segunda-feira, 10 de junho de 2019

Lição 11 - A Igreja no Poder do Espirito Santo

Aula presencial dia 16 de Junho de 2019 

Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  
Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e 
adicionar conteúdo.



Hinos sugeridos para essa Aula

227 - Deus Amou de Tal Maneira

247 - Deus nos Guarde no Seu Amor

 442 - Breve Verei o Bom Jesus










                                       


Texto Áureo
E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura" (Mc 16.15).
Professor é importante explicar que ganhar almas para Jesus envolve um processo onde cada participante deste processo dará a sua contribuição, lembre-se que Paulo plantou, Apolo regou e Deus deu o crescimento.
Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento.
Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento.
Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho.(1 Co 3:6-8)
Portanto alguns pregam, outros ensinam, outros visitam, outros oram, outros disponibilizam recursos, enfim, cada um pode e deve contribuir de alguma forma para que as almas sejam salvas. Fazemos com alegria porque o Espírito Santo que está em nós nos impulsiona e nos anima para fazermos o que sabemos e podemos



Verdade Aplicada
Uma Igreja que age no poder do Espírito busca em seu viver o ensino e a proclamação do Evangelho.
Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra (Atos 1:8).
A espiritualidade de uma igreja pode ser medida observando o comprometimento que a mesma tem com a evangelização. Tessalonica era uma igreja modelo uma de suas características era ser propagadora do evangelho:
Porque por vós soou a palavra do Senhor, não somente na macedônia e Acaia, mas também em todos os lugares a vossa fé para com Deus se espalhou, de tal maneira que já dela não temos necessidade de falar coisa alguma;  (1 Ts 1:8).



Objetivos da Lição
1 - Apresentar os dons ministeriais que a igreja de Antioquia possuía;
2 - Mostrar que uma igreja saudável deve agir de acordo com a tríade da saúde espiritual: ensino, comunhão e missão;
3 - Explicar a importância da atuação do Espírito para o sucesso da obra.



Motivo de Oração
Ore pelas missões mundiais e pelos países menos evangelizados do mundo. 




Atos 11.26-30 
26 - E sucedeu que todo um ano se reuniram naquela igreja e ensinaram muita gente; e em Antioquia foram os discípulos, pela primeira vez, chamados cristãos.
27 - E,naqueles dias, desceram profetas de Jerusalém para Antioquia.
28 - E, levantando-se um deles, por nome Ágabo, dava a entender, pelo Espírito, que haveria uma grande fome me todo o mundo, e isso acontecimento no tempo de Cláudio César.
29 - E os discípulos determinaram mandar, cada um conforme o que pudesse, socorro aos irmãos que habitavam no Judéia.
30 - O que eles com efeito fizeram, enviando-os aos anciãos por mão de Barnabé e de Saulo.



INTRODUÇÃO 
O Espírito Santo deve ser o agente principal para uma igreja bem-sucedida.
Como disse o apóstolo Paulo: "E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito" (Ef 5.18).



1. A IGREJA DE ANTIOQUIA, UM EXEMPLO 
A igreja de Antioquia era uma igreja ativa, que possuía em seu seio pessoas dotadas com dons ministeriais, que a tornam uma igreja exemplar para os nossos dias.

1.1  Profetas. 
Uma das características da igreja de Antioquia era a presença de profetas em seu meio (At 13.1). No Antigo Testamento, os profetas eram porta-vozes de Deus. Normalmente usavam expressões como "Assim diz o Senhor" ou "veio a mim a palavra do Senhor" (Is 45.1; Jr 1.13; 27.4). No Novo Testamento, o profeta falava baseado na revelação do Antigo Testamento e no testemunho dos apóstolos, edificando, fortalecendo e consolando assim a comunidade cristã (1Co 12.28-29; 14.3; Ef 4.11).
O Ministério de Profeta 
O ministério de profeta ainda é válido para os nossos dias? Esta pergunta é polêmica em alguns lugares. Há pessoas que dão por encerrado esse ministério. Se fosse verdade, algumas perguntas seriam inevitáveis: Quando encerrou? Quem o encerrou? E como ficam as experiências do exercício do ministério de profeta relatadas pelo Novo Testamento e ao longo da História da Igreja?
Os exemplos são diversos. Em o Novo Testamento Ágabo e outros profetas exerciam o ministério em Antioquia (At 11.27-30; 21.10-12). As filhas de Filipe eram profetisas (At 21.8,9). Apesar de usar o ministério para o mal, a mulher em Apocalipse, de codinome de Jezabel, dizia-se profetisa (Ap 2.20) — por isso achava-se respeitada na comunidade cristã de Tiatira induzindo a muitos para a prostituição.
Outros exemplos são profusos na história da Igreja. Podemos começar por um documento cristão antigo datado do segundo século: “Didaqué: A Instrução dos Doze Apóstolos”. Apesar de se chamar “A instrução dos Doze”, o documento não foi escrito pelos doze apóstolos de Cristo, mas formulado pelas lideranças da igreja do segundo século objetivando orientar os fiéis sobre vários assuntos da vida cristã. No capítulo 11, sobre “A Vida em Comunidade”, os versículos 7-12 do documento falam do pleno exercício do ministério de profeta conforme registrado em Efésios 4.11.
Empurrado para o ralo da heresia pela igreja romana e pelos cessacionistas, e devido à autonomia profética e carismática, Montano é um grande exemplo do exercício profético entre os séculos II e III na Ásia Menor, tendo inclusive atraído um dos mais importantes pais latinos da Igreja: Tertuliano.
O que dizer sobre Catarina de Siena, Tereza Dávila — mulheres que denunciaram profeticamente a corrupção de Roma —, John Huss, John Wycliffe e tanto outros gigantes da história que aprouve ao Senhor nosso Deus levantá-los como verdadeiros profetas e profetisas?
À semelhança do Antigo Testamento, o ministério dos profetas neotestamentários, e na história da Igreja, sempre foi exercido nas raias da marginalização. Indo no caminho contrário ao que foi institucionalizado como certo, quando na verdade estava corrompido e longe dos desígnios de Deus. Foi assim no Antigo Testamento; assim ocorreu em o Novo Testamento; e vem acontecendo ao longo da rica história eclesiástica. Por que teria de ser diferente na contemporaneidade?(subsidio ensinador cristão, CPAD)

1.2  Doutores.                      
Além dos profetas, os doutores ou mestres também estavam presentes naquela igreja (At 13.1). Eles são aqueles que amam a Palavra de Deus e o povo de Deus. Eles procuram ensinar verdades divinas tanto de forma prática quanto pessoal.
Não há a menor sombra de dúvida de que o Novo Testamento ordena a Igreja a ensinar. Mas a Igreja primitiva obedeceu mesmo a esse mandamento?
A Ilustração. Em Atos 2.41-47, temos um retrato da Igreja primitiva, o qual nos informa que eles ‘perseveravam na doutrina [ensino] dos apóstolos’ (2.42). Este era o padrão contínuo; não uma exceção.
A Implementação. Efésios 4 confirma o compromisso de ensinar. Jesus Cristo, após subir aos céus, deu dons aos homens, a fim de que servissem à Igreja, conforme está escrito: ‘Uns [...] para pastores e doutores [mestres, professores]’ (Ef 4.11). O propósito? ‘Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo’ (Ef 4.12); mais outra prova de que os talentosos são chamados para o ministério da multiplicação e não da adição.
Para o judeu, não havia uma posição mais alta na escada da sociedade do que a de rabino. Por conseguinte, quando a Igreja do primeiro século foi ensinada sobre a doutrina dos dons espirituais, confrontou-se com um problema. As pessoas clamavam pelo ‘dom de ensino’ com todos os privilégios a ele pertencentes. Como resultado, Tiago teve de emitir esta advertência: ‘Meus irmãos, muitos de vós não sejam mestres [professores], sabendo que receberemos mais duro juízo’ (Tg 3.1). Considerando que o professor é compelido a falar e que a língua é o último membro a ser dominado (Tg 3.2), deve-se ter muito cuidado, ao aspirar tal responsabilidade, ponderada e sensata” (GANGEL, Kenneth; HENDRICKS, Howard G. (Eds.) Manual de Ensino para o Educador Cristão: Compreendendo a natureza, as bases e o alcance do verdadeiro ensino cristão. 4 ed., RJ: CPAD, 2005, pp.6,7).

1.3  Missionários. 
O missionário dos dias de hoje exerce o ministério dos apóstolos da Igreja Primitiva, com a particularidade de que os apóstolos foram comissionados pelo Cristo ressuscitado. Eles que assentam os fundamentos de novas igrejas. Designam os líderes locais e os aconselham após partir e seguir adiante, ficando no local o tempo que for necessário.
Epafrodito, um verdadeiro missionário. Epafrodito não levou apenas boas notícias para o apóstolo, mas também propagou o Evangelho nas adjacências da cidade de Filipos. Em outras palavras, Epafrodito era um autêntico missionário. À semelhança de Silvano e Timóteo (1Ts 1.1-7), bem como Barnabé, Tito, Áquila e Priscila, ele entendia que, se o alvo era pregar o Evangelho, até mesmo os sofrimentos por causa do nome de Jesus faziam parte de seu galardão.( Lições CPAD Jovens e Adultos » 2013 » 3º Trim.)



2.  UMA VIDA SAUDÁVEL 
Uma igreja para seguir o caminho da' saúde espiritual deve ter seu compromisso com o ensino, a comunhão e a missão. Somente através destes pilares, a Igreja do Senhor pode manter-se predisposta a estar de pé diante das investidas de Satanás. O Espírito Santo está envolvido com os três aspectos mencionados: João14.26 (ensino); Atos 1.8; 13.2 (missão);e 2Coríntios 13.13 (comunhão).

2.1  Ensino. 
A Igreja tem a tarefa de ensinar a verdade de Deus como revelada nas Sagradas Escrituras. Ela tem, por implicação, o dever de crescer na compreensão dessa revelação. Assim a tarefa de erudição bíblica é responsabilidade da Igreja. Ela deve estudar tanto a revelação especial (a Bíblia) como a revelação geral (trata-se da revelação que Deus faz de si mesmo a toda a humanidade em toda parte - por exemplo: Sl 19.1-4; At 14.15-17) e as relações entre as duas. Os seminários são um meio pelo qual a igreja pode cumprir a responsabilidade de instruir. A pregação é outro meio usado pela igreja para o ensino.
Vivemos um tempo marcado pelo imediatismo, hedonismo, relativismo, desconstrução  de conceitos e outras características que têm se tornado verdadeiros desafios para a Igreja no cumprimento da missão de ensinar a outros a guardar os mandamentos transmitidos por Jesus Cristo (Mt 28.20). Infelizmente, além desses desafios, ainda há no Brasil diversas igrejas locais que não realizam Escola Bíblica Dominical e não valorizam o ensino. Com isso, até vemos crescimento no percentual  dos que afirmam professar a fé evangélica. Mas, sem ensino, será que sabem o que significa ser um discípulo de Jesus Cristo?.(Lições BETEL Jovens e Adultos » 2017 » 3º Trim.)
Segundo o Pr. Antonio Gilberto (CPAD): “A Escola Dominical é a escola de ensino bíblico da Igreja, que evangeliza enquanto ensina, conjugando assim os dois lados da comissão de Jesus à Igreja conforme Mateus 28.20 e Marcos 16.15. Ela não é uma parte da Igreja; é a própria Igreja ministrando ensino bíblico metódico”.Milhões e milhões de vidas são discipuladas nos bancos da Escola Dominical. É, sem dúvida, a maior agência de serviço voluntário em todo território nacional. E você, prezado professor, deve sentir-se feliz por fazer parte desta seleta equipe.

