quarta-feira, 1 de maio de 2019

Lição 5 – Avivamento e Missões na história da igreja

Aula presencial dia 05 de Maio de 2019 

Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  
Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e 
adicionar conteúdo para uso na sua EBD. 


Hinos sugeridos para essa Aula

198 - O Bom Amigo

306 - A Palavra de Deus é um Tesouro

 581 - Castelo Forte









                                       

Lição 5 - Avivamento e Missões na história da Igreja
“Ouvi, Senhor, a tua palavra, e temi, aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos , no meio dos anos notifica; na ira lembra-te da misericórdia" (Hc 3.2)

“Aviva, ó Senhor
O profeta sabia que o povo não sobreviveria se o Senhor não intervisse com uma nova manifestação do seu Espírito. Somente assim a vida espiritual dos fiéis seria preservada, por isso o clamor. Tal fato fica ainda mais evidente quando Habacuque diz para que Deus, na ira, em meio à aplicação do seu juízo, não se esqueça da misericórdia. Ele está querendo dizer com isso que só a misericórdia divina poderá preservar o justo em tempos de aflição e angústia. Sem a Sua misericórdia, o povo haveria de perecer.”(DANIEL, S.  Habacuque. RJ: CPAD, 2005, p.143.)
Professor, já no primeiro contato com a classe deixe claro que avivamento é uma manifestação da misericórdia de Deus.



Verdade Aplicada
Quando somos confrontados pela Palavra e nos arrependemos dos nossos pecados, Deus opera renovação pelo Espírito Santo  e nos traz o avivamento.



Objetivos da Lição
1 - Explicar que somos confrontados através da Palavra;
2 - Mostrar que os grandes avivamentos nasceram após um retorno à Palavra;
3 - Esclarecer que, após vivenciar o avivamento, a Igreja volta ao ideal da Grande Comissão.



Motivo de Oração
Ore para que Deus aumente em Sua Igreja o anseio por Missões. 





2 Cronicas 7.12-15 
12 - E o Senhor apareceu de noite a Salomão, e disse-lhe: Ouvi tua oração e escolhi pra mim este lugar para casa de sacrifício.
13 - Se eu fechar os céus, e não houver chuva, ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra, ou se enviar a peste entre o meu povo;
14 - E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.
15 - Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar.



INTRODUÇÃO 
Na história da Igreja, Avivamento e Missões sempre caminharam juntos.
Deus utiliza Sua Palavra para gerar nos cristãos um retorno ao propósito básico de seu chamado e inspirar o espírito missionário.



1. A RELEVÂNCIA DOS AVIVAMENTOS 
A Igreja cristã vivenciou em sua história alguns avivamentos que foram responsáveis por um retorno ao Senhor e ao desejo pela obra missionária.

1.1  O que é Avivamento ?
Segundo Fábio Correia (2010), mestre UFPE existe duvidas quanto à expressão avivamento ou reavivamento:

A propósito, nos vem uma pergunta que não quer calar: Eu como crente e minha igreja, precisamos passar por um REAVIVAMENTO ou por um AVIVAMENTO? É interessante notar que essas duas palavras, apesar de significarem coisas distintas (caso contrário não existiriam duas e sim uma palavra, além de outras implicações linguísticas) têm sido usadas como sinônimas, para designar o mesmo fato, vejamos alguns exemplos:

A definição de REAVIVAMENTO da Revista Ultimato (Edição Nº 266), [...]: Começa falando de REAVIVAMENTO e termina falando de AVIVAMENTO.

Algo semelhante acontece também na definição de J.J.Packer, [...]: Ao definir REAVIVAMENTO ele afirma que é provocada uma ANIMAÇÃO (melhor aplicada à palavra AVIVAMENTO) ou uma REANIMAÇÃO (neste caso a palavra está coerentemente aplicada).

O autor do livro AVIVAMENTO na África do Sul [...]: A palavra usada é AVIVAMENTO, e em nenhum momento REAVIVAMENTO. Estaria ele falando de um assunto diferente do que trata as definições da revista Ultimato e a do próprio Packer? Claro que não, todos têm a mesma intenção.

Segundo o dicionário Houaiss, a palavra avivamento vem do cognato avivar, que significa "Tornar-se mais vivo; animar-se; tornar-se mais forte";


O verbo hebraico hyh (avivar) tem o significado primário de "preservar" ou "manter vivo". Porém, "avivar" não significa somente preservar ou manter vivo, mas também purificar, corrigir e livrar do mal. Esta é uma conseqüência natural em toda vez que Deus aviva. Na história de cada avivamento, dentro ou fora da Bíblia, lemos que Deus purifica, livra do mal e do pecado, tira a escória e as coisas que estavam impedindo o progresso da causa .[...] Encontramos no Novo Testamento grego um conjunto de palavras que expressam o conceito básico de avivamento. São elas: 'egeíro, 'anastáso, 'anázoe e 'anakaínoo. Outras palavras gregas comparam o avivamento ao reacender de uma chama que se apaga aos poucos (cf. 'anazopyréo em 2 Tm 1.6) ou uma planta que lança novos brotos e "floresce novamente" (cf. 'anaphállo em Fp 4.10). ( Rev. Josivaldo de França Pereira)

“As Características do Verdadeiro Avivamento.

