao cabo de dias, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor.
4 - E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas; e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta.
5 - Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o seu semplante.
6 - E o Senhor disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?


Objetivos da Lição
- Explanar a ligação entre as áreas emocional e espiritual
- Analisar o desequilíbrio das emoções de Caim
- Tratar da importância de se ter um ajuste emocional


Introdução
A conexão entre as emoções e a espiritualidade é o tema desta lição. Apontará Caim como exemplo de uma conexão prejudicial. A Palavra de Deus e a ação do Espírito Santo contribuem para vivenciarmos de forma saudável estas duas dimensões. 
"Porque a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração" (Hb 4.12). 
“E vós tendes a unção do Santo, e sabeis todas as coisas.” (1 João 2:20)
“Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.” (1 Coríntios 2:15)

1 - Espiritualidade e Emoções
Este mundo perfeito foi afetado pelo pecado, quando Adão e Eva tentaram ser seus próprios mestres e desobedeceram a ordem de Deus. A partir de então sofreram com a tristeza, dor, sofrimento e morte. O relacionamento que eles tinham direto com Deus foi atingido. Nosso comentarista enfatiza que por esse episódio, foi atingido todas as dimensões do ser humano, como sua espiritualidade e emoções.
Infelizmente, a maldição do pecado trazida ao mundo por Adão e Eva foi transmitida a todos os seus descendentes. (Prof. Éder Tomé)
"E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim, pela viração do dia; e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim. E chamou o Senhor Deus a Adão e disse-lhe: Onde estás" (Gn 3.8-9)
Estes versículos mostram o desejo de Deus de ter comunhão conosco, mostra que Deus quer curar a dimensão espiritual e emocional do ser humano. O pecado havia rompido o relacionamento do ser humano com Deus. Foi Deus que procurou Adão e Eva para renovar sua comunhão com Ele. Mas adiante, Deus envia seu filho Jesus Cristo para abrir o caminho para que renovemos nossa comunhão com Ele. (Prof. Éder Tomé)

1.1 - Áreas espiritual e emocional estão intimamente ligadas
... é importante estarmos atentos à necessidade de cuidado de todas as áreas visando preservar e/ou restaurar a saúde global do ser
"As investigações psicológicas e psiquiátricas estão ajudando a fornecer novos dados sobre como a espiritualidade ajuda a saúde mental, de acordo com psicólogos. Ela é utilizada há bastante tempo como fonte de auxílio terapêutico. Hoje, com o avanço dos estudos psicólogos... A psicologia e a espiritualidade podem auxiliar às pessoas que lutam por uma melhor qualidade de vida e Saúde" (Psicóloga Thaiana F. Brotto - https://www.psicologoterapia.com.br) 
Assim, o estado do ser humano em suas diversas dimensões afeta, também, os níveis de relacionamento: vertical (com Deus) e horizontal (com o próximo). "E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espirito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo." (1 Ts 5.23) Espírito, alma e corpo se referem não tanto às partes distintas de uma pessoa, mas a toda a existência de uma pessoa. Essa expressão é a maneira com que Paulo diz que Deus deve estar envolvido em todos os aspectos da vida. É errado pensar que podemos separar a vida espiritual de todo o resto, obedecendo a Deus apenas em algum sentido etéreo, ou vivendo por Ele apenas um dia de cada semana. Cristo deve controlar tudo em nós, e não apenas uma parte "religiosa" (Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - ARC - Página 1601)

1.2 - A importância de considerar a totalidade do ser humano
[...]Durante muito tempo, a igreja não deu tanta ênfase quanto aos aspectos psicológicos do ser humano em sua análise das questões que envolviam as pessoas. Muitas vezes, quando uma pessoa estava acometida de transtorno, síndrome, trauma ou outra enfermidade da alma, era tratada como algo somente espiritual e, às vezes, até como possessão demoníaca.
É preciso atenção nesta questão, em alguns casos de doenças psíquicas (Ex. esquizofrenia, distúrbio obsessivo, Bipolar, depressão, Borderline) e doenças neurológicas (ex. epilepsia) os sintomas podem levar o crente a pensar que a pessoa esta possessa por demônios, o mesmo pode acontecer do outro lado, pessoas possessas por vezes podem ser entendida na psiquiatria como uma pessoa portadora de doenças psíquicas, visto que muitos médicos não tem fé e não reconhecem o maligno. 
Hoje, pela graça (1Jo 2.20; 1Co 2.15) e conhecimento, e estudos como esses e das revistas Betel sobre enfermidades da alma, Deus tem dado discernimento aos seus servos, para diferenciar problemas espirituais dos casos psiquiátricos, obviamente, se estas pessoas manifestam problemas psíquicos, ou médicos (como o caso de uma pessoa com epilepsia), podem ser orientadas a pedir ajuda de um especialista.  Deixando bem claro que Jesus cura todos os tipos de doenças, mas por vezes a cura de uma pessoa pode vir através da medicina (Prof. Éder Tomé)
“E vós tendes a unção do Santo, e sabeis todas as coisas.” (1 João 2:20)
“Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.” (1 Coríntios 2:15)

