segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Lição 7 - A Importância da Continuidade do Trabalho

Aula presencial dia 18 de Novembro de 2018 


Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e adicionar conteúdo. Não deixe de Divulgar e Compartilhar nas Redes Sociais !



CLIQUE AQUI PARA BAIXAR SLIDE

1 - Apresentar qualidades fundamentais para exercer a obra de Deus;
2 - Destacar a sabedoria de Neemias, através do seu testemunho;
3 - Enfatizar virtudes indispensáveis para enfrentar situações adversas.

 Texto Áureo
"Então o meu Deus me pôs no coração que ajuntasse os nobres,
e os magistrados, e o povo, para registrar as genealogias.
E achei o livro da genealogia dos que subiram primeiro
e assim achei escrito nele" (Ne 7.5)

Verdade Aplicada
É preciso que nosso comprometimento na obra de Deus
se mantenha até a volta de Jesus.

Motivo de Oração
Interceda pelos irmãos que têm experimentado
a perseguição em sua própria casa.

Hinos sugeridos.

77 - Guarda o contato

258 - Na Rocha Eterna

344 - Um Amigo entre os Lírios





 Neemias 7.1-3 
1 - Sucedeu mais que, depois que o muro fora edificado, eu levantei as portas; e foram estabelecidos os porteiros, e os cantores, e os levitas.
2 - Eu nomeei a Hanani, meu irmão, e a Hananias, maioral da fortaleza, sobre Jerusalém, porque era homem fiel e temente a Deus, mais do que muitos;
3 - E disse-lhes: Não se abram as portas de Jerusalém até que o sol aqueça; e, enquanto assistirem ali, fechem as portas, e vós trancai-as; e ponham-se guardas dos moradores de Jerusalém, cada um na sua guarda e cada um diante da sua casa.




IMPORTANTE
NÃO APRESENTAREI O CONTEÚDO COMPLETO DA REVISTA
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !






ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução
1. Qualidades Fundamentais
2. Um Testemunho Estimulante
3. Virtudes para Lutar contra Situações Adversas
Conclusão


                   


Lição 7 - A Importância da Continuidade do Trabalho

Texto Áureo
"Então o meu Deus me pôs no coração que ajuntasse os nobres, e os magistrados, e o povo, para registrar as genealogias. E achei o livro da genealogia dos que subiram primeiro e assim achei escrito nele" (Ne 7.5)

Verdade Aplicada
É preciso que nosso comprometimento na obra de Deus se mantenha até a volta de Jesus.

Textos de Referência. 
 Neemias 7.1-3 
1 - Sucedeu mais que, depois que o muro fora edificado, eu levantei as portas; e foram estabelecidos os porteiros, e os cantores, e os levitas.
2 - Eu nomeei a Hanani, meu irmão, e a Hananias, maioral da fortaleza, sobre Jerusalém, porque era homem fiel e temente a Deus, mais do que muitos;
3 - E disse-lhes: Não se abram as portas de Jerusalém até que o sol aqueça; e, enquanto assistirem ali, fechem as portas, e vós trancai-as; e ponham-se guardas dos moradores de Jerusalém, cada um na sua guarda e cada um diante da sua casa.

Introdução
Após o término das obras, Neemias procurou estabelecer aqueles que ocupariam posições estratégicas junto às portas, bem como nos serviços do culto, a saber, os cantores e levitas (Ne 7.1).