1. O verdadeiro avivamento tem a Bíblia Sagrada como a inspirada, infalível, inerrante e completa Palavra de Deus.

2. O verdadeiro avivamento não admite qualquer outra revelação que venha contrariar as Sagradas Escrituras, pois estas são soberanas e irrecorríveis.

3. O verdadeiro avivamento prima pela ortodoxia bíblica e pela sã doutrina.

4. O verdadeiro avivamento é espiritual, mas não admite o misticismo herético e apóstata que, sob a capa da humildade, busca desviar os fiéis das recomendações dos profetas do Antigo Testamento e dos apóstolos do Novo Testamento.

5. O verdadeiro avivamento prega o Evangelho completo de Nosso Senhor, anunciando que Jesus salva, batiza no Espírito Santo, cura os enfermos, opera maravilhas e que, em breve, haverá de nos buscar, a fim de que estejamos para sempre ao seu lado.

6. O verdadeiro avivamento enfatiza a salvação pela graça através do sacrifício vicário do Filho de Deus.

7. O verdadeiro avivamento é pentecostal; realça a atualidade do batismo no Espírito Santo e dos dons espirituais.

8. O verdadeiro avivamento tem um firme compromisso com o imperioso ide de Nosso Senhor Jesus Cristo, por isto não poupa recursos humanos e financeiros na evangelização local, nacional e transcultural.

9. O verdadeiro avivamento acredita na necessidade e possibilidade de todos os crentes viverem uma vida de santidade e inteira consagração a Deus.

10. O verdadeiro avivamento é intercessor. Leva os crentes a rogar ao Pai celeste por aqueles que ainda não foram alcançados pelo Evangelho.”

(ANDRADE, C. C. Fundamentos bíblicos de um autêntico avivamento. RJ: CPAD, 2004, p. 187-8.)

O que não é avivamento

a) Avivamento não é um programa agendado pela igreja.
(Avivamento não é ação da igreja, mas de Deus).

b) Avivamento não é mudança doutrinária.
(Avivamento sem doutrina é fogo de palha, avivamento precisa estar fundamentado na Palavra).

c) Avivamento não é mudança litúrgica
(Louvor que não produz mudança de vida, quebrantamento, obediência e não leva as pessoas a confiarem em Deus, não é louvor, é barulho aos ouvidos de Deus. Assim diz o Senhor):
 "Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos; porque não ouvirei as melodias das tuas liras" (Am 5.23).
Hoje estamos vivendo a época dos shows evangélicos, dos show-men, dos animadores de programas religiosos, do "rock evangélico", das músicas badaladas por um ritmo sensual.
  
d) Avivamento não é modismo.
Muitos crentes, por desconhecimento, se posicionam contra o avivamento porque acham que ele é a mais nova onda da igreja. Acham que avivamento é uma inovação sem nenhum respaldo bíblico e histórico.

e) Avivamento não é uma visão dicotomizada da vida.
Nota: O que é dicotomizar: 1 Dividir em duas partes (https://www.dicionarioinformal.com.br/dicotomizar/)
Muitas pessoas, quando começam a buscar avivamento, saem da realidade e enclausuram-se nos castelos inexpugnáveis de uma espiritualidade isolada e monástica. Tornam-se tão "espirituais" que já não sabem mais conviver com a vida, isolam-se, fazendo da vida uma caverna de fuga. Querem sair do mundo em vez de serem guardados do mal. Dividem a vida entre sagrado e profano, corpo e alma, matéria e espírito. Acham que Deus está interessado apenas nas coisas espirituais. Acham que Deus só olha para a vida de trabalho na igreja, sem observar os negócios, a família, o trabalho, os estudos e a vida do dia-a-dia com o mesmo interesse.
Esta não é a visão bíblica nem a visão do verdadeiro avivamento. Tudo em nossa vida é vazado pelo sagrado. Todo o nosso viver é litúrgico. O grande avivalista John Wesley lutou pelas causas sociais na Inglaterra ao mesmo tempo em que pregou sobre avivamento. Finney pregou ardorosamente contra a escravidão nos EUA no século passado ao mesmo tempo em que foi o maior avivalista do seu país. João Calvino atacou com veemência os juros extorsivos em Genebra. O avivamento sempre traz profundas mudanças políticas, econômicas, sociais e morais. O avivamento não leva a igreja à fuga, mas ao enfrentamento.



1.2  Os Avivamentos da Bíblia.                     
Neste tópico destaque a importância do arrependimento para alcançar o avivamento.



