segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Lição 2 - Eu me Importo



                                                                                                                                                 

Aula Presencial dia 13 de Outubro de 2019

                                                                                                                                                 








                                                                                                                                                 









Clique Aqui - Visualizar e Imprimir estes Subsídio ao Professor

Importo: Flexão de importar.
1. Que dá importância para algo.
Ex.
Professor, Eu me importo muito com você.
https://www.dicionarioinformal.com.br/importo/

inicie o primeiro tópico da lição fazendo a seguinte indagação: “Quais são as três dimensões do amor ágape?”. Ouça os alunos e incentive a participação de todos para que aula se torne dinâmica. Em seguida, desenhe no quadro duas linhas: uma vertical e uma horizontal. Depois desenhe um ponto. A seguir explique que o amor divino possui três dimensões: (1) A dimensão vertical (aponte para a linha vertical). Diga que é o amor em direção a Deus. (2) Dimensão horizontal (aponte para a linha horizontal). Fale que é amor em direção ao nosso semelhante. (3) Dimensão interior (mostre o ponto). É o amor em direção a nós mesmos. Diga que se conseguirmos cumprir essas três dimensões, cumprimos toda a lei. Para concluir, peça que um aluno leia Lucas 10.27: “Amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento e ao teu próximo como a ti mesmo”. Explique que como crentes precisamos viver esses três aspectos.(Lições CPAD Jovens e Adultos » Adultos 2017 » 1º Trimestre)


Versículo do Dia
"Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus?", 1 Jo 3.17


Para Impactar
Devemos escapar do comodismo e demonstrar com ações que o nosso próximo é sim muito importante pois, se não amarmos o próximo como amaremos a Cristo?
O que nos identifica como cristãos discípulos é o amor:
Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.(João 13:35)


Objetivos da Lição
- Aprender sobre a beneficência;
- Compreender o valor de amar o próximo;
- Aplicar os valores da caridade em nossa vida.




 1 João 3.16-19
16 - Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos.
17 - Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus?
18 - Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade.
19 - E nisto conhecemos que somos da verdade, e diante dele asseguraremos nossos corações;


Introdução
Nesta lição estudaremos sobre o valor de se estender a mão ao necessitado. Veremos que a verdadeira riqueza não está ligada ao que se possui, e sim a capacidade de doar. Amar o próximo não é apenas um sentimento, mas também uma ação.


#pontochave
"Só venceremos a indiferença desse mundo se nos tornarmos a diferença. "Não me preocupo com o que pode acontecer daqui a cem anos. Aquele que governava o mundo antes de eu nascer cuidará disso igualmente, quando eu estiver morto. A minha parte é melhorar o momento presente". John Wesley


1 - O que é Amar o Próximo
"E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.", Mt 22.39"

1.1 - O Verdadeiro Amor
"A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei." Rm13.8
O Senhor Jesus durante o seu ministério terreno fez questão de, inúmeras vezes, demonstrar a importância de amar o próximo.
Quando Ele diz que devemos amar o próximo como a nós mesmos, significa que devemos fazer com que o nosso próximo viva com a mesma dignidade que nós vivemos.
O apóstolo João diz que Deus é amor, quem não ama, jamais o conheceu (1Jo 4.7,8,12,20). Certa vez, um fariseu perguntou a Jesus qual era o grande mandamento da Lei. Então, o Mestre ensinou que amar ao Senhor de todo o coração e ao próximo é um resumo de todos os mandamentos (Mt 22.37-40). É importante ressaltar que amor não é somente sentimento, mas ação. Não basta amar somente de palavras.
O amor como fruto do Espírito faz com que eu queira para os outros aquilo que desejo para mim. Faz com que eu tenha prazer em doar meu tempo, meus dons e talentos para o bem do meu próximo.

(Lições CPAD Jovens e Adultos » Adultos 2017 » 1º Trimestre)

1.2 - Uma Prova de Amor
Há inúmeras demonstrações de amor na Bíblia, mas uma história que se encaixa muito bem neste tema é a parábola do Bom Samaritano (Lc 10.25-37), na qual um homem é assaltado e agredido, ficando desfalecido na estrada. Dois religiosos passam ao largo, porém um samaritano demonstra o verdadeiro valor do amor ao próximo, sem olhar para a cultura, a religião, a cor e tantas coisas mais, ele prontamente decide ajudar o seu próximo, sem reservas, apenas por amor.
Caridade.
O samaritano da parábola não apenas aproxima-se do homem que está ferido à beira do caminho e nem somente se compadece dele, mas decide curá-lo, dar-lhe atendimento de emergência e conduzi-lo a uma estalagem (v.34). Já na estalagem, o samaritano recomenda ao hospedeiro que cuide do homem, pois ele prosseguiria sua viagem e, quando voltasse, pagaria qualquer despesa que tivesse sido gerada (v.35). Tais atitudes são uma clara demonstração de amor, ou seja, o amor do samaritano ao próximo foi expresso em atitudes e ações, ao ponto de se comprometer até mesmo com os gastos que seriam gerados com a hospedagem do homem ferido. Para Cristo, só existe realmente caridade se houver demonstração de amor, pois no texto de João 3.16 não diz apenas que Deus “amou”, mas também que Ele “deu” o seu Filho. A evidência de que Deus ama é demonstrada pela sua compaixão pelo mundo perdido. Deus se compadece e mostra isso na prática (Rm 9.16).

(Lições CPAD Jovens e Adultos » Adultos 2018 » 4º Trimestre)


2 - O Papel do Cristão
"E a multidão o interrogava, dizendo: Que faremos, pois?E, respondendo ele, disse-lhes: Quem tiver duas túnicas, reparta com o que não tem, e quem tiver alimentos, faça da mesma maneira.", (Lc 3.10,11)

2.1 - A Importância de se Fazer o Bem
Fazer o bem ao próximo além de uma ordenança do próprio Senhor Jesus, também produz recompensa:
Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.Tiago 4:17)

Faça o bem (v.17). Fazer o bem é uma afirmação da Epístola de Tiago que lembra as suas primeiras recomendações de não sermos apenas ouvintes, mas praticantes da Palavra (Tg 1.22-25). Ora, se nós ouvimos, entendemos, compreendemos e podemos fazer o que deve ser feito, mas não o fazemos, estamos em pecado. Deus condena o pecado de omissão! Não sejamos omissos quanto àquilo que podemos e devemos fazer! Como discípulos de Cristo não podemos recuar. Antes, temos de perseverar em perseguir o alvo que nos foi proposto até o fim (Fp 3.14).

2.2 - Estendo a Mão
Vemos nos dias de hoje milhares de pessoas que são consumidas pela avareza (apego excessivo a riqueza) e pelo egoísmo (amor exagerado a seus próprios interesses), porém, nada é mais satisfatório na vida de um cristão do que ver a alegria de quem é alcançado por uma mão estendida em momentos de adversidades.
"E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada.", Hb 13.16.
Servir a Deus e ao próximo. Salvos em Cristo, temos a responsabilidade e o compromisso de servir a Deus e ao próximo (Mc 10.43; 2 Co 8.13,14; Hb 6.10). A dedicação do servo de Deus (gr. diakonia) para com o necessitado é uma expressão de fé e espiritualidade por expressar o amor de Deus (1 Jo 3.16). Não podemos esquecer-nos de que a fé e a ação devem caminhar juntas. A Palavra de Deus assegura-nos que a “fé sem obras é morta” (Tg 2.7). Infelizmente, muitos confessam a Cristo como Salvador, mas não servem a Deus e nada fazem em favor do seu semelhante. (Lições CPAD Jovens e Adultos » Adultos 2011 » 3º Trim.)


3- Fazendo a Diferença
"Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.", 2 Tm 1.7

3.1 - Mãos Preparadas
A beneficência deve ser uma prática comum a todo cristão que observa a Palavra de Deus. A mesma compreende alguns requisitos básicos, sendo que o primeiro e mais importante é o amor ao próximo, mas paralelo a este, torna-se necessário saber abordar a pessoa que será ajudada, demonstrando que ela é importante e que a ajuda oferecida não tem outro propósito a não ser dignificar a pessoa, já que alguns indivíduos se sentem humilhados e envergonhados diante da situação de precariedade.
O livro de Tiago trata da verdadeira religião que está fundamentalmente ligada à beneficência.
"A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.", Tg 1.27
Não podemos ser como a pessoa capaz de fazer uma belíssima oração por um faminto, e depois despedi-lo sem lhe dar um único grão de arroz.
A verdadeira religião (v.27). A religião pura, santa e imaculada, de acordo com o autor sacro, é suprir a necessidade do próximo: “Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações”. O problema hoje é que a nossa atenção, quase sempre, está voltada para o prazer pessoal. Temos os olhos fechados para os necessitados que na maioria das vezes cultuam a Deus, assentados, ao nosso lado. Lembremo-nos da vida de Jesus Cristo! Ele não apenas olhou para os marginalizados, mas foi até eles e os acolheu em amor (Mt 25.35-45). A religião que agrada a Deus é aquela cujos discípulos professam e bendizem o seu nome, visitando e acolhendo os necessitados nas aflições. (Lições CPAD Jovens e Adultos » Adultos 2014 » 3º Trim.)

