terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Lição 6 - A Necessidade de um Planejamento Financeiro


                                                                                                                                                 

Aula Presencial dia 09 de Fevereiro de 2020

                                                                                                                                                 








                               CLIQUE AQUI PARA BAIXAR QUESTIONÁRIO COMPLEMENTAR   

                                                                                                                                                 

Hinos Sugeridos da Harpa Cristã
151 - Fala Deus

370 - Grato a Ti

578 - Sossegai

                                                                                                                                                 









Clique Aqui - Visualizar e Imprimir este Subsídio ao Professor

Clique Aqui - Baixar Planilha de Controle Financeiro


O que devemos evitar:
Planos meramente humanos (Tg 4.13). É comum algumas vezes falarmos “daqui tantos anos vou fazer isso”, “em 2020 eu farei aquilo”, etc. É verdade que precisamos planejar a vida. Entretanto, todo planejamento deve ser feito com a sabedoria do alto. Isto é uma dádiva de Deus. Todavia, infelizmente nos acostumamos à mera rotina e tendemos a planejarmos o futuro sem ao menos nos lembrarmos de que Deus, o autor da vida, tem de ser consultado, pois tudo o que temos é fruto da sua bondade e misericórdia. (Lições CPAD Jovens e Adultos »  2014 » 3º Trim)

Texto Áureo
"Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?"  (Lc 14.28)
Verdade Aplicada
O planejamento financeiro é imprescindível para a administração das finanças no lar.

Objetivos da Lição
Falar acerca das descobertas da vida a dois e como contornar os conflitos com sabedoria.  
Ensinar de onde surgem os conflitos e identificá-los como  oportunidades de mudanças.
Mostrar quais ferramentas são poderosas para o sucesso familiar.


Eclesiastes 5.19
19 - E a todo o homem, a quem Deus deu riquezas e bens, e lhe deu poder para delas comer e tomar a sua porção, e gozar do seu trabalho, isto é dom de Deus.

Lucas 14.28-30

28 - Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?
29 - Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele,

30 - Dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar.


Introdução
É fundamental que a família entenda e aplique o princípio da mordomia cristã no uso do dinheiro e dos bens, pois tal atitude evitará muitos desgastes e resultará em melhor proveito para o bem-estar de todos no lar.

1 - Planejamento, um Princípio Bíblico
“planejamento financeiro”, definição: é a previsão dos gastos dentro de um plano de organização e controle, visando evitar os gastos excessivos e desnecessários. (Revista: Central Gospel)

1.1 - Evitar a Precipitação
“Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vsso trabalho naquilo que não pode satisfazer?” (Is 55.2a).
“No contexto do mundo atual, em relação às coisas que movem o mundo, o dinheiro se destaca como algo eticamente difícil de ser administrado. A mordomia cristã implica instruir ao cristão quanto ao modo ético, decente e correto de lidar com o dinheiro. O dinheiro está diretamente ligado aos bens materiais. O cristianismo é, também, feito com coisas materiais e o dinheiro faz parte desse contexto. A doutrina da mordomia bíblica objetiva equilibrar esses dois elementos importantes do cristianismo, o material e o espiritual. Para que haja esse equilíbrio das partes, a mordomia, nada mais é, do que administrar adequadamente o dinheiro. Ela se preocupa com os métodos de aquisição, sua posse e a utilização do mesmo nas várias atividades da vida material. A administração do dinheiro pessoal ou público deve ser feita com critérios e responsabilidade. A subsistência das pessoas está diretamente ligada à aquisição de dinheiro. As organizações sociais e religiosas, os governos e outras instituições dependem do dinheiro para seu funcionamento. Administrá-lo correta e honestamente é de vital importância para o funcionamento de qualquer organização e para a consciência das pessoas” (CABRAL, Elienai. Mordomia Cristã: Aprenda como servir melhor a Deus. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2003, pp.114-115).

