domingo, 19 de janeiro de 2020

Lição 4 - Atributos do Ser Humano

 


                                                                                                                                                 

Aula Presencial dia 26 de Janeiro de 2020

                                                                                                                                                 










                                                                                                                                                 

Hinos Sugeridos da Harpa Cristã
25 - Jesus Tu és Bom

111 - Que Mudança

242 - Eu Confio Firmemente


                                                                                                                                                 



Romanos 12.1-10
1 - Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
2 - E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
3 - Porque, pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um.
4 - Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação,
5 - assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros.
6 - De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada: se é profecia, seja ela segundo a medida da fé;
7 - se é ministério, seja em ministrasse é ensinar, haja dedicação ao ensino;
8 - ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.
9 - O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem.

10 - Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.

                                                                                                                                                 







                                                   

Texto Áureo
"Não sejais como o cavalo, nem como a mula, que não têm entendimento, cuja boca precisa de cabresto e freio, para que se não atirem a ti." (Sl 32.9).
Deus descreve algumas pessoas como cavalos ou mulas que têm de ser controlados por freios e rédeas. Ao invés de deixar Deus guiá-las passo a passo, elas agem de maneira obstinada e rebelde, e deixam apenas uma opção para Deus, se Ele quiser mantê-las úteis para si, terá que usar a disciplina e a punição. Deus quer nos ajudar com amor e sabedoria em vez de aplicar punições. Ele se oferece para nos ensinar o melhor caminho a percorrer. Aceite os conselhos escritos na Palavra de Deus e não deixe que sua obstinação e rebeldia lhe impeçam de obedecer a Ele. (Bíblia de Estudo Cronológica - CPAD - Pág.580).

Verdade Prática
Criado à imagem de Deus, o homem é um ser espiritual, racional, livre e criativo; sua missão primordial é glorificar o Criador e Mantenedor de todas as coisas.

Objetivo Geral
Mostrar a complexidade do ser humano, pois ele é um ser espiritual, racional, livre e criativo.

Objetivos Específicos
I - Explicar a espiritualidade humana;
II - Radiografar a racionalidade humana;
III - Expor a sociabilidade humana;
IV - Aclarar a liberdade humana;

V - Pontuar o trabalho e a criatividade humana.

Introdução
Na aula de hoje, estudaremos os principais atributos do ser humano: espiritualidade, racionalidade, sociabilidade, liberdade e criatividade. 
[...] Se Deus assim nos dotou, usemos cada um de nossos atributos para glorificá-lo. No aperfeiçoamento destes, leiamos a Bíblia, oremos, vigiemos noite e dia, evangelizemos e exerçamos o amor cristão.
Atributos são características marcantes e diferenciais. São itens que identificam uma espécie, dando-lhes condições de agir marcando sua personalidade.(gospelprime.com.br).


I - A Espiritualidade Humana
Neste tópico, aprenderemos que o homem é, também, um ser espiritual. 

1 - A Origem Divina de nosso Espírito.
Após formar Adão do pó da terra, o Senhor Deus soprou-lhe nas narinas o fôlego de vida (Gn 2.7). A partir daquele momento, o homem passou a ser alma vivente.