1.3 - Fomos criados como seres únicos
[...]Vide a diferença de postura entre Maria e Marta [Lc 10.38-42] ou Esaú e Jacó [Gn 25.27]. É relevante sabermos que, mesmo após o pecado,  somos amados por Deus e que a Sua Palavra e o Espírito Santo são eficazes para o aperfeiçoamento dos discípulos de Cristo em todas as suas dimensões.
Destaque que Deus nos conhece integralmente e se importa conosco.
Para os "Deístas" há um Criador que não interfere na humanidade e em seus rumos. Ainda que os acontecimentos terrenos pareçam fora do controle divino, a Bíblia mostra que Deus interveio, intervém, e sempre intervirá na História. (Pr. Elinaldo Renovato de Lima)
"Senhor, tu me sondaste, e me conheces. Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.
Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.
Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó Senhor, tudo conheces. Tu me cercaste por detrás e por diante, e puseste sobre mim a tua mão. Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta que não a posso atingir." (Sl 139.1-6)
"Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons." (Pv 15.3)


2 - A Relação entre o Espiritual e Emocional
Nosso comentarista cita Gênesis 4.1-7, apresentando Caim como um exemplo claro de desequilíbrio em sua espiritualidade e seu emocional.

2.1 - Diferenças entre irmãos desde o início
“A história dos primeiros dois rapazes nascidos a Adão e Eva realça as repercussões do pecado dentro da unidade familiar. Caim e Abel, tinham temperamentos notavelmente opostos. Caim gostava de trabalhar com plantas. Abel gostava de estar com animais. Ambos tinham uma disposição de espírito religioso. 
Os filhos de Adão levaram sacrifícios ao Senhor, o primeiro incidente sacrificial registrado na Bíblia. Que Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura não quer dizer necessariamente que animais são superiores a plantas para propósitos sacrificiais. Por que atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta fica evidente à medida que a história se desenrola. A primeira pista aparece quase imediatamente. Caim não suportava que algum outro ficasse em primeiro lugar. A preferência do Senhor por Abel encheu Caim de raiva. Só Caim podia ser o ‘número um’. 
O Senhor não estava ausente na hora da adoração. Ele abordou Caim e lhe deu um aviso. Deus não o condenou diretamente, mas por meio de um jogo de palavras informou Caim que ele estava em real perigo. Em hebraico, a palavra aceitação é, literalmente, levantamento, e está em contraste com descaiu. Um olhar abatido não é companhia adequada de uma consciência pura ou de uma ação correta. O ímpeto das perguntas de Deus era levar Caim à introspecção e ao arrependimento” (Comentário Bíblico Beacon. 1ª Edição. Volume I. RJ: CPAD, 2005, p.43).
"E o Senhor disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?" (Gn 4.6)

2.2 - Caim demonstrou ser uma pessoa desequilibrada emocionalmente
"‘E irou-se Caim fortemente’ (4.5). A ira de Caim mostra quão decidido ele estava em agir por conta própria, sem se submeter a Deus. A ira é uma emoção destruidora. Nunca poderemos nos desculpar por ter ofendido alguém dizendo: ‘Tenho um temperamento agressivo’. Precisamos considerar a ira como pecado e conscientemente nos submeter à vontade de Deus” (RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10ª Edição. RJ: CPAD, 2012, p.28). 

A atitude interior reprovada. Por que o Senhor reprovou o sacrifício de Caim? Porque o seu culto não passava de uma mera formalidade. Como se não bastasse, apresentava-se a Deus com a alma tomada pelo ódio. Naquele instante, indaga-lhe o Senhor: “Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?” (Gn 4.6). Por esse motivo, recomenda-nos Paulo: “Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda” (1Tm 2.8). Na Igreja de Deus não pode haver espaço para homens iracundos e contenciosos, que farão da obra do Senhor uma causa de ganho pessoal. Deus não se agrada de pessoas que agem dessa forma. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2015 » 4º Trim.)


