segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Lição 6 - Enfrentando as Diferentes Investidas do Inimigo

Aula presencial dia 11 de Novembro de 2018 


Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e adicionar conteúdo. Não deixe de Divulgar e Compartilhar nas Redes Sociais !



CLIQUE AQUI PARA BAIXAR SLIDE

1 - Explicar que o inimigo não nos dá trégua;
2 - Apresentar táticas para vencer os opositores;
3 - Mostrar como resistir à intimidação.

 Texto Áureo
"E enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra,
de modo que não poderei descer. Por que cessaria esta obra,
enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco" (Ne 6.3)

Verdade Aplicada
Quando trabalhamos para Deus, a oposição se apresenta de várias formas.
Para enfrentá-la, é de suma importância uma vida de oração,
crendo que o Senhor nos livrará e providenciará 
o necessário para o nosso sustento.

Motivo de Oração
Ore para que os cristãos não neguem
a fé diante das adversidades.

Hinos sugeridos.

267 - Jesus Minha Força

386 - Vencidos Os Combates

394 - Mãos Ao Arado




 Neemias 6.1-3 
1 - Sucedeu mais que, ouvindo Sambalate, Tobias, Gesém, o arábio, e o resto dos nossos inimigos que eu tinha edificado o muro e que nele já não havia brecha alguma, ainda que até este tempo não tinha posto as portas nos portais.
2 - Sambalate e Gesém enviaram a dizer: Vem, e congreguemos-nos juntamente nas aldeias, no vale de Ono. Porém intentavam fazer-me mal.
3 - E enviei-lhe mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer. Por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco ?




IMPORTANTE
NÃO APRESENTAREI O CONTEÚDO COMPLETO DA REVISTA
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !






ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução
1. Velhos inimigos, novas máscaras
2. Táticas para vencer os opositores
3. Resistindo à intimidação
Conclusão


                   


Lição 6 - Enfrentando as Diferentes Investidas do Inimigo

Texto Áureo
"E enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer. Por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco" (Ne 6.3)

Verdade Aplicada
Quando trabalhamos para Deus, a oposição se apresenta de várias formas. Para enfrentá-la, é de suma importância uma vida de oração, crendo que o Senhor nos livrará e providenciará o necessário para o nosso sustento.
No tópico 2.3 o comentarista destaca sobre a importância da vida de oração.

Textos de Referência. 
 Neemias 6.1-3 
1 - Sucedeu mais que, ouvindo Sambalate, Tobias, Gesém, o arábio, e o resto dos nossos inimigos que eu tinha edificado o muro e que nele já não havia brecha alguma, ainda que até este tempo não tinha posto as portas nos portais.
2 - Sambalate e Gesém enviaram a dizer: Vem, e congreguemos-nos juntamente nas aldeias, no vale de Ono. Porém intentavam fazer-me mal.
3 - E enviei-lhe mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer. Por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco ?

Introdução
Nesta lição, veremos os inimigos da obra do Senhor agindo mais uma vez. Quando faltava a colocação dos portões nas muralhas, Neemias se vê outra vez sob intenso ataque inimigo, mas ele reage de forma surpreendente.
“Sambalate — Um homem que tinha uma grande importância política em Samaria na época da bem-sucedida tentativa de Neemias de reconstruir os muros de Jerusalém (Ne 2.10,19). A Bíblia Sagrada refere-se a ele como um homem horonita, o que, provavelmente, signifique simplesmente que ele residiu em Bete-Horom, em Samaria, e não na cidade de mesmo nome em Moabe. Ele e Tobias tentaram convencer o rei persa de que o povo de Jerusalém estava planejando uma revolta contra ele (Ne 2.19); mas, quando o plano não deu certo, eles tentaram zombar dos esforços de Neemias, dizendo até que uma raposa poderia colocar aqueles muros abaixo (Ne 4.3). A filha de Sambalate casou-se com o neto de um sumo sacerdote (Ne 13.28).
Tobias — Governador judeu-amonita que uniu suas forças com Sambalate na tentativa de evitar que Neemias e os israelitas reconstruíssem o muro (Ne 2.10). Quando Neemias se ausentou de Jerusalém, Tobias foi agraciado com um quarto na área do Templo, usado anteriormente como depósito, pois tinha um parente entre os sacerdotes (6.17). Evidentemente, gozava de boas relações de amizade com os sacerdotes e os nobres de Jerusalém. Ao retornar, Neemias lançou fora os pertences de Tobias, mandou limpar e purificar o quarto e novamente voltou à usá-lo como depósito de vasos, incenso e das ofertas de manjares (13.6-9)” (Dicionário Bíblico Wycliffe. 1.ed., RJ: CPAD, 2009, pp.1751,1950).