2 - O Anseio Natural do Espírito Humano.
Sendo proveniente de Deus, o espírito humano anseia pelo Pai Celeste, conforme Paulo muito bem acentuou aos atenienses (At 17.21,22). 
Já o salmista confessou que a sua alma suspirava por Deus (Sl 42.1).
"Como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus!" (Sl 42.1)
Da mesma maneira como a vida de um cervo depende de água, também nossas vidas dependem de Deus. Aqueles que o buscam e anseiam por entendê-lo encontra a vida eterna. Sentindo-se separado de Deus, este salmista não conseguia descansar, até que restaurasse seu relacionamento com Deus, porque sabia que sua própria vida dependia disso. Você tem sede de Deus ? Pergunte para seu aluno.
Os Salmos 42 até o 49 foram escritos pelos descendentes de Corá. Lembra do Corá ? um levita que fez rebelião a liderança de Moisés.
Ele (Corá) foi morto, mas seus descendentes permaneceram fiéis a Deus, e continuaram a servir a Deus no Templo.  Davi nomeou homens do clã de Corá para servir como líderes do coro (1Cr 6.31-38) e eles continuaram a ser músicos do Templo durante centenas de anos (2Cr 20.18-19). (Bíblia de Estudo Cronológica - CPAD - Pág.856-857).
Infelizmente, não são poucos os que, devido a uma vida ímpia e blasfema, sufocam o seu anseio pelo Criador.
Reflita com seu aluno a seguinte questão : Você já reparou que algumas pessoas marcam nossa caminhada cristã positivamente, ajudando e direcionando você cada vez mais próximo da presença de Deus; enquanto outras pessoas ao se aproximar fizeram com que você se afastasse ou ficasse mais distante de Deus ? Porque ocorre isso ?
Pessoas que anseiam pelas coisas de Deus ao ficar perto de você, te aproxima de Deus, enquanto que pessoas que não ligam para Deus  dissipa suas forças e até seus propósitos de viver em santidade.

3 - A Revivificação do Espírito Humano.
Através de sua morte redentora, Jesus Cristo vivifica o homem que jaz morto espiritualmente (Ef 2.1; Cl 2.13). Só Ele é a ressurreição e a vida (Jo 11.25).


II- A Racionalidade Humana.
Tenhamos em mente esta proposição: Deus é um ser racional. Logo, há perfeita harmonia entre a genuína razão e a fé bíblica. Por isso mesmo, Ele requer, de cada um de nós, um culto racional.

1 - Deus é um ser Racional.
Certa vez, o Senhor desafiou o povo de Judá, que caíra na apostasia, a argumentar acerca do verdadeiro caminho (Is 1.18-20). Portanto, Ele requer de seus servos uma postura racional, porquanto dotou-nos de razão. Não temos uma natureza animal e bruta, mas racional e inteligente (Sl 32.9).

2 - A Harmonia entre Racionalidade e Espiritualidade.
A verdadeira espiritualidade manifesta-se de maneira racional, pois o nosso Deus é um ser racional. Ele não é de confusão (1 Co 14.33). Para que o agrademos, o Espírito Santo nos desenvolve a inteligência espiritual (Cl 1.9).

3 - O Culto Racional Agrada a Deus.
Posto que Deus é um ser racional, devemos cultuá-lo racionalmente (Rm 12.1). Isso significa, antes de tudo, que a nossa adoração a Deus tem de ser perfeitamente entendida, explicada e praticada (Êx 12.26; 1 Pe 3.15). Doutra forma, não terá valor algum (Jo 4.22).
"Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional " (Rm 12.1)

O alvo final é cultuar a Deus, adorá-Lo. Toda a força e argumento do clamor tem um único objetivo: a adoração. Essa adoração deve ser inteligente e racional, isto é, deve-se ter compreensão do que se faz. O uso de nossos corpos deve ser caracterizado pela devoção consciente, inteligente e consagrada a Deus e a Seu serviço. Dentro desse quesito, entendemos que nosso corpo foi feito para ser um instrumento de adoração a Deus. Isso envolve todas as nossas atividades, em todos os momentos de nossa vida. A conscientização desse fato nos torna casa de Deus (1Co 3.16). (Revista Betel Adultos - Lição 8 - 3T - 2016)

O apóstolo Paulo usa a palavra “casa terrestre” (skênos), “tenda, nossa casa terrestre; a tenda que forma a nossa casa terrestre”, referindo-se à impermanência e à insegurança como uma ilustração da vida terrena (2Co 5.1). Embora nosso corpo seja uma “casa temporária”, torna-se uma ponte para nossa casa eterna no céu e isso requer que seja uma “casa” que adore a Deus. A Bíblia diz que o nosso corpo; é uma casa (2Co 5.1); um vaso (2Co 4.7); um tabernáculo (2Pe 1.13); um templo (1Co 3.16); uma propriedade (1Co 6.19); um membro de Cristo (1Co 6.15); e um cálice de ouro (Ec 12.6). Devemos adorar a Deus com o nosso corpo porque ele é o templo do Espírito Santo. Nada poderíamos fazer se fôssemos desprovidos do corpo. Tudo o que somos e fazemos é o resultado de que Deus nos deu o privilégio de servi-Lo com nossos corpos, deixando nossas marcas por onde passarmos. Que o Senhor nos dê graça de sempre glorifica-Lo com nosso corpo. Saibamos adorar a Deus com a renúncia e constante disposição. (Revista Betel Adultos - Lição 8 - 3T - 2016 - Subsídios do Professor)