1.2 - É Preciso Cuidado com as Dívidas
Evitando as dívidas. 
A falha no estabelecimento de prioridades provoca o endividamento. Quando a família não planeja suas compras acaba por contrair dívidas acima de suas posses, assim, o lar passa a sofrer privações e se torna refém do credor, pois “o que toma emprestado é servo do que empresta” (Pv 22.7). O comprometimento da renda familiar acarreta uma série de outros prejuízos, tais como: impaciência, nervosismo e desavenças no lar. Para evitar essas desagradáveis situações é aconselhável comprar tudo à vista (Rm 13.8), não ser fiador de estranhos (Pv 11.15; 27.13), fugir dos agiotas (Êx 22.25; Lv 25.36) e ser fiel nos dízimos e nas ofertas (Ml 3.10,11).(Lições CPAD Jovens e Adultos »  Adultos 2018 » 2º Trim)
"É um Mundo Consumista
'E o que há de errado com isto?', você pode estar se perguntando. Talvez você pense que eu queira persuadi-lo a vender tudo o que tem e ir viver nas montanhas feito eremita. Fique tranqüilo, eu não pretendo fazer isto! Nem estou tentando fazê-lo sentir-se culpado por ter uma lista de 'coisas a comprar' guardada na gaveta da cômoda. Não. Não é nada disso.
O que estou tentando dizer é que o problema está em ser acometido pela síndrome do 'adquira-e-possua' de nossa cultura, em viver para ter e ter para viver, em ter uma casa cheia de 'coisas' - todas estas coisas raramente satisfazem [...] E quanto mais ficamos fascinados com as coisas novas que brilham à nossa volta, mas espaço, energia, tempo e dinheiro será necessário para manter o vício do consumo! [...]
Quero chamar sua atenção de perdedor financeiro para o simples fato: muitos de nós estamos nadando em dívidas e vivendo um caos conjugal como resultado de nada menos que uma necessidade descontrolada de possuir e acumular coisas. A verdade é que o caos em nosso casamento poderia ter fim se nós simplesmente parássemos de acumular e começássemos a estar satisfeitos com as coisas que já temos".

(BARNHILL, J. A. Antes que as dívidas nos separem. RJ: CPAD, 2003, pp. 70-1.)

1.3 - A Relevância no Local de Moradia
Quem casa, quer casa
Este é um velho ditado usado por muita gente para dar uma indireta em pessoas que moram ou pretendem morar com os pais mesmo depois de casados. O grande déficit habitacional que o país viveu e de certa forma ainda vive e as dificuldades financeiras das pessoas em adquirir a casa própria fez com que muitos jovens casais fossem morar na casa dos pais após o casamento. Esta situação não agrada a muitos, pois pode haver falta de liberdade, privacidade e porque não dizer as indesejáveis interferências na vida conjugal por pais, sogro, sogra, etc. https://www.casadicas.com.br/casa/quem-casa-quer-casa-o-que-isso-significa.html
 É interessante que a economia tenha um objetivo claro, ex: compra de uma casa, carro, viagem, etc. Não é salutar ajuntar dinheiro por ajuntar, portanto estabeleça prioridades, sempre priorizando aquilo que é mais importante para a família, eu sempre falo para meus alunos do ensino médio quando dou aulas de educação financeira: “Não compre um carro se você não possui garagem própria para guardá-lo”, mas o intuito desta frase é fazê-lo entender que a casa é mais importante do que o carro.
O versículo abaixo mostra que o papel da mulher é fundamental neste processo: 

Examina uma herdade e adquire-a; planta uma vinha com o fruto de suas mãos.” Pv 31.16


2 - Administrando com Sabedoria

2.1 - Arrecadar mais do que Gasta
O hábito de registrar todos os gastos e proventos é fundamental para um controle financeiro. Até mesmo os pequenos gastos devem ser anotados.
Disciplina e orçamento financeiro. Você deseja ser bem-sucedido financeiramente? Então seja disciplinado. Não gaste mais do que ganha. Não seja irresponsável. Há crentes que comprometem todo o seu dinheiro em coisas supérfulas. A Palavra de Deus nos adverte quanto a isto: “Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer?” (Is 55.2). Isso não significa que você não possa vestir-se bem ou adquirir bens materiais. O que o texto bíblico requer é que façamos bom uso do nosso dinheiro, não desperdiçando-o com supérfulos.
O ideal é que cada família elabore o seu orçamento. Que o casal saiba exatamente o que pode e o que não pode gastar. Anote todas as despesas mensais (impostos, contas de consumo, alimentação, colégio dos filhos, combustível etc). Mesmo que o seu ordenado não seja dos melhores, tome nota de tudo, e não deixe de fazer o seu orçamento (Lc 14.28-30).(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2012 » 3º Trim)

