quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Lição 6 Evidências internas da autenticidade da Bíblia



                                                                                                                                                 

Aula Presencial dia 10 de Novembro de 2019

                                                                                                                                                 










                                                                                                                                                 

Hinos Sugeridos da Harpa Cristã
56 - Tudo em Cristo

141 - Guia-me Sempre meu Senhor

330 - A Fé dos Santos


                                                                                                                                                 









Evidência(latim evidentia,)
1. Qualidade de evidente; certeza manifesta.
2. O que serve para demonstrar ou esclarecer um fato, uma causa ou uma verdade (ex.: evidência científica; evidências estatísticas). = PROVA
 https://dicionario.priberam.org/evid%C3%AAncia[consultado em 05-11-2019].

Autenticidade 
Qualidade do que é autêntico verdadeiro
 https://dicionario.priberam.org/autenticidade [consultado em 05-11-2019].

Bíblia
Definição etimológica. Originária do grego, a palavra Bíblia significa livros ou coleção de pequenos livros. Atribui-se a João Crisóstomo a disseminação desse vocábulo.(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2006 » 4º Trim)

Texto Áureo
"Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.",Hb 4.12


Espada de dois gumes  em estilo do período medieval, possuía corte nos dois fios da  lâmina, por isso era chamada de "dois gumes".
A Palavra de Deus é viva, ela produz vida. Mas além de viva, ela é eficaz. Produz resultados: “sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para sempre” (1Pe 1.23). O autor mostra que essa palavra é produtiva. O termo energes, traduzido como “eficaz”, é usado na Bíblia para se referir à atividade divina que produz resultados: “assim será a palavra que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia; antes fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei” (Is 55.11).
A Palavra de Deus é retratada como um instrumento vivo, eficaz e cortante, “mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração” (Hb 4.12). A metáfora usada pelo autor é muito forte e serve para mostrar que a Palavra de Deus possui um grande poder de penetração. Ela não fica na superfície, mas vai até o centro do ser humano. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2018 » 1º Trim.)


Verdade Aplicada
O plano da redenção em Jesus Cristo e o nosso relacionamento com Deus passa pelas Escrituras.
“Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém; eis que o teu rei virá a ti, justo e Salvador, pobre, e montado sobre um jumento, e sobre um jumentinho, filho de jumenta.” Zc 9.9 
Note que esta profecia se cumpriu literalmente quando Jesus o salvador entrou em Jerusalém montado num jumento. Israel não entendeu o projeto de Deus anunciado pelo profeta cerca de 500 anos ac.


Objetivos da Lição
Mostrar que Jesus Autenticou o Antigo Testamento como Palavra de Deus;
Destacar a Inspiração Divina da Bíblia;
Estudar a Unidade da Bíblia.

Motivo de Oração
Ore para que os tradutores da Bíblia desenvolvam seu trabalho com capacitação e sabedoria.



Lucas 24,44-47
44 - E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos.
45 - Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras.
46 - E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortos,
47 - E em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém.


Introdução
Os séculos vêm e vão, mudam-se épocas e os costumes, aparecem e desaparecem grandes instituições, as civilizações se sucedem umas após outras, mas a Palavra de Deus permanece e se solidifica a cada dia.


1 - Jesus e o Antigo Testamento
Jesus Cristo, por ser Ele divino, tem autoridade para aprovar o texto sagrado, confirmando que o Antigo Testamento é a Palavra de Deus. 

1.1 - Jesus cita o Antigo Testamento como tendo Autoridade Divina
Ao usar as palavras "Está escrito", se referindo ao Antigo Testamento, Jesus valida a autenticidade do mesmo como sendo a Palavra de Deus (Mt 4.4,7,10). Por várias vezes, esta frase é repetida por Jesus, uma indicação clara de que Ele, ao utilizar das afirmações do Antigo Testamento, validava a autoridade divina.
Respostas de Jesus. O ataque diabólico foi nas áreas mais sensíveis do ser humano: “a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida” (1Jo 2.16). Mesmo com toda a sua habilidade maligna, foi grande e devastadora a derrota de Satanás (v.11). Ele foi vencido pelo poder da Palavra de Deus: “está escrito, está escrito e está escrito”. Jesus citou três passagens do Pentateuco (Dt 6.13,16; 8.3). Assim, o grande conquistador, o Senhor Jesus Cristo, pode simpatizar com os que são tentados, pois Ele mesmo foi tentado de maneira real. Podemos nos consolar porque temos um Protetor no céu que é capaz de se compadecer de nossas fraquezas (Hb 4.15). (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2019 » 1º Trim.)

