terça-feira, 21 de maio de 2019

Lição 8 - A Igreja e sua Influência na Sociedade

Aula presencial dia 26 de Maio de 2019 

Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  
Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e 
adicionar conteúdo para uso na sua EBD. 



Hinos sugeridos para essa Aula

87 - Meu Testemunho

144 - Vem à Assembleia de Deus

 256 - Abandona este Mundo de Horror









                                       

Texto Áureo
"Disseram-lhe eles: De César. Então ele lhes disse: Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus, o que é de Deus" (Mt 22.21)



Verdade Aplicada
Como cidadãos do Reino de Deus e representante de Cristo, devemos, através de uma vida honesta e irrepreensível, ser exemplos de cidadania e civismo.



Objetivos da Lição
1 - Explicar o relacionamento entre a Igreja Primitiva e o Estado;
2 - Mostrar biblicamente a responsabilidade social do cristão;
3 - Apresentar o bom testemunho como elemento influenciador da sociedade.



Motivo de Oração
Ore pela nação e pelas autoridades do nosso país.




Romanos 13.1-4 
1 - Toda alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus.
2 - Por isso, quem resiste à potestades resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação.
3 - Porque os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más. Queres tu, pois, não temer a potestade? Faze o bem, e terás louvor dela.
4 - Porque ela é ministro de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada; porque é ministro de Deus e vingador para castigar o que faz o mal.



INTRODUÇÃO 
A Igreja tem o poder de influenciar a sociedade através do modelo de valores que possui. Uma igreja dinâmica e proativa, que vive e testemunha os ensinamentos de Jesus, pode mudar uma nação.



1. A IGREJA E O ESTADO 



1.1  A Igreja Primitiva e o Império Romano. 
A Igreja de Cristo nasceu debaixo da égide do Império Romano. O apóstolo Paulo escreveu uma carta para a igreja em Roma. [...]


O Novo Testamento retrata o Estado como instrumento ordenado por Deus (Rm 13.1), assim, os que resistem ao Estado afrontam a Deus (Rm 13.2). Nesse contexto, o Estado é servo do Altíssimo para aplicar a justiça (Rm 13.4), logo, ele não é problema para os que fazem o bem, mas para os que praticam o mal (Rm 13.4; 1 Pe 2.14). Assim, é lícito pagar tributos e impostos ao Estado (Rm 13.6,7), bem como temos a recomendação de orar pelas autoridades públicas (1 Tm 2.1,2).
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2018 » 2º Trim.

1.2  A Deus e a César.                      


A conscientização dos crentes a respeito da importância da participação política não significa a união entre o Estado e a Igreja. A propósito, o Senhor Jesus estabeleceu a clara separação entre esses dois ao ordenar: “Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus” (Lc 20.25). As palavras do Mestre reforçam tanto a responsabilidade espiritual quanto social, enfatizando que Igreja e Estado possuem papéis bem distintos. A Igreja deve influenciar o governo, mas não pode confundir-se com ele. Quando o Estado tenta intervir na Igreja, ou vice-versa, os prejuízos são inevitáveis, com implicações que afetam a consistência doutrinária da cristandade. Foi o que ocorreu quando o imperador romano Constantino uniu a religião cristã com o Estado, incorporando elementos do paganismo. Por isso, a separação entre o Estado e a Igreja foi um ponto crucial defendido na Reforma Protestante. (Lições CPAD Jovens » 2015 » 2º Trim.)
Segundo o Pr. Ezequias (1998) Soares a tributação existe como recursos para gerir o Estado e desta forma proporcionar a segurança do povo, o bem-estar social e manter a ordem pública. Os impostos são revertidos para benefícios da própria sociedade: “Por esta razão pagais tributos”. É, portanto, nosso dever obedecer às autoridades, pagando-lhes impostos (Rm13.7).

Professor comente com seus alunos que não devemos sonegar impostos, somos o sal da terra e a luz do mundo... (Mt 5.14).