2.3 - As consequências de uma espiritualidade desequilibrada

O pecado sempre presente. Se Caim o quisesse, poderia reverter aquela situação, dominando o seu coração homicida. Eis o que lhe aconselha o amoroso Deus: “Se bem fizeres, não haverá aceitação para ti? E, se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e para ti será o seu desejo, e sobre ele dominarás” (Gn 4.7). 
Caim racionaliza o seu pecado. Recusando-se a fazer o bem, permitiu que Satanás lhe tornasse mal o coração. Neste, o homicídio foi um processo que, germinado pela inveja, frutificou numa ira assassina (Tg 1.13-15). Se não quisermos pecar contra Deus, não permitamos que o pecado nos germine na alma. Arranquemos, pois, as ervas daninhas que Satanás nos lança no íntimo. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2015 » 4º Trim.)

3 - A Importância do Ajuste Emocional
Há uma relação estreita entre espiritualidade e estabilidade emocional que, ajustada e psicologicamente centrada em Deus, proporciona bem-estar e saúde. Falta de ajuste emocional atrapalha nosso relacionamento com Deus e com o próximo.

3.1 - A alegria é um remédio poderoso
Servir ao Senhor é algo extraordinário, é uma grande bênção na vida do servo de Deus. No Salmo 100.1-2, a Bíblia dá três características maravilhosas com as quais devemos servir ao Senhor. 
"Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os moradores da terra.
Servi ao Senhor com alegria e apresentai-vos a ele com canto (Sl 100.1,2)
Alegria: Estado de viva satisfação, de vivo contentamento; regozijo, júbilo.
Os Ensinos Bíblicos a respeito da Alegria incluem :
(1) A alegria está associada à salvação que Deus concede em Cristo (1Pe 1.3-6; cf. Sl 5.11; Is 35.10)
(2) A alegria flui de Deus como um dos aspectos do fruto do Espírito (Sl 16.11; Rm 15.13; Gl 5.22). Logo, ela não nos vem automaticamente. Nós a experimentamos somente à medida que permanecemos em Cristo (Jo 15.1-11). Nossa alegria se torna maior quando o Espírito Santo nos transmite um profundo senso de presença e do contato de Deus em nossa vida (cf. Jo 14.15-21)
(3) A Alegria, como deleite na presença de Deus e nas bênçãos da redenção, não pode ser destruída pela dor, pelo sofrimento, pela fraqueza nem por circunstâncias difíceis (Mt 5.12; 2Co 12.9).
(Lições CPAD Jovens e Adultos - 2013 - 3T)

3.2- O cuidado de si
Ao analisar a vida e o ministério de Timóteo, percebe-se muitas características comuns conosco, como saúde debilitada e temperamento tímido [2Tm 1.6-7]. Timóteo era portador de uma enfermidade física no estômago [1Tm 5.23]. Essas enfermidades eram frequentes, segundo o texto bíblico. Do que se tratava? Uma úlcera, gastrite, doença no duodeno? Não sabemos. Porém, o certo é que isso o incomodava, a ponto de Paulo recomendar um tratamento à base de vinho.

 “Saúde é o que interessa!

Os pregadores do deus ‘Papai Noel’ asseveram que o crente nunca fica doente — se ficar, está em pecado, não entendeu o que é viver pela fé, além de estar dominado pelo Diabo. Que falácia! Tudo isso porque as suas mensagens visam agradar o ser humano e atendê-lo em suas necessidades restritas a essa vida, como saúde, prosperidade e bem-estar.

Para início de conversa, nem todas as doenças provêm do Maligno. E, queiram ou não os tais pregadores, toda carne é como a erva, e a glória do homem como a flor da erva (1 Pe 1.24). O sei humano se desgasta, pois o seu corpo é corruptível (2 Co 4.16). Um dia, os salvos se revestirão de incorruptibilidade (1 Co 15.54); por enquanto, embora Jesus tenha poder para nos curar, segundo a sua vontade (1 Jo 5.14; Mt 6.9,10), estamos sujeitos às enfermidades. Os pregadores da saúde perfeita sempre ‘exigem’ a cura e dizem que o Senhor cura sempre, pois a saúde é um direito do crente. Por que, então, Eliseu morreu em decorrência de uma enfermidade (2 Rs 13.14)? Por que Timóteo e Trófimo não foram curados (1 Tm 5.23; 2 Tm 4.20)? Estariam esses homens de Deus endemoninhados? Jó e Lázaro estavam igualmente possessos, quando adoeceram (Jó 1.12.12,13)? Se a saúde é um direito do crente, por que ele fica doente?

