terça-feira, 7 de maio de 2019

Lição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios

Aula presencial dia 12 de Maio de 2019 

Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  
Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e 
adicionar conteúdo para uso na sua EBD. 


Hinos sugeridos para essa Aula

7 - Cristo Cura Sim

139 - Jesus Meu Eterno Redentor

 205 - xxxxxx










                                       

Lição 6 - A Igreja Atual e alguns Desafios
E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Romanos 12.2)
Tornar o Evangelho flexível, visando amoldá-lo às mudanças da pós-modernidade, é um dos perigos atualmente para a Igreja.



Verdade Aplicada
Não deve haver na Igreja nenhum tipo de discrepância entre fé e prática, pois o verdadeiro discípulo de Jesus vive aquilo que prega.



Objetivos da Lição
1 - Explicar o que é pós-modernidade;
2 - Citar os desafios da Igreja Primitiva;
3 - Apresentar os novos desafios da Igreja Atual;



Motivo de Oração
Ore para que Deus guarde e livre a Sua Igreja de qualquer tipo de escândalo.





1 Timóteo 4.1 
1 - Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios.


2 Timóteo 3.1 
1 - Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.


2 Timóteo 4.3-5 
3 - Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;
4 - E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.
5 - Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições.faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.



INTRODUÇÃO 
Novos e diferentes desafios se apresentam para a Igreja dos dias de hoje.
Somente com uma vida de oração, alicerçada na Palavra e avivada pelo Espírito Santo, poderemos vencer as astutas ciladas do diabo.



1. A ERA ATUAL 
O período na história que vivemos é chamado pelos estudiosos de pós-modernismo é uma continuação do modernismo, entretanto, com mudanças relevantes que trazem desafios para a Igreja de Cristo.

1.1  O pós-modernismo. 
O pós-modernismo é o nome aplicado às mudanças ocorridas nas ciências, nas artes e na sociedade, encerrando assim o período fortemente influenciado pela supremacia cega da razão e inaugurando um tempo de desconstrução das certezas, valores e referenciais. Ele hoje se espalha no cotidiano através da tecnologia e pelos meios de comunicação.
A atuação maligna na pós-modernidade diferencia-se da forma violenta como os cristãos do período greco-romano foram perseguidos ou da inquisição atroz. As estratégias estão mais sutis, difíceis de serem detectadas, e não pretendem aniquilar o Cristianismo, mas impedir o seu avanço, atenuar a sua mensagem, e enfraquecer a identidade cristã. 
A mentira está disfarçada de verdade; a verdade está sob suspeita. Os valores morais e bíblicos perdem espaço para a moralidade hedonista e egocêntrica. Não se trata de mera ação humana, mas de nova roupagem para velhos pecados sob a batuta da antiga serpente. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2008 » 3º Trim.)

1.2  Principais Mudanças do Século XXI.                      
O Mundo em que vivemos é muito distinto do qual a Igreja nasceu.
Hoje, temos acontecimentos que desafiam o cristianismo e até mesmo a própria pregação.



1.3  O Mundo. 
Desde a Igreja Primitiva, o mundo (do grego, kosmos) se opõe à Igreja e aos seus valores. Em especial, os escrito do apóstolo João nos dão uma idéia clara sobre o que é o mundo. Por metonímia, o mundo pode designar não apenas o mundo como um todo ou a terra, mas também, aqueles que habitam o mundo: o gênero humano (Jo 7.4; 14.22; 18.20), ou seja a humanidade em geral, objeto do amor e dos atos redentores de Deus (Jo 3.16). Contudo, o "mundo" também é caracterizado por uma sociedade corrompida, que se opõe a Deus e inimiga dEle e de Seus valores (Tg 4.4).


Resumindo : 


“Não se amoldem às estruturas deste mundo”. Não tomar a forma ou entrar na fôrma não é necessariamente ser reacionário; implica não aceitar acriticamente o que nos é imposto pelo sistema pecaminoso da sociedade. A recomendação paulina não se encerra na negação e na resistência de amoldar-se às estruturas deste século, mas avança instruindo que devemos transformar-nos pela renovação do entendimento, ou seja, fazer uma manutenção constante em nossa visão de mundo cristã, a fim de conhecer ou distinguir qual é a vontade de Deus: o que é bom, o que é perfeito e o que é agradável a Ele (Rm 12.2). (Lições CPAD Jovens  2015 » 3º Trim.)