2.2 - Controlar nossos Impulsos
Questões financeiras — Conflitos familiares podem advir de questões financeiras. Um cônjuge que não possui controle de gastos e tem propensões consumistas pode atrapalhar seu casamento, pois coloca em risco a economia de toda a família. Os cônjuges precisam ter um controle correto de seus gastos, aprender a gerir corretamente seus recursos financeiros e evitar desconfortos que atrapalhem a convivência. É preciso aprender a poupar, tentar comprar a vista os bens necessários e abster-se de adquirir coisas que não são necessárias naquele momento. Todo cuidado nessa esfera é importante, a fim de que a família não passe necessidade por culpa de um de seus membros que não possui domínio próprio.( SUBSÍDIOS ENSINADOR CRISTÃO )

2.3 - A Importância da Reserva
COMO FUGIR DO CONSUMISMO
 * Evite o desperdício e o supérfluo. Em João 6.12 Jesus ordenou que seus discípulos recolhessem os alimentos que sobrara para que nada se perdesse. Algumas vezes o orçamento acaba porque gastamos com insensatez, onde não se deve ou não se pode (Is 55.2; Lc 15.13,14).
* Economize, poupe e fuja das dívidas! Economize comprando no estabelecimento que é mais em conta. Racionalize os gastos com água, luz, telefone, etc. (Gn 41.35,36; Pv 21.20). Abra uma conta-poupança e guarde um pouco de dinheiro, por menor que seja a quantia. Fuja das dívidas!

* Invista no Reino de Deus. O dinheiro não é um mal em si mesmo (1Tm 6.10), pelo contrário, pode e deve ser uma bênção para a obra do Senhor. Seja fiel nos dízimos e você verá a bênção de Deus sobre sua vida financeira (Ml 3.10,11).(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2008 » 3º Trim)


3 - A Presença de Deus no Planejamento

3.1 - Reconhecer Deus como Senhor de Tudo
“Por isso, vos digo: não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir” (Mt 6.25a).
A provisão de Deus no deserto. Temos um Deus que supre as nossas necessidades. Durante quarenta anos o Senhor sustentou o seu povo no deserto. Todos os dias, com exceção do sábado, os israelitas recebiam o maná e cordonizes para o seu sustento (Êx 16). A provisão era diária. Não faltou água, alimento, roupa e calçado até o dia em que chegaram à Terra Prometida. Porém, no meio do povo de Deus sempre há pessoas incrédulas e murmuradoras. Os israelitas não demonstraram gratidão pela provisão divina; diante de alguma dificuldade, logo murmuravam e reclamavam de Deus. Qual tem sido sua atitude diante das crises?
(Lições CPAD Jovens e Adultos » » Adultos 2016 » 4º Trim)

3.2- A Unidade e o Diálogo como Prevenção
“Não desampares a sabedoria, e ela te guardará; ama-a e ela te conservará” (Pv 4.6).
E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não o lança em rosto; e ser-lhe-á dada. (Tg 1.5)
Peça a Deus sabedoria.

Ainda no versículo cinco, Tiago estimula-nos a fazermos as seguintes perguntas: Falta-nos sabedoria espiritual? Sentimental? Emocional? Nos relacionamentos? Caso ache em si falta de sabedoria em alguma área, não desanime! Peça-a a Deus, pois é Ele quem dá liberalmente. E mais: não lança em rosto! Ouça as Escrituras e ponha em prática este ensinamento. Fazendo assim, terás sabedoria do alto.

3.3 - Honrar a Deus também com suas Finanças
Vejamos por que os dízimos e ofertas são importantes.
* Através das contribuições financeiras, honramos a Deus. "Honra ao Senhor com a tua fazenda e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão os teus celeiros abundantemente, e trasbordarão de mosto os teus lagares" (Pv 3.9,10).
* Por meio das ofertas e dízimos, mostramos a Deus nossa alegria. "Cada um contribua segundo propôs no seu coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria" (2 Co 9.7).
* Por intermédio do dar, expomos a Deus um coração voluntário: "Então, falou o Senhor a Moisés, dizendo: Fala aos filhos de Israel que me tragam uma oferta alçada; de todo homem cujo coração se mover voluntariamente, dele tomareis a minha oferta alçada" (Êx 25.1,2).
* Através do ofertar, revelamos o nosso desprendimento. "Porém o rei disse a Araúna: Não, porém por certo preço to comprarei, porque não oferecerei ao Senhor, meu Deus, holocaustos que me não custem nada. Assim, Davi comprou a eira e os bois por cinqüenta sidos de prata" (2 Sm 24.24). (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2008 » 2º Trim)


Conclusão
Que o Espírito Santo nos conduza também no planejamento e administração das finanças e dos bens que Deus tem permitido que estejam conosco. Que cada cristão se lembre que é possível desfrutar de um ambiente saudável no lar, mesmo não tendo abundância de riquezas [Pv 15.16; 17.1].