2.2  Comunhão. 
O que é a comunhão. A comunhão é o “vínculo de unidade fraternal mantida pelo Espírito Santo e que leva os cristãos a se sentirem um só corpo em Jesus Cristo” (Dicionário Teológico, CPAD). A palavra grega koinonia traz a ideia de cooperação e relacionamento espiritual entre os santos. A comunhão da Igreja Primitiva era completa (At 2.42). Reuniam-se em oração e súplica, mas também reuniram-se para socorrer os mais necessitados.
A comunhão de sua igreja tem como modelo os cristãos de Jerusalém? Ou não passa de um mero ajuntamento social?
Um dos meios pelos quais os membros da igreja são edificados é através da comunhão. O Novo Testamento fala de "koinonia", que significa, literalmente, ter ou manter todas as coisas em comum". E de fato, conforme Atos 5, os membros da Igreja Primitiva mantinham até mesmo as posses materiais em comum.[...]. Devemos nos encorajar mutuamente e demonstrar empatia uns pelos outros. Os cristãos devem carregar os fardos uns dos outros (Gl 6.2).
“Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz: há um só corpo e um só Espírito [...]” (Ef 4.3,4).
A comunhão cristã caracteriza-se pela unidade
Um dos sinais da atuação do Espírito Santo na Igreja Primitiva era a comunhão entre os seus membros. A comunhão faz da igreja um organismo espiritual perfeito de homens e mulheres que, apesar de sua procedências étnicas e diversidades culturais, sentem-se e agem como irmãos. A comunhão levou aqueles crentes a partilharem o que tinham, abrindo as portas para a atuação do Espírito Santo. Esta comunhão não era um mero fenômeno social era resultado da ação direta do Espírito  Santo na vida daqueles que receberam a Jesus como o seu único e suficiente salvador.A comunhão cristã constitui-se num grande mistério. É algo que a própria sociologia não pode explicar. Nem o próprio Israel de Deus, no Antigo Testamento, logrou alcançar tamanha perfeição e excelência. Aliás, as diferenças entre as doze tribos tornou-lhes impossível a unidade (1 Rs 12:1-16). Vejamos, pois, em que consistia a comunhão da Igreja Primitiva. Que este seja o nosso modelo até que o Cristo de Deus venha buscar-nos.[4] ?.(Lições BETEL Jovens e Adultos » 2017 » 1º Trim.)

2.3  Missão. 
O chamado para evangelizar é uma ordem do Cristo ressurreto. Tendo aceitado a Jesus como Senhor e Salvador, os discípulos se colocavam sob governo dEle e estavam obrigados a cumprir o que Ele lhes ordenasse. Ele mesmo declarou: "Se me amardes, guardareis meus mandamentos." (Jo 14.15). Os discípulos de Jesus não foram enviados para realizar a missão de evangelizar com as suas próprias forças, mas, sim, debaixo do poder do Espírito Santo. Por isso, Jesus Cristo nos comissionou como Seus agentes e prometeu o Espírito Santo como Consolador e promulgador de Seu poder.
Depois de convocados, preparados e advertidos dos perigos peculiares à evangelização, os discípulos estavam prontos para irem por todo Israel (Mt 11.1). Mateus omite detalhes sobre o sucesso da missão, porém Lucas não. Eles saíram por todas as aldeias, curando o povo por toda a parte (Lc 9.6). Posteriormente, eles regressaram e, empolgados, trouxeram um positivo relatório (Lc 9.10). Depois de preparados, é hora de partir a contatar as pessoas, posto que preparação demais é perda de tempo e falta de coragem. Temos que aproveitar a liberdade que há em nosso Brasil e compartilhar o Evangelho de modo sério.
Desafie os alunos ao trabalho do Senhor nestes últimos momentos. Comente com os alunos que muitos usam a desculpa da “oração e preparação”, o que demonstra falta de fé e de coragem. Destaque para os alunos que, apesar do tom sombrio do Senhor Jesus Cristo ao falar de perseguição, todavia o relatório dos seus evangelizadores foi positivo, alegre e com muitas curas. Basta obedecer e o Espírito Santo completa a obra. Merece ser especialmente salientado para os alunos que, depois da salvação em Cristo Jesus, o maior tesouro que teremos serão as almas alcançadas neste mundo para a eternidade.( Lições BETEL Jovens e Adultos » 2016 » 3º Trim.)



3. A IGREJA USADA PELO ESPÍRITO SANTO  
Somente é possível uma viva revelação com Cristo pela ação do Espirito Santo (Rm 8.9). No entanto, continuamente o cristão deve deixar-se ser usado por Ele através da obra e da transformação do caráter.

3.1  O Espírito Santo e o cristão. 
A salvação é o primeiro objetivo que o Espírito Santo procura produzir na vida de uma pessoa. O poder para uma vida e serviço santo é o Seu segundo objetivo em nós. Ele convence o não convertido (Jo 16.8-11). Produz a regeneração (Tt 3.5), liberta do poder do pecado (Rm 8.2), e dá certeza da salvação (Rm 8.16). Jesus nos prometeu que enviaria outro Consolador (Jo 14.16) e que Ele estaria conosco para sempre. Nunca estamos sozinhos em nossa caminhada, pois o Espírito Santo habita em nós
(Rm5.5). O amor de Deus derramado em nossos corações, e isso através do Espírito Santo. Esta é a prova subjetiva. Interessante é que o apóstolo acrescentou: “que nos foi dado”. O Espírito Santo nos foi dado quando recebemos a Jesus Cristo como Salvador.
Nada no mundo pode roubar a convicção da vida eterna, pois o Espírito Santo de Deus “testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus” (Rm 8.16). E algo que Deus colocou em nós, e está dentro de nós. Esse amor de Deus inunda todo o nosso ser de esperança e de júbilo. Essa prova, porém, não serve para os outros, mas só para quem tem essa comunhão com Deus.

3.2  O fruto do Espírito.
O fruto do Espírito é o ideal de santificação para a vida do cristão. O apóstolo Paulo em Gálatas 5.22 elenca as virtudes na vida dos cristãos produzidas pela ação do Espírito Santo.
Vida frutífera. Quando o crente não se submete ao Espírito, cede aos desejos da natureza pecaminosa. Mas, ao permitir que Ele controle sua vida, torna-se um solo fértil, onde o fruto é produzido. Mediante o Espírito, conseguimos vencer os desejos da carne e viver uma vida frutífera.
a) Segredo da batalha espiritual. Para ser vencedor nesta batalha, o segredo é andar no Espírito (Gl 5.24,25). Como fazemos isto? Ouvindo a sua voz, seguindo a sua liderança, obedecendo às suas ordens, confiando nEle e dependendo dEle.
b) Fruto e obras. Para mostrar o quanto é acentuado o contraste entre as obras da carne e o fruto do Espírito, o escritor aos Gálatas alistou-os no mesmo capítulo (Gl 5). Desde que o Espírito Santo dirija e influencie o crente, o fruto se manifestará naturalmente nele (Rm 8.5-10). Da mesma maneira acontece ao ímpio, cuja natureza pecaminosa é quem o governa..( Lições CPAD Jovens e Adultos » 2005 » 1º Trim.)

3.3  Os Dons do Espírito.
Dom: Do latim donum, dádiva, presente.
"Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil" (1 Co 12.7).
São muitos os dons pentecostais, suas referências se encontram em Romanos 12.3-8; 1Coríntios 12.8-10; 28-30; Efésios 4.11. Dentro do propósito, limitaremos as considerações encontradas em 1Coríntios 12.8-10. Os dons podem ser classificados em: 1) dons verbais: variedades de línguas, interpretações de línguas e profecias; 2) Dons de revelação: palavra da sabedoria, palavra do conhecimento e discernimento de espíritos; 3) Dons de habilidades: dom da fé, de curas e milagres. A experiência pentecostal não ficou limitada a era dos apóstolos (At 2.39), pois trata-se de uma promessa para os últimos dias (At 2.17). Portanto, teve início no dia de Pentecostes e se estende pelo período da Igreja na terra, para cumprir a missão dada pelo Senhor, até que ele venha.




CONCLUSÃO
Não há como conter uma igreja movida pela ação do Espírito Santo.
Aprendemos isso em 1 Tessalonicenses 1.5: "Porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo, e em muita certeza, como bem sabeis quais fomos entre vós, por amor de vós.



QUESTIONÁRIO

1. Qual era uma das características da igreja de Antioquia ?
R.: A presença de profetas em seu meio (At 13.1).

2. Quem foi um dos missionários da igreja de Antioquia ?
R.: Paulo (At 11.25-26).

3. O que os cristãos devem carregar ?
R.: Os fardos uns dos outros  (Gl 6.2).

4. O que Jesus nos prometeu ?
R.: Que enviaria outro Consolador e que Ele estaria conosco para sempre (Jo 14.16).

5. O que o apóstolo Paulo elenca em Gálatas 5.22 ?
R.: As virtudes na vida do cristão produzidas pela ação do Espirito Santo (Gl 5.22).



BIBLIOGRAFIA

[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 2 trimestre 2019, ano 29, número 111 - Editora Betel


                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             
    
   







                                                                                                                                                                              
[     

Olá Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio que encontrei para acrescentar algo mais na sua preparação de Plano Aula.

                                                                                                                                                                              


16 comentários:

  1. Oi professor! não tem os comentários da lição 11?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos aguardando o envio do comentário pelo Pb.Gérson Tomé para fazer a postagem !

      Excluir
  2. A Paz do Senhor Jesus... Há apenas uma simples transcrição do texto existente na revista, nem sequer completa? Está faltando? Ou está do jeito que é possível?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adamo, a paz do Senhor, Estamos aguardando o envio do comentário pelo Pb.Gérson Tomé para fazer a postagem !

      Excluir
  3. Miss solange aki estamos aguardando os comentarios Pb Gerson Tome nos trazer as postagens Deus Abençoe
    Bom dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miss Solange, a paz do Senhor, acabamos de postar, Bom Estudo !

      Excluir
  4. A verdadeira igreja não só leva o nome de Cristo, como também é permeada pelo Espírito Santo, através não só da transformação (fruto do espírito), e também da expansão (dons do espírito), e também da influência de poder que difere de outras ongs, que não é um organismo vivo, como ela é representada, o corpo de Cristo, gerando unidade, centralidade, sensibilidade, e acima de tudo os desejos benéficos de Deus para com suas criaturas, através de seu grande amor, por isso que o Espírito Santo é importante no seio da igreja, nos guiando em toda verdade, ou seja, ser de verdade uma igreja sincera expressando os mesmo sentimentos que houve em Cristo Jesus, para com todos aqueles que irão conhecer e valorizar o sacrifício de Cristo na Cruz do calvário, porque está é a missão da igreja, o coração de Deus.Oh! Glória!

    ResponderExcluir
  5. Uma igreja verdadeira tem a presença do Espírito Santo habitando. Com relação aos subitens da lição, uma 'igreja' sem a presença do Espírito Santo se identifica da seguinte maneira:
    1-Dons suspeitos e sinais e prodígios sem base bíblica nenhuma;
    2-Dutores e mestres que ensinam preguiçosamente sem um desgaste de esgotamento de pesquisas teológicas abrangentes;
    3- Missionários que passam o ano cantando dentro e fora da igreja falando de seu testemunho e nada de desbravamento campo à fora;
    4-Ensino: Esbarram numa senhora superficialidade e desassistem com alimentos sólidos irmão que estão anos luz na igreja; São bons de provar que o dízimo é importante...só isso; Nunca reclamam de pouco tempo de exposição de ebd;
    5-A comunhão está na cobrança de ofertas e dízimos e oração de campanha para resolver a fome e desemprego dos irmãos, ou seja, transferindo o se vira nos trinta para os próprios membros;
    6-Frutos do Espírito? Não, prevalece obra na carne tais como inveja "nossa irmão, carrão que adquiriu hein", cadeira de Moisés espalhada atrás do púlpito, AVAREZA E GANÂNCIA DE LÍDERES QUE PESAM A IGREJA, falta de paciência com gritos intermináveis de rédia em pleno domingo de louvor, e por aí vai.
    7-Muito reteté e pouco testemunho fora do terno italiano.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Paz do Senhor. Onde está o vídeo do Evangelista Jeferson Vicente, ele e muito bom, faz muita falta suas ministraçoes.

    ResponderExcluir
  8. Vcs são de mais, obrigada pelo carinho e como desenvolve com mt sabedoria essas lições,sou MT grata a vcs . Deus continue usando cada dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus abençoe pelas palavras incentivadoras. Ore por nós !

      Excluir
  9. Sempre esta faltando trechos das loções, seria bom conter todos textos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não temos autorização para colocar a Lição de forma digital na sua integridade. Lembrando que esse BLOG, apesar do nome "EBD-BETEL" não tem vínculo com a Editora, nosso objetivo é fornecer subsídios, ajuda ao professor em alguns pontos das lições das nossas revistas. Deus abençoe por visitar o BLOG !

      Excluir
  10. A paz do Senhor, gostaria de está revendo alguns suporte dos envios da revista...

    ResponderExcluir