2.  OS DESAFIOS DA IGREJA  


2.1  O Antinomismo e o Relativismo. 
[...] o chamado antinomismo, que é aquela atitude negligente, segundo a qual estar isento da lei equivale uma licença para praticar a iniqüidade. Longe disso, o apóstolo Paulo escreve que o cristão não deve moldar sua conduta de acordo com a carne (o impulso para pecar), mas em harmonia com o Espírito Santo. Atualmente, o relativismo afirma que, por causa da verdade ser relativa, não existe uma única lei moral que governe o mundo, contudo, sabemos que Jesus é a única verdade (Jo 14.6).
                                                              Resumindo :

Antinomismo * Literalmente significa contra a lei. Doutrina que assevera não haver mais necessidade de se pregar nem de se observar as leis morais do Antigo Testamento. Calibrando esta assertiva, alegam os antinomistas que, salvos pela fé em Cristo Jesus, já estamos livres da tutela de Moisés. Ignoram, porém, serem as ordenanças morais do Antigo Testamento pertencentes ao elenco do direito natural que o Criador incrustara na alma de Adão. Como podemos desprezar os Dez Mandamentos? Todo crente piedoso os observa, pois o Cristo não veio revogá-los; veio cumpri-los e sublimá-los. Além do mais, as legislações modernas estão alicerçadas justamente no Decálogo. "Para conhecer mais leia Dicionário Teológico, CPAD, p.44.

Relativismo - [Do lat. relativas]. Concepção filosófica segundo a qual nada é definitivamente certo nem absoluto, por depender de contingências e condicionamentos. Sob esta ótica, caem por terra os princípios éticos da verdade. O relativismo moral tem sido utilizado pelos ditadores para destruir os princípios da liberdade e da fé em Deus. (ANDRADE, Claudionor Corrêa de. Dicionário Bíblico Teológico. 8.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1999, pp. 45,253,261).

Paulo não aceita e não confirma o antinomismo. 
No antinomismo não há normas. Os que erroneamente aceitavam tal pensamento acreditavam que quanto mais pecarmos mais graça recebemos. Em outras palavras, a graça não impõe limite algum. Antevendo esse entendimento equivocado, o apóstolo pergunta: "Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça seja mais abundante? " (Rm 6:1). A resposta é não! A graça não deve servir de desculpa para o pecado. Infelizmente, o antinomismo tem ganhado força em nossa sociedade, passando a ser socialmente aceito até mesmo dentro das igrejas evangélicas. Esta é uma doutrina venenosa, que erroneamente faz com que a graça de Deus pareça validar todo tipo de comportamento contrário à Palavra de Deus. Em geral, tal pensamento vem "vestido" de uma roupagem espiritual, porém o antinomista costuma ser relativista quando se utiliza da expressão "não tem nada a ver". Fonte: (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2016 » 2º Trim.)

2.2  A Imoralidade e o Hedonimo. 
No texto de 1 Coríntios 5.1, o apóstolo Paulo repreende os coríntios em razão de sua soberba e arrogância por tolerarem tão flagrante pecado em seu próprio meio, e acautela seus leitores de que a liberdade cristã não implica em libertinagem moral, e ressalta o fato de que o corpo é sagrado, por ser templo do Espírito Santo (1 Co 6.18-20). O hedonismo afirma que o bem maior da vida é a busca pelo prazer e não reconhece o pecado como tal. Viver uma vida pautada pelos prazeres, riquezas e satisfações é, na verdade, viver sob a égide da carne e não do Espírito Santo.

                                                              Resumindo :

Hedonismo
O termo "deleites" no grego é hedonê que aparece cinco vezes no Novo Testamento e descreve prazeres ilícitos. No Hedonismo o prazer está no centro da vida.                 
O hedonismo é uma corrente filosófica que defende que o prazer é o caminho certo para atingir a felicidade. (estudopratico.com.br)

Ter amizade com o mundo envolve buscar prazer, à custa dos outros, ou à custa da obediência a Deus. O prazer que nos impede de agradar a Deus é pecaminoso.
(Bíblia de Estudo Cronológica de Aplicação Pessoal - CPAD - ARC - Pág.1565).