1. Velhos inimigos, novas máscaras
A dinâmica do Reino de Deus deixa claro que não fomos chamados para nos acomodarmos enquanto esperamos a volta de Cristo, mas, sim, conforme Efésios 6.17, para colocarmos um capacete e irmos para a guerra. Portanto, é fundamental uma postura de constante vigilância, oração e atitudes dirigidas pelo Espírito Santo (2Ts 5.17; 1Pe 5.8-9). É exatamente isso que Neemias viveu na obra do Senhor. Desta vez, os velhos inimigos se reapresentaram, agora, com outras estratégias de ataque. Neste tópico analisaremos algumas delas.
Professor neste tópico o comentarista nos alerta sobre as mudanças de estratégias utilizadas pelo inimigo, tipificadas por Tobias e Sambalate. É uma ótima oportunidade para alertar a classe quanto a ação do diabo contra a igreja atualmente. Alerta-nos o Senhor Jesus que, nos últimos dias, aparecerão muitos falsos profetas que, se possível, enganarão até mesmos os escolhidos (Mt 24.11). Nunca se viu o falso parecer tanto com o verdadeiro. Ser evangélico virou moda,todavia o crescimento do numero de pessoas que nasceram de novo não cresce na mesma proporcionalidade.O caminho que nos leva à salvação continua estreito...

1.1. Buscando a distração dos trabalhadores
A esta altura, o projeto encabeçado por Neemias estava bem adiantado. Os muros estavam construídos, mas ainda lhes faltavam a restauração das portas (Ne 6.1). Com isso, vale dizer que a cidade continuava exposta ao perigo. Os inimigos da obra, sabendo desse detalhe, empreenderam mais um ataque na esperança de distrair os trabalhadores. É interessante notar que os servos de Deus já haviam feito mais de 50% da obra. E é geralmente quando estamos na metade do caminho rumo à benção que os ataques se intensificam.
Muitos servos de Deus, por descuidadrem da oração e vigilância, tem sido derrotados pelos golpes que Satanás lhes desfere durante a caminhada.[...]O inimigo nunca desiste.Sempre tentará uma nova jogada.(revista do professor)
“Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisso com toda a perseverança e súplica por todos os santos” (Ef 6.18).

1.2. Falsa aparência amigável
Certamente, todo inimigo nos dará trabalho, mas, talvez, não haja inimigo mais perigoso do que aquele não declarado. Infelizmente, essa espécie age na surdina. Às vezes, são tão descarados que buscam aproximação, a fim de analisar possíveis pontos fracos, por meio dos quais podem nos bombardear. Agora, os que são "do contra" querem estabelecer um diálogo. O texto de Neemias não deixa dúvidas de que os inimigos externos já possuíam aliados do lado de dentro (Ne 6.14, 17-19). Procurando o diálogo, queriam aumentar o número dos que poderiam jogar do seu lado e, assim, atender seus interesses escusos.
Estamos atravessando dias difíceis e trabalhosos em que "espíritos enganadores" têm entrado no seio da igreja (1 Tm 4.1) para difundir o erro, confundindo e distraindo o povo de Deus para estacionarem no caminho da fé e, por fim, se desviarem. Precisamos vigiar! Muitos se apresentam como líderes, pregadores e ensinadores, mas, na verdade, não passam de falsários, promotores do engano, da confusão e da discórdia. Estes têm trazido para a Igreja toda sorte de contaminação, por meio de ensinos heréticos, falsa unção, pseudo-espiritualidade e costumes mundanos. Utilizam-se de todo tipo de trapaça a fim de ludibriar o povo de Deus (Tt 1.16).(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2009 » 1º Trim.)