1 - E, no dia vinte e quatro deste mês, se ajuntaram os filhos de Israel com jejum e com sacos e traziam terra sobre si.
2 - E a geração de Israel se apartou de todos os estranhos, e puseram-se em pé e fizeram confissão dos seus pecados e das iniqüidades de seus pais.
3 - E, levantando-se no seu posto, leram no livro da lei do Senhor, seu Deus, uma quarta parte do dia; e, na outra quarta parte, fizeram confissão; e adoraram ao Senhor, seu Deus.
4 - E Jesua, Bani, Cadmiel, Sebanias, Buní, Serebias, Bani e Quenani se puseram em pé no lugar alto dos levitas e clamaram em alta voz ao Senhor, seu Deus.
O verdadeiro arrependimento vai resultar em mudança de comportamento (Lc 3.8-14; At 3.19). O pecador arrependido se propõe a mudar de vida e voltar-se para Deus; o resultado prático é que ele produz frutos dignos do arrependimento (Mt 3.8). É como um viajante que descobre estar viajando num trem errado. Ao descobrir, ele desce e toma a direção correta. Assim é o arrependimento.(Revista Betel 4º trim,2017)
Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor,(At 3:19).
Para mais informações visite:
Arrependimento, o caminho para o reavivamento (lição 9 betel, 2018, 4 trim)

“Por que precisamos de avivamento contínuo
Uma igreja sem renovação espiritual constante cai na rotina, isto é, fica parada no tempo, no espaço e no trabalho. Ela pode até trabalhar, mas não avança, não progride, porque algum fruto que surja é destruído pelas contendas, inveja, ganância, desunião e outras obras da carne. Tal igreja não resiste, nem supera as rápidas mutações de comportamento da sociedade ímpia ao seu redor.
Tal igreja, ainda, perde a guerra espiritual contra a ‘carne’ e as potestades do mal (Gl 3.3; 5.17). O crente regenerado pelo Espírito Santo precisa também manter-se renovado pelo mesmo Espírito Santo (Tt 3.5; 2 Co 4.16). O avivamento espiritual não é só ter o fogo e o calor do Espírito Santo; é preciso continuar a avivar a chama do fogo espiritual (2 Tm 1.6 — lit., ‘aviva de novo a chama viva do fogo’).
As palavras do evangelista Billy Graham, em seu sermão, três dias após os atentados terroristas contra os Estados Unidos: ‘Prostemo-nos perante Deus, humilhados, contritos, arrependidos, confessando os nossos pecados como cristãos, para que venha sobre nós um avivamento celestial’. Precisamos de avivamento contínuo da parte do Senhor, para que sejamos vencedores. Somente um real e contínuo avivamento é capaz de restringir, deter e neutralizar na igreja a atual avalanche de secularismo, de mundanismo, de comodismo, de conformismo, de transigência com o erro, com o pecado e com o mal.
Segundo o modelo bíblico, o reavivamento resulta em santidade do crente em toda a sua maneira de viver (1 Pe 1.15). Se um avivamento não resultar nisso — nessa mudança de vida —, tudo não passará de mero entusiasmo, mecanicismo e emoção, como acontece com certos ‘avivamentos’ orquestrados pelos homens. O avivamento sob Esdras e Neemias, nesse sentido, obteve grandioso resultados (Ne 8; 9.1-38).
A santificação deve ocorrer em ‘todo o vosso espírito, e alma, e corpo’, conforme lemos em 1 Tessalonicenses 5.23. Isso significa que devemos ser santos em nosso viver, e em nossa conduta — isto é, em nosso caráter, inteiramente —, e em nosso proceder, externamente. Mantenhamo-nos, pois, separados do mundo pecaminoso.
Preparemos, pois, ‘o caminho do Senhor’ para o avivamento — ou reavivamento — celestial, como proclamou João Batista (Jo 3.3)”.
(GILBERTO, A. Verdades Pentecostais. RJ: CPAD, 2006, p. 26, 27 e 89.)

1.3  Os Avivamentos na História da Igreja.



Atualmente, ouvimos muitas mensagens sofisticadas, porém a mensagem da cruz e do arrependimento não pode ser esquecida dos púlpitos.

Obs. Os exemplos abaixo são após a reforma, porque antes da reforma mencionamos e estudamos na lição anterior.


