segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Lição 3 - Igreja, o Israel Espiritual do Senhor



                                                                                                                                                 

Aula Presencial dia 19 de Janeiro de 2020

                                                                                                                                                 








                                                                                                                                                 









Clique Aqui - Visualizar e Imprimir este Subsídio ao Professor

Versículo do Dia
"Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem  no seu nome, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus" (Jo 1.11-12)


1 Pedro 2.5-9
5 - Vos também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.
6 - Por isso também na Escritura se contém:Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa;e quem nela crer não será confundido.
7 - E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes,a pedra que os edificadores reprovaram,essa foi a principal da esquina,
8 - E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo,para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.
9 - Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;


Objetivos da Lição
1 - Entender que a Igreja está debaixo dos promessas do Senhor;
2 - Compreender que Israel não está esquecida;
3 - Aprender que a igreja representa no Novo Testamento.

Introdução
[...] Israel foi a nação que Deus estabeleceu na terra para representá-lo, mas Israel por várias vezes falhou na sua missão; [...] Jesus possibilitou que outras pessoas realizassem esse papel, pessoas essas que formaram a Igreja.

1 - Amada por Deus, mas Desobedeceu à Ele
"Digo, pois: porventura rejeitou Deus o seu povo? De modo nenhum; porque também sou israelita, da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim" (Rm 11.1)

1.1 - Uma Rejeição Contínua
Nos projetos de Deus, Israel sempre esteve lá, porém, não foi Deus que os rejeitou primeiro. Este povo (Israel), por inúmeras vezes, rejeitou as ordenanças do Senhor, e, por isso, sofreram muitas vezes as consequências [...]
"O meu povo foi destruído, porque lhe faltou conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esquece das lei do teu Deus, também eu me esquecerei dos teus filhos" (Os 4.6).

O evangelho de João já havia mostrado que Jesus veio para o que era seu, mas que os seus não o receberam (Jo 1.12). Aqui Paulo mostrará que a rejeição de Israel aconteceu, não por falta de aviso, mas porque não quis ouvir aquilo que Deus havia planejado para ele. Endureceram seus corações e tropeçaram na Palavra (Rm 10.14-21). Por outro lado, os gentios responderam positivamente a essa mesma Palavra e, por isso, foram aceitos. (Lições CPAD Jovens e Adultos »  » 2016 » 2º Trim)
Estimado, segue um link abaixo muito interessante :
Clique Aqui - Pr. Marcelo Oliveira - Teria Deus Rejeitado Israel ?

1.2 - Resultado da Desobediência
A desobediência de Israel não foi um caso isolado, por várias vezes esse povo decidiu desobedecer, e não pense que Deus não deu chance a eles para que tomassem as decisões certas.
"Lembra-te, e não te esqueças, de que muito provocaste à ira ao Senhor teu Deus no deserto; desde o dia em que saístes do Egito, até que chegastes a esse lugar, rebeldes fostes contra o Senhor.", Dt 9.7
O apóstolo deixa explícito a elevada estima que possuía por seus compatriotas. Ele abre o seu coração para expressar seus sentimentos em relação ao seu povo (Rm 9.1-5). Ele desejava que todos, assim como ele, entendessem o plano perfeito da salvação revelado em Jesus Cristo. Esse desejo de Paulo se intensifica quando ele lembra os crentes romanos de que aos judeus foi dada a adoção, a glória, os pactos, a Lei, o culto e as promessas. Paulo também os faz recordar que deles (dos judeus) também descendem os patriarcas e o próprio Cristo! Mas, apesar de todas essas bênçãos, o entendimento do povo judeu continuava, e continua, endurecido. (Lições CPAD Jovens e Adultos »  » 2016 » 2º Trim)
Olha que colocação bem feita do Pr. Anderson Farias da Igreja Batista Peniel : "Foi a constante OBEDIÊNCIA de Abraão aos mandamentos de Deus que abriu as portas das bênçãos ininterruptas e das revelações de Deus. Fé é confiança no Senhor e na Sua vontade. Obediência é a resposta voluntária à fé. É a prova da Fé. Israel foi chamado para receber as bênçãos e cumprir uma missão especial entre as nações das terra, porém, fracassou pela DESOBEDIÊNCIA."
(igrejabatistapenieloficial.agensite.com)


2 - A Igreja e as Promessas do Senhor
"Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor;E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade.", Ef 1.4-5
Prezados professores com relação à doutrina da adoção coloco abaixo alguns comentários sobre o tema, os mesmos deixam bem claro um posicionamento, evidentemente fundamentado na palavra: “A regeneração dá a pessoa à natureza de filho de Deus. A adoção dá-lhe a posição de filho”; Jo. 1.12; Rm. 8.14-17; I Jo. 3.1

Obs. Os dois comentários abaixo não divergem sobre o tema.
Comentarista: Esequias Soares da Silva(CPAD)
Adoção de filhos é uma das grandes doutrinas da fé cristã. Ela nada tem com filiação, e sim com posição. A expressão deriva de dois termos gregos: “huios” = filho, e “thesis” = posição. A adoção quase não era usada entre os judeus. Os casos mencionados na Bíblia ocorreram fora do ambiente cultural de Israel, como o caso de Moisés (no Egito), Êx 2.10 e At 7.21. O caso de Ester (na Pérsia), Et 2.7,15. O mundo greco-romano onde foi escrito o Novo Testamento, sim, este praticava a adoção de filhos. O termo “huiothesia” é de origem romana, adotado pelos gregos. Paulo, inspirado pelo Espírito Santo o emprega cinco vezes: Rm 8.15,23; 9.4; Gl 4.5; Ef 1.5.
Em nossa cultura, adota-se quem não é filho, mas no caso da Bíblia a adoção espiritual é para quem já é filho de Deus. A Bíblia é clara: “adoção de filhos” (Rm 8.15; Gl 4.5). Deus não adota um crente como filho; este é gerado como tal, pelo Espírito Santo, na regeneração. Na adoção, recebemos a posição de filhos adultos e herdeiros, espiritualmente falando. “Adoção de filhos” não é nossa colocação na família de Deus; isto se dá no novo nascimento. Na adoção, o crente já como filho é elevado à posição de filho adulto e herdeiro da família. Na regeneração há mudança de natureza, pela filiação; na adoção, há mudança de posição.
Lembremo-nos: Deus só adota a quem já é seu filho!
A nossa adoção de filhos de Deus tem ainda um aspecto a cumprir-se no futuro: Rm 8.23 — é a nossa ressurreição ou transformação do nosso corpo, quando então seremos conformados com Jesus Cristo (1Jo 3.2).
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 1998 » 2º Trim)

Comentarista: Claudionor Corrêa de Andrade(CPAD)
Antes de aceitarmos a Cristo, éramos apenas criaturas; agora, co-herdeiros de Cristo Jesus com pleno acesso a todas as bênçãos que, nEle, reservou-nos o Pai Celeste (Ef 1.13; 1 Co 3.21). A adoção, portanto, é uma das mais belas e confortadoras doutrinas da Bíblia.
1. Definição etimológica. A palavra adoçãoconsiderada literalmente, significa colocar na posição de filho.
2. Definição teológica. No Novo Testamento, o vocábulo descreve o ato pelo qual Deus recebe, como filho, alguém que, legal e espiritualmente, não desfruta do direito de tê-lo como Pai. A partir desse momento, passa esse alguém, mediante o sacrifício de Cristo no Calvário, a desfrutar de todos os privilégios que Deus preparou àqueles que aceitam a Cristo como único e suficiente Salvador. O termo adoção encontra-se apenas nas epístolas paulinas (Rm 8.15,23; 9.4; Gl 4.5; Ef 1.5).
3. Os privilégios da adoção. Adotado por Deus, o crente é considerado como filho do Pai Celeste (1 Jo 3.2); como irmão de Jesus (Hb 2.11); como herdeiro dos céus (Rm 8.17). De igual modo, é libertado do medo (Rm 8.15) e desfruta de segurança e certeza de vida eterna (Gl 4.5,6). (Lições CPAD Jovens e Adultos »  » 2006 » 4º Trim)
não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.(Rm 8:15-16)

COMENTÁRIO BÍBLIA DE ESTUDO CRONOLÓGICA - CPAD
Ao dizer que Deus "nos elegeu", Paulo enfatizou que a salvação depende totalmente de Deus. Nós não somos salvos porque merecemos, mas porque Deus é misericordioso e nos dá a salvação gratuitamente. Nós não influenciamos a decisão de Deus de nos salvar; Ele nos salvou de acordo com seu plano. Deste modo, não há nenhuma maneira de recebermos qualquer crédito por nossa salvação ou de damos espaço ao orgulho. O mistério da salvação se originou na mente eterna de Deus muito antes de nós existirmos. É difícil entender como Deus poderia nos aceitar. Mas por causa de Cristo, somos santos e irrepreensíveis diante de seus olhos. Deus nos escolheu, e uma vez que nós pertencemos a Ele através de Jesus Cristo, Deus olha para nós como se nunca tivéssemos pecado. Tudo o que podemos fazer é expressar nossa gratidão pelo seu amor maravilhoso.
Dizer que Deus "nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo" é outra maneira de dizer que a salvação é uma obra de Deus, e não nossa. No seu amor infinito, Deus nos adotou como seus próprios filhos. Através do sacrifício de Jesus, Deus nos trouxe à sua família e nos fez herdeiros juntamente com Jesus (rm 8.17). No direito romano, os filhos adotivos tinham os mesmos direitos e privilégios dos filhos biológicos, mesmo se tivessem sido escravos antes de serem adotados. Paulo usa este termo para mostrar quão forte é nosso relacionamento com Deus. Você já passou a fazer parte deste relacionamento de amor e carinho com Deus? (Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - Pág 1721) 

2.1 - Em Cristo nos tornamos filhos de Deus
Os israelitas eram a projeção do que Deus queria estabelecer sobre a terra e por algumas vezes foram chamados de filhos (2 Sm 7.14; Os 11.1), porém, rejeitaram essa titularidade diante de suas ações,[...]
"Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio.Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus.", Gl 3.25-26
Conceito bíblico e teológico.
No sentido bíblico, o ser humano caído em pecado é uma criatura e não filho de Deus. Para se tornar filho de Deus é preciso crer no sacrifício vicário de Cristo para então ser recebido pelo Pai como filho por adoção (Jo 1.12; Gl 4.5). Assim, é possível fazer parte da família de Deus, desfrutando de uma relação terna e amorosa cuja expressão mais peculiar para descrevê-la é Aba (paizinho), Pai (Gl 4.6). É um privilégio ser membro de uma família em que todos passam a chamar e a considerar uns aos outros, irmãos em Cristo (1 Ts 2.14). Toda essa bênção só é possível porque fomos feitos "filhos de adoção por Jesus Cristo" (Ef 1.5).
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2017 » 4º Trim.)
Servir de aio (Gl 3.24,25). O aio, ou paidagōgos, “tutor”, não era mestre, mas o guia e guardião que disciplinava a criança. No mundo romano, um escravo de confiança da família era encarregado de tomar conta do menino entre 6 e 16 anos; levá-lo à escola e trazê-lo de volta para casa, supervisionando sua conduta. Semelhantemente, a lei exercia apenas um papel disciplinar, servindo de aio para conduzir-nos a Cristo. Isso mostra a sua inferioridade em relação ao evangelho. Sua função terminou com a vinda do Messias (3.25). Agora, somos livres da lei, mas dependentes da graça de Deus.
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2006 » 2º Trim.)

"Assim que já não és mais servo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro de Deus por Cristo.", Gl 4.7

COMENTÁRIO BÍBLIA DE ESTUDO CRONOLÓGICA - CPAD
Segundo a lei romana, um filho adotivo tinha todos os direitos legais às propriedades de seu pai, mesmo que, anteriormente, tivesse sido um escravo. Ele não era um filho de segunda classe; ele era igual a todos os outros filhos biológicos ou adotivos na família de seu pai. Como filhos adotivos de Deus, nós temos, como Jesus, todos os direitos aos recursos de Deus. Como herdeiros de Deus, podemos reivindicar o que Ele nos deu, nossa plena identidade como seus filhos. (Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - Pág.1576) 

2.2 - Herdeiros de Deus
condição de filhos automaticamente nos leva a condição de herdeiros, isso significa que aquele que em Cristo deposita sua fé tem como garantia as heranças prometidas pelo Pai, sem exceção.
"E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.", Rm 8.17
Herdeiros da promessa.

O Espírito Santo testifica ao nosso coração que somos filhos de Deus (Rm 8.16). Somos filhos porque fomos adotados pelo Pai, passamos a fazer parte de sua família e a desfrutar do privilégio de sermos os seus herdeiros (Tt 3.7; Rm 8.17). Por meio da adoção divina, deixamos de ser escravos, sem herança nem direito, para nos tornarmos filhos portadores de todos os privilégios da casa do Pai (Gl 4.7). Logo, temos uma herança incorruptível, incontaminável e imarcescível que está reservada nos céus para nós (1 Pe 1.4). (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2017 » 4º Trim.)


3 - Os olhos do Senhor 
O Senhor sempre estará atento e zelando pela integridade de seus filhos [...]

3.1 - O Deus Zeloso
Muitas vezes a igreja de Cristo adoece por não colocar seus anseios aos cuidados do Senhor, [...]
Deus cuida do seu povo (Êx 16.4; Dt 29.5). O Senhor não mudou, Ele cuidou do seu povo na travessia pelo deserto e também cuida de nós em todo o tempo (Hb 13.5). Confie no Senhor e não murmure como fez o povo no deserto, pois o Pai cuida de nossa provisão. Em o Novo Testamento, Paulo faz uma séria recomendação, a fim de que não venhamos nunca a seguir o exemplo de Israel: “E não murmureis, como também alguns deles murmuraram e pereceram pelo destruidor” (1Co 10.10). Murmurar é falar mal de alguém ou algo. A murmuração é um grave pecado contra Deus (Fp 2.14).
Sejam vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei.(Hb13:5)

7 Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.(1Pe 5.7)

3.2- A Igreja de Cristo

Hoje a igreja vive a promessa de ser vista pelos olhos do Senhor, isso significa que Ele vê as nossas ações com justiça e nos abençoa diante das circunstâncias.
"Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos às suas orações, mas o rosto do Senhor é contra aqueles que fazem males." (1 Pe 3.12).
Estamos vivendo tempos de crise! A Palavra de Deus relata várias vezes que esses tempos não seriam uma novidade para a Igreja de Cristo: “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos” (2Tm 3.1). Seriam tempos marcados pela avareza dos homens, presunção, soberba, blasfêmia, ingratidão, profanação, desobediência aos pais, calúnia, traição, obstinação. Um tempo onde o ser humano olhará mais para si mesmo do que para o outro. Entretanto, nas palavras de Jesus, que é espírito e vida, há uma exortação para nós: “Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (Jo 16.33).
Em Cristo somos convidados a ter paz em meio à “guerra” e às demais lutas enfrentadas em nosso dia a dia. Por quê? Ora, as Escrituras Sagradas nos apresentam um Deus onisciente, isto é, que sabe de todas as coisas, que não é pego de surpresa e que em tudo conhece a nossa fragilidade e limitação.
As Escrituras também nos mostram um Deus pessoal, que apesar de ser onipotente, transcendente, soberano e todo-poderoso, se aproxima do seu povo, pois “eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem seu ouvido agravado, para não poder ouvir” (Is 59.1).
A lição do presente trimestre traz uma proposta para o povo de Deus refletir a respeito de um Deus que provê. Aqui há uma excelente oportunidade de nos reencontrarmos com um tema sempre presente ao longo da teologia prática da igreja pentecostal. Nossa mensagem sempre proclamou a intervenção de Deus na história.

(SUBSÍDIOS ENSINADOR CRISTÃO,CPAD)

Conclusão
Hoje a Igreja tem função de representar o Senhor, e fazer com que os povos conheçam o Evangelho de Cristo. Assim como Israel foi muito importante para representar a vontade de Deus na antiguidade, hoje, a Igreja tem a missão de ser sal da Terra e luz do mundo, levando o Evangelho a todos, anunciando a Salvação por intermédio de Cristo.

Fonte
Revista BETEL - Conectar +. Tema: Somos o Israel de Deus, 1 Trimestre 2020

                                                                                                                                                 


Estimado professor, segue abaixo alguns links como material de apoio desta lição. 




Por quê Deus Escolheu Israel ?
Mario Persona


Debate : A Igreja é o Israel de Deus ?
Programa Vejam só

                                                                                                                                                 

2 comentários:

  1. A Paz do Senhor, Amados!
    Quando estará disponível a lição 4 - Orientações Bíblicas sobre a Intimidade do casal?

    ResponderExcluir