1. Qualidades Fundamentais
Neemias sabia que todo orgulho e altivez atrapalhariam o desenvolvimento do grande projeto que Deus estava colocando em suas mãos. Assim, procura separar aqueles que apresentavam qualidades fundamentais e indispensáveis para uma obra dessa envergadura. Desprendimento de qualquer tipo de individualismo e reclamações por cargos ou posições são os segredos para se erigir qualquer serviço para Deus, mesmo que seja recomeçado das cinzas. Trabalhemos, então, algumas dessas características,

1.1. Fidelidade
Neemias nomeou como líderes Hanani, seu irmão, e Hananias, maioral da fortaleza (Ne 7.2). A primeira qualidade que Neemias destacou foi a fidelidade. É interessante atentar para o fato de que a fidelidade faz com que as pessoas sejam dignas de confiança (1Co 4.2). Outras qualidades, embora mais surpreendentes e impressionantes, não podem suplantar a importância da fidelidade. Existem qualidades que encantam e ludibriam, mas a fidelidade ultrapassa a barre9ira do tempo. 
A fidelidade faz parte do fruto do Espírito.
Segundo o pastor Antonio Gilberto (2005), O fruto da fidelidade é imprescindível ao relacionamento do cristão com Deus, consigo mesmo e com o próximo.
O fruto da fé (fidelidade). Diferente do dom, esta fé cresce dentro de nós (2Co 10.15; 2Ts 1.3). Jesus mencionou-a em Marcos 11.22: “Tende fé em Deus”. Esta é a fé revelada num caráter íntegro e santificado segundo a Palavra de Deus.[...]
A fidelidade na vida do crente inclui sofrimento por Cristo e com Cristo. Sob este aspecto, a fidelidade está estreitamente associada à paciência (Hb 6.12). A Epístola aos Hebreus foi escrita em tempos de violenta perseguição. Em tais circunstâncias, esta virtude é realmente provada. O fruto espiritual da fidelidade capacita-nos a suportar qualquer circunstância. (Lições CPAD Jovens e Adultos »  2005 » 1º Trim)    

1.2. Temor a Deus
A segunda qualidade que Neemias enfatizou foi o temor a Deus (Ne 7.2). Essa característica é, segundo a Bíblia, uma das mais importantes (Pv 1.7). Quem teme a Deus exerce as funções que lhe são confiadas segundo as prioridades de Deus, não as suas próprias. Todavia, é preciso cautela com essa afirmação, pois Deus designa um líder, a saber, o anjo da Igreja, a quem, não sendo o caso de um absurdo, devemos obediência. Obedeçamos nossos pastores, conforme  nos orienta o texto de Hebreus 13.17.
O temor foi à marca da igreja primitiva:
Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos.(Atos 2:43)
Temor a Deus. A verdadeira comunhão frutifica, na vida da igreja como um todo e na vida de cada crente em particular, um santo temor a Deus. Lucas destaca: “Em cada alma havia temor” (At 2.43). E o temor a Deus, como todos sabemos, é o princípio do saber (Pv 1.7).
Quando os crentes temem e amam a Deus, a igreja mostra-se sabia não apenas diante do Senhor, mas também do mundo. Ainda há temor a Deus em seu coração? (Lições CPAD Jovens e Adultos »  2011 » 1º Trim)    

1.3. Disposição para receber orientações
A terceira qualidade notada por Neemias foi a disposição de receber orientações (Ne 7.3). É importante ressaltar que nenhuma das características observadas exaltavam o homem. No entanto, eram qualidades intrínsecas, que pouco chamam a atenção das grandes massas. Não somente hoje, mas ao longo da história da humanidade encontramos muitos que resistem em se submeter às orientações daqueles que estão na liderança. Porém trata-se de um princípio bíblico, tanto no serviço profissional como na atividade eclesiástica (Nm 16.3; 2Co 2.9; Tt 2.9-10; 3Jo 9).
“A obediência e a fidelidade aos líderes cristãos, aos pastores e mestres, deve basear-se numa superior lealdade a Deus” (Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD).
[...]Agora ele manda que obedeçam àqueles que estão atualmente na direção, seus pastores. Tais homens não eram aventureiros inescrupulosos, mas homens de Deus, cônscios de sua responsabilidade pastoral perante Deus e a igreja. Portanto, que não lhes causassem tristeza, comportando-se como ovelhas desgarradas, pois isso não lhes seria proveitoso” (Comentário Bíblico — Hebreus, CPAD, págs.170-174).
17 - Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossa alma, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.

2. Um Testemunho Estimulante
Há muitos livros e palestrantes que são classificados como sendo de autoajuda, uma vez que visam conduzir seus leitores a um estado de espírito valorizado. Neemias, entretanto, era um líder que procurava dar a seus companheiros não uma autoajuda, mas a ajuda que vem do alto. Neste tópico, destacaremos a sabedoria desse servo de Deus, estabelecendo metas concretas para seus liderados, além de explicar o ocorrido na corte, relatando como o Senhor abrira o caminho para sua vida àquele lugar (Ne 2.5-20).

2.1. A Essência da Boa Motivação
Neemias conseguiu um feito notório. Por quase cem anos o discurso que imperou foi: "Não, não podemos fazer". Porém, após a interação com Neemias, o povo se vê tomado por uma força interna (Ne 4.6; 6.16). Assim, a partir do momento em que são estimulados os comportamentos, as pessoas passam a agir de maneira favoráveis à causa. Na igreja, no trabalho, no lar, necessitamos de estímulos que nos mantenham firmes em nossos propósitos. O diabo, nosso adversário, tem como um de seus principais objetivos nos fazer desviar do foco (1Pe 5.8).
O que nos preocupa bastante é que a verdadeira motivação de muitos crentes e até lideres estão baseadas na fama ou no poder, enquanto deveriam viver para glorificar a Cristo.
A VERDADEIRA MOTIVAÇÃO DO CRENTE
O crente fiel dispensa a vaidade. Além de significar o que é “vão” ou “aparência ilusória”, o termo vaidade, segundo o dicionário Houaiss, designa a ideia de “valorização que se atribui à própria aparência”. É o desejo intenso de a pessoa ser reconhecida e admirada pelos outros. Isso é vaidade! E a motivação verdadeiramente cristã a dispensa. Quando lemos as Sagradas Escrituras percebemos que “o buscar a glória para si” é algo absolutamente rechaçado pela Palavra de Deus (Jo 3.30). A Palavra revela que o servo de Cristo não deve, em hipótese alguma, ser motivado por essa cobiça (Mc 9.30-37).
O crente fiel não deseja o primeiro lugar. Ao lançar mão de uma criança e apresentá-la entre os discípulos, ensinava o Senhor Jesus uma extraordinária lição: no coração do verdadeiro discípulo deve haver a mesma inocência e sinceridade de um infante (Mc 9.36). Entre os seguidores do Mestre não pode haver espaço para disputas, intrigas e contendas. No Reino de Deus, quem deseja ser o “primeiro” revela-se egoísta, mas quem procura servir ao próximo é chamado pelo Mestre para ser o primeiro (Mc 10.42-45). Aqui, se estabelece a diferença entre o vocacionado por Deus e o chamado pelo homem. (Lições CPAD Jovens e Adultos »  2012 » 3º Trim)  

2.2. Mãos à "boa" obra
Não basta apenas estimular. Em todos os setores da sociedade, trabalho, igreja, escola, lar, entre tantos outros, existem aqueles que ocupam a posição de líder, mas não não trabalham com o devido cuidado, isto é, não há planejamento em sua ações. É preciso refletir nisso. De que adiantaria a Neemias obter êxito em estimular as pessoas, se não houvesse uma frente de trabalho para aproveitar esse ânimo ? Essa boa vontade e disposição teriam sido dissipadas bem depressa se Neemias não os pusesse a trabalhar.
Nas lições anteriores nós enfatizamos o exemplo de neemias como líder, neste tópico o comentarista destaca uma característica pessoal de neemias “o trabalho”. Interessante é relacionarmos este fato à Jesus que era muito trabalhador.
Jesus fez em três anos e meio de ministério o que nós, talvez, levemos uma vida inteira. Todavia, como pode ser observado, Ele era um homem experimentado no trabalho. A Bíblia o chama de “homem de dores que sabe o que é padecer”, (Is 53.3).
Nós, trabalhamos, padecemos, mas para o nosso próprio benefício. O Senhor Jesus fez tudo isso não para o seu benefício, mas para o bem de todos os seres humanos. Semelhantemente aquele que serve à Igreja deve saber que o maior entre nós, servirá o menor (Lc 22.26-27). Cristo disse, “Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também”, Jo 13.15.(artigo, A DISCIPLINA NA VIDA DO OBREIRO,Pr.Eli Martins de Souza).