1.3. Afastar ou intimidar o líder
A geografia bíblica nos diz que o vale de Ono ficava na metade do caminho entre Jerusalém e Samaria (Ne 6.2). A distância a ser vencida numa caminhada ou mesmo com o emprego de outro meio de transporte tomaria tempo e energias dos trabalhadores. O convite para um encontro no vale de Ono era uma tentativa de afastar Neemias de Jerusalém. Tentaram deixar transparecer que a realização de uma conferência seria em um território neutro. Contudo, Neemias se afastando ficaria mais vulnerável (é possível que planejassem matá-lo ou raptá-lo) e o ritmo da obra de Deus certamente diminuiria. Porém o servo de Deus estava atento, sempre procurando agir com prudência, e logo percebeu a má intenção de Sambalate e Gesém. Ainda hoje o inimigo tenta afastar os servos de Deus do serviço cristão ou paralisá-los. Ainda que aparentemente tenha desistido, enquanto estivermos nesta terra, o inimigo não desistirá de tentar nos deter (Lc 4.13).
“[...] Sambalate e Gesém fizeram um convite cortês, e até melífluo, a Neemias, para que comparecesse a uma conferência do alto escalão, em território neutro. ‘Vem, e congreguemo-nos juntamente nas aldeias, no vale de Ono’ (6.2), isto é, na metade do caminho entre Jerusalém e Samaria. Como destaca o Dr. Boice, o gesto parece um discurso de concessão feito por perdedores numa campanha política: ‘Neemias, não adianta fingirmos que não nos opúnhamos ao seu projeto. Opusemo-nos... Mas você foi bem-sucedido, apesar de nós, e agora é inútil sustentarmos nossa oposição. Para o que der e vier, teremos de conviver, você como governador de Jerusalém, e nós como governador de nossas províncias. Então, sejamos amigos. O que precisamos é de uma reunião de cúpula’. O aparente reconhecimento do sucesso de Neemias foi lisonjeiro; o convite a arranjar um meio de conviver soa cativante e vantajoso. Lisonja e vantagem imaginária tem sido sempre uma potente combinação para virar a cabeça das pessoas. Em negócios e em política, pessoas imprudentes têm tido os seus julgamentos alterados por essa artimanha o tempo todo. A cabeça de Neemias, porém, não foi virada, como o demonstra a sua réplica ao convite” (PACKER, J. I. Neemias — Paixão pela fidelidade. Sabedoria extraída do livro de Neemias. 1.ed., RJ: CPAD, 2010, p.144). 

2. Táticas para Vencer os Opositores
As insistentes e constantes investidas do inimigo muitas vezes podem provocar abatimento nos servos de Deus, mas não destruí-los (2Co 4.9). Ao longo do livro de Neemias, temos notado que a oração era uma constante na vida deste servo de Deus. Portanto, seja qual for a tática a ser adotada para vencer os opositores, nunca será dispensada a oração (Ef 6.18). A postura de Neemias deve ser a nossa também. Aprendamos mais com esse destacado líder.

2.1. Discernimento, uma Importante Arma de Defesa
Discernimento. A palavra grega para “discernimento” é diakrisis.
Segundo o Pr. Ezequias Soares(2006),Discernimento é a habilidade conferida pelo Espírito Santo ao cristão para distinguir o real do aparente e a verdade da mentira.
Neemias demonstra ser um servo de Deus maduro. Não que possuísse uma grande quantidade de anos de vida com Deus, como às vezes acontece com alguns, e tal como o é com pessoas que possuem muitos anos de igreja e, consequentemente, de idade. Estas, porém, muitas vezes vivem ainda em suas infâncias no que tange ao crescimento espiritual (1Co 3.2). Maturidade espiritual não é mensurada pela idade ou tempo de igreja, mas, sim, pelas atitudes do cristão. Com isso, Neemias pôde lançar mão de sua primeira arma de defesa: o discernimento espiritual (Ne 6.2,10-12). Ele não se deixou ludibriar pelos encantos do convite ao diálogo amistoso.
Professor o nosso amado irmão comentarista nos deixa bem claro que o discernimento espiritual é indispensável na condução e execução da Obra de Deus, pois as adversidades são muitas e sutis. Não estamos blindados,portanto precisamos de discernimento de Deus para não sermos enganados.
Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido” (1 Co 2.15).
“porque surgirão falsos cristos e falsos profetas e farão tão grandes sinais e prodígios, que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Eis que eu vo-lo tenho predito.” (Mt 24.24-25).