Em Salmos 41.3, está escrito: ‘O Senhor o sustentará no leito de enfermidade; tu renovas a sua cama na doença’”.

(ZIBORDI, C. S. Evangelhos que Paulo jamais pregaria. RJ: CPAD, 2006, p.59-60.)



3.3 - Que a Flexibilidade seja nossa marca


 

Conclusão
Não há como separar nossas emoções do nosso espiritual.
Assim, devemos pedir a Deus para ajustar nossas emoções e o nosso espírito para com Ele, a fim de que possamos ir bem em todas as áreas da vida. O Amor a Deus e ao próximo nos traz paz e equilíbrio.





    














sábado, 24 de outubro de 2020

Lição 5 - Mente, Vontade e Emoções Restauradas pelo Senhor

  







CLIQUE AQUI - BAIXAR SUBSÍDIO

CLIQUE AQUI - BAIXAR QUESTIONÁRIO - PR. JULIO CESAR



Texto Áureo
"Pelo que não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor," (Efésios 5.17)

Verdade Aplicada
Devemos buscar a Deus em todas as nossas decisões para saber qual é a Sua vontade e assim trilhar por esta.

Texto de Referência
Filipenses 4.6-9
6 - Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ações de graças.
7 - E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.
8 - Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.
9 - O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco.

Introdução
Nesta Lição vamos falar das áreas da alma que precisam de cura, a saber:

 
Muitas vezes, a bíblia usa o coração como o centro de nosso intelecto, emoções e vontades para descrever o homem interior (Pv 4.23). Somente Deus conhece o interior do ser humano (1Rs 8.39). Ele formou o nosso íntimo e os tecidos do corpo humano. (Pr. Esequias Soares - Revista CPAD - 2T - 2006)

1 - As três Áreas da Alma
Estudaremos as áreas da alma que estão ligadas à nossa essência e que precisam ser curadas. Bem sabemos que o pecado atingiu a integralidade do homem, sua integridade precisa de cura.
O CORPO ficou sujeito à fadigas e doenças (Gn 3.16-19) e até à morte.
A ALMA experimentou problemas emocionais (Gn 3.10; 1Jo 4.18; 2Tm 1.7). Seus sentimentos e suas emoções mudaram.
O ESPÍRITO perdeu a comunhão com Deus (Os 6.7). O homem tornou-se totalmente escravo do pecado.
Quando, em certa ocasião, uns escribas se aproximaram de Jesus perguntando-lhe qual era o primeiro mandamento, Ele respondeu-lhes:
"Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o seu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças" (Mc 12.29,30). 
Isso significa amar e servir ao Senhor integralmente: espírito, alma e corpo.(Pr. Walmir Cohen - Revista Central Gospel - nro.12 - Ano 3).



1.1 - Mente, a líder da alma
"E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos (metamorphoõ, no grego) pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." (Rm 12.2)

Sem  uma mudança na mente gerada pela Palavra, não desfrutaremos do conhecimento pleno do Pai. 
A mente e o coração do cristão deve ser diferente das pessoas que não tiveram um encontro com Cristo, são egoístas e frequentemente trazem a corrupção. O Cristão não deve se conformar com esse mundo muito além do que acatar seus valores, comportamentos e costumes.
A mente e o coração do cristão deve sofrer uma transformação (Metamorphoõ), para isso pode contar com a ajuda do Espírito Santo que renova, reeduca e reorienta, e pode contar com a Palavra de Deus (Prof. Éder Tomé).

"Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento" (Fp 4.8 ARA)
O apóstolo quer mostrar que a experiência de salvação, em Cristo, produz uma mudança contínua em nossa forma de pensar, a fim de evitarmos as futilidades mundanas que ocupam a mente das pessoas sem Deus. Paulo exorta-nos a preenchermos a nossa mente com aquilo que gera a vida e maturidade espiritual, pois "nós temos a mente de Cristo" (1Co 2.15) (Pr.Elienai Cabral - Revista Cpad - 3T 2013 - Pág.75)

1.2 - O poder da mente
Infelizmente a mente foi canalizada para o mal, corrompida pelo pecado e hoje é um campo de batalha [Ef 6.12]
A fim de que toda impureza seja eliminada de sua vida, o crente tem de dar lugar para que o Espírito Santo limpe continuamente o seu coração e consciência (Pr.Elienai Cabral - Revista Cpad - 3T 2013 - Pág.76)