2.3. É preciso reconhecer Deus como Aliado
Depois de determinar um propósito tangível, nosso personagem em estudo relembra como a potente mão de Deus o acompanhou. Neemias expõe como tudo aconteceu, o caminho aberto para sua vinda a Judá, bem como toda a provisão de materiais necessários para os reparos dos muros. Como líder, Neemias levou as pessoas não a olharem para sua limitações  e temores, mas, sim, para o Senhor Deus. Na caminhada cristã, devemos nos esforçar por lembrar aquilo que nos dará esperança (Lm 3.21-24).
Diante do trabalho para o Senhor. Deus deve estar acima do trabalho que realizamos para Ele mesmo. A Palavra afirma: "Buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça" (v.33), isto é, as realidades celestiais deverão vir à frente das terrenas. Aqui temos uma verdadeira escala de valores: o corpo vale mais que seu vestuário, a vida vale mais do que a comida que a sustenta (vv.25-32), e acima das coisas terrenas, está o Senhor, Todo-Poderoso. Entregue a Cristo a direção e o controle total de sua vida, e desfrutarás do seu onipotente e eterno cuidado (Rm 8.32; 2 Co 9.8-11).(Lições CPAD Jovens e Adultos »  2012 » 3º Trim)  
Muitas vezes diante de situações difíceis a tristeza parece querer dominar o servo de Deus e a esperança diminuir. Contudo aprendemos com a palavra de Deus a vivenciarmos estes momentos com uma atitude  que nos ajudam a vencer, entre outras:1-Oração para não sermos dominados pela inquietação (Fl 4.6-7)2-Consolar uns aos outros (2Co 1.4).3-Vigilância quanto aos pensamentos(Fl 4.8;Cl3.2).4-Manter a atenção em Jesus Cristo(Hb 12.2)  (Revista do professor)
"Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós" (1 Pe 5.7).

3. Virtudes para Lutar Contra Situações Adversas
Uma situação adversa é também berço das suas força a agir. Naturalmente, se fugirmos do estágio paralisante a que uma circunstância desfavorável possa nos conduzir, teremos opções plausíveis a serem tentadas. Entretanto, algumas observações preliminares já dariam mais da metade do trajeto como vencido. Senão, vejamos:

3.1. União
O Senhor Jesus Cristo afirmou que um Reino dividido não subsiste (Mt 12.25). De nada adianta um nome forte para uma equipe fragmentada, uma vez que toda força será fraca se não estiver completamente unida. A tarefa da reconstrução dos muros foi um grande desafio para os que desejavam ver o crescimento de Jerusalém (Ne 6.15-16). Sem união, isso jamais seria possível (Ne 4.6). O Reino de Deus sempre avança quando unimos nossas forças (Ec 4.9-12), pois há bênção de Deus na unidade (Sl 133).
10 - Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa e que não haja entre vós dissensões; antes, sejais unidos, em um mesmo sentido e em um mesmo parecer.
11 - Porque a respeito de vós, irmãos meus, me foi comunicado pelos da família de Cloe que há contendas entre vós.
12 - Quero dizer, com isso, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de Cristo.
13 - Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo?
O projeto de Jesus para a igreja foi a unidade da mesma:
20 - Eu não rogo somente por estes, mas também por aqueles que, pela sua palavra, hão de crer em mim;
21 - para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu, em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.
Unidade (Jo 17.21,22). Em sua oração, Jesus ressalta a unidade existente entre Ele e o Pai. O Pai, o Filho e o Espírito Santo são Pessoas divinas e distintas, mas são um em essência e vivem em perfeita unidade. Cristo anseia que seu Corpo viva de igual modo, unido. Essa virtude é conquistada e conservada por meio de um andar em Espírito (Cl 5.16-26). (Lições CPAD Jovens e Adultos »  2010 » 4º Trim)  

3.2. Amor
É preciso compreender que ninguém pode amar sozinho. Amar requer a existência de um interlocutor, isto é, outra pessoa para a qual esse amor será endereçado. Talvez aqui resida o grande pivô que impede o desenvolvimento desse sentimento, pois o ser humano que ainda não venceu a si mesmo tem sérias dificuldades para exercer o amor ao próximo.
É um mandamento:
34 — Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.
35 — Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.(Jo13.34-35)
“Você deseja ser uma pessoa mais amorosa? Comece aceitando o seu lugar como filho muito amado: ‘Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo vos amou’ (Ef 5.1,2).
Você quer aprender a perdoar? Então pense em como você foi perdoado: ‘Sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo’ (Ef 4.32).
Você acha difícil pensar nos outros em primeiro lugar: ‘Sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus’ (Fp 2.6).
Você precisa ter mais paciência? Beba da paciência de Deus (2Pe 3.9). Será a generosidade uma virtude ilusória? Pense em como Deus foi generoso com você (Rm 5.8). Você tem dificuldade de suportar parentes ingratos ou vizinhos mal-humorados? Deus lhe suporta quando você age dessa maneira: ‘Porque ele é benigno até para com os ingratos e maus’ (Lc 6.35).
Será que somos capazes de amar desta maneira?” (LUCADO, Max. Um amor que vale a pena. RJ: CPAD, 2003, p.7).

3.3. Esforço
Quando foi chamado para assumir o lugar de Moisés, Josué recebeu uma recomendação do Senhor Deus para que se esforçasse, bem como tivesse bom ânimo e ainda mantivesse viva a observação das Sagradas Escrituras em seu dia a dia (Js 1.6-9). Note que, para sustentar o equilíbrio desses requisitos, além de se efetuar a obra braçal, requer-se um grande esforço. A vida cristã é como andar de bicicleta: se parar de pedalar; cai; a não ser que esteja em uma descida. No entanto, se não houver humildade, uma vida espiritual que esteja ladeira abaixo não é recomendável para ninguém. Pedalemos, ou seja, nos conservemos em movimento rumo aos céus, galgando novos patamares (Pv 4.18).
"Não to mandei eu? Esforça-te e tem bom ânimo; não pasmes, nem te espantes; porque o SENHOR, teu Deus é contigo, por onde quer que andares (Js 1.9).
Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.(Fl 3.14)“Prossigo para o alvo”. Para participar de uma maratona, o atleta tem de treinar muito. É preciso esforço, dedicação e trabalho para alcançar o prêmio final. Paulo utiliza neste texto a analogia do atletismo, a fim de mostrar aos filipenses que o crente em sua caminhada também precisa se esforçar para conhecer mais a Cristo, deixando de lado os embaraços dessa vida e o pecado, mantendo o foco em Jesus. Quando o crente deixa de olhar firmemente para o “Alvo”, corre o risco de tropeçar e cair, podendo até abandonar a fé. Vigiemos, pois, em todo o tempo, na dependência do Senhor.
Neemias orou a Deus para ajudá-lo-lo neste propósito (Ne 6.9)

Conclusão
A vida de Neemias é um exemplo para os nossos dias, nos quais a ausência do temor e da moral constituem um verdadeiro estado de crise espiritual. Em todas as áreas da nossa vida, precisamos permanecer fiel a Deus e contagiar outros para confiarem em Deus, que jamais nos abandonou.

Bibliografia
[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 4 trimestre 2018, ano 28, número 109 - Editora Betel
PAE - Plano de Aula Expositiva - Auxílio EBD - http://editorabetel.com.br/auxilio/beteldominical/

                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             








                                                                                                                                                                              
[     

                                                   
                                                                                                                                                                              


Nenhum comentário:

Postar um comentário