III - A Sociabilidade Humana. 
Deus nos criou sociáveis; a solidão é contrária à nossa natureza. Por isso, Deus instituiu a família e, só depois, o Estado.

1 - A Solidão é Nociva ao Ser Humano.
No período da criação, a única coisa que Deus afirmou não ser boa foi a solidão (Gn 2.18). Por esse motivo, Deus fez a mulher para que o homem tivesse uma companhia idônea e sábia (Gn 2.21-25).

2 - A Família é a Origem da Sociedade Humana.
A família é mais importante que a sociedade e mais imprescindível que o Estado, pois ambos dependem do lar doméstico.

3 - A Igreja de Cristo, a Sociedade Perfeita.
No Novo Testamento, a Igreja de Cristo é apresentada como a sociedade perfeita, porque nela todos formamos um único corpo (1 Co 12.13). 


IV - A Liberdade Humana. 

1 - O Livre-Arbítrio.
O livre-arbítrio pode ser definido como a capacidade humana de tomar livremente uma decisão. Tal atributo é observado em diversas passagens das Escrituras (Gn 13.9; Js 24.15; Hb 4.7).

Arbítrio é o poder de decisão por sua vontade, ou seja, o livre-arbítrio é o poder de decidir que o homem tem por sua própria consciência, Na qual Deus permite que o homem faça sem sua interferência.(Revista Betel Adultos - Lição 5 - 3T - 2019)

Soberania de Deus e livre-arbítrio são temas que geram conflitos e levam muitos a tomadas de posições extremadas. Por conceder o livre-arbítrio ao homem, Deus deixa de ser soberano? De maneira nenhuma! Isso só denota o seu poder em criar uma pessoa que, sendo imagem e semelhança de Deus, decide seguir ou não o caminho da Justiça. Mas é bem verdade que, nalgumas circunstâncias, o Eterno intervém sem respeitar o arbítrio humano (Ml 1.2,3 cf. Rm 9.14-16). Há contradição nisso? De forma alguma! O homem continua livre em seu arbítrio e Deus eternamente soberano. Nas Sagradas Escrituras, o livre arbítrio e soberania divina são essencialmente dialogais. (Pr.Ezequias Soares, 2012)

Vontade permissiva e livre arbítrio.
 Deus fez o homem à sua imagem e semelhança. O que faz dele um ser moralmente semelhante ao Criador, é justamente a capacidade de fazer suas próprias escolhas; inclusive, aquelas que não estão de acordo com a vontade divina. Isto é o que se entende por vontade permissiva. O Eterno tem poder para impedir que o homem faça o mal ou bem, entretanto, lhe dá o direito de escolha (Gn 2.15-17; 3; 4.7; Dt 30.15-20; Gl 6.7-10). Na vontade permissiva, a soberania e a onipotência de Deus não violam o livre-arbítrio humano. (Lições CPAD Jovens e Adultos »  2008 » 4º Trim.)