1.3  A Cidadania. 
O apóstolo Paulo diz que nós somos embaixadores de Cristo: "De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. [...]. Um embaixador tem como missão representar um rei ou um reino, ou governo. Sendo assim, como embaixadores de Cristo, representamos o Reino de Deus aqui na terra. Entretanto, isso não nos exime de nossas responsabilidades aqui na terra. Portanto, possuímos duas cidadanias, a saber, a nossa pátria terrestre e a celestial.
“Tendo o vosso viver honesto entre os gentios, para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no Dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem” (1Pe 2.12).
Nota: Deus espera que sejamos pessoas (cidadãos) que faça a diferença neste mundo decaído.
Cidadania e unidade celestial.
A visão cósmica e apocalíptica de Paulo da realidade é enfatizada pelo conceito de cidadania celestial do crente (3.20). Em Filipenses 1, esse conceito vem à tona no verbo politeuesthe (‘viver como cidadão’). Seu cognato, politeuma (‘nação; comunidade’), aparece no capítulo 3 de Filipenses. O termo sugere relação com polis (‘Cidade-estado’), isto é, a nova comunidade de Cristo, cuja origem é o céu. Por isso, Paulo escreve: ‘Nossa nação [cidadania] está no céu’ (3.20). Paulo afirma que esta cidadania existe hoje; não é apenas uma esperança futura. O termo, como tal, expressa uma orientação e uma identidade fundamentais dos crentes.

[...] Filipenses 1.27-30 apresenta o ponto de que a vida do crente deve ser digna dessa origem; ela deve ser digna de sua relação com o evangelho de Cristo (ZUCK, R. B.  Teologia do Novo Testamento. 1 ed., RJ: CPAD, 2008. p.362).



2.  RESPONSABILIDADE SOCIAL  
Jesus resumiu os mandamentos em dois: 
1- amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a nós mesmo. 
2 - Cuidar do outro é uma responsabilidade que deve ser vivida na igreja (Mt 22.37-40; Rm 12.20).
“Aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado” (Tg 4.17).

2.1  A Critica Social no Antigo Testamento. 
Já no Antigo Testamento os profetas denunciavam a omissão às responsabilidades sociais do povo junto aos necessitados. Por exemplo:
Isaías 58
6 - Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo, e que deixes livres os quebrantados, e que despedaces todo o jugo?
7 - Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto e recolhas em casa os pobres desterrados? E, vendo o nu, o cubras e não te escondas daquele que é da tua carne?
8 - Então, romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante da tua face, e a glória do Senhor será a tua retaguarda.
10 - e, se abrires a tua alma ao faminto e fartares a alma aflita, então, a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia.
11 - E o Senhor te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares secos, e fortificará teus ossos; e serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas nunca faltam.

Os ricos e os pobres em Israel. Em Israel sempre houve pobres (Dt 15.11; Jo 12.8). A pobreza decorria de vários fatores: catástrofes naturais, colheitas ruins, guerras e desvios espirituais do povo que sempre acarretavam a correção divina. Nessas ocasiões, pela Lei de Moisés, os mais ricos deveriam assistir os mais pobres: “Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o teu necessitado e para o teu pobre na tua terra” (Dt 15.11). Infelizmente, isto nem sempre ocorria, levando os profetas a denunciarem a injustiça e a opressão entre os israelitas. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2011 » 3º Trim.)

Poucos temas nas Escrituras se evidenciam de forma tão direta e clara do que as ordens de Deus para que nos preocupemos com os menos afortunados. ‘Aprendei a fazer o bem’, Deus brada, ‘praticai o que é reto; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas’ (Isaías 1.17). Através do mesmo profeta, Deus anuncia que o verdadeiro jejum não é um ritual religioso vazio: ‘Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto e recolhas em casa os pobres desterrados? E, vendo o nu, o cubras e não te escondas daquele que é da tua carne?’ (Isaías 58.7). (COLSON, C.; PEARCEY, N. E Agora, Como Viveremos? 1.ed., RJ: CPAD, 2000 pp.454,55). 

