domingo, 19 de janeiro de 2020

Lição 4 - Orientações Bíblicas sobre a Intimidade do casal



                                                                                                                                                 

Aula Presencial dia 26 de Janeiro de 2020

                                                                                                                                                 








                              CLIQUE AQUI PARA BAIXAR QUESTIONÁRIO COMPLEMENTAR   

                                                                                                                                                 

Hinos Sugeridos da Harpa Cristã
121 - Maravilhoso é Jesus

154 - Doce Nome de Jesus

200 - O Bom Amigo


                                                                                                                                                 








Clique Aqui - Visualizar e Imprimir este Subsídio ao Professor

Texto Áureo
"Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará.", Hb 13.4
"Venerado”: Que é muito respeitado ou considerado por suas virtudes.
http://michaelis.uol.com.br (visitado em 20/01/20)
O que é o casamento? Não é um mero contrato social nem um subproduto da cultura humana. O casamento é uma instituição divina e, como tal, deve ser devidamente considerado, conforme recomenda-nos a Palavra de Deus (Pr.Elinaldo Renovato)

Verdade Aplicada
É fundamental que os cônjuges cultivem uma intimidade baseada no amor, respeito e cuidado mútuo, de acordo com a Palavra de Deus.
Observação:
O texto de referencia para a lição de hoje, algumas vezes é mal interpretado por estudiosos que espiritualizam o texto, não considerando o que ele realmente quer transmitir, quanto ao relacionamento amoroso entre um homem e uma mulher no casamento. Alguns até afirmam se tratar do relacionamento com o divino, todavia estudaremos o seu real significado.

Objetivos da Lição
Ensinar que Deus criou o sexo para o bem-estar do casal no casamento;
- Mostrar os cuidados que os cônjuges devem ter para que a vida sexual seja plena e efetiva entre eles;
- Apresentar três princípios básicos para uma intimidade sadia e feliz.


Provérbios 5.15-19
15 - Bebe a água da tua cisterna e das correntes do teu poço.
16 - Derramar-se-iam por fora as tuas fontes, e pelas ruas, os ribeiros de
águas?
17 - Sejam para ti só, e não para os estranhos contigo.
18 - Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua
mocidade.
19 - Como cerva amorosa e gazela graciosa, saciem-te os seus seios em todo o tempo; e pelo seu amor sê atraído perpetuamente.

Introdução
Em um tempo de tantas distorções dos valores cristãos e invasão de muitos lares pela pornografia e a indústria da imoralidade, é fundamental o resgate das orientações bíblicas acerca da intimidade conjugal.


1 - Matrimônio e Vida Sexual
Tudo o que Deus criou tem um propósito, inclusive o sexo. Desse modo, é preciso compreender não somente o que o sexo representa para o casal, mas, principalmente, os propósitos e princípios pelos quais Deus o criou. Sexo exige responsabilidade e entendimento [Pv 7.1-5].

1.1 - Deus Criou a Sexualidade.
sexo foi criado por Deus. Desse modo, o sexo não deve ser visto como algo pecaminoso, sujo ou proibido. Ele é prazeroso, mexe com os sentimentos, as emoções e os desejos mais profundos de uma pessoa [1Co 7.3]. O grande problema é que isso pode acontecer tanto de maneira positiva, quanto negativa [Rm 1.23-28; Hb 13.4].
Sabemos que ao nascer, o ser humano foi dotado, por Deus, de instintos específicos sem os quais sua sobrevivência seria impossível.
Quem ensinou o bebê a sugar o leite materno ? (Instinto de sobrevivência).
Por que as pessoas sentem medo ? (Instinto de preservação da vida).
Por que são agressivas ? (Instinto de defesa de seu território)
O que faz com que elas construam amizades ? (Instinto gregário, o homem vive em grupos).
Neste conjunto está inserido o impulso sexual que caracteriza o instinto de preservação da espécie.
O homem pecador deturpou este impulso, gerando as muitas aberrações que sabemos existir hoje, mas isso não invalida a intenção de Deus de perpetuar a espécie humana através da sexualidade sadia. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2002 » 3º Trim.)