Enfatize para seus alunos que embora o hedonismo tenha surgido por volta do ano 435 a.C (antes de Cristo), ele é uma das correntes de pensamentos da nossa época, a pós-modernidade. O que é viver na pós-modernidade? é viver em tempos de inquietações, pouca solidariedade, mudança de valores, viver em um mundo com o desencadeamento do egoísmo nas pessoas. As pessoas fazem de tudo para chegar ao seu objetivo, fazem de tudo para satisfazer seus desejos e obter o máximo de prazer que este mundo possa oferecer, sem importar se vai passar por cima dos valores morais e éticos. As pessoas já não se preocupam com seu caráter, não tem mais sentimento de culpa, o importante é chegar onde querem e viver o melhor desta terra, parece que não se dão conta que a vida é finita por aqui, e haverá o dia da prestação de contas.(Prof.Eder Tomé,2016).

2.3  O Mercantilismo da Fé e o Consumismo Desenfreado. 



Uma das características do fenômeno social atual é o consumismo desenfreado, que é basicamente o desejo de comprar em demasia. As propagandas e a mídia nunca influenciaram tanto a sociedade como nos dias de hoje, entretanto, muitos absorveram essa demanda de se ter a utilizam no âmbito da fé, como meio de se comprar o favor de Deus. Em Atos 8.18, vemos que Simão oferece dinheiro para comprar o dom do Espírito Santo e o apóstolo Pedro diz: "O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois cuidaste que o dom de Deus se alcança por dinheiro.". Deus não é o nosso empregado e nem um comerciante, com o qual podemos comprar bênçãos. Nosso relacionamento com Ele é a partir de Sua graça e amor.

Rejeitando o consumismo. 
Embora o desejo de consumir seja considerado algo normal, há uma diferença gritante entre consumo e consumismo. Se o primeiro tem a ver com o suprimento de nossas necessidades básicas, o segundo manifesta um impulso incontrolável de se ter, ou possuir, as coisas mesmo quando estas não são necessárias. Um trata com o que é indispensável, enquanto o outro diz respeito àquilo que é supérfluo.
Alguém já disse que o crente deve tomar cuidado para não comprar o que não precisa, com o dinheiro que não tem, visando demonstrar o que ele, na realidade, não é. Administrar bem o dinheiro, atribuindo-lhe o seu real valor, faz parte da verdadeira prosperidade (1 Tm 6.17). A Bíblia destaca, inclusive, o contentar-se com a porção cotidiana proporcionada pelo trabalho digno, honesto e abençoado por Deus (Pv 30.8). Fonte: (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2012 » 1º Trim.)  



3. A RELEVÂNCIA DA COERÊNCIA NA VIDA DA IGREJA 


3.1  O Desafio da Ortodoxia. 
A ortodoxia defende que "a doutrina que se alinha (do grego, orthos) com a Escritura é destinada a ser uma bênção para a vida diária e, ao mesmo tempo, para louvar a Deus (do grego, doxa) na vida em si" 




A igreja deve preservar a sã doutrina, mas só conseguirá tal intento mediante o estudo sistemático e ortodoxo da Palavra de Deus (Tt 2.1). Ainda que alguns na atualidade não dêem a devida importância à doutrina bíblica, sabemos da sua necessidade face aos perigos espirituais que rondam a Igreja do Senhor nesta era pós-moderna. O Senhor adverte-nos, em sua Palavra, de que nos últimos tempos haveria grande rebeldia e apostasia: “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios” (1 Tm 4.1).Se a igreja não estiver atenta à voz do Espírito Santo e comprometida com o ensino bíblico ortodoxo, muitos crentes deixarão de amar a verdade, desviando-se da fé genuína em Cristo. Segundo a Palavra de Deus, nestes dias que antecedem a manifestação do Anticristo, haverá um tempo de grande apostasia (2 Ts 2.3,4). Redobremos a vigilância! (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2011 » 2º Trim)