2 - O Ato de Decidir.
Segundo a Bíblia, o ato de decidir entre o bem e o mal, entre Deus e os ídolos e entre aceitar Jesus e recusá-lo, é um direito que o Todo-Poderoso nos concedeu (Gn 2.9; 1 Rs 18.21; Mc 16.15,16).
Devemos entender que Deus em sua Soberania permite que o homem tome suas decisões, e seja senhor sobre elas, porém se tornará servos de suas consequências, isso significa que podemos tomar decisões como bem desejarmos, mas temos também que assumir as consequências de tais atos, o que muitas vezes pode ser muito mais pesaroso do que se imagina e do que se possa suportar. (Revista Betel Adultos - Lição 5 - 3T - 2019)

Vontade é a capacidade de escolher a ação e o modo de efetivar essa ação. A pessoa é quem determina a ação.
Deus disse que de toda árvore do jardim poderia comer, mas de uma não. O livre arbítrio existente deveria ser moldado, conduzido pela obediência. Pode comer de tudo, mas uma não convém porque teria várias consequências, como teve. Poder podia. A questão era: deveria?
O homem preferiu exercer a sua escolha para o mal e não para o bem: “Toda árvore do jardim pode comer livremente, mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás...” (Gn 2.16b-17a).
O homem tinha plena liberdade de escolher, mas Deus disse que ele seria responsável por sua escolha e pelo castigo que foi imposto... O próprio homem também reconheceu a sua responsabilidade, tanto que procurou desculpar-se.
Existem vários textos bíblicos que consolidam o ensino das Escrituras sobre o livre arbítrio do homem:

“Se alguém quer vir após mim,” (Lc 9.23). “... quem quiser, tome de graça da água da vida.” (Ap 22.17). “... e estes não quiseram vir.” (Mt 22.3). “... escolhei hoje a quem sirvais;... porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.” (Js 24.15). “ (Palavra e vida, 1º trim 2019)

3 - A Soberania Divina.
Já que Deus concedeu-nos o direito de escolha, ajamos com responsabilidade e discernimento, porque todos seremos responsabilizados por nossas escolhas (Ec 11.9; Rm 14.12). Portanto, o livre-arbítrio humano e a soberania divina não são excludentes; são perfeitamente harmônicos.

Soberania significa: superioridade decorrente de domínio e poder; superior hierárquico, que desconhece alguém superior a ele, excelência.(Revista Betel Adultos - Lição 5 - 3T - 2019) 

Deus é soberano, mas o que isto significa?
Significa que Deus é acima de tudo e de todos, que está no controle de todas as coisas e nada pode impedir seus intentos.
O Senhor Deus é imponente para realizar os Seus propósitos. Não há poder neste mundo capaz de frustrar os Seus projetos.
A soberania do nosso Deus é a autoridade e poder que exerce sobre toda a criação, de forma ilimitada e plena, Isto é, ele é soberano sobre as nações, sobre a igreja, sobre Israel, enfim, sobre tudo e sobre todos.
Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam. (Sl24.1) 
Fale para sua classe sobre a Transcendência a imanência de Deus:
 Transcendência a imanência
- “transcender”, ultrapassar, Deus transcende a criação porque Ele a ultrapassa e a sua glória está acima de tudo e de todos.
- “imanente”, aquilo que não se separa, no caso o Senhor é imanente, pois não se separa da sua criação.
(Revista central gospel, 1º trim, 2013)


V - A Criatividade Humana e o Trabalho. 

1 - A Dignidade do Trabalho.
Deus criou o homem para trabalhar a terra, ará-la e transformá-la, a fim de torná-la habitável (Gn 1.26; 2.15). Por conseguinte, o trabalho não é um castigo devido ao pecado de Adão, mas uma bênção a todos os seus descendentes. A queda apenas tornou as atividades laborais mais árduas e estressantes (Gn 3.17-19).
Após a Queda : Já não era mais tudo fornecido para o sustento de Adão e Eva, como fora no jardim do Éden, onde suas tarefas diárias eram revigorantes e prazerosas. Agora ele tinham que lutar contra os elementos, para conseguir alimento, roupas, e abrigo, para si mesmos e para sua família. Caim se tornou agricultor, ao passo que Abel se tornou pastor. Atualmente, em algumas regiões do Oriente Médio, essas profissões antigas ainda existem, tanto quanto no tempo de Caim e Abel.
(Bíblia de Estudo Cronológica - CPAD - Pág.14).