2.2  Responsabilidade Social na Igreja Primitiva. 


Na Igreja Primitiva. A Igreja Primitiva desenvolveu um excelente trabalho social (At 2.42; 4.32), erradicando a necessidade de entre seus membros (At 4.34,35). Dando prosseguimento a esse importante trabalho, o apóstolo Paulo recolheu ofertas entre as igrejas gentias para a assistência aos crentes hebreus de Jerusalém (Rm 15.25-29). As boas obras são evidências de uma fé viva em Deus, conforme afirma Tiago. Os que afirmam estarem salvos pela fé em Cristo, devem demonstrar sua fé por intermédio das obras (Tg 2.14-26). (CPAD Jovens e Adultos » 2011 » 3º Trim.)

“O que acontecia na Igreja Primitiva? Não era uma experiência comunista como querem os sectários de Marx e Lênin. A única coisa que o comunismo logrou foi produzir uma legião de excluídos e miseráveis. A Igreja de Cristo, porém, já em seu nascedouro, mostrou o que pode fazer o amor de Deus com o qual o Espírito Santo nos unge o coração. Um amor que se traduz em prática e não em meros conceitos.
A comunidade dos bens, prática observada nos primeiros dias da Igreja, quando os crentes, premidos pelas circunstâncias e urgências da época, ‘vendiam suas propriedades e fazendas e repartiam com todos, segundo cada um tinha necessidade’ (At 2.45).
A Igreja em Jerusalém experimentava uma verdadeira koinonia. Stott elucida-nos este interessante aspecto da união cristã: ‘Assim, koinonia é uma experiência trinitária; é a parte que temos em comum com Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Mas Koinoniaé a palavra que Paulo usou para a oferta que recolheu entre as igrejas gregas, e koinonikos é a palavra grega para generoso’” (ANDRADE, C. As Disciplinas da Vida Cristã. 1.ed., RJ: CPAD, 2008 pp.119,120).

2.3  A Missão Integral. 



“Ação Social: Compromisso de uma igreja
Porque falar em ação social da igreja quando estamos discursando sobre a Igreja Viva? Porque cremos ser esta, sem dúvida, uma das manifestações mais convincentes de que a vida de Deus está no meio de seu povo.
1. Avivamento e ação social: equilíbrio. O avivamento espiritual, que é tanto a causa como o produto de uma Igreja Viva, precisa abranger a igreja como um todo, se não queremos um organismo aleijado ou disforme. Não se pode falar de um avivamento que priorize apenas um aspecto da totalidade do ser humano como, por exemplo, o destino de sua alma, em detrimento de seu bem-estar físico e social.
Não nos interessa uma comunidade apenas voltada para o futuro, em prejuízo do hoje, pois isso implica em negligenciar as necessidades imediatas e urgentes do ser humano. O homem vive na dimensão do aqui e agora. Tem fome, frio, doença, sofre injustiças; enfim, tem mil motivos para não ser feliz. Nossa missão, pois, é socorrer o homem no seu todo, para que não somente usufrua paz de espírito, mas também conserve no corpo e na mente motivos de alegria e esperança. O projeto de Jesus é para o homem todo e para todos os homens. Fugir dessa verdade é desobediência e rebelião contra aquEle que nos comissionou.
Um verdadeiro avivamento trará de volta ao crente brasileiro o amor pelos quase 50 milhões de irmãos pátrios que vivem na pobreza absoluta. O estilo de vida de uma igreja avivada não se presta a esquisitices humanas, mas à formação de personalidades de acordo com o caráter de Cristo, que não negligenciam o amor ao próximo”. (CIDACO, J. A. Um grito pela vida da igreja. RJ: CPAD, 1996, p.87-8.)



3. VIVENDO SEGUNDO OS VALORES DO REINO  


3.1  A Família e a Igreja. 
Sabemos que existem varias famílias sem igreja, todavia não é possível a existência de igreja sem família.


Reproduza o gráfico abaixo no quadro de giz ou numa cartolina e pergunte aos alunos o que a família pode fazer pela igreja e o que eles gostariam que a igreja fizesse por eles.




