quarta-feira, 10 de julho de 2019

Lição 4 - Deus Pai e seu Santo Nome

Aula presencial dia 28 de Julho de 2019 












    

Lição 4 - Deus Pai e seu Santo Nome


Nota: As dicas e informações que deixo em todas as aulas são algumas práticas que alcancei bons resultados e tenho prazer em compartilhá-la.

Informações didáticas para o professor:Adolescere é uma palavra latina que significa crescer, desenvolver-se, tornar-se jovem.”(Luisa Fernanda Habigzang, Eva Diniz, Sílvia H. Koller ,2014)
Durante sua aula lembre-se que o jovem e o adolescente gostam de serem ouvidos, serem protagonistas. Utilize tais características ao seu favor para que os mesmos não sejam passivos, mas ativos na construção do conhecimento.

Dica: Inicie a aula reproduzindo o versículo abaixo:
“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14).

Leia com a classe o versículo reproduzido e pergunte: qual alternativa está correta?
a) Minha salvação não depende de  santificação.
Errado, porque a santificação esta vinculada ao novo nascimento e quem é salvo (nasceu de novo) vive um processo constante de santificação.
b) Sou salvo por meio da santificação.
Errado, não é a santificação que produz a salvação, mas, a salvação produz a santificação.
c) A salvação que alcancei pela graça, produz em mim santificação.
A alternativa c está correta
Explicação:

Quando somos salvos por Jesus “nascemos de novo” e o Espírito Santo passa a atuar plenamente em nossa vida operando em nós um processo continuo chamado santificação. Portanto a santificação ocorre na vida daquele que foi alcançado pela salvação. 



Versículo do Dia
Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; (Mateus 6:9)



Para Impactar
Dentre os tantos atributos de Deus, Sua Santidade merece destaque, pois isso identifica o caráter do Senhor.



Objetivos da Lição
1 - Aprender o significado Santo;
2 - Entender que Deus é totalmente santo
3 - Compreender que nós devemos buscar a santidade em todo o tempo.




Texto de Referência
 Ezequiel 36.22-27 
22. Dize portanto à casa de Israel: Assim diz o Senhor DEUS: Não é por respeito a vós que eu faço isto, ó casa de Israel, mas pelo meu santo nome, que profanastes entre as nações para onde fostes.
23.E eu santificarei o meu grande nome, que foi profanado entre os gentios, o qual profanastes no meio deles; e os gentios saberão que eu sou o SENHOR, diz o Senhor DEUS, quando eu for santificado aos seus olhos.
24. E vos tomarei dentre os gentios, e vos congregarei de todas as terras, e vos trarei para a vossa terra.
25. Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei.
26. E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne.
27. E porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis.



INTRODUÇÃO 
Nesta lição, buscaremos entender esse atributo tão maravilhoso de Deus: a Santidade. É importante saber que o Senhor é Santo, e que deseja que seu povo se torne o reflexo dEle, também sendo santos.



PONTO CHAVE 
A santidade de Deus é sua própria essência, é o que define suas ordens, seu caráter e suas decisões.



1. O QUE É SER SANTO ? 
"Ó Senhor, quem é como tu, entre os deuses? Quem é como tu, glorificado em santidade, terrível em louvores, obrando maravilhas?” (Êx 15.11)

1.1  Entendendo o significado de Santo. 
A palavra Santo, na Bíblia, tem origem na palavra hebraica "Qadosh", que significa sagrado, consagrado, mártir e separado.

Palavras relacionadas ao tema em estudo:


• Deus: "Porém tu és Santo, o que habita entre os louvores de Israel",
(SI 22.3).
• Pessoa: "Também ungirás a Arão e os santificarás para me administrarem o sacerdócio", (Êx 30.30).
• Povo: "Fala a toda a congregação dos filhos de Israel, e dize-lhes: Santos sereis, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo",(Lv 19.2).                    
• Lugar: "E tomarás o carneiro das consagrações e cozerás a sua carne no lugar santo” (Êx 29.31).
• Objetos: "Assim, santificarás estas coisas, para que sejam santíssimas; tudo o que tocar nelas será santo", (Êx 30.29)

1.2  A Santificação.                      
A Santificação é o processo contínuo e gradativo que o homem busca para se tornar santo. [...] A Palavra de Deus é um manual completo para quem deseja uma vida mais santa, Jesus disse:
"Santifica-os na verdade, a tua Palavra é a verdade", Jo 17.17.
Definição etimológica. A palavra santificação, nos seus dois principais termos das Sagradas Escrituras (qōdesh, no A.T., e hagiazō, no N.T.), significam: separação do mundo e consagração a Deus.
Definição teológica. Tendo por base a graça divina, a santificação leva o crente a separar-se do mundo, de sua filosofia de vida e de suas vis concupiscências, a fim de consagrar-se totalmente a Deus e ao serviço de seu Reino.(Lições CPAD Jovens e Adultos 2006 » 4º Trim.)
Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus.
Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus.(2 Co 7:1)
São dois os caminhos: Caminho do pecado ou caminho da santificação,
O caminho do pecado conduz à morte, o caminho da santificação nos conduz à vida.
Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. (Rm 8.13)
O princípio. ‘Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são do Espírito, para as coisas do Espírito’. A palavra ‘carne’ representa a natureza antiga e pecaminosa que não recebeu a renovação e vive segundo o homem não regenerado. Pode ser considerada a ‘baixa natureza’ ou a ‘natureza animalesca’. A expressão abrange tanto a totalidade da vida não renovada e que vive longe de Deus, como todas as atividades em que o eu - próprio é o centro. Quando alguém coloca Deus no centro da sua vida, passa a andar segundo o Espírito.
O resultado. ‘Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz’. O termo ‘morte’ se refere não apenas à morte física, mas a separação presente e futura de Deus, fonte de toda vida espiritual.
A razão. ‘Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser’. O homem carnal, para quem o eu - próprio é a lei suprema, naturalmente tem ressentimento contra Deus e sua bendita vontade [...]”
( PEARLMAN, M. Epístolas paulinas: Semeando as doutrinas cristãs. Coleção Myer Pearlman. RJ: CPAD, 1998, pp.28-9).



2.  A SANTIDADE DE DEUS  

2.1  A Santidade e sua Essência. 
A Santidade de Deus é a Sua própria essência, é o que define suas ordens, seu caráter e suas decisões.
A santidade de Deus.
Essa santidade é absoluta, pois Deus é santo em seu caráter e essência, conforme disse o profeta Amós, em duas ocasiões: "Jurou o Senhor Jeová, pela sua santidade" e "Jurou o Senhor Jeová pela sua alma" (Am 4.2; 6.8). A santidade é característica fundamental de Deus (Is 6.3; Ap 4.8). Ele é singular por causa de sua majestade infinita e também em virtude de se tratar de um Ser totalmente distinto e separado, em pureza, de suas criaturas (SI 99.1-5). Essa santidade é a plenitude gloriosa da excelência moral de Deus, que existe nEle e que nEle se originou, não tendo sido derivada de ninguém: "Não há santo como é o SENHOR [...]" (1 Sm 2.2).

(Lições CPAD Jovens e Adultos 2017 » 3º Trim.)

2.2  Seu nome é Santo. 
Deus é Santo em tudo, inclusive no seu próprio nome.
"Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão; porque o Senhor não terá por inocente o que tomar seu nome em vão", Êx 20.7.
Não tomarás o Nome do Senhor em vão 
Será que este mandamento se refere a apenas dominarmos a nossa língua para não misturarmos o nome de Deus em expressões banais, tais como: “Meu Deus do Céu”, “Deus é brasileiro”, “Ai meu Deus” ou “Por Deus”? Ou ainda “Se Deus quiser”, “Que Deus te ajude e a mim não desampare”? Será mesmo que o terceiro mandamento se refere exclusivamente a esses ditados populares que sequer existiam na época em que ele foi proferido por Deus?
Quando estudamos a natureza da religião egípcia dirigida por Faraó, percebemos que o rei fazia tudo em nome do seu deus. Muitos eram os deuses do Egito: deuses Rá, Osíris, Amon, Serápis e muitos outros. Faraó se declarava o dono da terra, das suas colheitas e, em nome do seu deus, ele se via o dono do povo egipciano.
As guerras e os roubos das nações eram feitos em nome desses deuses. O culto aos deuses egípcios encobria às maldades, perversidades, riquezas palacianas, mentiras e a escravidão da realeza. Tudo era legitimado pelo culto prestado a tais divindades. Uma prática normal que, mais tarde, influenciou as nações da região de Canaã. O problema de legitimar todas as práticas de Faraó em nome de um deus é que o rei não estava interessado em saber qual era a real vontade desta suposta divindade, mas apenas usar o seu nome para legitimar todo o seu projeto de poder real. Com o Deus de Israel, o seu nome não poderia ser tomado em vão.
O povo de Israel não poderia usar o nome de Deus para reproduzir o mesmo modelo enganador de Faraó. O Criador não estava interessado que o Seu nome fosse usado para legitimar interesses de autoridades reais, mas que, de fato, colocassem em prática a sua suprema vontade. Ele não estava disposto a servir aos interesses do povo, mas o povo deveria viver os Seus interesses.
Deus revelou o Seu nome a Moisés: “EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós [...] o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó me enviou até vós. Este é o meu nome eternamente” (Êx 3.14,15). Ele é o EMANUEL, o Deus conosco. Mais tarde os líderes usaram o nome de Deus em vão, sistematicamente, colocando sobre o povo uma carga que nem eles agüentavam (Mt 23.4). Proposições que em nada tinham haver com a vontade de Deus, a sua justiça, misericórdia e amor (Mt 23.23-24). Eles banalizaram o nome de Deus! Mas Jesus é o santo nome, o Deus Conosco, a plena revelação da divindade. O nome que revela amor, justiça e misericórdia.

Fonte: (Pr. Ezequias Soares, Lições CPAD Jovens e adultos  » 2015 » 1º Trim.)



3. O HOMEM E A SANTIDADE DE DEUS  
"Portanto, santificai-vos e sede santos, pois eu sou o Senhor, vosso Deus", Lv 20.7.

3.1  Tomando-se Santos. 
Um dos grandes desafios do cristianismo, não é simplesmente formar seguidores, mas sim torná-los verdadeiros adoradores e santos na presença do Altíssimo.
John Wesley escreveu:
"A conversão tira o cristão do mundo; a santificação tira o mundo do cristão".
 A santificação real.
É conhecida como a santificação presente. Ela é progressiva (Pv 4.18). A cada dia avançamos em santidade:
"Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo, como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor" (2 Co 3.18).
Observe que havia crentes carnais na Igreja de Corinto (1Co 3.3) e, mesmo assim, eles são considerados "santos", por isso precisavam de crescimento espiritual (2 Pé 3.18). De igual modo, o apóstolo Pedro exorta à santificação (1 Pe 1.15,16) os mesmos que ele antes chama "santos" 1 Pe 1.2). Isso é possível porque somos nascidos de Deus (1 Jo 4.7; 5.1) e o Espírito Santo está em nós e habita em nós (Jo 14.17; 2 Tm 1.14).

3.2  Caminhos para a Santificação. 
É possível ser santo?
Sim! É possível. E deve ser o desejo de todo cristão se parecer com Jesus e ter uma vida santa, assim como o Mestre teve. Pela sua infinita graça, Deus concede vida santa a todos os pecadores, desde que eles se arrependam e confessem o nome de Jesus (Rm 10.9,10). Assim, Deus disponibilizou três meios para a santificação:
O sangue de Jesus: "E, por isso, também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta" (Hb 13.12);
O Espírito Santo : “Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade”
(2 Ts 2.13);
A Palavra de Deus:  Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.
(João 17:17)
(Lições CPAD Jovens e adultos  » 2015 » 1º Trim.)



CONCLUSÃO
Compreender a Santidade é descobrir a essência do Deus Altíssimo, é entender que jamais o Senhor tomará qualquer decisão que venha colocar em xeque seu padrão de perfeita Santidade



BIBLIOGRAFIA

[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Conectar + - 3 trimestre 2019, ano 3, número 10 - Editora Betel



                                                                                                                                                                              
[     

Olá Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio que encontrei para acrescentar algo mais na sua preparação de Plano Aula.

Clique Aqui - Lição Completa CPAD - A necessidade de termos uma vida Santa

                                                                                                                                                                              


Nenhum comentário:

Postar um comentário