Deus considera os caminhos do homem e a forma deste conduzir até mesmo a sua sexualidade, pois se trata de uma criação divina e como tal é uma dádiva do Criador à humanidade. Se o Senhor “aplana todas as nossas carreiras”, demonstrando cuidado pelo exercício correto da sexualidade, concluímos não ser o sexo algo mau ou maligno, mas algo honroso e nobre (Hb 13.4; 1Pe 3.7). (Fonte: A Bíblia e a Fé Cristã. pp.906-910.)

1.2 - O Casamento e a Vida Sexual
“…apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne” [Gn 2.24]. Este texto, que indica a união sexual, é o clímax de um processo que teve início em Deus, que viu não ser bom o homem estar só. A seguir providenciou uma companheira e levou-a a Adão.[...]: tudo deve começar em Deus.
A intimidade e interação sexual é privativa dos casados. 
A ordem de crescer e multiplicar não foi dada a solteiros, mas a casados (Gn 1.27,28). Deus não quis que o homem vivesse só e lhe deu uma esposa, já formada, preparada para a união conjugal. O ensino bíblico é que o homem deve desfrutar o sexo com a esposa de modo normal, racional, sadio e amoroso não com a namorada ou noiva. Em Cantares de Salomão, tem-se a exaltação do amor conjugal. Este, não ocorre entre solteiros (Ct 4.1-12; Ef 5.22-25). Pesquisas indicam que 50% dos jovens evangélicos já praticaram sexo antes do casamento. Isso é pecado grave contra o próprio corpo, contra o Criador, contra a Palavra de Deus, contra o próximo, contra a Igreja e contra a família.(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2002 » 3º Trim.)

1.3 - O Ato Sexual
Tendo visto nos tópicos anteriores que Deus criou a sexualidade e promoveu a união de homem e mulher, é importante conhecermos o que a Bíblia diz sobre a intimidade sexual: 
1) É considerada "sem mácula" quando dentro do matrimônio (Hb 13.4)
2) Trata-se de um dos deveres dos cônjuges, um para com o outro (1Co 7.3)
3) Não deve ser usada para manipulação ou chantagem de um para com o outro (1Co 7.4-5)
4) A abstinência do ato sexual no casamento deve ser uma exceção e somente com mútuo consentimento (1Co 7.5)
5) Tratar a esposa, também no aspecto sexual, com respeito, dignidade, cuidado, honra e sabedoria (1Pe 3.7)


Outras opiniões

A vida sexual do casal, na ótica bíblica:
a) Deve ser exclusiva ou monogâmica. Deus condena de forma veemente a poligamia (Gn 2.24; Pv 5.17).
b) Deve ser alegre. O casal tem direito de usufruir do contentamento propiciado pela intimidade matrimonial (Pv 5.18).
c) Deve ser santa (1Pe 1.15 e 1Ts 4.4-8). A santidade se aplica também ao nosso corpo, uma vez que o Espírito Santo habita em nós (1Co 6.19,20), razão pela qual toda e qualquer prática sexual ilícita (aberrações, bestialidade etc.) não devem ser permitidas; além de pecaminosas, não contribuem para o ajustamento espiritual do casal.
d) Deve ser natural (Ct 2.6; 8.3). As relações sexuais anal e oral são antinaturais e sub-humanas, portanto, reprováveis. Os pecados do sexo são responsáveis por muitas doenças, inclusive as denominadas “sexualmente transmissíveis (DST) que vêm ceifando milhões de vidas no mundo inteiro, principalmente a AIDS”. Essas práticas sexuais reprováveis estão sujeitas a juízo (Hb 13.4)
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2002 » 3º Trim.)

“Um relacionamento sexual não está confinado a apenas duas pessoas. Envolve também Deus, Criador e Senhor de todos nós, que pelos propósitos que tinha em mente, fez-nos criaturas sexuais.[...]. A união sexual e a reprodução fazem parte da criação e foi ordenada por Deus desde o princípio, pela instituição do casamento. O sexo não pode ser retirado desse contexto e tratado de forma meramente biológica ou psicológica, como ocorre na sociedade contemporânea. Seu principal significado não deve ser encontrado em si mesmo, no ato, na experiência ou mesmo em suas consequências sociais. Como em qualquer coisa vista teisticamente, seu significado principal deve ser encontrado em relação a Deus e seus propósitos” (Ética: As Decisões Morais à Luz da Bíblia. CPAD, p.129).


2 - Dois numa só Carne
O descuido quanto ao cultivo da intimidade entre os cônjuges tem
facilitado o pecado da infidelidade conjugal em muitos lares.
Casamento: uma só carne.
A união física do casal deve ser com amor e consensual. A Palavra de Deus mostra essa união em uma só carne (Gn 2.23). Não é apenas sexo. É sentir a dor do outro. É complementar uma ao outro. É a felicidade de um alcançando também ao outro. É estar intimamente ligados de corpo e alma.[...]. No casamento, as duas pessoas se comprometem a viver uma em função da outra, procurando o entendimento, a compreensão e compartilhando todos os momentos da vida juntos, não importando quais sejam eles. (Lições BETEL Jovens e Adultos » 2016 » 1º Trim.)

2.1 - Homem e mulher: Iguais e Diferentes.
É muito importante que o esposo e a esposa tenham sempre em mente que ambos foram criados e amados por Deus, bem como são “coerdeiros” da mesma graça [1Pe 3.7], feitos para amar e serem amados. Porém, a maneira como exteriorizam e lidam com esta necessidade é diferente. Tal consciência nos ajuda a encarar a tendência ao egoísmo – “eu quero é ser feliz”. Mas as pessoas se casam para ser felizes ou porque são felizes e querem fazer feliz a quem amam? Assim, havendo amor [1Co 13.5], há atenção com o outro, interesse em conhecer mais o outro, superação das diferenças, melhorando a qualidade da intimidade do casal.
Enfatize também que o casamento deve ser:
Heterossexual.
A heterossexualidade é o segundo ideal do casamento (Gn 2.24). Deus fez a mulher para o homem e o homem para a mulher: ambos se completam (1Co 11.11,12). Portanto, o homossexualismo, quer masculino, quer feminino, é uma abominação aos olhos do Criador (Lv 18.22; Rm 1.26). (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2015 » 4º Trim.)

2.2 - Enfrentar a Raiz dos Problemas
Vários fatores contribuem para uma intimidade do casal com baixa qualidade: o ativismo em excesso (não proporcionando tempo para investir em relacionamento com o cônjuge); não estabelecer prioridades na rotina do lar (inclusive quando do nascimento dos filhos – o casal precisa estar atento para não deixar de investir no relacionamento conjugal); a não valorização do outro (com palavras e gestos); problemas de saúde, entre outros. Assim, se faz necessário que tanto o esposo como a esposa estejam sempre atentos quanto ao relacionamento conjugal considerando o que a Bíblia expõe e para contribuir na formação de outras gerações.
Com o casamento, evidencia-se o amor mútuo, que gera o senso de pertencer um ao outro, o desejo de ajudar e procurar o ajustamento necessário como companheiros da mesma sorte. As lutas, as vitórias, os problemas e a alegria são comuns a todo lar. O casamento exige o cumprimento, com dignidade, das promessas de honrar, proteger, ajudar e ser fiel um ao outro, até que a morte os separe” (…E Deus fez a família. CPAD, pp.45-48).
A chegada dos filhos deve consolidar o casal: A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa. Salmos 128:3