3.2  Princípios Morais.


(um homem e uma mulher) e heterossexual (um macho e uma fêmea) sempre fez parte da criação original de Deus. A diferenciação dos sexos visa à complementaridade mútua na união conjugal (...) (ICo 11.11). Assim, mudam-se as culturas e os costumes, mas a Palavra do nosso Deus permanece inalterável (Mt 24.35) (revista do professor)

“No século XXI, a família está sob ataque das forças do inferno de maneira sistemática e insidiosa. Em todos os tempos, esse ataque tem sido real. Mas nunca como nos dias presentes. Satanás tem conseguido mobilizar governos, sistemas judiciários, escolas e faculdades, para minar as bases da instituição familiar. Só em Cristo a família pode resistir às investidas satânicas.
Formadores de opinião trabalham para a destruição da entidade familiar, tal como Deus a criou, pela união de um homem e de uma mulher através do casamento. A sociedade sem Deus admite outros ‘arranjos’ de família.
Hoje, porém, com a influência dos meios de comunicação, os costumes têm mudado drasticamente, alcançando todos os rincões do país. Seja nas grandes capitais, seja nos menores distritos, vilas e povoados, a influência nefanda desse falso ‘progresso’ tem chegado, dominando as mentes e as consciências.

Infelizmente, os governos estão alinhados com o espírito do Anticristo. Quase sem exceção, todos estão de acordo com as mudanças perniciosas que se voltam contra a família. Até porque, com a ‘nova visão de mundo’, a família tradicional é considerada ultrapassada. O casamento monogâmico e heterossexual é retrógrado e precisa dar lugar a ‘novas configurações de família’” (RENOVATO, Elinaldo. A Família Cristã e os Ataques do Inimigo. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2013, pp.40-42



3.3  Coerência entre Fé e Prática.
O grande desafio é viver a ética do Reino de Deus em sua totalidade, e sua maior exigência é o amor. Entretanto, o amor não se corrompe nem se vende, o amor que vem de Deus é uma autoentrega de si mesmo. Ele é vivido na prática e não somente através de palavras, como afirma Tiago: "E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos." (Tg 1.22). 


A validação da Palavra de Deus na vida do cristão é evidenciada através de uma vida de mudança e transformação. Não pode haver uma divergência entre fé e ação. Muitas das críticas por parte do mundo à igreja ocorrem por causa da prática dissociada da fé. (Revista do professor)

“Deve ser observado que existem resultados mais abençoados e reais quando um indivíduo realmente confia no Senhor Jesus Cristo. Há não apenas uma mudança de posição diante de Deus (justificação), mas há o início da obra redentora e santificadora de Deus. Embora a transformação da vida não seja a base da salvação, ela é a evidência da salvação. E sem tal evidência (em maior ou menor grau) deve ser levantada uma questão quanto à autenticidade da fé do indivíduo. [...]

As boas obras de um cristão são o resultado e a evidência da autenticidade da sua fé. É o entendimento deste fato que resolverá o problema de alguns quanto a uma alegada discrepância entre Paulo e Tiago. Paulo certamente relaciona as boas obras com a fé (Ef 2.8-10). Fica claro que Tiago está falando da justificação diante dos homens (Tg 2.18 — ‘mostra-me’, ‘te mostrarei’; v.22 - ‘bem vês’; v.24 - ‘vedes’; v.26), e que a fé é provada pelas obras (v.22)” (PFEIFFER, Charles F.; VOS, Howard, F. Dicionário Bíblico Wycliffe. RJ: CPAD, 2009, pp.779,80).



CONCLUSÃO
Enquanto a Igreja não for arrebatada, nós como povo de Deus, devemos viver uma vida piedosa, sendo bons cidadãos, honestos e responsáveis, cuidando do próximo, vivendo o amor apresentado por Deus em Jesus e não se rendendo à corrupção deste mundo e nem ao relativismo, mas prosseguir guardando "o bom depósito pelo Espírito Santo" (2Tm 1.14).



QUESTIONÁRIO

1. O que o texto de Mateus 22.15-22 nos mostra  ?
R.: Os herodianos tentando colocar Jesus em uma má situação  (Mt 22.15-22).

2. O que foi a instituição dos primeiros diáconos ?
R.: Uma forma que a igreja primitiva utilizou para cuidar dos mais necessitados e supervisionar a distribuição das ofertas (At 6.1-7).

3. Onde começa a responsabilidade do discípulo de Cristo de cuidar do outro ?
R.: Em Casa (1Tm 3.5; 5.8).

4. Qual é o dever do marido ?
R.: Amar a esposa como Cristo amou a Igreja (Ef 5.25).

5. O que Tiago afirma sobre o Amor ?
R.: Que ele é vivido na prática e não somente através de palavras (Tg 1.22).



BIBLIOGRAFIA

[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 2 trimestre 2019, ano 29, número 111 - Editora Betel


                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             
    
   







                                                                                                                                                                              
[     

Olá Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio que encontrei para acrescentar algo mais na sua preparação de Plano Aula.

                                                                                                                                                                              


23 comentários:

  1. Eu tenho amado estas lições, pois tem expressado a cultura do Reino a qual Cristo anunciou que era chegado e desmascarado os culto idólatras onde eu só venho pra receber ,deveria voltar os cultos de oração e doutrina na igreja e usar a revista da EBD como referência, parabéns pelo desempenho desta revista precisamos priorizar a palavra e a oração nas nossas congregação poderia fazer um pib da igreja e ver o que ela tem causado na sociedade a igreja cresceu mas os problemas na sociedade cresceram juntos ,talvez nós sejamos apenas uma estatística ilusória, vós sois o sal da terra e luz do mundo ,infelizmente perdemos nossa identidade !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Valmir, tudo o que escreveu é muito bom, que Deus possa levantar mais Pastores que coloquem a Igreja em oração, que preguem a doutrina, que faça a diferença na sociedade, todavia, ainda existem pastores com este perfil no nosso meio, Deus seja louvado !

      Excluir
  2. Frases clássicas de muitos cristãos, cristãos brasileiros:

    "O cristão não fala de política"; "Governos são de demônios"; "Importa é evangelizar, esse é o único papel da igreja".

    Mas, o que será que as Escrituras dizem a respeito de governo?

    Permitam-me, após leitura das obras elencadas abaixo, e entender os objetivos da lição 8 da presente revista, dividir com os irmãos um assunto tão oportuno. Seguem as bibliografias consultadas, na tentativa de reter o que encontrei relacionado aos subitens 1 e 2:
    >'Política a Luz da Bíblia',(Wayne Grudem), Ed. Vida Nova;
    >'Economia e Política na Cosmovisão Cristã',(Wayne Grudem/Barry Asmus), Ed. Vida Nova;
    >'Religião e Política, Sim Igreja e Estado, Não',(Paul Freston), Ed. Ultimato;
    >'Cristãos Ricos em Tempo de Fome',(Ronald J. Sider), Editora Sinodal;
    >'Ministérios de Misericórdia', (Timothy Keller), Editora Vida Nova.

    Seguem nos próximos comentários a exposição dos textos dos autores com meu pocisionamento.

    ResponderExcluir
  3. Subitem 1.

    Motorista embriagado. Perguntado a um crente de igreja tradicional, como cessar a ação errada do indivíduo? Ao que um cristão responde:
    _ "basta que evangelizemos as pessoas. Somente com a proclamação do evangelho as pessoas mudam o coração". [concordo]mas...

    Levando em conta a parábola do semeador (Mateus 13.1-9), há solos (coração humano), que o evangelho não os persuade. Não quer saber da Palavra de Deus. Até mesmo assistindo todos os dias acidentes provocados por embriaguez ou por bom senso, nem se consientiza do perigo que faz à outras pessoas de atropelar ou de vida de passageiros, continuará oferecendo riscos.

    Entra a figura do Estado, do Governo com leis que punem um condutor de andar embriagado ao volante. É a "espada" das "autoridades...instituídas", "dos magistrados", são para frear o mal - Romanos 13, ou seja, DEUS utilizando do governo para punir o mal (claro, governos imparciais e justos).

    A carta de Pedro (1 Pe 2.13,14) é bem clara quando lembra que as autoridades são para "castigo dos malfeitores".

    Conclusão breve:
    Creio que Deus uas o Evangelismo e os Governo para frear ação do mal e punir.

    ResponderExcluir
  4. Subitem 1, continuando...

    AT a Bíblia fala de governo?

    Gn 9.5,6 DEUS institui governo. Princípio instituído, crimes grande, punições grande, crimes menores, punições menores 9Êxodo e Deuteronômio elencam essas leis);

    Dn 4.27 Daniel aconselhando Nabucodonosor a praticar misericórdia com o pobre;

    Ec 8.11 Os governos devem aplicar os castigos sem demora sob efeito de que tal demora aumenta o mal;

    ANARQUIA!!!!!!!!! Jz 17.6 "naquela época , não havia rei em Israel, cada um fazia o que lhe parecia certo". Onde são registrados os piores pecados da Bíblia? Jz 18-25, ou seja...

    Buscar o "bem da sociedade INCLUI CUIDAR PARA QUE NINGUÉM SOFRA com ausência de necessidades básicas, leis que impedem abortos, que criam desenvolvimento, que gerem empregos através de incentivos em micro empresas, ou seja, agreguem valor á sociedade, punam infratores, detém homens violentos e criminosos.

    Pessoas fiéis ocuparam cargos para INFLUENCIAR GOVERNOS?

    José (influênciou nas decisões do monarca), Moisés(exigiu liberdade do povo de Israel), Neemias (Copeiro do rei, influenciou rei Artaxerxes), Mardoqueu (segundo na hierarquia depois de Xerxes), Estér...

    Influenciaram ou não?

    Temos sim a responsabilidade de testemunhar padrões morais da bíblia e influenciar formulações de leis.

    ResponderExcluir
  5. NT fala também.

    Atos 24.24,25 Paulo corajosamente, fala sobre ações do governo romano em que Félix ficou "com medo" por ter que um dia prestar conta de suas ações.

    Pergunta para os amigos da igreja.
    Influenciar de modo positivo o governo é uma forma de amar o próximo?
    (Mateus 22.39)
    Se empenhar por boas leis que protejam crianças que ainda não nasceram, de ensinos imorais e pornografias na escola, o nome de Deus não é glorificado?

    ou somente a Bíblia se restringe a mudança de coração (Ezequiel 36.26)?

    ResponderExcluir
  6. Guilherme Scheld, Promotor de Justiça da Infância em Brasília (1992-1995), Procurador da República especialista em Segurança Pública, em suas obras 'Família educa, Escola Ensina'e 'Conflitos e Violência na Escola' relata como os ensinos em várias escolas estimulam a imoralidade infantil. Detalhe, é pastor...e usa seus conhecimentos no cargo que ocupa para alertar e demonstrar procedimentos (assistam vídeos no yuo tube).
    É mais um "magistrado", "autoridade" do governo em favor da sociedade.

    Porém, muitos tradicionais crentes afirmam que não devemos tratar de assuntos que envolvam saúde educação e segurança...

    ResponderExcluir
  7. Subitem 1, continuando...

    Observem que interessante. Acontece em várias denominações pelo país.

    A cada quatro ou dois anos dependendo da localidade, "aparecem" nos púlpitos de nossas igrejas, perto das eleições, quem, quem, quem?????

    Líderes acompanhando pré candidatos ou apenas REALIZANDO PROPAGANDA ELEITORAL.
    Isso mesmo. Mas o Pastor local, por receber ordens se cala, utilizando o pretexto da "submissão".
    Bom, o mesmo pastor diz culturalmente que a igreja não deve falar de política mas...
    A LEI 9.504/17 e o artigo 13 da resolução 22.718/2018-Tribunal Superior Eleitoral PROÍBE NOS TEMPLOS RELIGIOSOS E PRÉDIOS A PROPAGANDA ELEITORAL, SEJA ATRAVÉS DE MEIO IMPRESSO OU VERBAL...

    Vai entender... Romanos 13 pede para obedecermos a autoridade governamental expressas nas leis lógico. Daí o pastor descumpre tal ordem e tome propaganda no púlpito. Mas diz ao longo de quatro anos para não falar de saúde, educação e segurança muito menos economia relacionadas a política.

    Em quem votar, se informar é essencial. Grupos de irmãos discutir a luz da bíblia e secularmente assuntos que comprometem hoje um hospital lotado sem médicos ou desvio de dinheiro público é OBRIGAÇÃO DE TODO CIDADÃO ... cristão ou não né

    ResponderExcluir
  8. Subitem 1, continuando...

