sábado, 30 de novembro de 2019

Lição 10 - Bíblia: Infalível Revelação de Deus



                                                                                                                                                 

Aula Presencial dia 08 de dezembro de 2019

                                                                                                                                                 








AGUARDE POSTAGEM DO QUESTIONÁRIO COMPLEMENTAR


                                                                                                                                                 

Hinos Sugeridos da Harpa Cristã
107 - Firme nas Promessas

330 - A Fé dos Santos

459 - As Firmes Promessas




                                                                                                                                                 









Texto Áureo
"A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre." (Sl 119.160)

Verdade Aplicada
Os equívocos de impressão, tradução e dos copistas até agora identificados na Bíblia não acarretam nenhuma contradição doutrinária ou invalidam a revelação especial de Deus para a humanidade.
Revelação especial. É aquela em que Deus emprega duas formas especiais para se comunicar com o homem: a Palavra escrita e Cristo.
a) Por meio da Palavra. Deus ordenou a Moisés que escrevesse sua mensagem revelada "num livro" (Êx 17.14). A revelação escrita substituiu a tradição oral, como testemunho da existência e comunicação de Deus (Êx 34.27; Jr 30.2; Ap 1.19). Essa revelação escrita é chamada de Escritura (2 Tm 3.16), ou Escrituras (Mt 22.29; 26.56).
b) Por meio de Cristo. Essa revelação é sublime (Jo 1.14,18). Não se trata de uma comunicação através das palavras de um profeta, mas da revelação de Deus por meio de uma Pessoa santíssima e co-eterna com o Pai (Jo 1.1; 14.9; Hb 1.1-3). O propósito da revelação especial é conduzir o homem a Deus (Jo 14.6-11). Nela, encontramos o plano divino para a salvação de todo ser humano. A revelação especial de Deus foi dada aos homens tanto pelas Escrituras quanto pelo Verbo de Deus. Estes são os mais completos meios pelos quais Deus se revelou à humanidade (Mt 22.29; Jo 5.39). (Lições CPAD Jovens e Adultos 2008 » 4º Trimestre)

Objetivos da Lição
- Contestar aparentes erros das Escrituras Sagradas;
- Refutar aparentes contradições da Bíblia;
- Enfatizar a linguagem bíblica.

Motivo de Oração
Ore pelos projetos de tradução de materiais cristãos.



Salmo 119.97-102
97 - Oh! Quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia.
98 - Tu, pelos teus mandamentos, me fazes mais sábio que os meus inimigos, pois estão sempre comigo.
99 - Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque medito nos teus testemunhos.
100 - Sou mais prudente do que os velhos, porque guardo os teus preceitos. 
101 - Desviei os meus pés de todo caminho mau, para observar a tua palavra.
102 - Não me apartei dos teus juízos, porque tu me ensinaste.


Introdução
A Bíblia não é um livro qualquer: é inerrante Palavra de Deus, há erros e contradições na Bíblia ? 
Os erros não se acham na revelação de Deus, mas nas limitações humanas, pois somos falíveis e finitos, ao passo que a Palavra de Deus é infalível e infinita.

1 - Aparentes Erros da Bíblia
Não se deve rejeitar ou criticar as Escrituras Sagradas, em parte ou em sua totalidade, pois, na maioria dos casos de supostos erros ou aparentes contradições, estão na dificuldade de interpretação e em algumas pequenas falhas nas traduções, que comprometem em nada o texto sagrado. 
A BÍBLIA CONTÉM ERROS?
- “erros”, convêm saber-se que tipo de erros está se falando, erros na doutrina? Ou erros na gramática devido às compilações?
- erros de doutrina: a Bíblia não possui nenhum, os homens pela arrogância, é que tentam distorcer sua interpretação.
- erros de gramática: esses existem por conta de diversas traduções, mas não afetam o entendimento da salvação e nem a inerrância da Bíblia. (Lições BETEL Jovens e Adultos 2013 » 1º Trimestre)

1.1 - Erros das Cópias dos Originais das Sagradas Escrituras
Somente os textos originais foram inspirados por Deus. Podemos então confiar nas cópias dos originais ?
Sim, podemos. Porque os copistas tinham multíssimo cuidado ao fazer as cópias dos textos das Sagradas Escrituras.
Os erros, até hoje encontrados, não comprometem o conteúdo das cópias, visto que eles se limitam a nomes e números, que não afetam o cerne da mensagem proposta.
"E disse-me o Senhor: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para a cumprir" (Jr 1.12). 
Segundo o Pr. Elinaldo Renovato de Lima a Bíblia é a fiel e inconteste Palavra de Deus. Sua inerrância e infalibilidade decorrem da plena inspiração e supervisão do Espírito Santo.
"A Exatidão da Bíblia
Tanto a autenticidade quanto a historicidade dos documentos do Novo Testamento estão confirmadas de modo sólido. Norman Geisler indica que as evidências documentárias em favor da autenticidade do Novo Testamento são esmagadoras, e fornecem uma base, igualmente sólida, para a reconstrução do texto grego original. Bruce Metzger, especialista em crítica textual, informa que, no século III a.C, os estudiosos em Alexandria indicavam que as cópias que possuíam da Ilíada de Homero apresentavam cerca de 95% de fidedignidade. Indica, também, que os textos setentrional e meridional da Mahabharata da índia diferem entre si numa extensão de 26.000 linhas. Isto se contrasta com ‘mais de 99,55 de exatidão para as cópias manuscritas do Novo Testamento’. Esse meio-porcento de diferença consiste principalmente nos erros de ortografia dos copistas e, mesmo assim, passíveis de correção. Nenhuma doutrina da Bíblia depende de algum texto cuja forma original não possa ser determinada com exatidão".
(HIGCINS, J. A palavra inspirada de Deus. In HORTON, S. M. Teologia Sistemática: uma perspectiva pentecostal. RJ: CPAD, 1996, p.94.)

1.2 - Aparentes Erros ao Citar Datas
Aparentes contradições na Bíblia estão relacionadas com data.
Um exemplo disto é o fato de Israel ter usado um calendário civil e um sagrado. O ano civil começava no outubro, com o mês de Tishri, enquanto o ano sagrado começava na primavera com o mês de Nisá ou Abibe. Quando dois escritores pareciam discordar quanto ao momento de um evento particular, a aparente discrepância poderia ser esclarecida ao determinar qual dos dois calendários que estão usando.
 

A Tabela acima mostra que :
O ano civil de Israel se inicia em setembro/outubro(Tishrei)
O ano religioso se inicia no mês de março/abril(Nissan) ou abibe.
Abaixo esquema com relação ao nosso calendário



1.3 - Aparentes Erros ao mencionar Números
Um exemplo de uma aparente discrepância pode ser visto no texto que relata o censo de Israel. Em 2 Samuel 24.9 (homens em Israel 800.00, homens em Judá 500.000). Enquanto no texto de 1 Crônicas 21.5-6 (homens em Israel 1.100.00, homens em Judá 470.000). Conforme comentário da Bíblia de Estudo Apologia Cristã, o registro no livro de Crônicas, conforme referência acima inclui 288.000 homens do exército regular de Israel (1 Cr 27.1-15) arredondando o total; em relação a contradição dos números de homens em Judá, conforme referência citada, pode ser um arredondamento do número em 2 Samuel. O referido comentário ainda afirma: "É sempre possível que os números tenham sido alterados, por um erro de copista em uma ou mais tradições manuscritas antigas" (Bíblia de Estudo Apologia Cristã, 2015 p.564).
Outro exemplo:
Quanto tempo durou o cativeiro no Egito?
O cativeiro egípcio durou por 400 anos. [Gn 15:13]
O cativeiro egípcio durou por 430 anos. [Ex 12:40], [Gl 3:17]
E ainda temos também
Quantos eram na família de Jacó quando vieram para o Egito?
70 [Gn 46:27], [Ex 1:5] ou 75 [At 7:14]


2 - Aparentes Contradições da Bíblia
Não se pode afirmar que é uma contradição quando não se tem respostas para algumas dificuldades surgidas ao estudar um determinado texto da Bíblia. O significado da Bíblia nunca muda, mas a nossa compreensão pode mudar. E muito embora a Palavra de Deus seja perfeita (Sl 19.7), enquanto existirem seres humanos imperfeitos, haverá dificuldades de interpretação das Escrituras e falsos pontos de vistas deles decorrentes. Na verdade nenhum dos relatos do Evangelho se contradiz, pelo contrário, eles se complementam para fornecer uma melhor compreensão de suas informações.