2.2. Manter o foco, uma Arma indispensável na Obra de Deus
Muitas vezes, o cristão acaba perdendo o fio da meada em meio à sedução por coisas menores. Neemias não. Ele tinha em mente a importância da obra para a qual fora responsabilizado. Quem anda em sintonia com o Senhor enxerga todas as tarefas, mas mantém o foco no que realmente é prioridade (At 6.1-4).Precisamos saber que estamos envolvidos numa grande obra.O reino de Deus é essa grande obra.
E nossa função é importantíssima, pois a Bíblia diz que somos cooperadores de Deus (1Co 3.9).
Manter o foco também é uma atitude de quem está sob a égide do Espírito Santo
E, trazendo-os, os apresentaram ao conselho. E o sumo sacerdote os interrogou,
Dizendo: Não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome? E eis que enchestes Jerusalém dessa vossa doutrina, e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem.
Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.(Atos 5:27-29)

2.3.Oração, uma Arma Fundamental para Renovar as Forças
 Nada do que Neemias empreendeu ao enfrentar os ataques inimigos seria duradouro ou mesmo aconteceria se não alimentasse uma vida de oração. Os recursos disponíveis não são nada se não contarmos com a indispensável ajuda divina (Sl 18.29). Ao final do versículo 9, Neemias faz um pedido especial: "Agora, pois, ó Deus, esforça as minhas mãos" (Ne 6.9). Dessa maneira, pôde prosseguir, pois mantinha constante contato com o Senhor Deus.
Professor, Neemias sabia o quanto a oração era fundamental para o sucesso da obra sob sua liderança. Deixe claro para seus alunos que sem oração não se alcança nenhum objetivo “na obra de Deus”.
"Vivendo a graça da oração verdadeira
Orar não é um monólogo, através do qual você fala o tempo todo, sem haver quem lhe responda. É mais apropriado definir como diálogo, através do qual você fala com Deus e, ao mesmo tempo, ouve-lhe a voz. Certa vez, o pastor Antonio Gilberto definiu a oração como 'uma via de mão dupla, mediante a qual, de um lado, com sua carga de súplicas, você vai ao encontro de Deus, e de outro, Ele vem ao seu encontro com respostas'. Isto significa afirmar que nossas orações, sem nenhuma sombra de dúvida, são objetos do cuidado especial do Pai, que sempre se dispõe a respondê-las, embora haja ocasiões em que não compreendemos (ou não aceitamos) a forma como nos responde [...].
Mas o que é a oração, senão o oxigênio da alma que mantém o vigor da vida espiritual? É óbvio que orar exige disciplina, porém jamais deve constituir-se em rotina desagradável, da qual, enquanto nos é possível, fugimos. Orar não é uma sucessão de palavras ao vento. Não é simplesmente ferir os joelhos de tanto ficarmos ajoelhados e apresentá-los como troféu de nossa pretensa espiritualidade. Orar é perceber com clareza, entre milhões de alaridos, o cicio que identifica a doce voz do supremo pastor [...]".
(COUTO, G. A transparência da vida cristã. RJ: CPAD, 2001, pp. 162,164.)

3. Resistindo à Intimidação
A notícia de que Neemias ia bem na condução dos trabalhos causou uma tremenda perturbação em Sambalate, Todias e Gesém, além dos demais membros do grupo opositor (Ne 6.1-2). Eles perceberam que suas estratégias falharam e sofreram grande frustração. Não fosse a confiança na providência divina, talvez os judeus já tivessem desistido da reforma. Contudo, Neemias contava com os recursos espirituais com os quais o Senhor sempre está pronto a suprir àqueles que O buscam (Is 55.6).