    Já que falamos de desobediência às autoridades,
    em que casos podemos "obedecer a Deus e não aos homens"? Ou seja, desobedecer a um governo civil?

    Calma, não é revolta armada rsrs

    Mateus 28.19,20 - Preguem o evangelho
    Atos 4.18 - Sinédrio (Pedro e João presos)
    Atos 4.20 - "Não podemos deixar de falar das coisas que vimos"
    Atos 5.29 - "é mais importante obedecer a Deus que aos homens..."

    Se no metrô é proibido pregar, beleza. na praça da saída do metrô não é, então pregue.
    Agora se o estado brasileiro ganha a eleição onde ele e o congresso e o STF impõe que falar de Cristo é crime e crime com pena de morte, bora para glória mais cedo.
    O estado não deve impor a religião, seja ela qual for, "César", representado pelo governo, não deve palpitar religião...

    Êxodo 1.17,21- Parteiras hebréias.."não obedeceram a ordem de matar bebês masculinos..."

    Daniel 3.13-27, vamos ser churrasco, mas não adoraremos outor deuses ok?

    Estér descumpriu lei de Assuero para que salva-se a vida de juseus 9arriscou a própria vida (Estér 4.16).

    ResponderExcluir
  9. Lembrem-se de que o contexto em que Paulo insere a sua exortação a respeito de autoridades políticas vai do início do capítulo 12 ao final do 13. "não vos conformei com este mundo, mas transformai-vos pela renovação de vossa mente..." a política e o governo estão juntos ok?
    A avaliação ética das leis devem serem analisadas mesmo obedecendo.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Subitem 2 discorrerei mais tarde, ainda hoje.

    ResponderExcluir
  12. SOBERANIA DE DEUS NOS GOVERNOS

    "e orou:
    'Senhor, Deus dos nossos antepassados, não és tu o Deus que está nos céus? Tu governas sobre todos os reinos do mundo. Força e poder estão em tuas mãos, e ninguém pode opor-se a ti'.
    (2 Crônicas 20.6)

    "Louvado seja o nome de Deus
    para todo o sempre;
    a sabedoria e o poder a ele pertencem.
    Ele muda as épocas e as estações;
    destrona reis e os estabelece.
    Dá sabedoria aos sábios
    e conhecimento aos que
    sabem discernir".
    (Daniel 2.20,21)


    Entendam. Sabe aquela história de você orar pela nação (e deve orar sempre, participar de grupos que discutem política ,sadiamente), se informar ao máximo em quem votar, e mesmo assim ganha as eleições um governo mau "o povo geme"(Pv 29.2),
    tenha certeza que tem desígnios nosso maravilhoso Deus.

    E aí, goveno é um assunto que cristão não deve comentar? Hein CIDADÃO????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. T.Mendes li todos seus comentários, Deus abençoe por compartilhar conosco vossa reflexão, concordo contigo, esta lição é muito importante e também oferece aos professores uma grande oportunidade para esclarecer muitos pontos sobre nossa influência como cristãos para a sociedade. Privilegiados por ter dupla cidadania, os cristãos como cidadãos do Reino de Deus podem influenciar espiritualmente a sociedade e como cidadãos aqui nesta terra não podem ficar as margens do que ocorre no país. A Igreja na sua coletividade e cada cristão na sua individualidade não deve se eximir das responsabilidades sociais, e deve lutar contra as injustiças sociais. Política SIM, Politicagem NÃO, infelizmente, parte dos evangélicos durante as eleições tem sido vitimas da Politicagem que predomina nas igrejas durante as eleições, colocamos pessoas que não tem nenhum compromisso com as causas justas, mas com seus interesses pessoais. Precisar enfatizar ao aluno que precisamos orar pela nação e ser submisso as autoridades governamentais até o limite que não venha ferir os princípios bíblicos.

      Excluir
  13. Lembrei do Salmo 82.2-4

    CONSEQUÊNCIA DE UM GOVERNO RUIM...

    ResponderExcluir
  14. Amém. Sei que o fim se aproxima e a maldade aumenta aceleradamente no mundo em todas as esferas. A fé também é provada em todos os irmãos no mundo assim como a ira será derramada com veemência nas nações. A despeito de tanta corrupção e desvio do dinheiro público vindo à tona, a igreja ainda deve ser reino de Deus e expressar os atributos de Deus na terra. Sendo assim, ainda expressamos a necessidade de moralidade e justiça social.
    Mas amém. Somente um bom discipulado, um bom culto de ensino, uma escola bíblica dominical aprofundada, seminários na igreja com temas relevantes e mensagens exortativas visando a santidade traremos aos poucos alimento sólido. Chega de leite como bem disse Paulo para igreja e,com ou sem lactose

    ResponderExcluir
  15. Com relação ao subitem 2 tenho a dizer o seguinte, resumidamente:

    Se o dízimo é lei e não princípio hoje, por favor líderes, cumpram O DESTINO BÍBLICO DELE!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Dt 14.28,29; Dt 26.12-15;

    recaptulando:
    primeiro dízimo são para os levitas sem propriedade
    segundo dízimo são para festas judáicas
    terceiro dízimo são para os pobres órfaos viúvas e estrangeiros


    nada de porcelanato janela de alumínio bancos caros salários que ultrapassam o teto de líderes. Um membro está tosqueneado...


    que tal efetuar matrícula de membros em cursos profissionalizantes e capacitá-los em empregos mais rápidos e dar assim dignidade ao integrantes da igreja para que não vivam do assistencialismo (lembrando que se um membro que já dizimou, ofertou e ainda tem que dar um quilo de alimento perecível em campanhas é uma atitude sugestiva de que algo está errado com as coletas)

    Saudade de Paulo com seu exemplo. Antioquia (aquela congregação humilde lá isolada) doava do pouco tudo para Jerusalém faminta enquanto Corinto com seus líderes avarentos, segurava ao máximo suas arrecadações.

    ResponderExcluir
  16. Quero resumir em poucas palavras esta lição num ponto de reflexão, acerca de nos posicionar como uma igreja, na qual realmente precisamos influenciar este mundo com o evangelho de Cristo. Digo que é preciso ter autoridade na autoridade; Vou explicar, e deixarei um texto para meditação em que fala sobre o juiz iníquo, registrado em Lucas 18:1 a 8 ; o evangelho é uma autoridade de poder, e o porta voz Dele precisa ser autoridade na graça e na oração, infelizmente algumas pessoas não são dignas de tê-lo, dando mal testemunho, e isto prejudica o desempenho do Reino de Deus, é bem verdade que não iremos vencer todas as leis injustas, mas um coisa precisamos entender que se vivermos no evangelho e para o evangelho, iremos suportar tais leis, para nos manter fiéis até o fim com Cristo, por que não será fácil, quando Ele diz, no mundo tereis aflições, mas também não será impossível, pois Ele promete nos dar Vitória se o nosso ânimo não desabar. Oh! Glória!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discordo em parte. A Bíblia tanto diz que sofreremos por seguir Jesus como enfatizou em treze passagens por mim citadas (sem relacionar tantas outras), a importância de influenciarmos a formulação de leis com princípios bíblicos.
      Robson, se te assaltarem, quem vc aciona?
      Robson, foi um pacifista que venceu Hitler?

      Excluir
  17. Meu amigo e irmão, sim nós que seguimos a Cristo iremos sofrer para manter- se fiel, e o governo tem sua intervenção em relação a segurança do povo, mas não reger doutrinariamente o que a igreja deva fazer. E sobre a morte de hitler há um mistério, (suicidio). Se foi um pacifista que o matou, não digo que foi certo o que ele fez, Mas se não foi um pacifista, no conceito dos homens o mal se paga com mal. E Deus não ensina assim.

    ResponderExcluir
  18. Não Robson. Entendeu errado. a mobilização de governos fez com que impedisse o avanço do nazismo. Não se trata da morte do Ditador.

    Se leu meus comentários, em nenhum momento afirmei ingerência do estado na igreja.

    ResponderExcluir
  19. Meu Pastor Eliseu Nogueira está parabenizando a editora pelas lições

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Repassaremos para a Editora Betel, obrigado pela participação.

      Excluir