domingo, 5 de janeiro de 2020

Lição 2 - Família: Princípios e Valores



                                                                                                                                                 

Aula Presencial dia 12 de Janeiro de 2020

                                                                                                                                                 









                                                                                                                                                 

Hinos Sugeridos da Harpa Cristã
150 - Para Casamentos

193 - A Alma Abatida

198 - Jesus, O Bom Amigo





                                                                                                                                                 








Clique Aqui - Visualizar e Imprimir este Subsídio ao Professor

Texto Áureo
"Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela" (Salmos 127.1)
Em toda parte há crentes que moram em cidades violentas ou ameaçadas por catástrofes. "As famílias constroem suas casas e as sentinelas guardam as cidades, mas ambas as atividades são inúteis se o Senhor não estiver presente" (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal).

Verdade Aplicada
O primeiro ato divino após criar a família foi abençoá-la. Além disso, Ele também estabeleceu princípios e valores para protegê-la e fortalecê-la.

Objetivos da Lição
Ensinar acerca dos fundamentos que edificam a família;
- Apresentar os princípios divinos para o matrimônio;
- Mostrar os valores que devem ser agregados ao matrimônio.

Motivo de Oração
Ore por um Avivamento nas famílias, através do exercício da Palavra de Deus.


Lucas 14.28-31
28 - Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?
29 - Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele,
30 - dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar.
31 - Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil?


Introdução
Em um tempo de tanta pluralidade e desconstruções, é fundamental permanecermos nos princípios e valores expostos na Palavra de Deus, que devem nortear a construção e preservação da família, por ser instituição divina. 

1 - Casa Alicerçada na Rocha
Toda construção começa no alicerce e continua pela estrutura, logo virá o teto e por último o acabamento. Para construir um matrimônio forte, devemos pensar e trabalhar nestas coisas a partir da Palavra de Deus.
"Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha." (Mt 7.24).
Obs.  - “dois tipos de alicerce: rocha e areia”, está mal colocado, parece estar dizendo que o alicerce é feito de rocha, o texto bíblico não fala de alicerce e sim de edificar sobre a rocha ou areia, então fica melhor dizer: alicerce sobre a rocha ou alicerce sobre areia. (Lições CENTRAL GOSPEL » 2012 » 4º Trim)        

1.1 - Uma Casa se Edifica na Rocha
A rocha é a base estável para a construção de uma casa. 
A parábola dos dois alicerces enfatiza duas atitudes: prudência e insensatez (Mateus 7.24-27). Faz-nos lembrar da relevância de sermos cuidados e sábios ao iniciarmos a formação de uma família.
"Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha." (Mt 7.24)
"E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha." (Mt 7.25)
Estar preparado para o dia da angústia
- “aquela casa”, aqui é uma comparação com a nossa casa espiritual, aquilo que construímos na obra de Deus.
- “angústias dessa vida”, você pode classificar algumas angústias que tentam destruir nossa casa espiritual: perseguições no trabalho, em casa, na igreja, perda de apoio, perda de um ente querido, falta de compreensão e muitas outras angústias a que estamos sujeitos.
- “solidez da Rocha”, é como construir a sua casa espiritual sobre a Rocha que é Jesus sendo o alicerce as verdades da Palavra de Deus.
(Lições BETEL Jovens e Adultos » 2013 » 2º Trim)
Obs. Comente o que Deus determinou as famílias de Israel quanto à promessa de um lar feliz
Deuteronômio 11
18 - Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma, e atai-as por sinal na vossa mão, para que estejam por testeiras entre os vossos olhos,
19 - e ensinai-as a vossos filhos, falando delas assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te;
20 - e escreve-as nos umbrais de tua casa e nas tuas portas,

21 - para que se multipliquem os vossos dias e os dias de vossos filhos na terra que o SENHOR jurou a vossos pais dar-lhes, como os dias dos céus sobre a terra.

1.2 - Uma Casa Edificada na areia
A areia é considerada um fundamento instável. A areia lembra uma vida carnal, sem princípios divinos, onde imperam apenas os desejos, os pensamentos e a vontade da carne "Porque o que semeia  na sua carne da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito do Espírito ceifará a vida eterna" (Gl 6.8). 
O resultado de uma vida sem princípios é a ruína. Jesus chamou de insensatos aqueles que apenas ouviam, mas não praticavam Seus ensinamentos. Não disse apenas que a casa caiu, mas que foi grande a sua queda [Mt 7.27]. O fundamento de toda família saudável é Cristo.
"E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; Mt 7.26 

Todos que conhecem os mandamentos de Jesus na Sua Palavra e não os pratica é o insensato dessa história e sua casa está prestes a cair.