Ainda não poderíamos nos esquecer de Charles C. Finney:
“Charles C. Finney foi um dos principais evangelistas da América do Norte. Nasceu em 1792, num lar sem qualquer influência evangélica. A princípio, tornou-se professor de escola primária e, mais tarde, aprendiz num escritório de advocacia no Estado de Nova Iorque. Enquanto estudava para prestar exames na faculdade de Direito, descobriu que a Bíblia era o alicerce das leis norte-americanas. [...] Com idade de vinte e nove anos, Finney rendeu sua vida a Cristo e abandonou seus planos de se tornar advogado para pregar o Evangelho, imediatamente, ore avivamento acompanhou a prédica de Finney. Pessoas eram arrebanhadas para o Reino de Deus em reavivamento após reavivamento.
A oração era o principal ingrediente no sucesso de Finney. Tudo quanto fazia era precedido pela oração.
A clássica obra de autoria de Finney, Lectures on Revivais of Religion [Palestras sobre Reavivamento da Religião], [...]. Do capítulo ‘The Spirit of Prayer’, temos este impressionante trecho:

‘Oh, quem nos dera uma igreja que orasse! Certa feita, conheci um ministro que teve um reavivamento por catorze anos seguidos. Não sabia como explicar a razão disso, até que presenciei um de seus membros se levantar numa reunião de oração e fazer uma confissão, ‘irmãos’, disse ele. ‘Há muito que tenho o hábito de orar todos os sábados à noite até depois da meia-noite, pela descida do Espírito Santo entre nós. E agora, irmãos’ — e ele começou a chorar — ‘confesso que tenho negligenciado isso por duas ou três semanas...’. Aquele ministro tinha uma igreja dedicada a oração” (Finney, Lectures on Revivais, pp.99,100). (BRANDT, R. L.; BICKET, Z. J. Teologia Bíblica da Oração. 4.ed. RJ: CPAD, 2007, pp.459-61).



2.  A HISTÓRIA DA IGREJA E MISSÕES  
A Reforma Protestante foi apenas o começo do grande avivamento que Deus estabeleceria em Sua Igreja para chamar as nações e povos para se render a Ele e participarem de Seu Reino.

2.1  A Igreja Primitiva e Missões.



Como vimos, é o Espírito Santo que capacita a Igreja para a missão e para o discipulado. Inclusive o Senhor Jesus agiu no poder do Espírito Santo (Mt 3.16;At 10.38).
“Os despediram (At 13.3)
Com estas palavras começa o grande movimento missionário da igreja ‘até aos confins da terra’ (At 1.8). Os princípios missionários vistos no capítulo 13 de Atos são um modelo para todas as igrejas que enviam missionários.
(1) A atividade missionária é originada pelo Espírito Santo, através de líderes espirituais que estão profundamente dedicados ao Senhor e ao seu reino, buscando-o com oração e jejum.
(2) A igreja deve estar atenta ao ministério e atividade proféticos do Espírito Santo e sua orientação.
(3) Os missionários que são enviados, devem fazê-lo segundo a chamada e a vontade específica do Espírito Santo.
(4) Mediante a oração e o jejum, a igreja, buscando constantemente estar em harmonia com a vontade do Espírito Santo, confirma a chamada divina de determinadas pessoas à obra missionária. O propósito é que a igreja envie somente aqueles que forem da vontade do Espírito Santo.

(5) Pela imposição de mãos e o envio de missionários, a igreja indica que se compromete a sustentar e assistir os que saem à obra. A responsabilidade da igreja que envia missionários inclui demonstrar amor e cuidado para com eles de um modo digno de Deus, orar por eles e sustentá-los financeiramente. Isso inclui ofertas especiais de amor para necessidades específicas deles. O missionário é uma projeção do propósito, interesse e missão da igreja que os envia. Essa igreja fica sendo, portanto, uma cooperadora da verdade (Fp 1.5)” (Bíblia de Estudo Pentecostal. RJ: CPAD, pp.1659,1660).

2.2  Missões da Igreja Pós-Reforma.




Professor seria muito interessante fazer uma síntese sobre o  “iluminismo”, devido sua influencia na historia da igreja pós reforma.
“Da Cosmovisão Centrada em Deus para a Cosmovisão Centrada no Homem
Duzentos anos depois da Reforma do século XVI, a Europa conheceu o iluminismo. O iluminismo não era contra a religião; apenas declarava que nosso conhecimento de Deus não deveria vir da Bíblia, mas pela luz universal da natureza. Como tais, todas as religiões do mundo eram essencialmente iguais, fundamentadas como estavam na observação natural e na experiência. A Bíblia foi vista como um livro proveitoso, mas não considerada a revelação de um Deus pessoal. A razão humana foi elevada acima da revelação.
O iluminismo foi uma bênção mesclada. Por um lado, enfatizou a liberdade religiosa e a tolerância no melhor sentido da palavra. Dois séculos antes, a Reforma tinha inspirado nova vida espiritual em religiões da Europa. Esta luz. porém, era frequentemente oculta, senão extinta, pelas controvérsias religiosas que se seguiram anos mais tarde. Podemos entender por que as pessoas foram alimentadas com a intolerância da era. Ele deu ênfase muito necessária na liberdade de aprendizagem e na liberdade da consciência.
Infelizmente, o iluminismo também introduziu densas trevas” (LUTZER, Erwin E. Cristo Entre Outros Deuses: Uma defesa da fé cristã numa era de tolerância. 1ª Edição. RJ: CPAD. 2000, pp. 34-35).
O iluminismo designa o processo, iniciado na Idade Média e que continuou a manifestar-se nos tempos modernos. Neste processo o homem utiliza o conhecimento concedido por Deus de forma errônea esquecendo que é uma simples criatura.Torna-se atual a velha tentação de “querer ser como Deus” (Gn 3,5).
E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas.
E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor;
Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade,
E tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos.(
2 Timóteo 2:23-26)
Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?(Mateus 7:21,22)

2.3  A Bíblia e Missões.
O grande historiador moderno de Missões, Latourette, chamou o século XIX de "O Grande Século" da obra missionária. Este período é caracterizado por grandes reavivamentos, onde notáveis homens de Deus estimulavam os fiéis à devoção reavivamentos,onde notáveis homens de Deus estimulavam os fiéis à devoção pessoal, a uma vida piedosa e à leitura da Bíblia.
Nota: Grandes nomes do período(sec XIX) são os norte-americanos Dwight MOODY e John MOTT, pregadores e articuladores da missão no exterior.

John Knox: "Dá-me a Escócia ou eu morro!".

Whitefield: "Se não queres dar-me almas, retira a minha!".

John Bunyan: "Na pregação não podia contentar-me sem ver o fruto do meu trabalho".

Matheus Henry: "Sinto o maior gozo em ganhar uma alma para Cristo, do que em ganhar montanhas de ouro e de prata, para mim mesmo".
D. L. Moody: "Usa-me, então meu Salvador, para qualquer alvo em qualquer maneira que precisares. Aqui está meu pobre coração, uma vasilha vazia, enche-a com tua graça".
Henrique Martyn, ajoelhado na praia da Índia, onde fora como missionária, dizia: "Aqui quero ser inteiramente gasto por Deus".

John Mckenzie, ajoelhado a beira do Lossie, clamava: "Ó Senhor, manda-me para o lugar mais escuro da terra!".

Prayine Hyde, missionário na Índia, suplicava: "Ó Deus, dá-me almas ou eu morrerei!".

David Brainerd falava: "Eís-me aqui, Senhor. Envia-me a mim! Envia-me até os confins da terra: Envia-me aos selvagens habitantes das selvas; envia-me para longe de todo conforto terrestre; envia-me mesmo para morte, se for para teu serviço e para progresso do Teu reino". Ele mesmo escreveu: "Lutei pela colheita de almas, multidões de pobres almas. Lutei para ganhar cada uma, e isto em muitos lugares. Sentia tanta agonia, desde o nascente do sol até o anoitecer, que ficava molhado de suor por todo o corpo. Mas, ó meu querido Senhor soou sangue pelas pobres almas. Com grande ânsia eu desejava ter mais compaixão".

João Welsh, encontrava-se nas noites mais frias prostrado no chão, chorando e lutando com o Senhor, por seu povo. Quando sua esposa implorava que explicasse a razão da sua ânsia, respondia: "Tenho que dar conta de três mil almas e não sei como estão".

E nós igreja do sec. XXI o que estamos fazendo pela obra missionária?
Temos atualmente também, pessoas apaixonadas pelas almas, há poucos dias ouvi um pastor dizer que sua congregação com 250 membros aproximadamente estavam sustentando cinco missionários e já tinha mais um missionario pronto para ser enviado, que benção!
Porque a obra missionária não é prioridade na maioria das igrejas evangélicas?

Nosso tema é bastante oportuno: “Lição 5 – Avivamento e Missões na história da Igreja.



3. O MOVIMENTO PENTECOSTAL 
Durante séculos a obra pentecostal tinha se arrefecido diante do secularismo da igreja da Idade Média, entretanto, após a volta da leitura da Bíblia e a busca por uma vida de santidade, Deus derrama a plenitude de seu Espírito novamente, agora sobre a igreja do século XX.

3.1  O Batismo com o Espírito Santo.



O batismo com o Espírito Santo é uma obra distinta e à parte da regeneração, na qual o crente em Cristo Jesus experimenta a plenitude do
Espírito, através da evidência inicial do "falar em línguas".

O Pastor Seymour não era pregador eloqüente, mas anunciava a promessa pentecostal do batismo no Espírito Santo com a evidência física inicial de falar noutras línguas. Depois assentava-se no púlpito, colocava o rosto entre as mãos e não parava de interceder, suplicando a Deus que operasse no coração dos ouvintes. Enquanto orava, o poder de Deus manifestava-se; os crentes eram batizados com o Espírito Santo; a convicção das verdades divinas transbordava a alma, e um veemente desejo de viver em santidade era experimentado por todos.
(Revista Lições Bíblicas - CPAD - Pr. Antonio Gilberto - Pág.12)

“Outras Línguas
Um só sinal fazia parte do batismo pentecostal. Todos os que foram cheios do Espírito Santo começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. Isso quer dizer que faziam uso das suas línguas, dos seus músculos. Falavam. Mas as palavras não brotavam das suas mentes ou do seu pensamento. O Espírito lhes concedia que falassem, e expressavam as palavras com ousadia, em voz alta, e com unção e poder.
Isso é interpretado de várias maneiras. Alguns se detêm no versículo 8 (‘Como pois os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos?’) e supõem que todos os discípulos falaram em sua língua materna, aramaico, e que se tratava de um milagre de audição ao invés de fala. Mas os dois versículos anteriores são muito claros. Cada um os ouvia falar na sua própria língua, sem o sotaque galileu.