2.1 - Diferentes Narrações para o mesmo fato
Quando duas ou mais narrações do mesmo acontecimento forem divergentes, não significa que elas sejam contraditórias. Mateus diz que havia um anjo junto ao túmulo de Jesus (Mt 28.5), João diz que havia dois anjos (Jo 20.12). Primeiro: Mateus não disse "apenas um anjo". Segundo: ele, provavelmente, concentrou sua atenção no anjo que falou (só um anjo falou - Mt 28.5). Terceiro: João se referiu à quantidade de anjos vistos, sem contudo, se referir apenas ao anjo que falou.
Professor abaixo tem um ótimo exemplo auxiliá-lo:
O relato acerca da fé demonstrada pelo centurião, mesmo se tratando de um não judeu, é encerrado com a reação de Jesus: ficou maravilhado (muito admirado), a ponto de declarar:
 "Nem ainda em Israel tenho achado tanta fé" (Luc 7.9).
No evangelho Lucas, lemos que foram enviados mensageiros até o Mestre, que lhe expuseram as palavras do centurião.
E o servo de um certo centurião, a quem muito estimava, estava doente, e moribundo. E, quando ouviu falar de Jesus, enviou-lhe uns anciãos dos judeus, rogando-lhe que viesse curar o seu servo. (Lucas 7:2,3)
No evangelho de Mateus é o próprio centurião quem procura Jesus.
E, entrando Jesus em Cafarnaum, chegou junto dele um centurião, rogando-lhe,
E dizendo: Senhor, o meu criado jaz em casa, paralítico, e violentamente atormentado.( Mateus 8:5,6)
Não há contradições entre os evangelhos, uma vez que eles refletem o estilo literário que cada autor adotou para transmitir o fato. Mateus costuma abreviar em muito as suas narrativas, Lucas é muito mais detalhista, e revela que o Centurião, por humildade,  não se achou digno de estar na presença do Mestre, e por isso enviou pessoas mais “adequadas”, que eram os anciãos dos Judeus (daquela cidade).
Todavia esta diferença de narrativa não ofusca o brilho do exemplo de fé, que nos deixou este centurião.

2.2 - Citações do Antigo Testamento pelo Novo Testamento
Uma citação de textos não tem que ser exatamente igual ao que foi escrito originalmente. Não há necessidade de utilizar as mesmas palavras. Um mesmo significado pode ser transmitido sem o uso das mesmas frases.
Além disso, é comum uma citação repetir apenas partes de uma informação (Lucas 4.18-19 cita Isaías 61.1-2), e não sua totalidade, ou, é comum também o Novo Testamento simplesmente parafrasear o Antigo Testamento (Mt 2.6).
Abaixo deixo também mais um exemplo, note que Jesus menciona um texto do profeta Isaias, todavia, mesmo não utilizando as mesmas palavras ele passa o objetivo principal do texto:
E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas;
E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; mas vós a tendes convertido em covil de ladrões.(Mateus 21:12,13)
Também os levarei ao meu santo monte, e os alegrarei na minha casa de oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar; porque a minha casa será chamada casa de oração para todos os povos.( Isaías 56:7 )

2.3 - A Revelação Divina é progressiva e não contraditória.
Deus não revela tudo de uma só vez, nem determina sempre as mesmas condições para todos os períodos do tempo. Portanto, algumas de Suas revelações posteriores vão sobrepor-se a afirmações anteriores. Houve um período (sob a lei de Moisés) em que Deus ordenou que animais fossem sacrificados pelo pecado do povo. Entretanto, desde que Cristo ofereceu o sacrifício perfeito pelo pecado (Hb 10.11-14), esse mandamento do Antigo Testamento não está mais em vigor.
 “REVELAÇÃO — [Do gr. apokalupsis; do lat. revelatio, tirar o véu] Manifestação sobrenatural de uma verdade que se achava oculta. Tendo em vista o caráter e a urgência das profecias do último livro da Bíblia, Apocalipse é considerado a revelação por excelência (Ap 1.1-3).
REVELAÇÃO BÍBLICA — Conhecimento divino preservado nas Sagradas Escrituras, e posto à disposição da humanidade. Consta do Antigo e do Novo Testamento. É a nossa única regra de fé e prática.
REVELAÇÃO PROGRESSIVA — Evolução progressiva e dispensacional das verdades divinas que, tendo a sua gênese no Antigo Testamento, culminaram e se completaram no Novo. O texto-áureo da revelação progressiva acha-se em Hebreus 1.1,2” (ANDRADE, Claudionor Corrêa de. Dicionário Teológico. RJ: CPAD, 1999, pp.255,56).
“Havendo Deus, antigamente, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho” (Hb 1.1).


3 - A Linguagem Bíblica
A Bíblia foi escrita para pessoas comuns de todos os tempos, inclusive para povos que viviam antes de descobertas científicas e seus termos técnicos.
A Bíblia sendo inspirada por Deus, mas escrita por homens e em linguagem humana, evidencia estilo literários diferentes, assim, não se limitando a uma única forma de expressão. Vários livros escritos no estilo: Poético: (Jó, Salmos, Provérbios, etc.). Os evangelhos estão cheios de parábolas, comparações (Mt 20.1), sátiras (Mt 19.24, 23.24); as cartas paulinas estão cheias de alegorias (Gl 4), metáforas (2Co 3.2-3). Os autores não erraram ao utilizar tais estilos, mas é errado tomar uma figura de linguagem de forma literal.

3.1 - "O Sol se deteve, e a Lua parou"
"O Sol se deteve, e a lua parou" (Js 10.13).
Segundo Abraão de Almeida, o relato de Josué é um dos casos apresentados pelos leitores superficiais da Bíblia como anticientífico, por afirmar que o sol gira em torno da Terra. É preciso entender a abordagem aqui utilizada, pois a Bíblia emprega uma linguagem comum, referindo-se às coisas como um observador as descreveriam. Assim, na realidade, não foi o sol que parou; foi isso, porém, o que aparentou a quem tenha observado o evento. Ainda hoje, os meteorologistas mencionam a hora do "nascer" e o "pôr do sol" (Js 1.15).
Professor deixe claro aos alunos que atualmente o heliocentrismo é a teoria aceita por todos os estudiosos. Heliocentrismo é o nome do modelo estrutural cosmológico que coloca o Sol no centro do universo. Pela teoria do heliocentrismo, o Sol permanece estacionado no centro do universo orbitado por planetas e demais corpos celestes.
O modelo de Copérnico colocava o Sol no centro do Universo
Os principais conceitos de Copérnico apontavam a Terra girando em torno de si própria como um dos planetas conhecidos orbitando o Sol.
 Considerando esta teoria, no texto de Josué, o movimento de rotação da terra é que teria parado.
Rotação. Rotação é o movimento onde a Terra gira em torno de seu próprio eixo. Esse movimento acontece no sentido anti-horário e dura exatamente 23 horas 56 minutos 4 segundos e 9 centésimos para ser concluído, sendo o responsável por termos o dia e a noite.
Teoricamente falando, se a Terra parar de girar ao redor do seu próprio eixo ocorre um prolongamento do dia.
Revolutionibus Orbium Coelestium – Das Revolução dos Corpos Celestes( texto adaptado por Gerson Tomé,prof. de física )
“O dia prolongado
O evento do dia prolongado (vv.12-14) não é facilmente explicado pela ciência. É preciso reconhecer que Aquele que fez as leis da Natureza tem o direito de usá-las. Aquele que usou a saraiva como arma de destruição contra seus inimigos também poderia usar a luz e as trevas para servirem aos seus propósitos. A soberania de Deus sobre a natureza o capacita a promover seu reino espiritual pelo uso do mundo físico. O salmista enfatizou que todo o universo visível existe para propósitos espirituais. Ele afirmou que 'os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia as obras de suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite' (Sl 19.1,2). Também declarou que 'do Senhor é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam' (Sl 24.1). Josué não demonstrou hesitação ao chamar as forças do universo para ajudá-lo contra aqueles que se opunham a Deus (12).
A declaração de que não houve dia semelhante a este, nem antes nem depois dele (14) reafirma a singularidade deste evento. Também destaca o fato de que Deus usa milagres com grande reserva. Ele evita que os homens se tornem dependentes deles. Deus insiste que devemos depender Dele próprio, que realiza os milagres". (MULDER, C. O. (et al) Comentário Bíblico Beacon. Volume 2 Josué a Ester. RJ: CPAD, 2005, p.51).