Fonte
Referência : Revista BETEL - Lições Bíblicas Adultos. Tema: A Família Natural Segundo os Valores e Princípios Cristãos. Comentarista Bispo Abner Ferreira, 1 Trimestre 2020 - Ano 20 - nro. 114.

                                                            Vídeos Pré-Aula                                                       

    
   







                                                                                                                                                 


Estimado professor, segue abaixo alguns links como material de apoio desta lição.

                                                                                                                                                 

6 comentários:

  1. De fato. Uma péssima administração financeira causa fatalmente, como adultério, brigas e divórcios, fato.

    Lembrando que o comer e o vestir vem , acima de tudo, pela providência de Deus, Jesus lembrou da anciosidade da vida;

    Por buscar a felicidade não em Cristo mas no que a sociedade afirma ser fonte de felicidade torna um lar com insatisfações quando começo a olhar a vida do vizinho;

    Dizimar não é barganhar; Cuidado com a hermenêutica na hora de regrar fatos do AT com o NT;
    Dízimar é princípio e não lei; pois se é lei, vamos DESTINAR PARA ONDE BIBLICAMENTE DEVE SER DESTINADO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Primeiro dízimo: Levita sem propriedade;
    segundo dízimo: Festas judaicas;
    terceiro dízimo: Pobr3e, órfão, viúva e estrangeiro.

    Vc trabalha enchendo laje o mês todo, recebe o salário do suor de seu rosto (claro, com a bênção de Deus), oferta com alegria, dizima, entrega cesta ou quilo de alimento, compra revista ebd para família e a liderança veste roupa que vc tão cedo compraria, anda em um veículo 2.0 pesando a igreja, e só vc assiste outro membro passar necessidade e ora para que os recursos arrecadados se destinem para os em aflição...
    Tem países em que o cristão morre sem ter possuído uma casa própria (embora no céu já ter a pátria dele)

    Líder separados (Ef 4.11) como Pastores não fazem negócio com a palavra, nem demonstram avareza e são gananciosos; Se são algo está errado. Quer boa vida a custa de exploração de pêlo de ovelha é melhor acordar 4h da manhã e ir trabalhar;

    Uso de cartão de crédito sem saber usá-lo é um tremendo acelerador de dívidas;

    Pode se planejar mas não deposite seus tesouros e felicidade em cima de bens; a sua segurança tem que estar primeiramente em Deus;

    Até o ímpio que não dizima tem controlado suas próprias finanças. Cuidado com a interpretação do gafanhoto.

    ResponderExcluir
  2. O que vejo comprometedor neste ambiente familiar é a vontade desemfreada de ter tudo aquilo que não está precisando nescessariamente para o momento, porque até para isso o tempo precisa ser utilizado de forma conciente e planejado. A partir deste comportamento passamos a declarar guerra em si mesmo, ou seja, ser aceito numa sociedade consumista é uma questão de honra, e ter as coisas é melhor do que ser alguém como pessoa, e equivocadamente pensar que serás feliz apossando de coisas, e sendo que o melhor, é ter Deus como nosso bem maior. Dou um exemplo da minha propria vida conjugal, estava recém casado com minha esposa, e ela passou a exigir algumas coisas que gostaria de ter, mas numa simples conversa, disse para ela, e ela entendeu, quando falei que todos nós temos os nossos sonhos, e creio que juntamente com você e nas bênçãos de Deus e com Deus, e no tempo certo os nossos sonhos serão realizados, em resumo, já se passaram mais de trinta anos,e para quem começou com a roupa do corpo, até tenho minha casa propria, e todas as datas festivas que envolve a nossa união, procuro realizar os sonhos de minha esposa lhe dando presentes, hoje não sou rico, mas as experiências que tenho das bênçãos de Deus,somos juntos extremamente abastecidos. Oh! Glória!

    ResponderExcluir
  3. Paz do Senhor Guerreiros. Que Deus abençoe esse importante blog.

    ResponderExcluir
  4. paz é necessario planejar antes de sair gastando, muitos casais estão em risco temos que ir pra o verso de lucas , se acentar e dialogar primeiro nosso erro é quanto mas compramos mas queremos ,mas Deus nos mostra a melhor maneira de admistrar nosso dinheiro sem se prejudicar amém fiquem na paz

    ResponderExcluir
  5. Excelente aula ...uma benção, muito edificante

    ResponderExcluir