2.3 - Respeitar-se Mutuamente
Mesmo casados, o homem e a mulher não devem esquecer que pertencem, acima de tudo, a Deus, sendo, portanto, constituídos para Seu serviço. Por isso, imprimiu em cada um de nós a Sua imagem e semelhança. De acordo com a revista Nossa Fé, da Editora Cultura Cristã: “O uso do corpo deve ser respeitoso, de modo que nem esposo, nem esposa, o usem indevidamente, sem objetivar a glória de Deus [1Co 6.18-20; 7.4]. Infelizmente, diante de tanta perversão sexual, muitos cristãos adotaram algumas formas grotescas de sexo, que desvirtuam o propósito de Deus para nosso corpo. Para que um casal cristão não ceda à tentação de imitar o que a pornografia vende, é preciso que haja respeito entre os cônjuges. Antes de ser meio de prazer para um casal, o corpo é oferta a Deus [Rm 6.13, 19; 12.1]”. Quando falta o respeito mutuo o casamento está fadado ao fracasso, em alguns casos o casal está junto fisicamente, mas emocionalmente estão separados devido à falta de respeito existente no relacionamento. A falta de respeito é uma porta aberta para a atuação do diabo.Nos tópicos seguintes o nosso comentarista nos ensina um caminho excelente,vejamos:


3 - Princípios para uma Intimidade Sadia
Casais que não se comunicam perdem a oportunidade de descobrir as chaves que conduzem à felicidade.(lição da semana passada)

3.1 - Um Amor Cuidadoso e Protetor
“Vós, maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela” (Ef 5.25).
Escrevendo acerca do amor, Paulo diz que podemos fazer tudo na vida, mas sem amor tudo fica sem sentido [1Co 13.1-3].
As bases do Casamento Cristão 
O casamento é uma instituição divina, e a Palavra de Deus nos mostra em diversos textos a importância dele diante de Deus e da sociedade.
Dentre as bases do casamento cristão está o amor. Nesse aspecto, é importante deixar claro a importância de utilizarmos o bom senso na escolha do futuro cônjuge. A não ser a descrição de Gênesis 2.22, em que Deus literalmente traz Eva a Adão, a Bíblia não traz outros textos em que Deus apresenta diretamente uma pessoa à outra. E como a Bíblia não diz que “João” vai se casar com “Josefina”, entendemos que a escolha de uma pessoa para o casamento deve passar pela orientação geral de Deus e pelo bom senso que Ele dá aos Seus servos. A profecia manifesta a vontade de Deus, mas, no tocante ao casamento, Deus não se utiliza de profecias para direcionar casamentos. A função da profecia é exortar, edificar e consolar, e não casar pessoas. Por isso, não recomendamos profecias casamenteiras para crentes solteiros. É imprescindível que os casais, ao invés de buscarem profetas para descobrirem se Deus é favorável a tal união ou não, analisem a forma com que o pretendente trata os pais, como se porta na igreja e fora dela, se é uma pessoa que busca trabalhar e ter uma vida produtiva, se sabe buscar ao Senhor em oração e obedece à vontade dEle, e se sabe resolver conflitos de forma adequada.( SUBSÍDIOS ENSINADOR CRISTÃO)

3.2- Conviver com Entendimento
apóstolo Pedro nos chama atenção quando instrui os maridos a conviver com suas esposas com “entendimento” e “honrando-as” porque elas são “vasos mais fracos” [1Pe 3.7]. Tanto o homem quanto a mulher têm seus dias de reclusão. Existem dias que a mulher não quer sexo, quer apenas se sentir protegida, quer carinho, quer apenas estar ao lado do marido. Às vezes o homem também deseja estar só, quer estar com os amigos, quer assistir algum esporte. Um casal maduro sabe respeitar os espaços um do outro, as diferenças entre si, os limites que não se deve ultrapassar, e a vontade e a opinião um do outro [Lc 6.31].
Fale também sobre:
Convivência na vida espiritual. Há muitos casos de maridos que proíbem as esposas de participarem das atividades da igreja ou até mesmo de comparecerem aos cultos. Também há casos de mulheres que dificultam a vida espiritual dos maridos. Mesmo diante de tantas dificuldades não se pode descuidar da vida espiritual. Reservar um lugarzinho e um horário adequados, no lar, para oração, adoração e meditação da Palavra de Deus é uma excelente alternativa (Dn 6.10). Esses momentos preciosos na presença do Pai fortalecem a vida espiritual e ajudam a suportar as perseguições enquanto que, ao mesmo tempo, evitam conflitos. Confie, Deus sabe como agir em todas as situações. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2012 » 3º Trim.)