3.2  O Desafio da Ortopraxia.
Ortopraxia significa, literalmente, "prática certa e corretiva". A verdadeira ação prática cristã - a ortopraxia - é gratuita, livre de artifício, livre de um espírito calculista, livre de contrato (faço isso para Deus e Ele faz isso para mim). A vida de ortopraxia é essencialmente espontânea. Com Jesus no coração, amamos o próximo, e o necessitado, não para ganhar a aprovação de Deus ou receber benefícios. É preciso libertar-se do egoísmo piedoso, ou seja, aquele que leva a pessoa a fazer o bem simplesmente porque sabe que receberá algo ainda maior em troca. Pois Paulo afirma em 1Coríntios 13.5: "o amor (...) não busca seus interesses".

                                                              Resumindo :

“Ação Social: Compromisso de uma Igreja
O avivamento espiritual, que é tanto a causa como o produto de uma Igreja Viva, precisa abranger a igreja como um todo, se não queremos um organismo aleijado ou disforme. Não se pode falar de um avivamento que priorize apenas um aspecto da totalidade do ser humano como, por exemplo, o destino de sua alma, em detrimento de seu bem-estar físico e social. Não nos interessa uma comunidade apenas voltada para o futuro, em prejuízo do hoje, pois isso implica em negligenciar as necessidades imediatas e urgentes do ser humano. O homem vive na dimensão do aqui e agora. Tem fome, frio, doença, sofre injustiças; enfim, tem mil motivos para não ser feliz. Nossa missão, pois, é socorrer o homem no seu todo, para que não somente usufrua paz de espírito, mas também conserve no corpo e na mente motivos de alegria e esperança. O projeto de Jesus é para o homem todo e para todos os homens. Fugir dessa verdade é desobediência e rebelião contra aquEle que nos comissionou. Um verdadeiro avivamento trará de volta ao crente brasileiro o amor pelos quase 50 milhões de irmãos pátrios que vivem na pobreza absoluta. O estilo de vida de uma igreja avivada não se presta a esquisitices humanas, mas à formação de personalidades de acordo com o caráter de Cristo, que não negligenciam o amor ao próximo”.
(CIDACO, J. A. Um Grito pela Vida da Igreja. 1.ed. RJ, CPAD, 1996, pp.87-8)

3.3  O Desafio da Ortopatia.


Pois se seguirmos tão somente a ortodoxia há o risco de entrarmos pelo caminho do legalismo. Mente e coração precisam ser impactados e transformados pela ação da Palavra de Deus e do Espírito Santo. Como conhecimento prático da unificação do coração e da mente por Deus, a teologia tem o caráter de sabedoria. Para a ortopatia ser verdadeira, é preciso que a paixão de Deus seja nossa paixão (Jo 3.16). Deve haver perfeita simetria entre teologia, vida e paixão.
Em Jesus Cristo encontramos a realização plena da ação missionária de Deus Pai. Enviado pelo Pai, veio para “servir e dar a sua vida em resgate de muitos”, “aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo” (Mc 10.45; Fp 2.6-8).
De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.(Fl 2:5-8)



CONCLUSÃO




QUESTIONÁRIO

1. O que Salomão afirma em Eclesiastes 1.9  ?
R.: Não há nada de novo debaixo do sol.

2. Quem é a única verdade ?
R.: Jesus (Jo 14.6)

3. O que Simão ofereceu para comprar o dom do Espírito Santo ?
R.: Dinheiro (At 8.18).

4. O que Paulo afirma em 1 Coríntios 13.5 ?
R.: "O Amor (...) não busca os seus interesses".

5. O que é preciso para que a ortopatia seja verdadeira ?
R.: Que a paixão de Deus seja nossa paixão (Jo 3.16).



BIBLIOGRAFIA

[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 2 trimestre 2019, ano 29, número 111 - Editora Betel


                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             
    
   






                                                                                                                                                                              
[     

Olá Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio que encontrei para acrescentar algo mais na sua preparação de Plano Aula.