1.3 - Uma Casa Edificada pelo Senhor
Uma reconstrução é muito mais difícil que uma construção. Por essa razão, o Senhor Jesus Cristo nos instrui a fazer os cálculos daquilo que iremos construir, para que, pondo os alicerces, não deixemos a obra inacabada e sejamos escarnecidos. O Senhor deve ser o edificador de nossas casas para que não trabalhemos em vão "Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela" (Sl 127.1). As muitas dificuldades vivenciadas por algumas famílias são resultados de atitudes tomadas no passado sem procurar saber a vontade do Senhor. Uma casa não se edifica apenas com boa vontade, é necessário planejamento  (Lc 14.28-30)
O que devemos evitar:
Planos meramente humanos (Tg 4.13). É comum algumas vezes falarmos “daqui tantos anos vou fazer isso”, “em 2020 eu farei aquilo”, etc. É verdade que precisamos planejar a vida. Entretanto, todo planejamento deve ser feito com a sabedoria do alto. Isto é uma dádiva de Deus. Todavia, infelizmente nos acostumamos à mera rotina e tendemos a planejarmos o futuro sem ao menos nos lembrarmos de que Deus, o autor da vida, tem de ser consultado, pois tudo o que temos é fruto da sua bondade e misericórdia.
(Lições CPAD Jovens e Adultos »  2014 » 3º Trim)
Planejamento é indispensável, disse Jesus:
28Porquanto, qual de vós, desejando construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o custo do empreendimento, e avalia se tem os recursos necessários para edificá-la?

29Para não acontecer que, havendo providenciado os alicerces, mas não podendo concluir a obra, todas as pessoas que a contemplarem inacabada zombem dele, …(Lc 14.28-29)


2 - Princípios Divinos para o Matrimônio
Princípios são regras que orientam a ação de um ser humano em todas as áreas da vida. 

2.1 - O Princípio do Novo Relacionamento
Ao compreender que aquela companheira dada por Deus era carne de sua carne e osso dos seus ossos, Adão revela o princípio mais importante do matrimônio: o "deixar".
"E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada. Portanto, deixará o varão o pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne." (Gn 2.23-24)
A expressão "portanto deixará", enfatiza a importância de que um casal se separe de seu núcleo familiar primário para dar início a um novo lar e uma nova família. O termo "deixar" não se refere a romper os laços familiares. Refere-se a uma mudança necessária para assumir a responsabilidade de construir e edificar um nova família a partir de suas próprias experiências (Lc 6.48). A ordem divina tem um propósito poderoso: desligar o casal da influência e das interferências (Ef 5.31).

deixará o varão o seu pai e a sua mãe”, essa ordenação é parte da instituição do casamento e de fato muitos casamentos onde não se respeita essa premissa acabam sofrendo e outros chegam a se dissivolverem. (Lições CPAD Jovens e Adultos »  2015 » 4º Trim)

2.2 - O Princípio da Unidade
O princípio da unidade se deriva do verbo "unir", que significa: juntar dois elementos que estavam separados, mas que agora permanecerão unidos por um vínculo não somente físico, mas essencialmente espiritual [Ef 5.31]. Como comentou o pastor e escritor Timothy Keller, a expressão "apegar-se-a", conforme podemos ler em Gênesis 2.24, "expressa a força do verbo hebraico. É um termo que significa, literalmente, ser colado a algo". Portanto, não se trata de um união superficial ou que possa ser desfeita sem prejuízos. Descuidar nesse quesito é abrir a porta para grandes problemas [Mt.19.6].

 “Havia um aspecto da criação de Deus que não estava totalmente satisfatório. O fato de o homem ainda estar só (18) não era bom. O isolamento é prejudicial. Por dedução, a relação social, ou seja, o companheirismo, é bom. Por conseguinte, Deus determinou fornecer ao homem uma adjutora que esteja como diante dele, literalmente, uma ajudante que lhe correspondesse, alguém que fosse igual e adequada para ele. ‘Uma ajudante certa que o complete’ (VBB). A Bíblia Confraternidade traduz: ‘Uma ajudante como ele mesmo’. [...] De imediato, Adão (23) viu a conveniência desta ajudante. Ela era parte íntima dele, osso dos meus ossos e carne da minha carne e, desta forma, adequada para ele. Mas ele também demonstrou sua posição de autoridade ao lhe dar um nome. Com efeito, esta foi a instituição da relação matrimonial. Desde o princípio, Deus quis que o casamento fosse exclusivo e íntimo. Não era simplesmente para a mulher agarrar-se ao homem como um apêndice. Para deixar clara a responsabilidade do homem, Deus ordenou que o homem se apegasse à sua mulher (24) no compromisso mútuo de verdadeira união” (Comentário Bíblico Beacon: Gênesis a Deuteronômio. Rio de Janeiro: CPAD, pp.38,39).

2.3 - O Princípio da Permanência
O Senhor Deus criou o casamento para ser uma união permanente [Mt 19.6]. Infelizmente, o pecado causou muitos estragos na vida das pessoas e estas, ao unirem-se em matrimônio, levam consigo conceitos totalmente avessos acerca dele.
“Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de prostituição, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério” (Mt 19.9).
A fim de proporcionar uma vida conjugal abundante, o Criador planejou uma união histórica, indissolúvel e permanente (Gn 2.24). O matrimônio entre homem e mulher seria para sempre! Tristemente, o pecado ruiu o princípio divino da continuidade do casamento, trazendo o divórcio e separando famílias. O plano de Deus, entretanto, ainda pode ser encontrado nas palavras de Jesus: “o que Deus ajuntou não separe o homem” (Mt 19.6).
A porta de entrada para o divórcio.
Há situações em que a falta de união e de amor no casamento, talvez motivados pela desobediência a Deus, pelo orgulho e pela falta de perdão, fazem a convivência do casal tornar-se uma grande fachada. Por conveniência, o casal apresenta-se à sociedade ou à igreja local numa aparente alegria matrimonial, mas na intimidade, a união tornou-se insuportável. É necessário que a Igreja esteja pronta para auxiliar os casais que passam por crises conjugais, e motivá-los sempre a permanecerem unidos em um amor não fingido, mas solidificado e resistente às contrariedades que possam existir no dia a dia. (Lições CPAD Jovens e Adultos »  2013 » 2º Trim)

Professor, embora o texto abaixo é bem extenso, todavia achei interessante e ele está contextualizado com o tópico:
O DIVÓRCIO 
O divórcio é a dissolução do casamento. No direito brasileiro, é a oficialização do término de um compromisso conjugal e a oportunidade de se contrair novas núpcias.
Para Deus, o divórcio é um ato nocivo, condenado em diversos textos da Bíblia devido ao seu grande prejuízo para a instituição familiar.
O parecer de Jesus quanto ao divórcio — Em certa ocasião, Jesus se deparou com a questão do divórcio quando foi questionado por seus opositores. Isso porque nos anos finais do Antigo Testamento não era incomum os homens de Israel abandonarem suas esposas para contraírem um novo casamento com mulheres mais novas de outras nações: Deus usa o profeta Malaquias para condenar a atitude dos israelitas: “Além disso, ainda cobris o altar do Senhor com lágrimas, choro e gemidos, porque ele não olha mais para as ofertas, nem as aceita da vossa mão com prazer. Mesmo assim, perguntais: por quê? Porque o Senhor tem sido testemunha entre ti e a esposa que tendes desde a juventude, para com a qual foste infiel, embora ela fosse tua companheira e a mulher da tua aliança matrimonial... Pois eu odeio o divórcio e também odeio aquele que se veste de violência” (Ml 2.13,14,16). Se analisarmos o texto, teremos duas observações a fazer: primeiro, que não adianta a pessoa se derramar diante do altar do Senhor e ofertar de forma abundante se não for fiel à companheira de sua mocidade (uma referência ao casamento feito na juventude e desprezado após os anos de convivência); e segundo, aos olhos de Deus, o divórcio e a violência são como se fossem a mesma coisa. Divórcio e violência são usados no mesmo verso, como se demonstrasse que o divórcio é uma verdadeira violência para com Deus e a família.

Retornemos para Jesus, quando questionado no tocante à licitude do divórcio. Jesus só entendeu ser tolerável o divórcio em caso de infidelidade conjugal, e isso porque os israelitas tinham um coração duro. E quando os fariseus citaram a pessoa de Moisés, querendo dizer que a Lei deveria ser “respeitada”, Jesus retornou ao princípio da criação, ou seja, séculos antes da Lei, quando Deus criou o homem e a mulher e fez dos dois “uma só carne” no casamento. Os fariseus queriam colocar Jesus contra a Lei, mas se esqueceram de analisar o que Deus havia proposto antes de a Lei de Moisés ser apresentada ao povo de Israel. E foi esse lembrete que Jesus fez, a fim de que o divórcio não fosse uma prática comum entre o povo de Deus, mas, sim, uma exceção entre os santos. (SUBSÍDIOS ENSINADOR CRISTÃO, CPAD)


3 - Agregando Valores ao Matrimônio
Para que o matrimônio tenha a forma de uma união abençoada por Deus, é necessário que ele seja acrescido de valores. Um matrimônio fraco e propenso a deteriorar-se, porque não tem forma [Sl 127; 128; Ef 5.22,25,28].

3.1 - O Temor a Deus
O temor a Deus significa "reverência, respeito ou honra, tratando-se de um profundo e reverente sentimento de responsabilidade perante Deus ou Cristo". Indica a plena consciência de quem é Deus e de quem somos nós. Portanto, se somos discípulos de Jesus Cristo, esta consciência abrange, também, o contexto matrimonial e toda a família. Desse modo, o temor a Deus deve ser acompanhado da procura em conhecer a Sua vontade e da prática da mesma. É bastante significativa a mensagem do Salmo 128, pois o primeiro aspecto destacado no Salmo é "teme ao Senhor", depois vem trabalho, casa, mulher e filhos.
1 Bem-aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos.
2 Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem.
3 A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa.
4 Eis que assim será abençoado o homem que teme ao Senhor.

Salmos 128:1-4
 O grande paradoxo. Viver para Deus é uma grande aventura e presume que tudo, no fim da vida, sairá bem (Sl 128.1,2). Essa é a regra, mas existem tristes exceções. Há pessoas que servem a Deus, mas não conseguem conduzir suas famílias pelo caminho do Senhor. Daí vem o grande paradoxo: é possível alguém ser segundo o coração de Deus, mas produzir uma família fracassada em todos os sentidos. Os pais, muitas vezes, detêm posição de destaque, mas se esquecem de ensinar aos filhos no caminho em que devem andar (Pv 22.6). O fim é sempre trágico. A família de um homem é o seu maior patrimônio. Perguntaram certa vez a um famoso pregador do Século XX, qual tinha sido o maior pregador de todos os tempos, ao que ele respondeu que era o patriarca Noé, pois ele havia conseguido salvar sua própria família. Essa é uma das grandes contradições da vida: ganhar a Cristo, mas perder sua família. Essa perda deve ser evitada a qualquer custo. Todo esforço, no fim, valerá a pena! (Lições CPAD Jovens »  2016 » 2º Trim)

3.2- O Amor e o Respeito Mútuo
O amor como valor é a inspiração total de cada ato para o bem da pessoa amada. É uma forte inclinação emocional para uma pessoa. É a força mais poderosa que podemos ter para nos impelir a desejar e fazer o bem para a pessoa amada [Rm 13.10; 1Jo 4.16]. Em relação ao casal, esse valor deve ser cultivado e protegido como muito cuidado. Por amor, marido e mulher compreendem que são responsáveis pela felicidade um do outro, e entendem que devem fazer todo o possível para produzir a felicidade que o parceiro deseja e espera.
Segundo o Pr. Elinaldo Renovato, o casamento cristão tem de ser edificado tendo como base o amor a Deus e ao próximo. Sem amor não há casamento feliz.
O AMOR VERDADEIRO NO CASAMENTO
O dever primordial do casal.
O marido que não ama a própria esposa não pode dizer que obedece a Palavra de Deus. Ao contrário, ele peca por desobediência, pois amar é uma ordem divina. A Bíblia recomenda solenemente: “vós, maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela” (Ef 5.25). O amor à esposa, ordenado pelas Escrituras, deve ser o mais elevado possível. É semelhante ao amor de Cristo pela Igreja: “Como também Cristo amou a Igreja”. Perceba que o termo “como” é um advérbio de modo. Por conseguinte, o amor do esposo pela esposa deve ser como o amor de Cristo por sua Igreja. É um amor sublime e sem igual.
O amor gera união plena.

A união é o resultado do amor sincero. Logo, o esposo deve estar unido à esposa de modo a formar uma unidade, ou seja, “dois numa [só] carne” (Ef 5.31). Por isso, o apóstolo Paulo ensina: “O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher, ao marido” (1 Co 7.3). Isto quer dizer igualdade e reciprocidade no casamento; marido e mulher são iguais nos haveres de um para com o outro. Isso exige do casal união de pensamentos, de sentimentos e de propósitos. (Lições CPAD Jovens e  »  2013 » 2º Trim)

3.3 - O Exercício do Perdão.
O casal se sairá muito bem aprendendo a perdoar. Todos os problemas podem ser superados com a ajuda de Deus e a disposição para perdoar. O casal que não aprende a perdoar se expõe a que o ressentimento e rancor destrua toda a beleza que eles pensavam em viver como casal e em comprometer-se [Ef 4.32; Cl 3.13]. É importante destacar aqui algumas considerações sobre o perdão mencionadas em um artigo de revista "Construindo a Espiritualidade Cristã": 
1) O perdão é uma questão de obediência; 
2) O perdão é uma forma de ver o ofensor como instrumento de Deus em sua vida; 
3) O perdão é uma decisão de não "desenterrar" mais ofensas.

Perdão. Na vida, sempre haverá conflitos entre os familiares. Uma família vitoriosa tem, sempre consigo, a capacidade de perdoar os de dentro e os de fora. Está escrito que, se não perdoarmos, seremos vencidos por Satanás (2Co 2.10). Ismael e Isaque, Jacó e Esaú, José e seus irmãos, todos se desentenderam fortemente, mas no fim houve perdão recíproco. O perdão fechou as brechas de acesso do mal e forneceu às famílias patriarcais a possibilidade de cumprirem sua missão como ascendentes do Redentor. (Lições CPAD Jovens »  2016 » 2º Trim)

Conclusão
Segundo Jaime kemp, deus idealizou a família para proporcionar ao homem e à mulher amor incondicional, suprir as necessidades físicas e emocionais de cada um de seus sentimentos, suavizar a solidão e fornecer refúgio certo e seguro contra os turbulentos ataques do mundo.

Fonte
Revista BETEL - Lições Bíblicas Adultos. Tema: A Família Natural Segundo os Valores e Princípios Cristãos. Comentarista Bispo Abner Ferreira, 1 Trimestre 2020 - Ano 20 - nro. 114.

                                                            Vídeos Pré-Aula                                                       

    
   






                                                                                                                                                 


Estimado professor, segue abaixo alguns links como material de apoio desta lição.

Estimados Professores, para esta aula indico a leitura da lição do link abaixo escrita pelo Pr. Antonio Gilberto, vale a pena !
Clique Aqui - Lição CPAD - 2T - 2004 - A Família Obra Prima de Deus


                                                                                                                                                 

11 comentários:

  1. Paz do Senhor

    Porque tiraram a opção Clic para Imprimir???

    ResponderExcluir
  2. Muito rico, seus,comentários, parabéns, professor, obrigado por seu auxílio..

    ResponderExcluir
  3. Familia é à junção de seres humanos (pais, mães e filhos) com personalidades diferentes, que em Deus (A base principal) descobrirão diante dos desafios que enfrentarão para manterem-se unidos, através da prática do amor; do perdão, do companheirismo mútuo, da amizade, e produzindo entre si sentimentos sinceros, para o cuidado e permanência desta instituição divina, diante de um mundo que está à desconsiderando-a, e banalizando-a está instituição, sendo que Deus deixou como exemplo; o amor e cuidado entre Cristo e a sua igreja, digo mais, estes valores acima citado em resumo, trará como influência extensiva na sociedade, uma cidadania celeste na terra, dando autoridade para verdadeira família formada por Deus, a oportunidade de não só honrar a Deus, como também ser brindada das influências que querem mancha-la por leis deturpadas, e mentes corrompidas pelo pecado, digo para terminar, não basta só ter amor e viver à promiscuidade, sem se preocuoar com o destino das almas, porque o amor se senti, o amor se vive, o amor se cresce, e o amor se santifica. Oh! Glória!

    ResponderExcluir
  4. o link do questionario complementar esta errado, ele é muito ultil há com atualizar

    ResponderExcluir
  5. Muito boa a revista que Deus abençoe a todos

    ResponderExcluir
  6. Eu estou apaixona por esta revista, eu estou estudando todos os dias e acada vez que leio, eu aprendo algo novo
    Nos estávamos precisando de aprofunda mais nos ensinamentos para família, pois a cada dia nos vemos o inimigo tentando perverte a família que e a base deste mundo onde encoramos segurança para continuar e vencer qualquer dificuldade.
    parabém para o escritor desta revista e nosso comentarista

    ResponderExcluir
  7. Quero aproveitar esta oportunidade para agradecer muito a um grande lançador de feitiços chamado Dr.Azaka, que trouxe de volta minha felicidade, trazendo de volta meu ex-amante depois de muitos meses de separação e solidão. Com isso estou convencido de que você é enviado a esta palavra para resgatar pessoas de desgostos e também a solução para todos os problemas de relacionamento. para aqueles que têm um problema de relacionamento ou outro, por que não contatar o Dr.Azaka em seu e-mail: Azakaspelltemple4@gmail.com

    ResponderExcluir