1.2 - Jesus Ratificou a Lei e os Profetas
Jesus, conforme registro de Mateus 5.17-18, deixa claro que obedeceu que obedeceu aos mandamentos, cumpriu as profecias em sua própria pessoa, obedeceu aos preceitos dos profetas. Assim, não teria tal atitude do Antigo Testamento se não fosse a Palavra de Deus.
Somente Jesus conseguiu cumprir a lei:
Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.(Mt5.17) “Por Jesus Cristo, somos libertos da antiga lei, para andarmos ‘em novidade de vida’ (Rm 6.4; veja também Jr 31.31-34). O que quer isso dizer? Que por estarmos livres da Lei, podemos viver como bem quisermos? Certamente que não! Significa que agora o Espírito de Cristo em nós habita e que a nossa nova natureza da parte de Deus está no controle. Esta nova natureza nada tem a ver com a satisfação de desejos maus ou egoístas; seu propósito e prazer é obedecer e agradar a Deus. A nova natureza possibilita ao crente obedecer a Deus e viver uma vida que agrada ao Senhor. [...]. Quanto mais o crente viver e andar segundo o Espírito, e tendo a Palavra de Deus como a sua regra de fé e modo de proceder, ele viverá vitoriosamente neste mundo, vitória esta sobre os adversários de nossa alma, a saber: o pecado, o mundo, nós mesmos (a carne) e o Diabo e seus poderes (veja Gl 5.16-18,25; Rm 8.1-16). [...] Resumamos o que isto significa: 1) A pessoa que é salva pela fé em Jesus Cristo e assim permanece já não está sob o jugo da lei do Antigo Testamento; 2) A partir de sua conversão a Cristo, o Espírito Santo passa a habitar no crente e lhe comunica uma nova natureza espiritual; 3) Enquanto o crente entrega incondicionalmente o controle de sua vida ao Espírito Santo, ele vive uma vida cristã vitoriosa sobre o pecado, o mundo, o Diabo e o ‘eu’; 4) O que determina a conduta do crente doravante é o controle do Espírito sobre sua vida, à medida que ele o permite. Em Cristo, o crente, como nova criatura espiritual, não está mais sob o domínio da Lei, nem da velha natureza e suas inclinações” (GILBERTO, Antônio. O Fruto do Espírito: A plenitude de Cristo na vida do crente. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2004, p.148).

1.3 - Jesus Confirma os Relatos históricos do Antigo Testamento
Em Mateus 12.40, temos o registro de uma citação feita por Jesus, de um fato histórico registrado no livro do profeta Jonas, mostrando assim que os fatos narrados pelo Antigo Testamento foram ratificados por Jesus. Esta não é a única citação da história, mas esta, em particular, dá detalhes que exemplificam bem a importância que Jesus dava para a autenticidade do Antigo Testamento.
Outro exemplo interessante sobre a ênfase que Jesus dava ao A.T:
17 — E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito:
18 — O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coração,
19 — a apregoar liberdade aos cativos, a dar vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor. (Lc4.17-19 )


2 - A Inspiração Divina da Bíblia
palavra inspiração significa "soprado de Deus". É o processo mediante o qual as Escrituras, a saber, os Escritos Sagrados, foram revestidos de autoridade divina no que concerne à doutrina e à prática (2Tm 3.16-17).
Inspiração (Definição teológica). “Ação sobrenatural do Espírito Santo sobre os escritores sagrados, que os levou a produzir, de maneira inerrante, infalível, única e sobrenatural, a Palavra de Deus — a Bíblia Sagrada” (Dicionário Teológico — CPAD).