Outros chegam a um meio-termo, e dizem que os discípulos falavam em línguas desconhecidas, que o Espírito Santo interpretava nos ouvidos de cada um dos ouvintes em sua própria língua. Mas Atos 2.6,7 exclui essa interpretação, também. Os 120 falavam em idiomas que foram compreendidos por pessoas de diversas nações. Esse fato testemunhou a universalidade do dom e da unidade da Igreja” (HORTON, S. M. A Doutrina do Espírito Santo. RJ: CPAD, 2001, p.155).

3.2  O Revestimento de Poder.
A palavra "poder" (do grego dynamis), dá origem a vários vocábulos no português, a saber, dínamo, dinamite, dinâmico, entre outros. Essa palavra está ligada diretamente ao "poder" como capacitação, capacidade para fazer ou executar uma obra, ou seja, ao sermos batizados com o Santo Espírito, nós recebemos de Deus ferramentas para ajudar a executar a obra.
"Eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder." (Lc 24.49)
Atos 8.17
"Então, lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo"

Muitos estudiosos acreditam que Deus decidiu conceder esse dramático enchimento com seu Espírito como um sinal, nesse momento especial da história - a transmissão do evangelho a Samaria, por meio da pregação poderosa, veemente e eficaz dos crentes. Normalmente, o Espírito Santo passa a estar presente na vida de uma pessoa por ocasião da sua conversão, e este é um evento especial. Naquela ocasião, o derramamento do Espírito aconteceria outra vez sobre Cornélio e sua família (At 10.44-47), como sinal de que os gentios não circuncidados poderiam receber as boas-novas. O mesmo contínua acontecendo em nossos dias. (Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC - Pág.1541).

3.3  As Assembléias de Deus.



Em suas primeiras décadas de existência, não teve o ensino teológico formal (seminários) como a sua prioridade básica. Sendo um movimento essencialmente apostólico, concentrou todos os seus recursos na evangelização de um país cujo território é várias vezes maior que a Europa Ocidental. 


(Lições CPAD Jovens e Adultos »  2011 » 2º Trimestre)



CONCLUSÃO
Para que possamos viver o verdadeiro avivamento que vem de Deus, 




QUESTIONÁRIO

1. Com o que o Avivamento está relacionado  ?
R.: Com um retorno e submissão à vontade de Deus (2Cr 29.1-6,16;31.4-6).

2. O que o povo fez na época do rei Josias ?
R.: Um compromisso de obedecer às ordens de Deus e remover as influências pecaminosas em suas vidas (2Cr 34.2-7).

3. Quem capacita a Igreja para a missão e para o discípulo ?
R.: O Espírito Santo (At 10.28-34).

4. O que Lutero afirmou ?
R.: Que a Grande Comissão foi dada somente aos apóstolos,  e que o Evangelho deveria ser pregado pelas autoridades civis  (Mt 16.15).

5. Quem deve fazer a obra missionária ?
R.: Todas (Mc 16.15).



BIBLIOGRAFIA

[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 2 trimestre 2019, ano 29, número 111 - Editora Betel


                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             
    
   





Aguardando Postagem do Vídeo

                                                                                                                                                                              
[     

Olá Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio que encontrei para acrescentar algo mais na sua preparação de Plano Aula.


Professor ATENÇÃO, não deixe de ler a lição abaixo, vai te ajudar muito, tem muita informação em cima do mesmo tema abordado por essa Lição.

Professor ATENÇÃO, acesse o link abaixo e entenda melhor sobre a tal "Doutrina do Sacerdócio de todos os Crentes" mencionada pelo comentarista da revista betel no tópico 2.2.


Material de Apoio
Enviado pelo irmão T.Mendes

Estimado Professor, não deixe de ler os comentários que os irmãos estão deixando no rodapé desta página, participe também, por exemplo nosso irmão T.Mendes deixou vários comentários sobre nossa lição dessa semana, inclusive comentando trechos do livro "Jonathan Edwards e o Avivamento Brasileiro", comentou também sobre um trecho do subtópico 3.3 onde se lê "[...] concentrou todos os seus recursos na evangelização de um país cujo território é várias vezes maior que a Europa Ocidental..." , nosso irmão Robson também deixou suas considerações sobre esta lição, poderia subir os comentários desses irmãos para esta página principal, todavia, é mais razoável incentivar nosso leitores a abrir os comentários, ler, responder, fazer novas perguntar, tirar duvidas, incluir também vossas reflexões, afinal de contas, um blog típico combina texto, imagens, link de vídeos, hiperligações para outros blogs, páginas da Web, onde tudo está relacionadas ao tema proposto, dando a capacidade de leitores deixarem os comentários (de preferência se identificando) de forma a interagir com o autor e demais leitores, que é a parte mais importante dos blogs.  Vamos ler, clique abaixo para ler os comentários.

                                                                                                                                                                              


25 comentários:

  1. Respostas
    1. A paz do Senhor Pr. Malciron, acabei de postar os Comentários !

      Excluir
  2. Paz do senhor amados,que estudo maravilho.Que Deus lindo é esse nosso que a igreja do senhor possa voltar o primeiro amor é aviva sua igreja a cada dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Paz do Senhor, oremos por uma grande avivamento do evangélicos e o retorno à sua palavra.

      Excluir
  3. Avivamento não é produzido por nós...mas do alto.
    Muita conversão, milagres , línguas , êxtases , reuniões...sem convicção do pecado,
    poderemos nos alegrar num "ganhamos cem almas para Jesus hoje. Viu como elas se emocionaram?"???????
    As mensagens são de arrependimento e pecado? ou que "sua vida vai mudar, declare agora...ei, psiu, música de fundo por favor,mais emoção é garantia de conversão.."

    ResponderExcluir
  4. avivamento genuíno provoca mudança de comportamento numa sociedade!

    ResponderExcluir
  5. Respostas
    1. Muito obrigado por confiar e utilizar nossos materiais de apoio.

      Excluir
  6. Parabéns!Gostei tem sido de grande apoio às minhas lições bíblicas dominical.Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado por sua opinião,é importante para nós.Não se esqueça de divulgar e orar por este projeto.
      Pb. Gerson Tomé

      Excluir
  7. Respostas
    1. Kleber a paz do Senhor Jesus!
      Em nome de todos os irmãos, que contribuíram nas postagens dos subsídios,agradecemos pelo retorno e palavras motivadoras.
      Pb. Gerson Tomé

      Excluir
  8. Existem diferentes opiniões no ambiente evangélico brasileiro quanto ao avivamento. Na obra de Luis Roberto França de Matos, "JONATHAN EDWARDS E O AVIVAMENTO BRASILEIRO", editora Cultura Cristã,toma como base para definir, a avaliação pelas nas conclusões de Edwards (avivamento de 1735 e obras correlatas).
    São evidências de um verdadeiro avivamento segundo o autor:
    1)Profunda convicção do pecado;
    2)Um anseio especial pela Palavra de Deus;
    3)Mudança de natureza em vez de só manifestações externas;
    4)Transformações sociais através da manifestação do reino de Deus;
    5)[Este me chamou a atenção] Os dons e manifestações extraordinários não têm em si mesmos qualquer garantia de uma operação salvadora do Espírito. Por outro lado, a PRESENÇA DE UMA NOVA NATUREZA É UMA SINAL SEGURO DE QUE DEUS AGIU...

    A ênfase do avivamento brasileiro têm se concentrado em fenômenos exteriores. Cair no Espírito, milagres, sessões de exorcismo e o batismo com o Espírito Santo expressada por línguas, têm sido a marca do chamado 'avivamento brasileiro'.
    Todavia, pouco se tem procurado saber se essas experiências espetaculares têm produzido mudanças interiores efetivas.

    lembram da Igreja de Corinto???? Provavelmente a de maior manifestações de dons...e a mais carnal segundo Paulo afirmou. Imoralidade, egoísta e avarenta, falta de amor e heresias, diante de visões, revelações, milagres, línguas, profecias, ajuntamento de massas, nada diferente dos dias de hoje.

    Richard Owen Roberts, em sua obra "AVIVAMENTO, A AÇÃO EXTRAORDINÁRIA DO ESPÍRITO SANTO", editora SHEED, apontam as evidências da condição apóstata. Isso pelo fato de ter usado a apostasia de Israel expressa em Jeremias 2 e 3, a fim de sabermos quando o avivamento é necessário. São eles (evidências da condição apóstata):
    A oração deixa de fazer parte da vida cristã

    A busca da verdade Bíblica cessa (dessinteresse em se aprofundar e ler)

    Conhecimento bíblico não é aplicado a própria pessoa

    Os esportes as recreações e os entretenimento são grande e necessário em nossas vidas a ponto de deixarmos a dedicação a Deus

    Pecados do corpo e da mente são praticados sem perturbação da consciência

    Desejo de ser santo como Jesus deixa de predominar em sua vida

    Quando a aquisição de dinheiro e bens se torna parte dominante do seu pensamento, você tem uma clara confirmação de apostasia e outros

    Bom, avivar o que está morto, não pode continuar morto.
    Avaliemos após um determinado tempo as pessoas. Há indignação ao pecado? transformação de vida depois do louvorzão línguas e curas?????????????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão T.Mendes, Com vossa permissão, estarei subindo vosso texto para a seção de postagem de material de apoio, Deus abençoe por compartilhar conosco essa rica reflexão

      Excluir
    2. Corrigindo

      ...avaliação pelas OBRAS nas conclusões de Edwards (avivamento de 1735 e obras correlatas).

      Excluir
  9. Deus sempre a de fazer com que a igreja seja sustentada por Ele no decorrer da sua história, e com as perseguições, fez de sua igreja, para ser forte e corajosa, sendo-a avivada pela sua palavra, a medida que seus congrecionados voltem por inteiro aos primórdios dos propósitos de Deus, que é fazer a obra de Deus,: E para que cumpramos o envio da palavra de Deus aos perdidos, é nescessário ter a companhia de dois segmentos inseparáveis ao lado de Cristo, que é o avivamento e Missões; Ex. Avivamento e Missões caminham juntos, avivamento estimula à fazer Missões, emquanto que Missões estimula em ser avivados em Cristo com Deus. Gostaria de explicar mais sobre este (Ex.). Mas sei que os espírituais já terão seus entendimentos restaurados e renovados pelo Espírito Santo. Oh!Glória!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sinta-se a vontade irmão Robson, todos nós precisamos ler e aprender, este é nosso espaço para colocar as questões, reflexões, dúvidas sobre a lição, em tempo, Deus abençoe por compartilhar conosco vossas considerações. !

      Excluir
  10. Em tempo,Subitem 3.3.
    Nos faz refletir trecho do autor nesse subitem, a saber:
    "[...]concentrou todos os seus recursos na evangelização de um país cujo território é várias vezes maior que a Europa Ocidental..."

    Pergunto:
    Se a arrecadação que sobra não destina-se HOJE para evangelização, ou se o que é destinado HOJE não é suficiente, deduzimos num primeiro momento:

    A prioridade tem sido a troca de cerâmica por porcelanato?
    A prioridade tem sido a troca de bancos de plástico por de madeiras caríssimas envernizadas?
    A prioridade tem sido esquadrilhas de alumínio tremendamente caras nas janelas?
    A prioridade tem sido mármores brilhosos nas sedes?
    Em outras palavras, revestimento e luxos no ambiente tem sido prioridades (nada contra um banheiro salubre - condições de higiene, uma reparação de circuito elétrico para adequada iluminação ou um portão que pendula para cair)?

    O veículo custeado ou combustível de líderes tem sido em motores de potência de mais de 75 cavalos, ou seja, o transporte realizado em frotas de 2.0?

    Necessitamos de pagar cachês tão elevados para "missionários, evangelistas" que pregam em nossas igrejas? e cantores?

    "A fim de não pesar à igreja", Paulo de fato NÃO EXTORQUIA OS MEMBROS...membros já sofridos

    Quanto custa um missionário fora do país enquanto no interior do Ceará por exemplo, donde sabemos que existem municípios cuja igreja mais próxima, deslocando de ônibus, é cerca de uma hora e meia a duas horas de um curioso (não digo nem membro)? Sem contar que a frequência acarretará comprometimento da renda da pessoa interessada... existem missionários nestes locais mesmo???

    Quando teremos a transparências das contas fixadas no mural da igreja anexada notas fiscais e demais recibos do destino da arrecadação?

    Salários eclesiásticos altíssimos são por vezes um embaraço a obra realmente de quem ao menos se sujeita ao frio e escárnio durante a pregação de rua e interiores.

    Vc dizima, oferta, traz mantimento, faz doações...e vozes silenciosos lamentam o desgaste sem amparo na propagação do evangelho. Não construímos impérios, ou pelo menos não deveríamos. A Igreja não precisa chamar a atenção estando adornada como uma bela catedral, afinal, prostitutas e drogados não se impressionaram com isso mas sim a genuína palavra de Deus penetrante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deus Abençoe irmão T.Mendes, obrigado por Participar !

      Excluir
  11. no versiculo 2Cr 7.13 está " se eu errar os céus"...creio que é apenas um erro de digitação. Muito bom os esclarecimentos ajuda muito os professores!

    ResponderExcluir
  12. A Paz! Gostaria de saber em qual dia da semana fica liberada a lição de domingo.

    Grato.

    Pb. Anderson Freitas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amado à paz do Senhor Jesus!
      Muito obrigado por sua interação com o blog e pela pergunta,talvez seja a duvida de outros irmãos também.
      O blog é atualizado diariamente com materiais,normalmente até quarta-feira a maior parte dos subsídios estão postados.Não temos vinculo com a Editora Betel e no meu caso(preparo o comentário da lição),mas durante o dia trabalho na rede estadual de ensino(SP).Estamos preparando o melhor para os nossos professores,afinal, todo o nosso esforço tem este único objetivo auxiliar a todos os professores da melhor forma possível.Ore por nós e por este projeto.
      Um forte abraço!
      Pb Gerson Tomé

      Excluir