                                                                                                                                                                              


8 comentários:

  1. Passagens bíblicas comuns de campanhas das famosas 'Sete Quintas-feiras' em Letreiros de igrejas:

    "E semeou Isaque naquela mesma terra, e colheu naquele mesmo ano cem medidas, porque o Senhor o abençoava".(Gênesis 26:12)
    Finalidade tema exposto- Promessa da consequência de dízimos e ofertas;

    "E sete sacerdotes levarão sete buzinas de chifres de carneiros adiante da arca, e no sétimo dia rodeareis a cidade
    sete vezes, e os sacerdotes tocarão as buzinas".
    Finalidade tema exposto- 'O sofrimento na sua vida acabará em 7 semanas'. (Josué 6:4)

    Que tem isso com a lição?

    A igreja acompanhou a pós-modernidade, simples assim.

    Vamos satisfazer o consumidor (CONSUMISMO);
    Você deve se sentir bem consigo mesmo, e rápido (IMEDIATISMO E PRAGMATISMO)...que tal reproduzir estratégias do AT para garantir a vitória hoje?

    Balaão, o falso profeta, ensinou os filhos de Israel a se prostituir com as cananitas e a praticar a religião delas, como se fosse algo aceitável a Deus (Nm 31.16). Paulo encontrou um grupo em Corinto que achava que tudo era lícito ao crente, inclusive participar dos festivais pagãos oferecidos nos templos idólatras (1 Co 8-10).
    Cristãos que defendem o sexo antes do casamento (RELATIVISMO, AUSÊNCIA DA VERDADE ABSOLUTA), absorção da moda de roupas sem preocupar com a lascívia, pornografia, o entretenimento (diversão) como deus, ou seja, uma blindagem contra provações através das distrações, aproveitar a vida pois a única realidade é o presente, o agora (EXISTENCIALISMO), o culto ao "eu", sem renúncias de si mesmo...

    Desafio da ortodoxia?
    não. Melhor "desafio da profilaxia", porque para descontaminar o mundo dentro da igreja, de cada indivíduo barganhoso com Deus, egoísta, despreocupado com o próximo e a eternidade, na chamada Igreja S/A, certamente precisamos rever o significado da reforma.






    Contribuímos para a pós modernidade entrar pela porta do templo...

    "Um cliente satisfeito é a melhor estratégia de negócios".
    Michael Leboeuf – consultor e autor de 8 best sellers sobre gestão de negócios.

    "Já não basta simplesmente satisfazer clientes: é preciso encantá-los".
    Philip Kotler – mais algumas frases do “pai do marketing”,

    Enxergamos algo parecido com relação à Igreja?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. T.Mendes, Deus abençoe pela participação, uma riqueza !

      Excluir
  2. Glória a Deus falando com todos q esta na ibd

    ResponderExcluir
  3. O maior desafio da igreja da atualidade é se preocupar em ser legitimamente a coluna e firmesa da verdade, expressando o ciclo de segmento divino pantenteado em não só no saber, no fazer, e no sentir, o que Deus requer de seus seguidores intitulados de igreja, Ex. Sobre perdoar; não basta saber perdoar e não perdoar, não basta colocar em prática o perdão sem sentimento, mas o mais completo é saber perdoar, colocar em prática o mesmo e finaliza-lo com o coração, ou seja, em faze-lo como se Deus agisse dentro de nós em amor e sem ressentimento. (ortodoxia, ortopraxia, ortopatia).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus Abençoe irmão Robson pela participação e postagem de vosso comentário no BLOG !

      Excluir
  4. Acredito que a data do dia das mães tenha redirecionado atenção e esforços para os comentários tardiarem. A falta de prioridade na igreja junto ao ensino é retrato da pós modernidade. Reunião de Cristãos, no mínimo, glorificaríamos o nome de Deus já que o 'amor' de mãe não é um segundo amor registrado na Bíblia.
    Muitas ebd deixaram de ministrar por conta de um evento como este, transferem de data ou até mesmo cancelam a lição. Na minha humilde opinião, particular deveria ser tal comemoração, em casa, com cada família.
    A igreja só tem que trazer mensagens sobre pecado (e a mãe não está fora disto), Cristo e eternidade seguido de santificação.
    Sem conversão, o amor de mãe aborta filho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não concordo em suspender a EBD devido o dia das mães, acho que não atrapalharia as comemorações em absolutamente nada, geralmente as EBD aos domingos é das 8:30 as 10:00 da manhã.

      Excluir