2.1 - A Causa e a Origem da Inspiração é Deus
Deus é a força primordial que moveu profetas e apóstolos a escrever a Bíblia. A motivação primária por trás dos escritos inspirados é o desejo de Deus de comunicar-se com o ser humano. Champlin afirma que: "Esses profetas, por sua vez, foram movidos, isto é, impulsionados pelo Espírito, tal como um navio a vela é tangido pelo vento". Assim, temos um livro escrito por humanos, porém não é um produto da mente humana, e, sim,um livro da mente divina, que nos trás revelações lídimas(incontestáveis). da parte de Deus.
Neste tópico é importante enfatizar a fundamental inspiração do Espírito Santo sobre os escritores da bíblia, fato que torna a bíblia um livro diferenciado
21 - porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.
(2Pe1.21)
“Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra” (2 Tm 3.16,17).
“[...] Um resumo a respeito do que a Bíblia alega sobre si mesma pode ser encontrado em duas passagens principais. Pedro disse que os autores foram impelidos pelo Espírito Santo, e Paulo declarou que seus escritos foram soprados pelo próprio Deus. Portanto, a Bíblia alega que autores movidos pelo Espírito Santo expressaram as palavras inspiradas por Deus (2Pe 1.20,21). Em suma, os escritos proféticos (do Antigo Testamento) não tiveram sua origem nos homens, mas em Deus, que agiu por meio de alguns homens chamados de profetas de Deus” (GEISLER, Norman. Teologia Sistemática: Introdução à Teologia Sistemática, a Bíblia, Deus, a Criação. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2011, pp.213,214).

2.2 - A Linguagem da Bíblia é Humana
Como Deus quis alcançar os homens, é lógico que Sua Palavra nos veio por meio da instrumentalidade de homens de Deus. Deus faz uso da pessoa humana, como escritores, para transmitir Sua vontade ao nível e linguagem dos destinatários de Sua mensagem.  As palavras são nosso meio de comunicação, assim, é natural a utilização delas, por parte de homens inspirados por Deus, para nos comunicar a vontade do Senhor. Portanto, são detectáveis diversos traços da personalidade humana na Bíblia.
A Palavra de Deus transmitida por nove homens. Desde o dia em que Deus falara a Adão (Gn 1.28), até a época em que ordenara a Moisés escrever sua Mensagem (Êx 17.14), nove homens receberam o encargo da transmissão oral: Adão (930 anos) falou a Lameque (777 anos); este, a Noé (950 anos); este, a Abraão (175 anos); este, a Isaque (180 anos); este a Jacó (147 anos); este a Coate (133 anos); este a Anrão (137 anos); e este a Moisés (120 anos). A despeito da longevidade desses patriarcas, foi o próprio Deus que, milagrosamente, assegurou a fidelidade da transmissão de sua Palavra.
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2008 » 4º Trim.)
"Seca-se a erva, e caem as flores, mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente" (Is 40.8)

2.3 - A Inspiração da Bíblia é Revestida de Autoridade Divina
O fato da Bíblia ter sido escrita por homens não invalida a autoridade divina e a inspiração atribuídas a ela. As palavras dos profetas são palavras de Deus. Um profeta não produzia sua própria vontade ou seu próprio impulso ou sentimento, mas a vontade de Deus. Falaram inspirados por Deus. A imparcialidade da Bíblia é também uma demonstração de sua inspiração divina. Se a Bíblia fosse um livro originado do homem, ela não poria descoberto as faltas e falhas dele. Os homens jamais teriam produzido um livro como a Bíblia, que só dá toda a glória a Deus e mostra a fraqueza dos mesmos (Jó 14; 17.1; 27; Sl 50.21-22; 51.5; 1Co 1.19-25).
A transmissão escrita da Bíblia. Os chamados "livros canônicos" da Bíblia foram reunidos ao longo de 1600 anos; e isso se deu de forma especial e impressionantemente harmônica. Só a predominância da vontade de Deus sobre a mente humana pode explicar como cerca de 40 escritores puderam escrever os livros da Bíblia a partir de condições e circunstâncias tão diversas.
a) Deus, o único autor da Bíblia. A despeito de Deus ser o único autor da Bíblia e de ter inspirado a todos os demais escritores, Ele mesmo se incumbiu dos primeiros registros das Escrituras: "E deu a Moisés (quando acabou de falar com ele no monte Sinai) as duas tábuas do Testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus" (Êx 31.18; 32.16; Dt 4.13; 10.4). Trata-se, aqui, do Decálogo, um resumo eloquente e poderoso de toda ética bíblica. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2008 » 4º Trim.)


3- A Unidade da Bíblia
Os textos sagrados da maioria das religiões possuem a característica de serem resultados da mente de um só homem, ou quase sempre, são produto de um pequeno círculo de pessoas, e que em muitos ensinos se contradizem, Com a Bíblia é diferente. Escrita durante um longo período, por vários autores e em lugares diferentes, mantém sua simetria e unidade, revelando ser a obra de um só intelecto e de um só autor. 

3.1 - Espaço de Tempo
[...] Mesmo escrita em longo período, essa unidade tão incrível é bem uniforme no que diz respeito ao seu tema central: Jesus Cristo. Esse tema se desenvolve de forma consistente e grandiosa de Gênesis a Apocalipse. É o majestoso trabalho de Deus na criação do universo e a redenção de todas as coisas através de Deus único Filho, o Senhor Jesus Cristo. Só uma mente divina poderia ter inspirado tal unidade.
A Bíblia e Cristo são inseparáveis. Do Antigo ao Novo Testamento, Ele é o personagem central (Lc 19.10; At 4.12). cuja missão foi a salvação de toda a humanidade (Lc 19.10; At 4.12). Cristo é o tema central de toda a Bíblia. O próprio Senhor Jesus afirmou que as Escrituras testificam dEle. Filipe disse para Natanael acerca de Cristo: “aquele de quem Moisés escreveu na lei, e os profetas” (Jo 1.45). Sendo assim, podemos considerar Jesus Cristo e a Palavra de Deus como a revelação especial de Deus para a humanidade conhecer o plano divino de salvação (Jo 20.31). É importante compreender que a salvação do homem implica não apenas em livrá-lo do inferno, ela vem para descontaminá-lo de tudo o que é avesso à santidade de Deus. (Lições BETEL Jovens e Adultos » 2017 » 4º Trim.)
Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;(João 5:39)
Deus se revelou, agora precisamos crer, e permanecer, como encontramos em diversos textos bíblicos: João 3.16; Hebreus 4.12; 1Coríntios 15.1-2. Assim, o plano de Deus para a humanidade passa pela Sua Palavra revelada e por Jesus Cristo.
Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.(1 Coríntios 15:3-4)

3.2- Diversos Autores
Ao todo há 66 livros, escritos por aproximadamente 40 autores diferentes. Os escritores individuais, na época em que escreviam, não tinham ideia de que, eventualmente, seus escritos seriam incorporados em um só livro. Entretanto cada um desses escritos individuais preenche perfeitamente o seu lugar e servem a um único propósito. Qualquer pessoa que estude diligentemente a Bíblia irá encontrar padrões estruturais e matemáticos cuidadosamente bordados em seu tecido com um entrelaçado e simetria que não são passíveis de explicação através do acaso ou coincidência, mas, uma atitude direcionada por Deus.
Inspiração plenária.
Tal expressão significa que todos os livros das Escrituras são inspirados por Deus. O apóstolo Paulo deixa isso muito claro quando afirma que "toda a Escritura é divinamente inspirada". A inspiração da Bíblia é especial e única. Não existe na Bíblia um livro mais inspirado e outro menos. Todos têm o mesmo grau de inspiração e autoridade.
A Bíblia que Jesus e seus apóstolos usavam era formada pela Lei de Moisés, os Profetas e os Escritos; essa terceira parte é encabeçada pelos Salmos (Lc 24.44). O termo "Escritura" ou "Escrituras" que aparece no Novo Testamento refere-se a esse Cânon tripartido, que é o mesmo Antigo Testamento de nossa Bíblia. Cabe ressaltar que o apóstolo Paulo, ao afirmar que "toda a Escritura é divinamente inspirada", se referia também aos escritos apostólicos.
Os escritos dos apóstolos se revestiam da mesma autoridade dos livros do Antigo Testamento já desde a Era Apostólica. Inclusive, "profetas e apóstolos", às vezes, aparecem como termos intercambiáveis (2 Pe 3.2). O apóstolo Pedro considera ainda as epístolas paulinas como Escrituras (2 Pe 3.15,16). O apóstolo Paulo ensinava: "Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário" (1 Tm 5.18). O apóstolo aqui coloca lado a lado citações da lei de Moisés (Dt 25.4) e dos Evangelhos (Mt 10.10; Lc 10.7), chamando ambas de "Escritura". Outras vezes, ele deixa claro que seus escritos são de origem divina (2 Co 13.3; 1 Ts 2.13). Isso nos permite afirmar que a frase "Toda Escritura é divinamente inspirada" se refere à Bíblia completa, aos 66 livros do Antigo e Novo Testamento.
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2017 » 3º Trim.)

3.3 - Lugares e Culturas Diferentes
Bíblia foi escrita em diferentes contextos históricos, níveis educacionais e profissões. A maioria foi escrita originalmente em hebraico ou grego, com algumas partes pequenas em aramaico. A Bíblia cobre centenas de  tópicos em literatura, de estilos muito variados. Eles incluem história, poesia, literatura didática, parábola, alegoria, literatura apocalíptica e épica, sem, contudo, perder a sua unidade.
A Bíblia tem sido banida, queimada, escarnecida e ridicularizada. Eruditos têm zombado dela como se fosse uma tolice. Reis tem estigmatizado as Escrituras como algo ilegal. Milhares de vezes a cova tem sido aberta e a canção fúnebre começa, mas, de alguma forma, a Bíblia nunca fica enterrada. Ela não só tem sobrevivido, mas também florescido. Trata-se do livro mais popular de toda a história. É o best-seller mundial há anos!
Não há explicação para isso na terra. O que talvez seja a única explicação. A resposta?
A durabilidade da Bíblia não se encontra na terra; ela vem do céu. Para os milhões de pessoas que têm praticado seus ensinamentos e confiado em suas promessas existe apenas uma resposta - a Bíblia é o livro divino, a voz de Deus.
O propósito da Bíblia é proclamar o plano de Deus para a salvação dos seus filhos.
Essa é razão por que esse Livro tem permanecido durante séculos. Ele é o mapa que nos leva ao maior tesouro de Deus, a vida eterna. (LUCADO, M. Promessas Inspiradoras de Deus. RJ: CPAD, 2005, p. 53.)

Conclusão
A Bíblia garante e dá provas de ser o único livro inspirado por Deus, sendo assim, a própria Palavra de Deus. Cada escritor registrou, no seu próprio estilo e linguagem, exatamente a mensagem que Deus queria que fosse transmitida à humanidade

Questionário
1) Qual o significado da palavra inspiração ?
R. Significado "soprado por Deus".

2) Quem é a força primordial que moveu profetas e apóstolos a escrever a Bíblia ?
R. Deus.

3) Um profeta não produziu sua própria vontade ou seu próprio impulso ou sentimento ao escrever as Escrituras Sagradas. O que ele produzia então ?
R. A Vontade de Deus.

4) O último livro da bíblia foi escrito pouco antes de qual ano ?
R. 100 d.C.

5) Os 66 livros que compõem a Bíblia, aceitos como inspirados por Deus, foram escritos por aproximadamente quantos autores ?
R. Por 40 autores.


Fonte
Revista BETEL - Lições Bíblicas Adultos. Tema: Apologética Cristã - A Importância das Defesa da Fé diante dos Desafios da Sociedade Atual, Comentarista Pr. Joabes Rodrigues do Rosário, 4 Trimestre 2019 - Ano 19 - nro. 113.

                                                            Vídeos Pré-Aula                                                       

    
   






                                                                                                                                                 


Estimado professor, segue abaixo alguns links como material de apoio desta lição.


Quando comecei a estudar esta lição reparei que nesta semana vamos estudar a Lição 5 - Evidências Externas da Veracidade da Bíblia e na semana que vem vamos estudar a Lição 6 - Evidências Internas da Autenticidade da Bíblia.
Logo surgiu a primeira pergunta: O que são Evidências Externas e o que são Evidência Internas quando estamos tratando sobre a Veracidade e Autenticidade da Bíblia ?
O Livro "Introdução Bíblica" de Norman L. Geisler & William E. Nix tirou esta minha duvida quando li o seguinte trecho :
"Há duas espécies de evidências que se devem levar em conta no que diz respeito à inspiração da Bíblia: a evidência que brota da própria Bíblia (chamada evidência interna), e a que surge de fora da Bíblia (conhecida como evidência externa)."
Na próxima semana estudaremos sobre as "evidências internas", todavia para não ter duvida sobre a pergunta ventilada anteriormente, segue mais um trecho do livro citado:
"A evidência interna da inspiração é, em grande parte, de natureza subjetiva. Relaciona-se àquilo que o crente vê ou sente em sua experiência pessoal com a Bíblia. Com a possível exceção da última evidência mencionada, a saber, a unidade da Bíblia, a evidência interna está disponível apenas para os que se acham dentro do cristianismo. O incrédulo não ouve a voz de Deus, tampouco sente o testemunho do Espírito de Deus e jamais sente o poder edificador das Escrituras em sua vida. Se o incrédulo não penetrar pela fé no interior do cristianismo, essa evidência pouco ou nenhum valor e persuasão terá em sua vida. É aqui, então, que a evidência externa exerce papel crucial. Funciona como balizas ou sinais que conduzem ao "interior" da verdadeira vida cristã. Trata-se  de testemunho público de algo inusitado, que serve para atrair a atenção do ser humano para a voz de Deus nas Escrituras." 
E agora esta bem claro não é mesmo ?
Pois bem, agora que temos a definição, vamos voltar ao nosso foco: "As evidências externas da veracidade da Bíblia", mesmo porque na próxima lição nosso foco será "As evidências Internas".

Gostou do trecho do Livro que citei ? Quer se aprofundar ? então segue o link abaixo da CACP - Ministério Apologético, tem mais uma parte deste conteúdo valioso que poderá enriquecer a sua aula.
Clique Aqui - Estudo da CACP - Evidências da Inspiração da Bíblia

                                                                                                                                                 

23 comentários:

  1. Evidências internas da veracidade da bíblia, se da conta na sua legitimidade quando o projeto de Deus, sobre a sua criação; sobre a redenção do homem, o nascimento de Cristo, o sacrificio de Cristo e ressureição etc.., não se contradiz e que se concordam entre si, em tudo que a Bíblia falou sobre Jesus Cristo, foi um pré-anunciamento as verdades de Deus em Cristo. E Jesus Cristo não quis provar nada sobre Ele, anuciando a sua Palavra, simplesmente Ele a declarou com autoridade por que sabia da onde Ele veio, em resumo digo, o diferencial da palavra de Deus ( Bíblia ), ela produz em nossos corações, ou seja, em nosso íntimo; tanto à ouvi-la ou como lê -la, temor e fé. E No Artigo Testamento, Ela despertou temor e fé, e no Novo Testamento produziu fé e temor;Ex. Porque no antigo testamento principalmente no tempo de Abraão, quando Deus pediu para ele sair da tua terra e parentela, não tinha escrita, então a obedeceu ao ouvir por temor a voz de Deus, e no novo testamento temos a Biblia que é, e contém a palavra de Deus, e que testifica do autor e consumador da fé, que é Jesus Cristo Nosso Senhor. Oh! Glória!

    ResponderExcluir
  2. Um maravilhoso estudo, que enriquece o nosso conhecimento no que diz respeito a Palavra de Deus e renova ainda mais, o nosso desejo de fazer a vontade de Nosso Senhor.

    ResponderExcluir
  3. Os objetivos acima são referentes a lição 5.

    ResponderExcluir
  4. Verdade os objetivos são da lição anterior,

    ResponderExcluir
  5. Paz do senhor
    Muito boa a licao bíblica cada dia aprendemos mas .
    Boa semana

    ResponderExcluir
  6. A paz do senhor! Estes objetivos não são da lição 5?

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  9. Sugestão:

    O professor deve elaborar uma resposta pronta para que os alunos de ebd respondam a pessoas fora da igreja em seus dia a dia, do motivo de não terem incorporado os apócrifos e não simplesmente falar que não são inspirados e pronto.

    ResponderExcluir
  10. Essa aula foi uma chuva de esclarecimento, Deus é maravilhoso. Que Deus o abençoe abundantemente a cada passo da vida.

    ResponderExcluir
  11. Respostas
    1. Também estamos gostando das lições deste quarto trimestre da Betel Adultos, está uma benção. Que Deus continue usando poderosamente nosso comentarista Pr.Joabes Rodrigues e o Pb. Gérson Tomé que carinhosamente disponibiliza subsídios semanais da lições para esse Blog.

      Excluir
  12. Parabéns, que Deus o abençoe grandemente.

    ResponderExcluir
  13. Em quais dias são postadas as aulas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gilson não estamos conseguinda adiantar, por enquanto estamos postando BETEL ADULTO na quarta-feira ou na quinta, e CONECTAR + na quinta ou na sexta-feira

      Excluir