3.2- Tendo Estratégias
Para o êxito da beneficência através da igreja do Senhor é importante criar estratégias desde o recolhimento dos donativos até a sua entrega. Também se faz necessário que os voluntários sejam pessoas de fé, inteligência e coragem.
"E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada.", Hb 13.16
Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o SENHOR pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a beneficiência, e andes humildemente com o teu Deus?” (Mq 6.8).
Outra tendência que diminui a importância do cuidado mútuo é a ênfase nas conquistas pessoais. A pessoa está tão focada em conseguir, obter e vencer que não atenta para o fato de, como membro do Corpo de Cristo, ter a responsabilidade de cuidar do outro. Mesmo após o novo nascimento, várias vez temos a tendência, como escreveu John Stott, de “proclamar a salvação individual, sem enfatizar a integração na comunidade dos salvos”.(Revista do professor)
Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.
(Gl 6:2)

Irmandade e companheirismo. Na saudação seguinte, sentimos o peso que tinha a comunidade cristã para Paulo e o valor do seu companheirismo (Rm 16.7,8). A igreja é o Corpo de Cristo. Ela é uma grande família. Conscientizemo-nos da importância que tem a fraternidade cristã para a saúde da igreja. Infelizmente a nossa espiritualidade segue mais um modelo de condomínio, onde ninguém conhece ninguém, do que de uma casa de família, onde todos se
conhecem e se relacionam. (Lições CPAD Jovens e Adultos » Adultos 2016 » 2º Trim)
“Ação Social: Compromisso de uma igreja
Porque falar em ação social da igreja quando estamos discursando sobre a Igreja Viva? Porque cremos ser esta, sem dúvida, uma das manifestações mais convincentes de que a vida de Deus está no meio de seu povo.
1. Avivamento e ação social: equilíbrio. O avivamento espiritual, que é tanto a causa como o produto de uma Igreja Viva, precisa abranger a igreja como um todo, se não queremos um organismo aleijado ou disforme. Não se pode falar de um avivamento que priorize apenas um aspecto da totalidade do ser humano como, por exemplo, o destino de sua alma, em detrimento de seu bem-estar físico e social.
Não nos interessa uma comunidade apenas voltada para o futuro, em prejuízo do hoje, pois isso implica em negligenciar as necessidades imediatas e urgentes do ser humano. O homem vive na dimensão do aqui e agora. Tem fome, frio, doença, sofre injustiças; enfim, tem mil motivos para não ser feliz. Nossa missão, pois, é socorrer o homem no seu todo, para que não somente usufrua paz de espírito, mas também conserve no corpo e na mente motivos de alegria e esperança. O projeto de Jesus é para o homem todo e para todos os homens. Fugir dessa verdade é desobediência e rebelião contra aquEle que nos comissionou.

Um verdadeiro avivamento trará de volta ao crente brasileiro o amor pelos quase 50 milhões de irmãos pátrios que vivem na pobreza absoluta. O estilo de vida de uma igreja avivada não se presta a esquisitices humanas, mas à formação de personalidades de acordo com o caráter de Cristo, que não negligenciam o amor ao próximo”. (CIDACO, J. A. Um grito pela vida da igreja. RJ: CPAD, 1996, p.87-8.)


Conclusão
O maior mandamento entre todos é "Amar a Deus sobre todas as coisas e ao seu próximo como a ti mesmo." Esse amor precisa ser demonstrado não apenas em palavras mas também em ações! O verdadeiro cristão é sensível aos problemas e necessidades alheias. Pare e pense: as suas atitudes e obras para com o próximo refletem o amor de Cristo e sua profissão de fé?

Fonte
Revista BETEL - Conectar +. Tema: Escapa-te por tua vida, 4 Trimestre 2019


                                                                                                                                                 


Estimado professor, segue abaixo alguns links como material de apoio desta lição.

                                                                                                                                                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário