terça-feira, 25 de junho de 2019

Lição 1- A Doutrina da trindade

Aula presencial dia 7 de Julho de 2019 






AGUARDE POSTAGEM DO QUESTIONÁRIO COMPLEMENTAR










                                       

Lição 1 - A Doutrina da Trindade
Professor, bem vindo ao 3º trimestre, lições muito ricas e abençoadas. Para iniciarmos o estudo apresente o comentarista do trimestre, o tema do trimestre “A trindade divina na vida do jovem”. Apresente também as lições que estudaremos no trimestre. Um excelente e abençoado trimestre a todos!

Dica : Que tal criar um grupo no Whatsapp, com os alunos de sua sala, é uma forma legal de interação e também uma ferramenta importante para incentivá-los durante a semana.


Clique Aqui - Imprimir ou Baixar - Comentário desta Lição 1 - Presb. Gérson Tomé


Versículo do Dia
"A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós. Amém.", 2 Co 13.14



Para Impactar
A Trindade é definida como um ser divino, dividido em três pessoas distintas, mas com os mesmos atributos e poder.


Objetivos da Lição
1 - Compreender o que significa Trindade
2 - Entender as três pessoas de Deus
3 - Aprender que Deus, Jesus e o Espírito Santo têm o mesmo padrão de Poder e Glória.





Texto de Referência
 Mateus 2.13-17 correto é Mateus 3.13-17 
13- Então, veio Jesus da Galiléia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele.
14 - Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim?
15 - Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então, ele o permitiu.
16 - E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele.

17 - E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.



INTRODUÇÃO 
Neste trimestre trataremos da Trindade, um tema complexo, mas fundamental no auxílio do crescimento espiritual. Aprender sobre a trindade, é buscar entender a grandeza do Deus Pai, do Filho e do Espírito Santo.



PONTO CHAVE 
Trindade deve ser entendida como três seres Divinos e distintos, mas com mesmo poder e Glória, ou seja, apesar de três, a essência é única consiste na onipotência, onisciência, onipresença etc. 
Inicie a aula perguntando:  O que é doutrina mesmo?

Doutrina: No Novo Testamento, a palavra grega mais empregada para doutrina é didachē, cujo sentido é “instrução” e “ensino”. A igreja primitiva fazia uso do vocábulo didachē para referir-se “a doutrina dos apóstolos” (At 2.42).





1. CONCEITO DE TRINDADE 

1.1  Entendendo a Trindade. 
A Trindade deve ser entendida como três seres Divinos e distintos, mas com o mesmo poder e Glória, ou seja, apesar de três, a essência é única.
Existem muitas incógnitas no que se refere a Trindade, mas o que a Bí9blia deixa claro é que tanto o Pai, como o Filho e o Espírito Santo tem em sua essência, atributos imutáveis, perfeitos e santos, o que denota não uma hierarquia entre eles, mas sim uma harmonia dentro de um mesmo grau de poder.Desta forma não podemos tratar Trindade como três Deuses, pois a essência de ambos está sobre um mesmo alicerce, Deus.
"E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.", Mc 12.29

1.2  Não há Contradição.                      
Apesar da complexidade de se entender o mistério da Trindade diante de nossa mente tão finita, o que podemos afirmar é que esta doutrina não apresenta contrariedade, pois cremos em um Deus único, onde três pessoas distintas estão arraigadas à mesma essência e natureza.
Seria como fazer um somatório simples:O Deus Criador + O Deus Salvador + O Deus Consolador = O Deus Todo-Poderoso.
O argumento em si. As Escrituras mostram as três pessoas da Divindade agindo em perfeita unidade, em todas as obras poderosas operadas no Universo e na redenção humana. Nas Escrituras Sagradas a obra da criação é atribuída ao Pai (Gn 1.1), ao Filho (Cl 1.16), e ao Espírito Santo (Jó 26.13; Sl 104.30). A encarnação é mostrada como tendo sido realizada pelas três pessoas (Lc 1.35), embora apenas o Filho tenha se tornado carne e habitado entre nós. No batismo de Jesus, o Filho saiu da água, o Espírito pairou sobre Ele e a voz do Pai falou do Céu (Mt 3.16,17)”.
(SILVA, S. P. A doutrina de Deus. 5.ed. RJ: CPAD, 2002, p.109-10.)



2.  PESSOAS DISTINTAS, UM MESMO DEUS! 
"E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele.
E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo."(Mt3.16,17)

2.1  Deus Pai e Filho. 
O Batismo de Jesus deixa muito claro a existência da Trindade, o Filho sendo batizado, o Espírito Santo acompanhando e o Pai testemunhando, demonstrando que, assim como na criação de todas as coisas, Pai, Filho e Espírito Santo unidos no mesmo propósito, e tendo o mesmo critério, porque ambos são Deus.

 No batismo de Jesus (Mt 3.16,17). Nessa clássica manifestação da Trindade, vemos a Segunda Pessoa (o Filho) submeter-se ao batismo, a Terceira Pessoa (o Espírito Santo) descer como pomba sobre a Segunda Pessoa e a Primeira Pessoa declarar o seu amor à Segunda Pessoa.

2.2  Deus Espírito Santo. 
"E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre;
O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.", Jo 14.16,17
Quando o Senhor Jesus faz referência a descida do Espírito Santo de Deus, Ele o chama de Consolador, que vem do grego Parakletos, que deriva de Para (ao lado de) Kletos (chamado) que traz o seguinte sentido: "aquele que é chamado para andar ao lado do outro". Ainda traz em seu sentido mais amplo, que o Consolador veio com a responsabilidade de representar Cristo na vida do ser humano, mas em um mesmo grau de poder e glória.
 Deus, o Espírito Santo - Teologicamente falamos do Espírito Santo como a Terceira Pessoa da Trindade e é Ele quem Procede do Pai e do Filho (João 15:26; Salmos 104:30; Gálatas 4:6; Filipenses 1:19). "Processão Eterna" esta frase é usada para descrever o relacionamento do Espírito Santo com o Pai e o Filho.
(Apostila Pneumatologia - Universidade da Bíblia - Página 6).



3. O QUE A TRINDADE NÃO É  
Muitas seitas tratam a Trindade como uma heresia, pois não conseguem entender que o Pai, o Filho e o Espírito estão arraigados na mesma natureza de Deus.
Exemplo de Seita:
O arianismo. 
É o nome da doutrina formulada por Ário e do movimento que ele fundou em Alexandria, Egito, no ano 318. Sua doutrina contrariava a crença ortodoxa seguida pelas igrejas desde o período apostólico. Ário ensinava que o Senhor Jesus não era da mesma substância do Pai; era criatura, criado do nada, uma classe divina de natureza inferior, nem divina nem humana, uma terceira classe entre a deidade e a humanidade. A palavra de ordem de seus seguidores era: "Houve tempo em que o Verbo não existia". Mas o ensino bíblico sustentado pelas igrejas desde o princípio afirma que o Filho é eterno (Is 9.6), pois transcende a criação:
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2017 » 3º Trimestre)
"E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele" (Cl 1.17).


3.1  Três deuses Distintos. 
Dentre as ideias absurdas que surgem de maneira sorrateira dentro das novas teologias, algumas são extremamente perigosas.
Dentro do tema Trindade, algumas pessoas tratam os três como deuses distintos, ou seja, aceitam o politeísmo (crença em vários deuses), e não somente isso, tratam como se Deus Pai fosse o ser supremo, Jesus como um ser um pouco menos poderoso e que o Espírito Santo seria o menor dos três. O que podemos dizer disso é que é antibíblico, e deve sei ignorado, pois a Bíblia é clara quanto ao poder de ambos, e que os três se difundem em um Deus Todo-Poderoso.
Confissão da Fé Batista da Filadélfia:
"Neste Ser divino e infinito há três Pessoas, o Pai, a Palavra (Filho), e o Espírito Santo, de uma só substância, poder e eternidade, cada uma tendo toda a essência divina, sem dividir a tal: O pai não é gerado nem procedido de; o Filho é gerado eternamente pelo Pai; o Espírito Santo procede do Pai e do Filho; completamente infinito, sem começo, portanto, só um Deus, Que não é dividido em natureza nem ser, mas distingüido por propriedades peculiares e relativas, e por relações pessoais; qual doutrina senão a da Trindade é o alicerce de toda e qualquer comunhão com Deus, e dependência confortável nEle."
(Apostila Pneumatologia - Universidade da Bíblia - Página 6).

3.2  Espírito Santo como Energia. 
Dentro dos equívocos teológicos sobre a Trindade, em erro grave é tratar o Espírito Santo como uma fonte de energia vinda da parte de Deus. O Espírito Santo é Deus. A Bíblia refuta essa doutrina de energia, pois o Espírito fala (At 13.2), Ele pensa (1Co 2.10-11) e Ele sente (Ef 4.30).
A doutrina do Espírito Santo. A pneumatologia é o estudo da pessoa, obra e ministério do Espírito Santo. O termo vem de pneuma (gr. “ar”, “vento”, “espírito”), cognato do verbo pnéo, “respirar”, “soprar”, “inspirar”.
Há teólogos, frios na fé, modernistas e irreverentes que, menosprezando o Espírito Santo, afirmam que Ele é tão somente uma força, ou poder, que emana de Deus. Todavia, o Consolador é a Terceira Pessoa da Trindade. Sim. Ele é uma pessoa em toda a sua plenitude, pois ensina, guia, consola e fala (Jo 14.26; 16.13; At 21.11). Como pessoa, o Espírito Santo chama-se a Si mesmo “Eu” (At 10.19.20).
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2011 » 2º Trimestre)
“O Espírito Santo e Sua Pessoalidade
Tanto explícita como implicitamente, a Bíblia trata o Espírito Santo como uma Pessoa distinta. ‘E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos’ (Rm 8.27). ‘O Espírito penetra todas as coisas’ (1 Co 2.10). Desse modo. Ele age com inteligência e sabedoria (ver Efésios 1.17; Isaías 11.2). Ele tem emoções e pode ser entristecido ou ofendido (magoado, desgostado: Efésios 4.30; Isaías 63.10). Ele reparte dons ‘a cada um como quer’ (1 Co 12.11). Ele guiou a Igreja Primitiva e dirigiu os principais movimentos missionários de forma nítida, específica e pessoal. (Ver Atos 13.2; 16.6). O apóstolo João até usa pronomes pessoais masculinos para indicar a pessoa do Espírito. (A palavra espírito em grego é sempre neutra, e exige, gramaticalmente, pronomes neutros).
Mais importante do que isso, a Bíblia deixa claro que homens e mulheres, os quais foram movidos pelo Espírito Santo, conheciam-no de modo específico e pessoal.
[...] O Espírito Santo fornecia calor, a dinâmica, e a alegria que caracterizavam todo o movimento do Evangelho no primeiro século. Cada parte da vida diária dos crentes, inclusive seu trabalho e sua adoração, era dedicada a Cristo Jesus como Senhor e estava sob a orientação do Espírito Santo” (HORTON, S. M. A Doutrina do Espírito Santo. 5.ed., RJ: CPAD, 1995, pp.8.9).



CONCLUSÃO
Concernente a Trindade, existem muitas perguntas que o ser humano, dentro de suas limitações, não terá condições de responder, porém o que a Bíblia revela é que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são três pessoas distintas, mas o mesmo Deus Soberano.



BIBLIOGRAFIA

[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Conectar + - 3 trimestre 2019, ano 3, número 10 - Editora Betel



                                                                                                                                                                              
[     

Olá Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio que encontrei para acrescentar algo mais na sua preparação de Plano Aula.

Clique Aqui - Lição Completa com SLIDE CPAD - Doutrina da Trindade

Clique Aqui - Estudo - A Importância da Doutrina da Trindade


Segue abaixo alguns vídeos de pré-aula sobre o tema proposto gravados para auxilio aos professores de outras Revistas, todavia, é de grande valia.




                                                                                                                                                                              


Um comentário:

  1. O Deus trino

    Falar da trindade de Deus é representa-lo em uma linguagem simples distiguindos-os distintamente em tres pessoas distintas, inseridas com as mesmas características divinas entre si, denominado em o Deus triuno e divino, ou seja, eles são: O Poder, A Vontade, e O Sentimento.

    O Poder: Só tem poder, porque a vontade e o sentimento, são caracteristicas fortes.

    A vontade: A Vontade é colocada em prática por causa do Poder, e o Sentimento, ou seja, fazendo ser a sua vontade, Boa, Perfeita, e Agradável.

    O Sentimento: É colocar o amor Deles na prática, como ter tanto poder e vontade e não amar? É muita benção para nossa vida existir um Deus assim por Jesus Cristo Nosso Senhor. Oh! Glória!

    ResponderExcluir