3.2- A Linguagem utilizada pela Bíblia nas genealogias
É comum, na linguagem bíblica, citar nome de um ancestral, como sendo o pai de determinada pessoa. Isso significa que é filho no sentido de "descendente", não filho literalmente.
Davi viveu cerca de mil anos antes de Jesus. Quando as pessoas chamavam Jesus de "Filho de Davi" (Mt 12.23), era neste sentido. José, o pai de Jesus, também foi chamado filho de Davi, com esse mesmo significado (Mt 1.20). Não constitui , assim, um erro na Bíblia.
Veja também:
“Não diz a Escritura que o Cristo vem da descendência de Davi e de Belém, da aldeia de onde era Davi?” (Jo 7.42).
Todo o Israel tinha conhecimento dessa profecia e aguardava o seu cumprimento. Paulo e Barnabé, na sinagoga de Antioquia da Pisídia, trouxeram o assunto à tona lembrando aos judeus da Diáspora a promessa feita a Davi: “Da descendência deste, conforme a promessa, levantou Deus a Jesus para Salvador de Israel” (At 13.23). Mateus inicia o seu relato sobre o nascimento do Salvador descrevendo a sua genealogia. Ele vincula o Senhor Jesus à casa de Davi (Mt 1.1). O evangelista queria provar aos judeus que Jesus era o Messias esperado que governaria eternamente o seu povo (Is 11.1-5). Os israelitas, por seu turno, estavam cientes da promessa divina de que o Messias seria um descendente legal da família de Davi (2 Sm 7.12-19; Jr 23.5). (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2008 » 1º Trim.)

3.3 - Nomenclatura na Bíblia
É comum encontrarmos na Bíblia o uso de nomes diferentes para se referir a uma mesma pessoa ou lugar, bem como nomes iguais que identificam pessoas diferentes. Por isso a importância de estarmos atentos ao contexto, para não nos precipitarmos na identificação de pessoas ou lugares. Alguns exemplos: Reuel (Êx 2.18) e Jetro (Êx 3.1); Neemias (Ed 2.2) e Neemias (Ne 1.1); Horebe (Êx 33.6) e Sinai (Êx 34.2); Tiago (filho de Zebedeu - Mc 1.19) - (filho de Alfeu - Mc 3.18) - (pai de Judas - Lc 6.16) - (o irmão do Senhor - Gl 1.9).
Em primeiro lugar, é preciso destacar o fato de que há, em o Novo Testamento, a menção de quatro pessoas com o nome de Tiago: Tiago, pai de Judas, não o Iscariotes, (Lc 6.16); Tiago, filho de Zebedeu e irmão de João (Mt 4.21; 10.2; Mc 1.19, 10.35; Lc 5.10; 6.14; At. 1.13; 12.2); Tiago, filho de Alfeu, um dos doze discípulos (Mt 10.3; Mc 3.18; 15.40; Lc 6.15; At 1.13) e, finalmente, Tiago, o autor da epístola, que era filho de José e Maria e meio-irmão do nosso Senhor (Mt 1.18,20). Após firmar os passos na fé e testemunhar a ressurreição do Filho de Deus, o irmão do Senhor liderou a Igreja em Jerusalém (At 15.13-21) e, mais tarde, foi considerado apóstolo (Gl 1.19). Pela riqueza doutrinária da carta, o autor não poderia ser outro Tiago, senão, o irmão do Senhor e líder da Igreja em Jerusalém.
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2014 » 3º Trim.)
No exemplo abaixo fica bem definido qual é o Tiago mencionado: E não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor. ( Gl 1:19 )

Conclusão
A Bíblia tem resistido, por mais de vinte séculos, à criticas dos maiores céticos, agnósticos e ateístas.
Ainda hoje, os incrédulos tentam desqualificá-la, mas sem êxito, pois não se trata de um livro inventado por homens.
A Bíblia continua sendo imbatível, pois é a Palavra de Deus.

Questionário
1) Onde estão os erros em relação à Bíblia ?
R. Estão nas limitações humanas.

2) As cópias dos textos bíblicos foram inspiradas por Deus ?
R. Não, somente os textos originais foram inspirados por Deus.

3) Quais calendários são utilizados nos relatos bíblicos  ?
R. O calendário civil e calendário sagrado.

4) Após o dilúvio, que alimento Deus ordenou seu uso ?
R. Carne (Gn 9.3).

5) A Bíblia quis afirmar que Jesus era filho, literalmente, de Davi ?
R. Não, era filho no sentido de descendência (Mt 12.23).

Fonte
Revista BETEL - Lições Bíblicas Adultos. Tema: Apologética Cristã - A Importância das Defesa da Fé diante dos Desafios da Sociedade Atual, Comentarista Pr. Joabes Rodrigues do Rosário, 4 Trimestre 2019 - Ano 19 - nro. 113.

                                                            Vídeos Pré-Aula                                                       

    
   







                                                                                                                                                 


Estimado professor, segue abaixo alguns links como material de apoio desta lição.

                                                                                                                                                 

17 comentários:

  1. São 20 séculos que a Bíblia sofre criticas para denegrirem a sua autencidade, e não vão conseguir provar nada contra ela, porque Deus não revelará todos os seus mistérios, Deuteronomio 29:29. O que tem ocorrido é a falta de conhecimento e comunhão com Deus, diz a Bíblia errais por não conhecer as escrituras e nem o poder de Deus, o erro não está na inspiração porque ninguém instruiu a mente do Senhor; e sim na compilação feito por homens, digo uma coisa, o que impede mesmo duvidando da autencidade da bíblia; é quando fazemos da leitura da biblia um contra-pé, ou seja, lemos não para acreditar nela, e sim para coloca-la como un livro falível, isto responde a infabilidade da Bíblia, não digo que precisamos saber tudo para acreditar nela, mas o pouco que se acredita, o muito será revelado e confirmado pelo Espírito Santo, diferente daqueles que só arrumam pretexto para que demaneira nenhuma seus caminhos sejam endireitados e iluminados pela palavra de Deus. Salmo 119:105 Para termos caminhos abençoados precisamos ter pés iluminados. Oh! Glória!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém irmão Robson ! Deus Abençoe sua vida grandemente !

      Excluir
  2. A edição desse tópico está perfeita, parabéns aos organizadores pelo trabalho realizado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda Equipe Agradece ! Deus abençoe pela visita ao Blog !

      Excluir
  3. Como eu gostaria que as pessoas entendessem que a palavra em latim (lúcifer) não significa satanás.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moacy é verdade : Lúcifer (do latim, lucifer, "portador da luz") é um termo de origem latina para o planeta Vênus que aparece nas traduções da Bíblia Vulgata de São Jerônimo.

      Excluir
  4. Parabens pelo o material .. muito bom . que Deus continue lhe abençoando.

    ResponderExcluir
  5. obgd por esse conteúdo tão rico Deus Abençoe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rose, obrigado pela visita ao nosso Blog, que Deus continue abençoando vosso ministério.

      Excluir
  6. Respostas
    1. Gustavo, Amém, contamos com vossa visita na próxima semana onde vamos estudar a Lição 11

      Excluir
  7. Gostaria de agradecer por esse formidável trabalho.

    Temos hj a tecnologia ao nosso favor!!!!

    ResponderExcluir
  8. Meus queridos irmãos, não postaram o questionário de apoio, tem sido uma ferramenta muito útil no desenvolvimento do aprendizado na EDB

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, o Pb.Gérson Tomé não nos enviou esta semana devido correria no seu trabalho, todavia, estaremos postando com atraso, mas estaremos.

      Excluir
  9. Melhor com atraso do que não ter, com esse material tenho feito uma dinâmica com os alunos para eles participarem mas e buscar um pouco mas de conhecimento, tem sido uma benção, muito obrigado pela atenção, que Deus possa continuar usando vocês para nós aulixiar nesse trabalho.

    ResponderExcluir