3.3 - Cultivar uma Boa Comunicação
casal deve estar aberto para conversar sobre todas as coisas, até mesmo seus desejos mais secretose seus pontos de vista. Devem falar sobre as coisas que aborrecem e as que trazem felicidade. As coisas simples também devem ser conhecidas, como: cor predileta, comida que mais aprecia, lugar que mais gosta de passear etc. Muitas brigas de casais poderiam ser evitadas se os cônjuges se conhecessem mais [1Co 7.33-34].
“A comunicação com a pessoa amada é mais do que mera troca de palavras, mesmo se feita com uma habilidade elegante. A comunicação, se usada de forma a oferecer o seu proveito total, possui a promessa de aproximar as pessoas que se amam em um nível tão profundo que qualquer pessoa de fora jamais poderá compreendê-la verdadeiramente.
Temos visto, repetidamente, linhas de comunicação defeituosas puxarem para baixo um relacionamento. [...] Desapontados, os casais erguem defesas um contra o outro, tornando-se cautelosos. Eles param de confiar um no outro e se retiram emocionalmente do relacionamento. Eles não conseguem conversar sem culpar, e então param de ouvir. É difícil exagerar quando se fala da importância da comunicação em qualquer relacionamento, mas especialmente no casamento. Quase todos os casais (97% que avaliam a sua comunicação com seus companheiros como excelente são felizes no casamento, comparados com apenas 56% daqueles que avaliam a sua comunicação como pobre). A pesquisa concluiu: ‘Em uma era de casamentos crescentemente frágeis, a habilidade de um casal de se comunicar é a parte que mais contribui para um casamento estável e satisfatório’” (PARROTT, Les e Leslie. Conversa de Amor. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2011, pp.22,30,31).

Conclusão
Ao mencionar a importância da intimidade na vida conjugal, é relevante
pensarmos além do ato sexual. Envolve cuidado mútuo, serviço, respeito
e um permanente cultivo por parte de ambos os cônjuges, com a

imprescindível orientação bíblica e a ajuda do Espírito Santo.

Fonte
Revista BETEL - Lições Bíblicas Adultos. Tema: A Família Natural Segundo os Valores e Princípios Cristãos. Comentarista Bispo Abner Ferreira, 1 Trimestre 2020 - Ano 20 - nro. 114.

                                                            Vídeos Pré-Aula                                                       

    
   






                                                                                                                                                 


                                                                                                                                                 

32 comentários:

  1. A Paz do Senhor Jesus, Muito Bom o Conteúdo da Revista desse Trimestre, só não Gostei de ter Mudado o design da Revista, alem de ter diminuído o tamanho das Letras, mas espero que no Próximo Trimestre Volte ao Formato da Revista anterior, se Voltar Ficarei muito Grato a editora Betel !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Márlon, muitos irmãos reclamando do novo layout e da falta do questionário !

      Excluir
    2. Uau, é bom estar de volta com meu ex novamente, obrigado Dr. Ekpen pela ajuda, eu só quero que você saiba que está lendo este post, caso você esteja tendo problemas com seu amante e esteja levando ao divórcio e você não quer o divórcio, o Dr. Ekpen é a resposta para o seu problema. Ou você já está divorciado e ainda deseja que ele entre em contato com o Dr. Ekpen, o lançador de feitiços agora (ekpentemple@gmail.com) e ficará feliz por ter feito isso

      Excluir
  2. Boa noite sempre aguardando o conteúdo pois tem me ajudado muito aos domingos quando aplico as aulas sempre apreendendo Deus abençoe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evaldo, Lição 4 da Betel agora está completa. Tenha Bom estudo !

      Excluir
  3. Vamos ser francos?

    Conheci um casal cristão membros da mesma igreja em Brasília.
    O esposo foi acometido aos 42 anos de AVC - acidente vascular cerebral, vindo a não ter mais ereção e comprometimento no caminhar e falar, ainda que com muita fisioterapia. Tinham dois filhos pequenos quando ocorreu.
    Estão juntos até hoje, já uns cinco anos. A intimidade do casal? não faço idéia, não perguntei. Único fato que presenciei foi o AMOR INCONDICIONAL de 1 coríntios 13 expressado.

    Podem registrar e praticar todas as técnicas de acasalamento. o verdadeiro amor de Deus derramado no casal superou o sexo.

    "quem perder a sua vida por amor de mim , ganhala-á"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Obrigado por compartilhar conosco este fato, servirá para outros professores !

      Excluir
  4. É interessante pontuar quais atitudes devem ser tomadas pelo cnjugue cristão que se encontra em jugo desigual quando da exigência do cônjugue não cristão exigir sexo a força, sexo anal. Devemos levar em conta que muitos se converteram após o casamento, casaram se como ímpios então não basta afirmar aleatoriamente que o irmão "tem culpa". É certo o processo de santificar o conjugue ímpio por conta da insistência de o mesmo não querer abandonar o conjugue cristão então, não abrir mão de agradar a Deus é primordial mas como a igreja iria orientar as falas do conjuguê?

    sempre haverá cônjugues em julgo desigual na igreja e devemos dar atenção especial a estes afinal não é comum "encontro de divorciados" para orientação e certificação de legitimidade do divórcio visando um "vamos orar para Deus dar uma varoa ou um varão"

    principalmente mulheres cristãs sofrem com abusos de maridos não crentes e até violentadas são quando o assunto é sexo.

    professor, discorra com coragem esse assunto e desenvolva biblicamente aconselhamento na igreja

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mendes, Deus abençoe, uma abordagem importante que deve ser mencionada na aula, uma oportunidade unica que o professor terá !

      Excluir
  5. somente "vamos orar" sem aconselhar é mecanicidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por vezes, "vamos orar" foi a frase usadas por muitos quando quer fugir do aconselhamento para alguém que precisa.

      Excluir
  6. MUITO BOM AS FORMA DE ESPLAINAR O CONTEÚDO DE CADA AULA. GOSTARIA DE PEDIR PARA ESPLAINAREM OS CONTEÚDOS DAS AULAS PARA ADOLESCENTES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente no momento não estamos tendo tempo para postagem de subsídios da revista para Adolescentes.

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Quando se fala de intimidade entre o casal, logo de imediato se pensa no sexo o ato, só que não se resume só nisso esta palavra, e sim a sua profundidade vai mais longe, quando se gosta de um pessoa e diz que ama, não devem dizer isto só por causa do sexo, e sim por que haverá respeito, cumplicidade, companheirismo, amizade, zelo, etc... estas são caracteristicas de um amor verdadeiro que subsistirá diante da possibilidade de um dia, o sexo não ser mais correspondido como antes no mesmo vigor, diante das limitações humanas, conforme os problemas de saúde; e o avanço da idade, porque o sexo pode diminuir e até acabar, mas o amor precisa sempre crescer, o sexo é bom entre um casal porque é uma dádiva de Deus, mas não é tudo, e é preciso ser praticado debaixo da aprovação de Deus, com respeito e responsabilidade, atendendo as nescessidades mútuas de cada um, em um entendimento extremamente sadio e santo, para que quando precisarem um do outro sem o sexo, vivam uma intensidade de amor maior, e melhor juntos até o fim, e digam entre si ( O cônjuge ); valeu a pena estarmos juntos e completos em Deus Oh! Glória!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo Robson,o amor é inversamente proporcional ao sexo,ou seja,conforme vai diminuindo a libido o amor vai aumentando ( é o que tem ocorrido naturalmente).Obrigado por sua participação e interação.

      Excluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Bom dia Robson. O senhor acaba de ser redundante, normal e esperado de todos os que ensinarão o que parte do texto da revista porém não discorreu da orientação ao cristão cujo conjugue não é cristão com relação aos aspectos de intimidade no sexo. Dá uma olhada no que registrei anteriormente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depreciou meu comentário irmão Mendes, mas nao tem problema, estou aqui para aprender e ser o menor de todos, só procurei colocar um assunto básico e simples de entender tentando utilizar os ensinos de Cristo, estou longe demais para ter um conhecimento de tal altura como o seu. A pax do Senhot.

      Excluir
  11. Vai aí exemplos

    a)Se uma cristã recebe o pedido de realizar coito anal de seu marido incrédulo, ela deve recusar;

    B)Se uma cristã não está disposta a fazer sexo por razões naturais,mesmo com a insistência do marido, ela deve deixar claro para o esposo incrédulo que não é questão de não amá-lo mas sim de momento e pedir a compreensão lembrando-a de que muitos (até cristãos) dão desculpas de adultério porque a mulher não quis coabitar, utilizando a cega interpretação do texto de (1 Coríntios 7:3-5)como álibi;

    c)Se ela constantemente for agredida, ela deve perdoar seu esposo sim, e a igreja orar junto porém DEVE registrar ocorrência. A igreja deve orientá-la sobre a legislação em vigor - Maria da Penha; Só assisto Pastores orientar membro procurar médico, justiça em caso de causa trabalhista, psicólogo etc. Mas quando o assunto é esse...

    ResponderExcluir
  12. Professor de EDB, não dê desculpa que foge os objetivos da lição pois você está ministrando para uma classe mista, ou seja, casais cristãos e em julgo desigual, portanto, se coloque no lugar desse grupo seleto!

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. item 3.2
    "Às vezes o homem também deseja estar só, quer estar com os amigos, quer assistir algum esporte."

    cuidado para trocar a atenção à mulher por outra coisa, vindo a traduzir uma vida de solteiro estando casado.

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. fiquei pensativo quando no tópico 3:1 a explicação diz que Deus nao diz com quem nos casaremos, temos principios para isso na palavra de Deus e concordo, mas tive uma dúvida nessa questão quando o própio comentarista disse no sub topico 1;2 que Deus prôve o conjugue!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo achei interessante sua colocação,pode ser a duvida de outros irmãos também:
      1- No tópico 1.2 Deus providencia uma esposa para Adão(foi o primeiro casamento,portanto,foi a unica forma de acontecer a união Gn 2.24)
      2-No tópico 3.1 a situação é diferente,o homem está rodeado de opções e deve utilizar alguns parâmetros para fazer sua escolha.Deus respeita o livre arbítrio de nossa escolha (leia o subsidio do tópico 3.1). Um forte abraço.

      Excluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. (Orientações Bíblicas sobre a Intimidade do casal) é o tema da lição,devemos ser prudentes e nunca durante a aula abordar exemplos de pessoas,Intimidade é sinônimo de: particularidade, pessoalidade, privacidade, privança,secreto etc.

    ResponderExcluir
  19. Apaz d Senhor pastor..sexo oral n casamento cristão é pecado ? Ou é uma questão a acordo entre o casal ? Obrigado ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Topico 1.3 tem um Link abordando de forma completa a resposta , e só clicar, mui grato !

      Excluir
  20. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir