sábado, 11 de janeiro de 2020

Lição 3 - A Natureza do Ser Humano

 


                                                                                                                                                 

Aula Presencial dia 19 de Janeiro de 2020

                                                                                                                                                 










                                                                                                                                                 

Hinos Sugeridos da Harpa Cristã
46 - Um Pendão Real

101 - A Unção Real

238 - Ó Pecador Desalentado


                                                                                                                                                 



Gênesis 1.26-28
26 - E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se move sobre a terra.
27 - E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou.

28 - E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.

                 Gênesis 2.7

7 – E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente.

                                                                                                                                                 







                                                   

Texto Áureo
"o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espirito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo." (1 Ts 5.23)
Espírito, alma e corpo se referem não tanto às partes distintas de uma pessoa, mas a toda a existência de uma pessoa. Essa expressão é a maneira com que Paulo diz que Deus deve estar envolvido em todos os aspectos da vida. É errado pensar que podemos separar a vida espiritual de todo o resto, obedecendo a Deus apenas em algum sentido etéreo, ou vivendo por Ele apenas um dia de cada semana. Cristo deve controlar tudo em nós, e não apenas uma parte "religiosa".
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - ARC - Página 1601).

Verdade Prática
Nossa tríplice natureza - física, mental e espiritual - deve ser plenamente consagrada a Deus, para que o mundo veja, em nosso ser, a imagem e a semelhança do Criador.

Objetivo Geral
Expor que o corpo, a alma e o espírito constituem a natureza do ser humano.

Objetivos Específicos
I - Mostrar a complexidade do ser humano;
II - Elencar as características do corpo humano;
III - Destacar a alma como o nosso elo com o mundo exterior;
IV - Relacionar o espirito com o nosso contato com Deus.


Introdução
Na aula de hoje, estudaremos as partes que constituem a natureza humana. Veremos que o nosso ser, em virtude das partes que o compõem, é de tal forma maravilhoso, que chega a ser inexplicável (Sl 139.14). Além da substância física (o corpo), possuímos também uma substância imaterial (o espírito e a alma). Habilitou-nos Deus, assim, a relacionar tanto com o mundo físico quanto com o mundo espiritual.
O objetivo desta lição não é apenas explorar a natureza humana, mas levar você a consagrar inteiramente o seu corpo, a sua alma e o seu espírito ao Criador e Mantenedor de todas as coisas.
Torna-se mais fácil para nós solucionarmos os nosso problemas e compreendermos como e por qual razão nos comportamos desta ou daquela maneira, quando entendemos melhor a natureza humana.
É verdade que o homem é uma criatura complexa, é dotado de um corpo admirável, de uma mente fértil e da capacidade de distinguir entre o que é certo e o que é errado. Essas são apenas algumas das muitas características do ser humano. Essa descrição revela-nos que ele tem uma aspecto material ou físico, que é palpável ou pode ser visto, e um aspecto imaterial ou não-físico, que não pode ser visto, medido e nem analisado em laboratório. (Livro Fundamentos da Verdade - ICI - Floyd C. Woodworth - David D.Duncan - Páginas 165-166)


I - A Complexidade do Ser Humano.
A natureza do ser humano é distinta tanto em relação a Deus quanto em relação aos anjos. Vejamos por quê.

1 - A Natureza de Deus.
Ao contrário do homem, Deus é um ser  simples; possui uma única natureza. Por essa razão, Ele foi definido, pelo próprio Filho, como sendo espírito (Jo 4.24). Isso significa que, para existir, o Senhor não necessita, como nós, de uma natureza composta de corpo, alma e espírito. O Todo-Poderoso define a si mesmo como aquele que simplesmente é: "EU SOU O QUE SOU" (Êx 3.14). Ele existe por si mesmo (Jo 5.26).
Como pode Deus não ter um corpo físico e ser uma Pessoa?
Quais são as partes essenciais do corpo de uma pessoa? Os braços? A voz? Os olhos? Se um indivíduo vier a perder qualquer desses membros, ainda assim continuará sendo uma pessoa. Podemos concordar que uma pessoa é algo que não se restringe ao corpo.
Uma pessoa é alguém dotado de capacidade de pensar, de sentir e de tomar resoluções. Embora não tenha um corpo físico, certamente tem inteligência e também a capacidade de sentir, de pensar e de raciocinar.
A Bíblia revela-nos que Ele se comunica com outros seres (Sl 25.14) e que é afetado pelas reações deles a Ele (Is 1.14). Deus pensa (Is 55.8) e toma decisões (Gn 2.18). Todas essas são características de um ser pessoal. Logo, Deus é um Ser Pessoal.
Entenda que Deus é Espírito, E nunca foi visto
Em que você pensa, quando fecha os olhos e procura imaginar como é Deus? Se em sua mente forma-se uma espécie de imagem, então a sua maneira de pensar não corresponde inteiramente àquilo que as Escrituras ensinam. Deus não tem forma alguma, porque Ele é espírito (Jo 4.24), e um espírito é invisível. Diz-nos o trecho de João 1.18: "Deus nunca foi visto..."
Deus é espírito! Essa é uma declaração que, com uma única palavra, diz-nos o que Deus é. Esse não é um conceito fácil de explicar.
Deus é invisível, imaterial e não se compõe em partes. Disse Jesus: "... um espírito não tem carne nem ossos..." (Lc 24.39). Deus não tem quaisquer das propriedades ou características que pertencem à matéria.
Paulo descreve Deus como "... Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus..." (1 Tm 1.17), e também como "... bem-aventurado e único poderoso Senhor, o Rei dos reis e Senhor dos senhores; aquele que tem, ele só, a imortalidade e habita em luz inacessível, a quem nenhum dos homens viu nem pode ver..." (1Tm 6.15,16).
Como entender algumas passagens Bíblicas onde pessoas dizem ter visto À Deus?
Ora, se Deus realmente é um espírito invisível, então como podemos entender as instâncias existentes na Bíblia, como aquela descrita em Êxodo 33.19-23, onde somos informados que Moisés viu a Deus? Na verdade, não temos ali qualquer contradição com o fato que Deus é invisível e imaterial. Em algumas dessas ocasiões homens viram os reflexos da glória de Deus, mas não viram a Sua essência propriamente dita. Outra ocasiões revelam que um espírito pode manifestar-se sob formas visíveis. Deus é perfeitamente capaz de revelar-se por intermédio de alguma manifestação física. Isso aconteceu, por exemplo, quando o Espírito Santo pairou por sobre Jesus como uma pomba, quando Ele acabara de ser batizado nas águas (Jo 1.32-34).
Talvez você esteja pensando: "Se Deus é imaterial, por que razão, então, a Bíblia fala sobre as mãos, os pés, os ouvidos, a boca, o nariz ou a face de Deus? Por que existem passagens bíblicas que falam como se Deus estivesse fazendo alguma coisa que um ser humano também faria?" Para exemplificar, Salmo 98 refere-se à "sua destra e o seu braço santo" (Sl 98.1); Salmos 99.5 fala sobre alguém a adorá-lo "diante do escabelo de seus pés"; e salmos 91.4 refere-se a "suas penas" e "suas asas".
Visto que é muito difícil para nós realmente compreendermos a essência divina, Ele impulsionou os escritores sagrados a usarem objetos que nos são familiares, aplicando algumas características dos mesmos a Deus. Dessa forma, obtemos alguma compreensão do desconhecido, através do que é conhecido. (Livro Fundamentos da Verdade - ICI - Floyd C. Woodworth - David D.Duncan - Páginas 20-22)

2 - A Natureza dos Anjos.
Seres criados e finitos, os anjos possuem igualmente apenas uma natureza. Eles são descritos como espíritos (Hb 1.14). E, diferentemente de nós, não se reproduzem através do sexo (Lc 20.34-36). O corpo angélico é espiritual (1 Co 15.44; Hb 1.14).
Os Anjos são criaturas
Negar a criação dos anjos implica em deixar de reconhecer a realidade do mundo espiritual. Eles não são meras figuras de retórica nem simbologias irreais, mas criaturas de Deus, superiores às criaturas humanas e também dotados de qualidades morais e espirituais.
Os Anjos são seres Espirituais
o autor da Epístola aos hebreus os chama de "espíritos ministradores" (Hb 1.14). Eles são espíritos criados sem corpos materiais, neste aspecto diferente de nós, que somos espíritos com corpos físicos. Portanto, as limitações físicas, próprias dos humanos, os anjos não as têm. Eles são superiores à matéria e não estão sujeitos à lei da gravidade, por isso, podem locomover-se de um lugar para outro com extrema rapidez. Várias aparições angelicais indicam essa característica (Gn 18.1-10; 28.10-22).
Os Anjos são seres pessoais.
Eles possuem todos aqueles atributos de personalidade que os homens têm, tais como inteligência, vontade, sentimento, livre-arbítrio. Eles pensam, falam, sentem e se comunicam com Deus e com os homens (Sl 148.2; Mt 24.36). (Pr. Elienai Cabral - Revista CPAD - 1T - 2001 - Página 36-37).


3 - A Mulher, uma Pessoa Necessária.
Já os seres humanos possuem uma natureza, que pode ser descrita como dupla: uma física (o corpo) e uma espiritual (a alma e o espírito - 1 Ts 5.23). Para vivermos neste mundo, necessitamos de nossa natureza completa. Se uma apartar-se da outra, morremos (1 Rs 17.21,22).

II- As Características do Corpo Humano.
O corpo humano tem as seguintes características: materialidade, visibilidade e mortalidade.

1 - Materialidade.
Ao contrário dos anjos - seres espirituais -, criados de uma só vez pela palavra divina (Sl 33.6), o homem - ser material e físico - veio à vida a partir de uma matéria já existente: a terra. Deus, pois, formou Adão, o primeiro genitor da humanidade, do pó de nosso planeta (Gn 2.7). O mesmo pode-se dizer de Eva, que, provinda do homem, possui a mesma substância deste (Gn 2.21,22). Desde a sua criação, o ser humano vem reproduzindo-se e enchendo a terra (Gn 1.28; At 17.26).
O homem foi criado com uma biforme natureza: material e espiritual (ou imaterial). A Natureza material do homem procede do pó da terra (Gn 2.7) e a espiritual foi outorgada pelo Criador. O sopro divino nas narinas do homem concedeu-lhe vida física e a espiritual. A vida física é representada pelo corpo e a vida imaterial é representada pela alma e pelo espírito. (Pr.Elienai Cabral - 1T - 2001 - Revista Cpad - Pág.42)

2 - Visibilidade e Tangibilidade.
Envolto num corpo material, o ser humano pode ser visto e tocado. Aliás, a visibilidade e a tangibilidade (aquilo que se pode tocar) foram as provas que o Senhor Jesus apresentou a Tomé como evidências de sua ressurreição física (Jo 20.27). O discípulo incrédulo só veio a convencer-se da verdade depois de ter visto e tocado as feridas do Cordeiro de Deus (Jo 20.29).
É bastante fácil para nós identificarmos o aspecto físico ou material do homem. É aquilo que vemos em outra pessoa. É aquilo que um médico examina e sobre o que um cirurgião opera. Esse corpo físico pode ser pesado, medido e analisado em laboratório. É o corpo humano. (Livro Fundamentos da Verdade - ICI - Floyd C. Woodworth - David D.Duncan - Páginas 166).

3 - Mortalidade.
Apesar de material, o corpo humano foi criado com a possibilidade de manter-se vivo para sempre. Se não fosse o pecado, Adão e Eva estariam, hoje, entre nós (Gn 2.16,17). Mas, por causa de sua desobediência, morreram; o salário do pecado é a morte (Gn 5.5; Rm 6.23). O apóstolo Paulo ensina, porém, que, quando do arrebatamento da Igreja, o que é mortal revestir-se-á da imortalidade (1 Co 15.53,54). O homem, portanto, foi criado imortal. Ou seja: com a possibilidade de viver para sempre, caso não houvesse pecado. Mas, quando recebemos a Jesus, como nosso Salvador, passamos a desfrutar, desde já, a vida eterna (Jo 3.15). Ele é Jesus Cristo, o Filho de Deus! Crer nisso depende a nossa eternidade.
O Homem foi afetado de modo abrangente pelo pecado.
a) O pecado afetou a vida física e psíquica do homem (Rm 5.12).
A morte física tornou-se, então, a consequência natural da desobediência no seu corpo, e a morte espiritual se constitui na separação de Deus. O Criador foi enfático no Éden: "Porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás" (Gn 2.17).
b) O pecado afetou sua vida espiritual.
O texto bíblico declara: "O salário do pecado é a morte" (Rm 6.23). A morte, para Adão, naquele dia do seu pecado não foi uma cessação imediata de sua vida física, mas iniciou-se, sem dúvida, a deterioração dessa vida física. A morte, teve, também, uma afetação espiritual, porque implicou no rompimento da comunhão imediata e plena com Criador. Isto causou-lhe "morte espiritual".
c) O pecado de Adão nos fez herdar sua corrupção moral (Rm 5.12).
O texto diz que "a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram". Essa herança do pecado foi impregnada na natureza humana a partir de então. 


III - Alma, O Nosso Elo com o Mundo Exterior. 
Só viremos a entender claramente a nossa natureza espiritual, se aceitarmos esta proposição: espírito e alma são inseparáveis. A partir daí, veremos a alma como a janela, através da qual acessamos o mundo exterior. Nesse sentido, a morte física é a separação entre a alma e o corpo.

1 - Alma e Espírito são Inseparáveis.
Em nosso ser, alma e espírito acham-se tão unidos, que somente a Palavra de Deus pode alcançar-lhes a junção (Hb 4.12). Conforme veremos, a alma e o espírito formam a nossa substância imaterial. E cada um deles tem uma função específica em nosso ser.
Polêmica à vista: Tricotomia ou Dicotomia ?
Se é fácil identificar o aspecto material, é muito difícil descrever as dimensões imateriais (não físicas) do ser humano. Por exemplo, a Bíblia refere-se à alma e ao espírito do homem, em 1 Tessalonicenses 5.23, juntamente com o corpo físico, constituindo assim a pessoa total (Tricotomia: Corpo, Alma e Espírito). Entretanto, em Mateus 10.28, a alma aparece representar todo o nosso aspecto imaterial (Dicotomia: Corpo e Alma. No entendimento que Alma e Espírito são sinônimos). 
Somos seres constituídos de três partes (Tricotomia) ou de dua partes (Dicotomia) ? A alma e o espírito são coisas diferentes, ou são uma mesma coisa ?
Há muita polêmica se a alma e o espírito são dois aspectos separados que compõem o ser humano total, ou se eles são apenas dois nomes para a mesma coisa. A Bíblia não nos oferece uma solução nítida. Não nos esqueçamos disso, enquanto examinamos, com maiores detalhes, os elementos não-físicos de nossos ser. (Livro Fundamentos da Verdade - ICI - Floyd C. Woodworth - David D.Duncan - Páginas 167).
Estimado professor qual deve ser nossa posição sobre defender a Tricotomia ou Dicotomia ? Segue link abaixo, com o texto do Pr. Claudionor de Andrade, não deixe de ler.

2 - A Alma é a Janela para o Mundo Exterior.
Através da alma, o ser humano se expressa e tem acesso ao mundo que o cerca. Para que isso seja possível, a alma serve-se dos órgãos sensitivos (Lc 11.34). E, por intermédio destes, o homem carnal deixa-se atrair pelas concupiscências da carne e dos olhos (Tg 1.13,14; 1 Jo 2.16). Por isso, o Senhor decreta: "A alma que pecar, essa morrerá" (Ez 18.4). O pecado começa na alma e contamina o espírito e o corpo. Por isso o apóstolo recomenda a completa santificação de nosso ser (1Ts 5.23).

3 - A Separação da Alma e do Corpo gera a Morte.
A morte ocorre quando a alma separa-se do corpo. É o que nos mostra a narrativa da morte de Raquel, a esposa amada de Jacó (Gn 35.18). Saindo-lhe a alma, ela morreu. Quando isso ocorre, a alma dos justos é recolhida ao lugar de descanso, ao passo que a dos ímpios é aprisionada no inferno (Lc 16.20-31). Observe, pois, que a alma (juntamente com o espírito) permanece consciente até a ressurreição do corpo. Enfatizamos que a alma e o espírito são inseparáveis; são um único elemento de nossa imaterialidade.


IV - O Espírito e o Nosso Contato com Deus. 
O espírito humano, por ser o elo entre o corpo e Deus, é a sede de nossa comunhão com o Pai Celeste. Na Bíblia, espírito e alma são tomados, às vezes, como sinônimos.

1 - O que é Espírito.
Em termos simples, o espírito compõe, juntamente com a alma, a parte imaterial do ser humano. Embora distintos um do outro, não podem separar-se; somente a Palavra de Deus, como já vimos, é capaz de alcançar a divisão entre ambos "Porque a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração" (Hb 4.12). Em virtude de suas faculdades, o espírito humano atua como a sede de nossas afeições espirituais (Sl 77.3,6).
Em Hb 4.12, a parte corpórea é aqui mencionada como que incluindo as juntas e medulas - órgãos de movimento e sensação. Quando o sacerdote usa a espada para cortar e dissecar completamente o sacrifício, nada no interior pode ficar escondido. Cada junta e medula é separada. Da mesma forma o Senhor Jesus usa a Palavra de Deus em Seu povo para separar completamente, para penetrar até a divisão do que é espiritual, da alma e do físico. Visto que alma e espírito podem ser divididos, conclui-se que eles devem ser diferentes em natureza. Aqui é evidente, portanto, que o homem é um composto de três partes: Corpo, Alma e Espírito. (Apostila Antropologia - Universidade da Bíblia - pág. 54)

2 - O Elo entre o nosso Corpo e Deus.
É por meio de nosso espírito que nos comunicamos com Deus (Ap 1.10). Foi em seu espírito, portanto, que João recebeu a revelação do Apocalipse. Paulo, no serviço missionário, estava, no espírito, em comunhão com Deus e com os irmãos (1 Co 5.4).
Embora Deus seja Espírito, o nosso espírito humano pode interagir com o Seu divino Espírito; porquanto nós, como Deus, somos seres pessoais. Temos a possibilidade de manter comunhão com Ele, através de um relacionamento pessoal; e também temos a capacidade, tal como Ele, de desfrutar de companheirismo com outros seres.(Livro Fundamentos da Verdade - ICI - Floyd C. Woodworth - David D.Duncan - Páginas 163).

3 - A Sede de nosso Corpo e Deus.
Através de nosso espírito, temos experiências e encontros com Deus (Sl 143.4,7). Eis a experiência do profeta (Is 26.9). Portanto, a verdadeira alegria divina manifesta-se, em primeiro lugar, em nosso espírito, pois é neste que todo o nosso ser consagra-se ao serviço divino (Sl 51.12; Rm 1.9). 0 nosso espírito tanto fala em mistérios quanto ora (1 Co 14.2,14,16).
O espírito também pode abrigar o orgulho e a soberba (Pv 16.18). Por isso,  quando o ímpio falece, o seu espírito (e também a alma, porquanto ambos são inseparáveis) é aprisionado até o julgamento final (1 Pe 3.19).
É imperativo que um crente

                  Conclusão
homem é um ser tanto físico quanto espiritual. Por essa razão, Deus requer nossa completa e uniforme santificação (1 Ts 5.23). Temos de ser santos no corpo, na alma e no espírito.
Jesus morreu e ressuscitou, a fim de que sejamos santos em todo o nosso ser. E, quando do arrebatamento da Igreja, apesar de nossas limitações, o Senhor nos revestirá da imortalidade e da incorruptibilidade.
Busquemos a santificação. Todo o nosso ser pertence a Deus. Somos o templo do Espírito Santo. Aleluia!

Para Refletir
1 - Fale a respeito da natureza de Deus.
Deus é um ser simples; possui uma única natureza. Por essa razão, Ele foi definido, pelo próprio Filho, como sendo espirito (Jo 4.24).

2 - Por que o homem é um ser composto?
Os seres humanos possuem uma natureza, que pode ser descrita como dupla: uma física (o corpo) e uma espiritual (a alma e o espírito).

3 - A alma e o espirito podem ser separados?
Discorra sobre o assunto. Em nosso ser, alma e espírito acham-se tão unidos, que somente a Palavra de Deus pode alcançar-lhes a junção (Hb 4.12). Ambos têm de ser vistos juntos; são inseparáveis.

4 - Onde fica a sede de nossas afeições a Deus?
O espírito humano, por ser o elo entre o corpo e Deus, é a sede de nossa comunhão com o Pai Celeste.

5 - Como João foi arrebatado para obter a revelação do Apocalipse?
Foi em seu espirito, portanto, que João recebeu a revelação do Apocalipse.

Fonte
Revista CPAD - Lições Bíblicas Adultos. Tema: A Raça Humana Comentarista Pr. Claudionor de Andrade, 1 Trimestre 2020.


                                                            Vídeos Pré-Aula                                                       
















                                                                                                                                                 


Estimado professor, segue abaixo alguns links com material de apoio desta lição.

Não deixe de ler esta lição maravilhosa sobre o mesmo tema
Clique Aqui - Pr. Joá Caetano - A Natureza Humana (Tricotomia ou Dicotomia)

                                                                                                                                                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário