terça-feira, 28 de maio de 2019

Lição 9 - A Igreja e sua Organização

Aula presencial dia 2 de Junho de 2019 

Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  
Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e 
adicionar conteúdo para uso na sua EBD. 



Hinos sugeridos para essa Aula

96 - Deixa Penetra a Luz

111 - Que Mudança !

 332 - Para o Céu eu Vou










                                       

"E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores" (Ef 4.11)



Verdade Aplicada
A organização de igreja serve o propósito de perpetuar o trabalho de Cristo e criar as condições mínimas de subsistência.



Objetivos da Lição
1 - Explicar a função básica do ministério;
2 - Definir as características do líder cristão;
3 - Citar as condições de ser membro.



Motivo de Oração
Ore pelo pastor e sua liderança local.




Atos 6.2-3 
2 - E os doze, convocando a multidão dos discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos às mesas.
3 - Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio.


Atos 14.23 

23 - E, havendo-lhes por comum consentimento eleito anciãos em cada igreja, orando com jejuns, os encomendaram ao Senhor em quem havia crido.

Tito 1.5 
5 - Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam e, de cidade em cidade, estabelecessem  presbíteros, como já te mandei..



INTRODUÇÃO 
Apesar do termo igreja originalmente se definir com as pessoas, a organização e instituição igreja serve o propósito de perpetuar e melhorar o trabalho realizado aqui na terra.

Os dons ministeriais são para a Igreja cumprir sua missão até que Jesus venha buscá-la. 



1. O MINISTÉRIO 
a palavra ministério que significava originalmente o "ofício de alguém, aquilo que uma pessoa devia fazer"; www.dicionarioetimologico.com.br/ministerio/
As principais funções do ministério são a pregação da Palavra e a administração das coisas do Senhor. Cabe ao ministério priorizar a proclamação do Reino de Deus e criar suporte para o mesmo.

1.1  Os Ministros. 
Três palavras diferentes no grego são traduzidas por ministros, entretanto, todas dão o sentido de alguém que trabalha e serve alguém. Por isso, entende-se como ministro do Senhor aquele que serve a Deus e à Igreja. Almejar o ministério é algo agradável a Deus (1Tm 3.1). Entretanto, não devemos achar que é um caminho fácil ou de pompa. Na verdade, a escada eclesiástica é para baixo e não para cima, pois o maior servira o menor (Mt 18.4;23.11)
[...] a igreja não deve aceitar pessoa alguma para a obra ministerial tendo por base apenas seu desejo, sua escolaridade, sua espiritualidade, ou porque essa pessoa acha que tem uma visão ou chamada. A igreja da atualidade não tem o direito de reduzir esses preceitos que Deus estabeleceu mediante o Espírito Santo. Eles estão plenamente em vigor e devem ser observados por amor ao nome de Deus, ao seu reino e da honra e credibilidade da elevada posição de ministro.
Os padrões bíblicos do pastor, são principalmente morais e espirituais. O caráter íntegro de quem aspira ser pastor de uma igreja é mais importante do que personalidade influente, dotes de pregação, capacidade administrativa ou graus acadêmicos. O enfoque das qualificações ministeriais concentra-se no comportamento daqueles que perseveram na sabedoria divina, nas decisões acertadas e na santidade devida. Os que aspiram ao pastorado sejam primeiro provados quanto à sua trajetória espiritual (cf. 3.10). Partindo daí, o Espírito Santo estabelece o elevado padrão para o candidato, [isto é] que ele precisa ser um crente que se tenha mantido firme e fiel a Jesus Cristo e aos seus princípios de retidão, e que por isso pode servir como exemplo de fidelidade, veracidade, honestidade e pureza. Noutras palavras, seu caráter deve demonstrar o ensino de Cristo em Mateus 25.21 de que ser ‘fiel sobre o pouco’ conduz à posição de governar ‘sobre o muito’” (Bíblia de Estudo Pentecostal. RJ: CPAD, p.1867).

1.2  O Presbitério.                      
A expressão “presbítero” encontrada em diversos textos do Novo Testamento – como em 1 Timóteo 5.17; Tito 1.5; 1Pedro 5.1 – no grego indica “pessoa mais velha” ou “ancião”. Portanto o termo “ancião” em outros textos, como Atos 14.23 e 20.17, também se refere aos presbíteros.
Assim, a designação “presbítero” era usada para se referir aos dirigentes das igrejas locais, encarregados da administração, sem referência à sua idade. Tratava-se de homens mais maduros espiritualmente, com conhecimento e experiência para servir como exemplo e ensinar o povo de Deus. O apóstolo Paulo relaciona as qualificações necessárias para o exercício das funções de presbítero em 1Timóteo 3.2-7  e em Tito 1.5-6. Além das qualificações é importante conhecer as diversas funções dos presbíteros, como por exemplo: apascentar a igreja de Deus (At 20.28; 1Pe 5.1-2); responsáveis pelo ensino da sã doutrina e a pregação do Evangelho (1Tm 5.17); orar e ungir o doente (Tg 5.14).
“Uma Nobre Missão

Paulo considerava a posição de ‘ancião’ ou ‘presbítero’ como um papel muito importante, e qualquer que desejasse servir desta maneira deveria almejar um ministério valoroso, justo e responsável. No entanto, Paulo apresenta de maneira clara e inequívoca que todo aquele que servir nesta posição deve demonstrar em seu caráter qualidades que reflitam uma maturidade semelhante à de Cristo. Aparentemente, alguns desses homens que já eram ‘anciãos’ ou ‘presbíteros’ — talvez alguns dos que Paulo exortou em Mileto — estavam distorcendo a verdade ‘para atraírem os discípulos após si’ (At 20.30). Também havia, obviamente, outros homens em Éfeso que queriam ser líderes espirituais, mas que definitivamente não demonstravam uma ‘nobreza de caráter’, o que os desqualificava e não permita que estivessem envolvidos nesta ‘excelente obra’ (1 Tm 3.1). [...] Aqui vão duas importantes observações. Primeira — Paulo acreditava que qualquer cristão poderia assumir esta tarefa. Não havia nenhum chamado especial ou divino associado a esta função. Segunda — o principal critério para a seleção e aprovação era a maturidade em Jesus Cristo” (GETZ, G. A. Pastores e Líderes — O Plano de Deus para a Liderança da Igreja. A liderança da Igreja em uma perspectiva bíblica, histórica e cultural. 1.ed., RJ: CPAD, 2004, p.110).

Estimado Professor, segue link abaixo para se aprofundar neste subtópico.

1.3  O Diaconato. 


A diaconia bíblica não se caracteriza por poder e proeminência, mas pelo serviço ao próximo. Outrossim, não devemos subestimar a importância do serviço do diácono. Os ensinamentos de Jesus no julgamento final equiparam esse ministério com: alimentar os famintos, acolher o próximo, vestir os que estão despidos, visitar os enfermos e encarcerados (Mt 25.31-46).
Qualificações. Aqueles que exercem a função de diácono necessitam ser honestos, não de língua dobre (mentiroso, fofoqueiro), não dado ao vinho (que não tenha nenhum tipo de vício), não cobiçoso, ganancioso, tendo uma boa consciência, que governem bem sua família (vv.8, 9,12). Você tem estas qualificações? O ministério cristão é algo muito sério.

(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2015 » 3º Trim.)

Estimado Professor, segue link abaixo para se aprofundar neste subtópico.
Clique Aqui - Lição CPAD - O Diaconato



2.  A LIDERANÇA CRISTà 
A liderança cristã constitui-se basicamente do exemplo e do serviço, no qual o líder influencia a partir da vida de Jesus Cristo.

2.1  O Exemplo. 




“Quinze qualificações (l Tm 3.2-7). Os versículos relacionam 15 qualidades a serem consideradas quando da seleção de bispos. Observe que entre as qualificações, não aparece a capacitação em seminário ou a posse de algum dom espiritual em particular. Observe o breve esboço do caráter do bispo (3.2-7).
• Irrepreensível: inteiramente fiel à sua esposa;
• Esposo de uma só mulher: inteiramente fiel à sua mulher;
• Temperante: sóbrio, solícito e modesto;
• Domínio próprio: discipulado, moderado;
• Respeitável: modesto, honrado, bem-comportado;
• Hospitaleiro: que recebe bem os visitantes;
• Apto para ensinar: capacitado a explicar e aplicar os ensinamentos;
• Não dado à embriaguez: não dado ao vinho;
• Não violento: não dado à hostilidade, ao antagonismo;
• Gentil: bondoso, razoável, de boa família;
• Não contencioso: não combativo, inimigo de contendas;
• Não avarento: preocupado com as pessoas, não com as finanças;
• Bom governante de sua família: administra a vida familiar;
•Não seja um recém-convertido: maduro e humilde;
• Reputação imaculada: admitido pelos de fora”

(RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10ª Edição. RJ: CPAD, 2012, p.835).

2.2  Autoridade Moral. 
Uma vida de santidade é requisito primordial para qualquer liderança cristã. O líder cristão deve influenciar pessoas através de uma vida irrepreensível, de santidade e comunhão com Deus, cheio do Espírito Santo e guiado por Ele. Além de buscar uma vida de santidade, deve também ter uma vida de oração e de leitura e meditação da Palavra: “Porque toda criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças, porque, pela palavra de Deus e pela oração é santificada (1 Tm 4.4-5 )
As seis áreas estipuladas pelo apostolo Paulo para que Timóteo sirva de exemplo: "na palavra, no procedimento, no amor, no espírito, na fé, na pureza". As duas primeiras áreas se relacionam com a vida e ministério público de Timóteo. Mas as outras quatro são qualidades interiores. Amor (caridade) é tradução do termo grego "ágape", que denota o tipo de amor de Deus. Fé tem o sentido de fidelidade ou lealdade. Pureza não significa apenas castidade, mas também indica "sinceridade" e inculpabilidade e "espírito" indica intenção, personalidade e caráter.(Revista do Professor)  

2.3  Dons Ministeriais. 




“Pelo que diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens” (Ef 4.8).
O apóstolo Paulo elenca diversos dons ministeriais para a utilização na igreja, como forma de edificar o Corpo de Cristo (1Co 12.28; Ef 4.11-12).
Acerca dos dons ministeriais. A Epístola de Paulo aos Efésios classifica os dons ministeriais assim: Apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores (4.11). Os propósitos de o Senhor concedê-los à Igreja, segundo a Bíblia de Estudo Pentecostal, são, em primeiro lugar, capacitar o povo de Deus para o serviço cristão; em segundo, promover o crescimento da igreja local; terceiro, desenvolver a vida espiritual dos discípulos de Jesus (4.12-16). O Senhor deu a sua Igreja ministros para servi-la com zelo e amor (1Pe 5.2,3). O ensino do Novo Testamento acerca do exercício ministerial está ligado a concepção evangélica de serviço (Mt 20.20-28; Jo 13.1-11), jamais à perspectiva centralizadora e sacerdotal do Antigo Testamento. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2014 » 2º Trim.) 

Estimado Professor, segue link abaixo para se aprofundar neste subtópico e entender com profundidade cada um dos dons ministeriais :




3. A MEMBRESIA  


3.1  Os Membros. 


Devemos como Cristãos alcançados pela graça, cultivar relacionamentos saudáveis entre os irmãos...
“Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós” (Cl 3.13 — ARA).
Os primeiros passos da vida cristã são a conversão e, em ato continuo, o batismo nas águas (At 2.38; 9.18). O mesmo Espírito Santo que convence e opera a regeneração, também atua incorporando o discípulo de Cristo no Corpo de Cristo (1Co 12.13).
Irmandade e companheirismo. [...], sentimos o peso que tinha a comunidade cristã para Paulo e o valor do seu companheirismo (Rm 16.7,8). A igreja é o Corpo de Cristo. Ela é uma grande família. Conscientizemo-nos da importância que tem a fraternidade cristã para a saúde da igreja. Infelizmente a nossa espiritualidade segue mais um modelo de condomínio, onde ninguém conhece ninguém, do que de uma casa de família, onde todos se conhecem e se relacionam. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2016 » 2º Trim.) 

3.2  Os Desigrejados.




O fenômeno. O fenômeno dos desigrejados é novo, nasceu no final do século 20 nos Estados Unidos, e lá foi denominado de Emerging Church (Igreja Emergente). Há no Brasil adeptos dessa nova forma de “ser igreja”. Porém, não é este fenômeno específico apontado pelo censo 2010 do IBGE, mas algo que possivelmente faça parte do que o instituto classifica como sendo os “sem religião”. Esse “grupo” — que não tem nada em comum a não ser a crença, ou não, em Deus e o não nutrir simpatia por nenhuma denominação — já é o segundo maior do país. É possível que entre as pessoas pesquisadas haja adeptos do “movimento igreja emergente”, porém, tanto um quanto o outro, erroneamente, desistiram das igrejas convencionais (1Jo 2.19). Sabemos que “estreita é a porta, e apertado, o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontram” (Mt 7.14). (Lições CPAD Jovens » 20156 » 3º Trim.) 
  
“A Igreja Emergente e seus Pressupostos Enganosos
O modismo denominado igreja Emergente é muitíssimo novo. Nasceu no final do século XX, mas floresceu no início do século XXI. Trata-se de um movimento que prega a necessidade de uma nova compreensão do evangelho e da espiritualidade, e de uma nova teologia com uma nova abordagem da Bíblia. Um de seus mais famosos proponentes é o pastor americano Dan Kimball, que lançou em 2003 o livro The Emerging Church: Vintage Christianity for New Generations (Zondervan). Um pouco antes, porém, pesquisas de institutos cristãos já haviam constatado uma tendência diferente no meio evangélico dos Estados Unidos e que nada mais era do que o movimento já em formação. O livro de Kimball foi apenas o marco para que o movimento da Igreja Emergente finalmente ganhasse corpo, se cristalizasse e se tornasse uma realidade.
Em síntese, a Igreja Emergente ou a Igreja Pós-moderna, como também é chamada, é um movimento nascido no meio evangélico e que procura atrair cristãos influenciados pela pós-modernidade, principalmente aqueles cristãos sem igreja ou que se definem como desiludidos ou insatisfeitos com suas igrejas ou com todas as igrejas. Gente que se diz cansada ou frustrada com a organização e a tradição de suas denominações (o que chamam invariavelmente de ‘legalísmo’, termo que também tem outros sentidos para os emergentes) e com o ‘sistema’ e ‘jeito de ser’ do meio evangélico” (DANIEL. Silas. A Sedução das Novas Teologias. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2007, pp.30-31).

3.3  Privilégios e Deveres.





CONCLUSÃO
Assim, é possível afirmar que a organização e a ação do Espírito Santo não são excludentes, como atestado, também, na formação de israel como povo de Deus.
Deste modo, a institucionalização da Igreja, conforme os princípios bíblicos, contribui para que as igrejas locais cumpram a missão dada por Jesus Cristo, até que Ele venha (Ef 4.13).



QUESTIONÁRIO

1. O que é almejar o ministério  ?
R.: É algo agradável a Deus (1Tm 3.1).

2. Quais passagens nos mostram diversas exigências para ser um presbítero ?
R.: 1 Timóteo 3.2-7 e Tito 1;5-6.

3. O que o apóstolo Paulo orientou ao jovem pastor Timóteo ?
R.: A ser um exemplo na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé  e na pureza (1Tm 4.12).

4. Quais são os primeiros passos da vida cristã ?
R.: A conversão e, em ato consumismo, o batismo nas águas (At 2.38; 9.18).

5. Qual privilégio desfruta o membro de uma igreja local ?
R.: A alegria proporcionada pela comunhão com os demais irmãos (Ef 5.82).



BIBLIOGRAFIA

[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 2 trimestre 2019, ano 29, número 111 - Editora Betel


                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             
    
   







                                                                                                                                                                              
[     

Olá Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio que encontrei para acrescentar algo mais na sua preparação de Plano Aula.

Desta vez adicionei todos os Links do material de apoio junto com os comentários para facilitar o Estudo desta Lição.

                                                                                                                                                                              


24 comentários:

  1. A igreja é uma alegoria do corpo de Cristo aqui na terra, que é representada por todos aqueles que o aceitaram como Salvador, e que são caracterizados por atitudes, que por ordem extremamente espirtual, devam exercer no exemplo e no serviço do próprio Jesus, que seria então a cabeça deste corpo, E sabendo disso, a unidade deste corpo para ser mantida, digo que todos precisam cumprir suas responsabilidades, 1 Tm 4:12, desde o membro, até os do ministério, embora chamados distintos, mas terão a sua devida importância, e um fiel compromisso para com Deus, e seu Reino; E uma das coisas que me chamaram a atenção, é que tudo que fazemos, e se o fizermos de inteireza de coração, e humildade, em prol ao Reino de Deus, já estarás reconhecido antes mesmo de qualquer nomeação eclesiástica, mas serão confirmados pelo chamado, porque a escada eclesiástica os degraus são para baixo, o importante é tributar a Glória a Ele, por Ele, e para Ele, então presumo que uma igreja unida e organizada sem atropelamentos serviçais, mas respeitando e compreendendo a cada um na sua função, certamente a igreja influenciarás todos próximo a ela, e crescerás como templo Santo do Senhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uma igreja unida, ovelha não passa necessidade nem frio (tosquenejada)
      uma igreja unida combate as heresias
      uma igreja unida não vira empresa e sim serve e evangeliza a comunidade

      Excluir
    2. Robson, como sempre, Deus abençoe por compartilhar vossa reflexão !

      Excluir
  2. paz do senhor a lição não foi colocada para baixar como plano de aula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa semana tivemos um atraso, disponibilizei o link !

      Excluir
  3. Boa tarde,


    "a uns foi dado para..." (Ef 4.11)

    Extorquir?
    Explorar a fé alheia?



    "quem ensina,..." (Rm 12.7)

    ensina sem se preparar?
    finge que ensina?

    ResponderExcluir
  4. Aos desigrejados digo: A importância de serem socialmente congregacionais; É no Amor que se aproximamos, e nas reuniões que desfrutamos a paz uns com os outros, e é compreendendo a cada um em que se entendemos, e é no perdão que meço a dimensão do amor de Deus entre nós, etc. Oh! Glória!

    ResponderExcluir
  5. "Aos desigrejados digo"...eles estão lhe ouvindo?

    Que eu saiba, no culto de domingo na ebd não comparecerão, lógico.

    Se o objetivo do subitem é relembrar membros existentes para que não alcancem tal situação e assim se conscientizem, ok.
    Porém, a revista deveria ter trago mecanismos de resgate daqueles em que A DENOMINAÇÃO SABEM QUE DESIGREJARAM NO PASSADO BREVE OU LONGÍNQUO.

    Ouví-los.
    Ouví-los os motivos (ainda que saibamos que "nada" justifica).
    Analizar sempre. Sem julgar precipitadamente.

    e que amor é esse que não transpõe o muro da denominação para visitar, procurar incansavelmente o desigrejado que um dia estiveram entre nós??????????????????????????????????????????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que o tópico sobre Desigrejados teve objetivo de nos conscientizar sobre o perigo de abraçar este fenômeno novo e crescente. Conheço pessoas desigrejadas, é muito difícil fazê-las voltar a frequentar as igrejas convencionais, são cheias de argumentos, principalmente na questão que aponta falhas e decepções com pessoas. Só a Graça de Deus e o Espírito Santo pode convencer um desigrejado da necessidade de congregar no corpo visível (Igreja local). Oremos pelos desigrejados para que voltem a colocar em prática Atos 2:41-42 "De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas,
      E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.", Deus abençoe pela participação T.Mendes !

      Excluir
  6. 1º Quem exatamente estará ouvindo explanação dessa lição no próximo domingo 02/06/2019? Membros efetivos e desigrejados? O óbvio dirá que não, somente membros e visitantes.

    2º O autor ateve-se a enfatizar tão somente os benefícios da comunhão.

    3º Reducionista e simplório foi o motivo elencado pelo autor da saída ou abandono do membro. Já que postou apenas um ( o ruim da falta de referência bibliográfica mais rica na revista deixa a desejar), poderia ter colocado qual tipo de desvio doutrinário leva tais membros a se frustrarem. Não custava nada elencar para analisarmos essa relação.

    4ºOs desigrejados são aqueles que frequentaram a igreja local um determinado período no passado vindo a não mais congregar ou também nascem pela amizade e convívio dos já desigrejados?

    5º Por que o autor não estimulou o amor entre os membros e obreiros, líderes , corpo eclesiástico, a irem atrás dos ex membros ou desigrejados através de INCANSÁVEIS visitas, diálogo, humildade para ouví-los afim de se estabelecer um juízo mais seguro e RESGATAR conforme os argumentos?
    Ou o "ó quão bom os irmãos vivam em união" não expressará a preocupação com os que um dia compartilharão amor entre nós?

    ResponderExcluir
  7. Desigrejados precisam ser indentificados e não sobreavisados, porque sabem o que é o certo fazer, mas por vangloria não o fazem; e indentificando-os, a igreja sincera e humilde não será desvirtualizada do propósito de um bem comum que é servir a Jesus Cristo na unidade do Espírito, e se fizermos em viver em união como manda a Palavra, certamente o nosso exemplo poderá convence-los a mudar para a unidade que Cristo requer de seus seguidores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Robson, acredito o irmão generalizar a situação deles. Se temos que buscar uma ovelha perdida, estimulados a tal atitude, quiça desigrejado, CONHECIDO DA IGREJA!

      Excluir
  8. Na pratica, reúna sempre q puder na casa deles, uma conversa um culto mas vá.
    isso é união da igreja, mais importante que a atenção às 99...

    ResponderExcluir
  9. Não estou generalizando mas sim tentando-os indentifica-los, agora que são pessoas que não os considero como ovelhas perdidas; e sim ovelhas achadas mas com intenção de parcialidade, segundo os seus próprios delirios, e que muitas veses se recusam em deixar ser aproximadas, mas que precisamos sim, com insistência agrega-las, através de visitas exclusivamente eclesiásticas, para não perder objetivo da mesma, por isso que disse que quão é importante o congrecionamento entre as pessoas, e que as ganharemos na prática e no exemplo exercido, e tendo como base a lei de Cristo.

    ResponderExcluir
  10. Primeiro posicionamento:
    "Desigrejados precisam ser indentificados [...]o nosso exemplo poderá convence-los ".

    Segundo posicionamento:
    "com insistência agrega-las, através de visitas exclusivamente eclesiásticas"

    Como afirmei anteriormente ao seu comentário, sem insistência não demonstramos "nosso exemplo" de amor ao próximo

    ResponderExcluir
  11. A letra mata e o Espirito vivifica, nós como Igreja iremos fazer conforme a nossas forças, precisamos se apoiar em Cristo e não nas pessoas porque as pessoas podem nos decepicionarem, mas Cristo não. 1 posicionamento, quem os convencerá será Deus nós seremos somente o canal, um dia as oportunidades acabam; 2 posicionamento, visitas eclesiásticas, digo que muitas visitas fogem do foco do âmbito Espiritual (obs.fofoca, disse me disse, etc.)perdendo o verdadeiro foco da mesma, que é agregar os desigrejados e não falar a mesma lingua deles, se não tiverem maduro espiritualmente para atrai-los a voltar congregar. 3 posicionamento, sem insistência sim correto, mas digo até quando? o que valerá mesmo não é a insistência da igreja, e sim eles valorizarem pelo menos uma das visitas, porque um dia as visitas poderão acabar, aí o tal estará somente entre ele é Deus.

    ResponderExcluir
  12. Se teu filho de sangue fosse um desigrejado, o discurso seria outro.
    Tudo bem, insista só nos que já são sal. Curioso, "amar os vossos inimigos" cabe um, como vc diz, "até quando?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a resposta bíblica é "não"!!!!!!!!!!!!!! (Mt 5.44)
      então, lembre-se que será morto por sentença de lei por não conseguir cumpri-la, mas uma dose de Graça o fará amar incondicionalmente (1 cO 13) a um desigrejadoque por definição do autor e de autores diversos mais sérios, não se trata de algué contraa palavra em sua totalidade.

      Excluir
  13. O irmão me ofendeu por dizer que sou farizeu, mas tudo bem , só pelo fato de dizer até quando? isto não implica falta de insistência, no amor e na União, disse isso por causa da limitação das pessoas , mas tudo bem fica na paz dó Senhor grande Mestre.

    ResponderExcluir
  14. Quem disse que estou disponibilizando carapuça?

    sem vitimização pf. Somos todos irmãos, e aqui debate sadio.
    a atitude farisáica por parte de quem tem responsabilidade é diferente de imputar ao senhor.
    Amém, Graça e Paz

    ResponderExcluir
  15. Comentário sadio com indiretas, mas tudi bem, Deus abençoe o irmão e a todos do blog, e me perdoem, e deixo minha sincera paz do Senhor a todos, Amém!

    ResponderExcluir
  16. Paz meu Pastor obrigado o senhor tem me ajudado muito Deus continue abençoando o senhor e te dando muita sabedoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Paz do Senhor irmão ou irmã, Amém, a equipe agradece !

      Excluir