2 - A Criatividade Humana.
Os descendentes de Adão, trabalhando metodicamente, desenvolveram em pouco tempo as mais variadas técnicas (Gn 4.2,3,20-22). Rapidamente, evoluíram. Na terceira geração, já dominavam a agricultura, a pecuária, a metalurgia e a arte musical.
A partir da torre de Babel, o homem já dava mostras de ter condições de dominar todo o planeta, em virtude de sua criatividade (Gn 11.6). Todavia, jamais poderemos ultrapassar os limites que o Senhor nos estabeleceu.
A torre de Babel foi uma grande realização humana, uma maravilha do mundo. Mas era um monumento às pessoas, e não a Deus. Podemos construir monumentos a nós mesmos (roupas caras, casa grande, carro da moda, emprego importante), para chamar a atenção para nossas realizações. Elas podem não ser erradas, em si mesmas, mas quando as usamos para dar a nós mesmos identidade e valor próprio, elas tomam o lugar de Deus em nossas vidas. Somos livres, para nos desenvolver em muitas áreas, mas não somos livres para pensar que substituímos a Deus. Que "torres" você tem substituído em sua vida ? (Bíblia de Estudo Cronológica - CPAD - Pág.24).

                  Conclusão
Em seu discurso em Atenas, Paulo reconhece todos os atributos que o Criador concedeu ao ser humano. Apesar da queda, a humanidade vem evoluindo continuamente. Mas, em termos espirituais, o homem regride rumo ao abismo. Somente o Evangelho de Cristo é capaz de restaurar-nos plenamente. Por isso, o Senhor Jesus é o nosso Salvador pessoal. Sem Ele, a vida humana perde todo o sentido e o encanto.

Para Refletir
1 - Segundo a lição, quais os atributos do ser humano?
Os principais atributos do ser humano são: espiritualidade, racionalidade, sociabilidade, liberdade e criatividade.

2 - Discorra sobre a espiritualidade humana.
Sendo proveniente de Deus, o espírito humano anseia pelo Pai Celeste, conforme Paulo muito bem acentuou aos atenienses (At 17.21,22).

3 - Deus é um ser racional? Apresente uma prova bíblica.
Sim. Certa vez, o Senhor desafiou o povo de Judá, que caíra na apostasia, a arrazoar acerca do verdadeiro caminho (Is 1.18-20).

4 - Fale sobre o senso sociável do homem.
Deus nos criou sociáveis; a solidão é contrária à nossa natureza. Por isso, Deus instituiu a família e, só depois, o Estado.

5 - O trabalho é uma consequência do pecado? Explique por quê.
Deus criou o homem para trabalhar a terra, ará-la e transformá-la, a fim de torná-la habitável (Gn 1.26; 2.15). Por conseguinte, o trabalho não é um castigo devido ao pecado de Adão, mas uma bênção a todos os seus descendentes.
Fonte
Revista CPAD - Lições Bíblicas Adultos. Tema: A Raça Humana Comentarista Pr. Claudionor de Andrade, 1 Trimestre 2020.


                                                            Vídeos Pré-Aula                                                       
















                                                                                                                                                 


Estimado professor, segue abaixo alguns links com material de apoio desta lição.

Clique Aqui - Lição Betel - Corpo, Alma e Espírito: Instrumentos de Adoração

                                                  Comentado pelo Prof. Éder Tomé                                                                                 

Como posso adorar a Deus através do meu corpo ?  
Nosso corpo é o templo do Espírito Santo, ele foi feito para ser instrumento de adoração a Deus, por isso devemos priorizar a adoração a Deus na nossa vida. Deus nos deu o privilegio de podermos servi-lo, glorifica-lo através do nosso corpo (1 Co 6:20), todavia, como podemos adorar a Deus através do nosso corpo ? 
Estamos adorando a Deus através do nosso corpo quando estamos nos apresentando a Ele como “sacrifício vivo”  (Renunciando nossa natureza pecaminosa, fazendo sacrifício da vontade da carne para fazer a vontade de Deus) , quando estamos valorizando nosso corpo conservando-o irrepreensível diante de Deus, quando estamos adorando a Deus através do nosso corpo com consciência, espontaneidade mostrando que somos dependentes Dele.
Que nossa adoração seja arrebatadora, que o nosso desejo de adorar a Deus brote do coração e fuja do que é artificial.  Que nossa expressão exterior seja sincera e verdadeira.
Uma vez que levantamos nossas mãos para adorar a Deus podemos estar expressando gratidão, reverência e dependência, todavia estamos de fato através do nosso corpo refletindo uma vida de obediência ? uma vida de renuncia ao pecado ?  As mãos que levantam para adora a Deus devem ser santas ( 1 Tm 2:8)  para que Deus receba os louvores, ao contrário, o Senhor não escutará nossa voz (Amós 5:23,24).