3.1. Consolidando as Conquistas
O imenso progresso atingido pelos trabalhadores judeus não podia ser abandonado por causa de ameaças (Ne 6.1-2, 10). As "boas ações" de Tobias eram exibidas a Neemias e as atividades de Neemias eram relatadas a Tobias (Ne 6.19). As ameaças e insinuações prosseguiram. No entanto, o objetivo claro de Tobias era tentar enfraquecer a liderança de Neemias.
O salmo abaixo sintetiza o sentimento de um líder sob a direção de Deus, como foi o caso de Neemias e muitos outros servos de Deus que estiveram e estão também sendo guiados e orientados pelo Espírito Santo:
1 - O SENHOR é a minha luz e a minha salvação, a quem temerei? O SENHOR é a força da minha vida, de quem me recearei?
2 - Quando os malvados, meus adversários e meus inimigos, investiram contra mim, para comerem as minhas carnes, tropeçaram e caíram.
3 - Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria, ainda que a guerra se levantasse contra mim, nele confiaria.

3.2. As Estruturas de uma Liderança Eficaz
Uma análise didática nos mostra que três características foram fundamentais no sucesso da vida do líder Neemias, a saber: seu caráter, sua confiança e sua coragem. Seu caráter vem do conhecimento e cumprimento da Palavra do Senhor. Sua confiança fez com que superasse um a um os obstáculos que lhe eram impostos. Já sua coragem ajudou-o a alcançar novos patamares de vitória. Revestido dessa força, ele prosseguiu na missão, certo de que se tratava da vontade de Deus a restauração da cidade de Jerusalém e reorganização social, econômica e religiosa do povo.
“Caráter e Ação
O caráter nunca é comprovado por uma declaração escrita ou oral de convicções. É demonstrado pelo modo como vivemos, pelo comportamento, pelas escolhas e decisões. Caráter é a virtude vivida.
O caráter ruim ou o comportamento pouco ético tem sido comparado ao odor do corpo: ficamos ofendidos quando o detectamos nos outros, mas raramente o detectamos em nós mesmos. Os líderes espirituais sempre devem ser sensíveis ao fato de que suas ações falam muito mais alto do que as palavras ditas do púlpito. Visto que as ações que praticamos raramente são percebidas como provas de caráter defeituoso, fazem-se essenciais à introspecção e à auto-avaliação, não porque desejamos agradar ou evitar ofender os outros, mas porque a reputação e o caráter do ministro devem estar acima da repreensão (1 Tm 3.2,7). Nossas palavras e pensamentos devem ser agradáveis perante a face de Deus (Sl 19.14), mas nossas ações revelam nosso caráter aos outros. As características do caráter exigido por Deus daqueles que querem habitar em sua presença são ações, e não um estado passivo do ser. [...]
(TRASK, T., et alii, eds. Manual Pastor Pentecostal. Teologia e Práticas Pastorais. 3.ed., RJ: CPAD, 2005, pp.114-15).

3.3. Um Caminho Traçado por Deus
Ainda que cheio de obstáculos, quando temos certeza de que o caminho que trilhamos foi traçado por Deus, o melhor a fazer é permanecer nele, sem se desviar nem para a direita nem para a esquerda. Os planos que o Senhor Deus tem para os Seus servos não são para frustrá-los (Is 55.8-9; Rm 8.28), mas para fazer crescê-los. Tobias tentou amedrontar Neemias (Ne 6.19). Se ele tivesse se entregado ao medo, não cumpriria o que Deus havia reservado para ele fazer (1Cr 22.13; Pv 3.25).
Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor.
Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.(Isaías 55:8,9)
Nota: Neemias nunca imaginou que sua vida e conduta seria objeto de estudo e exemplo a ser seguido, todavia Deus já sabia que muitos seriam edificados e abençoados ao estudar ou simplesmente ler sobre Neemias.

Conclusão
Se os obstáculos diante de nós parecerem intransponível, a ordem é não desistir. Se chegamos até onde estamos, é porque o Senhor caminhou conosco até esse momento. Se permanecermos no centro de Sua vontade. Sua fidelidade nos garante que Ele continuará conosco em todo o tempo.

Bibliografia
[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 4 trimestre 2018, ano 28, número 109 - Editora Betel
PAE - Plano de Aula Expositiva - Auxílio EBD - http://editorabetel.com.br/auxilio/beteldominical/

                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             






                                                                                                                                                                              
[     

Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio para nossos estudos !

Olá estimado professor, segue abaixo algumas anotações sobre os inimigos de Neemias, no subtópico 1.2 foi mencionado que existia inimigos externos e inimigos dentro da obra de reconstrução do muro, no próprio capítulo 6 encontramos :
Inimigos Externos: Sambalate, Tobias e Gesém
Inimigos Internos: Semaías
Vejamos algo sobre cada um deles :

Sambalate
Um homem que tinha uma grande importância política em Samaria na época da bem-sucedida tentativa de Neemias de reconstruir os muros de Jerusalém (Ne 2.10,19). A Bíblia Sagrada refere-se a ele como um homem horonita, o que, provavelmente, signifique simplesmente que ele residiu em Bete-Horom, em Samaria, e não na cidade de mesmo nome em Moabe. Ele e Tobias tentaram convencer o rei persa de que o povo de Jerusalém estava planejando uma revolta contra ele (Ne 2.19); mas, quando o plano não deu certo, eles tentaram zombar dos esforços de Neemias, dizendo até que uma raposa poderia colocar aqueles muros abaixo (Ne 4.3). A filha de Sambalate casou-se com o neto de um sumo sacerdote (Ne 13.28).
(Dicionário Bíblico Wycliffe. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, pp. 1751, 1950).

Tobias
Governador judeu-amonita que uniu suas forças com Sambalate na tentativa de evitar que Neemias e os israelitas reconstruíssem o muro (Ne 2.10). Quando Neemias se ausentou de Jerusalém, Tobias foi agraciado com um quarto na área do Templo, usado anteriormente como depósito, pois tinha um parente entre os sacerdote (Ne 6.17). Evidentemente, gozava de boas relações de amizade com os sacerdotes e os nobres de Jerusalém. Ao retornar, Neemias lançou fora os pertences de Tobias, mandou limpar e purificar o quarto e novamente voltou a usá-lo como depósito de vasos, incenso e das ofertas de manjares (Ne 13.6-9).
(Dicionário Bíblico Wycliffe. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, pp. 1751, 1950).

Gesém
Gesém foi provavelmente chefe dos árabes ao sul da Palestina, um dos inimigos dos judeus após o retorno da Babilônia (Ne 2.19; Ne 6.1-2). Ele uniu-se com Sambalate e Tobias ao opor-se à reconstrução dos muros de Jerusalém.
(Referência: https://www.apologeta.com.br/gesem/)

Semaías
"Um dia, fui à casa de Semaías, filho de Delaías, filho de Natabeel, que se achava impedido. Ele declarou: "Vamos ao Templo ao interior do Santuário..." (Ne 6.10)
Semaías foi um falso profeta contratado por Tobias e Sambalate para falar a Neemias sobre uma suposta ameaça à sua vida, tentando assim amedrontar Neemias, que não era sacerdote, a cometer o pecado de se esconder no interior do Templo, de Jerusalém (conforme Ne 6.10-13). Semaías conforme o texto bíblico era filho de Dalaías e neto de Metabeel. Era  o proprietário da casa onde Neemias refugiou-se da armadilha preparada por Noadias. Noadias, filho de Benui pertencia a classe sacerdotal, a serviço do templo e foi um profeta à sua missão. Foi ele quem tramou o fracassado ardil para que Neemias adentrasse no Templo (o que era proibido para leigos) e ali fosse arruinado. (Referência: http://www.abiblia.org/ver.php?id=9895)
Neemias 6: 14 - 16
“Então fui à casa de Semaías, filho de Delaías, filho de Meetabel, que estava confinado ali. Ele disse: “Marquemos para nos encontrar na casa do verdadeiro Deus, dentro do templo, e fechemos as portas do templo, pois virão para matar você. Eles virão de noite para matá-lo.” 11 Mas eu disse: “Será que um homem como eu deve fugir? Pode um homem como eu entrar no templo e continuar vivo? Não entrarei!” 12 Então percebi que Deus não o tinha enviado, mas que Tobias e Sambalá o tinham contratado para falar essa profecia contra mim. 13 Ele tinha sido contratado para me amedrontar e me fazer pecar. Assim, eles teriam base para manchar a minha reputação e me humilhar.


                                                   
                                                                                                                                                                              


Nenhum comentário:

Postar um comentário