1.3 - A disputa pelo controle da mente
A formação dos pensamentos e das reações emocionais é um mistério, tanto são provocados pelo mundo exterior, como despontam em nosso mundo interior. De um modo geral, os pensamentos derivam de situações vividas. É claro que, de acordo com as pessoas, poderão ser fantasiosos, bons ou maus. (Pr. Walmir Cohen - Revista Central Gospel - nro.12 - Ano 3)


... Temos responsabilidade quanto ao que estará sendo alimentado em nossas mentes. Nossos pensamentos também precisam refletir a fé que professamos.
"Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra." (Cl 3.1,2)
Além da epístola aos Filipenses, o tema do processo de pensar é tratado por Paulo em muitas outras ocasiões (Rm 12.2; Cl 3.2). Pensar nas coisas que são de cima, por exemplo, não sugere que devamos viver uma espiritualidade irreal, e sim equilibrada, conjugando mente e coração a partir dos valores espirituais na vida terrena (conforme Jo 17.15,18; 1Co 5.9,10). Os maus pensamentos são frutos da inclinação humana para o mal. Daí a recomendação de que a nossa mente deve ocupar-se com a Palavra de Deus, com os princípios eternos do reino divino, "levando cativo todo entendimento à obediência de Cristo" (2 Co 10.5). (Pr.Elienai Cabral - Revista Cpad - 3T 2013 - Pág.75)

2 - Vontade e Escolha
A vontade quando ativada, dá o passo rumo àquilo que foi escolhido.
Deus deu ao homem o poder de escolher corretamente em obedecê-lo e amá-lo.
"Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito, para as coisas do Espírito" (Rm 8.5)
Use a Bíblia para descobrir as diretrizes de Deus, e então siga-as. Em cada situação desconcertante, pergunte-se: "O que Jesus quer que eu faça?" Quando o Espírito Santo lhe mostrar o que é certo, faça-o de maneira fervorosa ... entre para a categoria das pessoas controladas pelo Espírito Santo e não das que são dominadas por sua natureza humana.
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - Pág.1677)

2.1 - Somos capacitados para escolher
... para tomar decisões corretas precisamos conhecer a vontade de Deus : "E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Rm 12.20)  
(foi comentamos esse versículo no subtópico 1.1).

2.2 - Alguns defeitos da vontade
Nossa vontade é imperfeita e tendenciosa a escolha erradas.
Somos induzidos à inconstância, falta de iniciativa, procrastinação, derrotismo, medo de fracassar, falta de acabativa (falta de capacidade para terminar o que começou a fazer), obstinação, indecisão, vontade frouxa, etc

2.3 - Jesus buscava a vontade do Pai
Jesus sempre agradou ao Pai porque nunca fez a Sua própria vontade ... este é o caminho que devemos trilhar ...
"dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia, não se faça a minha vontade, mas a tua." (Lc 22.42)
"e aquele que me enviou está comigo; o Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe agrada." (Jo 8.29)

3 - Emoções: expressando os sentimentos
Por meio das emoções expressamos amor, ódio, tristeza, alegria etc.
Deus não quer que sufoquemos nossas emoções, mas também não quer que caminhemos por elas. Por isso, nossas emoções precisam ser restauradas. 
No plano bíblico. A ferida interior é uma realidade incontestável. É manifestada por mágoas, ressentimentos, dores e tristezas. O Senhor Jesus afirmou que as feridas interiores somente serão curadas se houver perdão (Mt 18.33,34). As curas em o Novo Testamento eram efetuadas em nome de Jesus, por imposição de mãos, unção com azeite, perdão mútuo e meditação bíblica (Mc 6.13; 16.18; Tg 5.14-16). É a terapia do Espírito Santo que deve ser aplicada nos dias atuais. A Bíblia ensina que Jesus veio para "curar os quebrantados de coração" (Lc 4.18) e, ainda, a consolar os tristes (Is 61.2).
No Plano da psicanálise. O psicanalista austríaco, Sigmund Freud, partiu da premissa de que todos os problemas humanos são traumas provenientes de experiências dolorosas da infância. Freud era ateu, por isso negou a Bíblia e a existência do pecado. Apesar do reconhecimento do seu trabalho no mundo científico, seus postulados ainda são questionados, nem todos reconhecem, na totalidade, o resultado de suas pesquisas. É a terapia científica.
No Plano gedozista. Os promotores de encontros dos grupos conhecidos como G-12 (MDA, M12) negam a eficácia do poder de Jesus para curar feridas e traumas emocionais. Por isso, seus expositores trabalham com técnicas híbridas: misturando Bíblia, psicologia e hipnose. É a terapia pseudo-evangélica e ocultista. (Pr. Esequias Soares - Revista CPAD - 2T - 2006). "Um dos problemas em relação ao G-12 (MDA, M12) é a inserção de práticas, conceitos e ensinos antibíblicos, tais como o mapeamento espiritual, regressão psicológica, cura interior, quebra de maldição, escrever os pecados em pedaços de papel e queimá-los na fogueira, revelações extrabíblicas e outros" (Pr. Paulo Romeiro)

Nas próximas lições teremos uma abordagem detalhada de algumas doenças da vida moderna, como:  depressão, enfermidades psicossomáticas (quando os desajustes do sistema emocional transformam-se em doenças físicas), ressentimentos, solidão, outros)  
Como vimos : A fé em Jesus Cristo e na Sua Palavra é um excelente remédio para ajudar-nos a manter a saúde física e mental. Orar e meditar na Palavra de Deus também é uma forma eficiente de cuidado com a saúde (Pv 4.20-22). Caso esteja passando por um período de depressão, problemas emocionais (grifo nosso) , não se constranja. Ore ao Senhor e não deixe de procurar ajuda médica se achar necessário (Mt 9.12)
(Pr. Eliezer de Lira e Silva - Revista CPAD - 3T - 2012).

3.1 - A Vulnerabilidade das emoções
Não podemos basear nossa comunhão com Deus nas emoções, pois elas vão e vem [Jr 17.9]
"A evidência do Espírito Santo na vida do cristão é vista através do fruto e não por explosões de emoções" (John MacArthur)

"Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Eu o Senhor, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos, e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos  e segundo o fruto das suas ações" (Jr 17.9-10)
Deus deixa claro por que pecamos, esta é uma questão do coração. Nosso coração se inclina ao pecado desde o momento em que nascemos. É fácil cair na rotina de esquecer e abandonar a Deus. Mas ainda assim podemos escolher continuar ou não continuar em pecado. Podemos ceder a uma tentação específica, ou podemos pedir que Deus nos ajude a resistir à tentação quando nos depararmos com ela. (Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - Pág.1677)

3.2- Restaurando nossos sentimentos
Podemos ter nossos sentimentos restaurados a partir do momento que olharmos as circunstâncias do ponto de vista de Deus.
É possível a confiança em Deus sobrepor o medo [Nm 14.6-9]

3.3 - Andemos por fé e não por sentimentos
É muito comum voltar ao hábito de tomar decisões e julgar nosso valores pessoais, ou nossa espiritualidade, baseados no que estamos sentindo.
Precisamos da ajuda do Espírito Santo e da Palavra de Deus para lidarmos com as emoções e sentimentos ...
Como vimos no subtópico 3.1 , enganoso é o coração, essa mania de dizer : "Eu estou sentindo de trocar o líder dos jovens, de trocar o professor da classe adultos, de trocar o fulano e o beltrano etc " Vai orar abençoado antes de tomar sua decisão.  Por causa disso, uma classe cheia de alunos pode ficar vazia, uma igreja cheia pode esvaziar-se ... Isso não é teoria é prática. Enganoso é o coração, Você diz : "Estou sentindo que estou bem espiritualmente", Está mesmo? (Prof. Éder Tomé)

Conclusão
Que possamos ajustar a nossa mente, vontade e emoções aos propósitos de Deus, sabendo que Ele deseja que vivamos Sua boa, agradável e perfeita vontade e desfrutemos de uma vida em abundância. Numa fé sólida, baseada em tudo que a Palavra diz, pois, a Palavra permanece para sempre.

Quanto a Mente
Disse alguém, certa vez, que "o homem é aquilo que pensa". Devemos, portanto, guardar a nossa mente de tudo quanto é vil, pernicioso, egocêntrico e imoral. Só desfrutaremos de uma vida cristã saudável e equilibrada se alimentarmos a nossa mente com tudo o que é do Alto.
Por isso, leia continuamente a Palavra de Deus. (Pr.Elienai Cabral - Revista Cpad - 3T 2013 - Pág.78)

Quanto a Vontade
Jesus fez a vontade do Pai, esse é o caminho que devemos trilhar.

Quanto as Emoções
Não podemos basear nossa comunhão com Deus nas emoções.