Não se engane com expressão física nos cultos.  
Você já participou de cultos onde as pessoas estavam  louvando a Deus com elevado grau de expressividade física ou corporal ? Estar louvando alto, gritando, dançando entusiasmado não quer dizer necessariamente  adorando a Deus em Espírito e em Verdade, nossa verdadeira e sincera devoção a Deus não pode ser provada e comprovada somente por atos externos, Deus olha o coração e onde está o foco da nossa Adoração.
  
O que é Culto Racional ?  
Paulo empregou em Romanos 12:1 o termo “Culto Racional” vejamos : “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso Culto Racional”
Prestar a Deus um “culto Racional” é prestar um “culto com razões”, com propósitos, com objetivos claros, com consciência de nosso ato e de nossa missão de adoradores. Viemos para a Igreja para adorar a Deus com decência, ordem, compromisso, organização,  tudo isso, porque Deus fez e faz muito em nossa vida.

Não existe “Culto Racional” sem o entendimento da palavra de Deus. Não se pode substituir o ensino da palavra de Deus por nada na liturgia.  É a palavra de Deus que produz arrependimento, quebrantamento e o verdadeiro espírito de adorador. Em Neemias 8:3 diz “E leu no livro, diante da praça, que está fronteira à Porta das Águas, desde a alva até ao meio-dia, perante homens e mulheres e os que podiam entender; e todo o povo tinha os ouvidos atentos ao Livro da Lei”.
A bíblia diz que depois de seis horas de estudo bíblico, o povo se inclinou e começaram a adorar ao Senhor com o rosto em terra, isso é culto racional.
Culto Racional não é um culto desprovido de emoção, não é um culto sem expressão humana, não é um culto cuja liturgia foi definida previamente no papel, onde cada pessoa presente já sabe de antemão o que vai acontecer no início, meio e fim.

A ideía da palavra “Culto Racional” é ter atitude de adoração a Deus de forma consciente compreendendo e participando de cada ação que acontece durante o culto. Você sabe o que está fazendo durante o culto ? Sabe o que simboliza cada ato do culto ? Se você sabe, de fato esta oferecendo a Deus um “Culto Racional”.  Vejamos alguns significados de momentos, posições e expressões dos cultos e seu fundamento bíblico:


O Culto
Ação
Referência
Significado
Momento
Cantar
Salmo 95.1; 100.2
Louvor, alegria, gratidão
Orar
Mateus 21.13
Pedir, crer, falar com Deus
Ler
Lucas 4.16
Conferir nas Escrituras
Pregar
Marcos 1.39
Anunciar, orientar e ensinar
Ofertar
Malaquias 3.8-10
Compromisso, fidelidade
Testemunhar
Atos 4.20
Agradecer
Posição
Assentar
Lucas 2.46
Esperar, acomodar
Ajoelhar
Filipenses 2.10
Submissão, confissão, 
Levantar 
Neemias 9.5
Disposição, honra, respeito
Gestos e expressões
Fechar os olhos
II Coríntios 5.7
Concentração, crer no invisível
Dizer amém
Mateus 18.19
Concordar, confirmar
Levantar mãos
Salmo 63.4 e 141.2
Receber bênção, entregar a vida
Bater palmas
Salmo 47.1
Saudar, exaltar, alegria


                                                                                                                                                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário