quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Lição 1 - Neemias um Homem Dedicado à obra de Deus

Aula presencial dia 7 de Outubro de 2018 



Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e adicionar conteúdo. Não deixe de Divulgar e Compartilhar nas Redes Sociais !

1 - Apresentar quem foi Neemias;
2 - Identificar o contexto histórico-político da época em que Neemias viveu;
3 - Mostrar como as reações de Neemias podem ser úteis para os cristãos hoje.


 Texto Áureo
"E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentei-me, e chorei, e lamentei
por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus" (Ne 1.4)

Verdade Aplicada
Na bonança ou na crise, a constância na oração é o pilar que concede
ao cristão equilíbrio necessário na caminhada rumo ao céu.



 Neemias 1.1-4 
1 - As palavras de Neemias, filho de Hacalias: No mês de quisleu, no vigésimo ano, estando eu na fortaleza de Suzã,
2 - veio Hanani, um de meus irmãos, com alguns de Judá, e lhes perguntei pelos judeus que tinham escapado ao exílio, e acerca de Jerusalém.
3 - Eles me disseram: Os que sobreviveram ao exílio e estão de volta na província, encontram-se em grande aflição e opróbrio. Os muros de Jerusalém estão derrubados, e as suas portas queimadas a fogo. 
4 - Quando ouvi estas palavras, assentei-me e chorei. Lamentei por alguns dias, e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus.



IMPORTANTE
Apresento neste BLOG o Esboço da Lição e os comentários como 
professor de EBD em cima do PAE - PLANO DE AULA EXPOSITIVA 
NÃO APRESENTO O CONTEÚDO COMPLETO DIGITALIZADO DAS REVISTAS
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !



ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução
1. Neemias e a Obra de Deus.
2. Neemias e suas Reações Reflexivas.
3. Neemias e suas Reações Dinâmicas.
Conclusão
Clique aqui para Visualizar o PAE (Plano de Aula Expositiva) da Editora Betel



                   


Lição 1 - Neemias um Homem Dedicado à obra de Deus

Professor bem vindo ao 4º trimestre, lições muito ricas e abençoadas. Para iniciarmos o estudo apresente o comentarista do trimestre e depois o quadro abaixo, para dar uma idéia geral do livro de Neemias e seu respectivo esboço.

     Fonte: Adaptado da Bíblia de estudo pentecostal CPAD. pp 727-728

“Independente da visão da autoria de Esdras e Neemias e a sua relação com Crônicas, o ponto de vista teológico da coleção [Livros de Esdras, Neemias e 2 Crônicas] é essencialmente o mesmo. A mensagem é endereçada à comunidade pós-exílica dos judeus que desejam saber se há esperança de restauração política e religiosa. O tema central é que há realmente esperança, mas essa esperança tem de estar concretizada na reconstrução do Templo, do culto e do sacerdócio. Só quando os judeus remanescentes se tornassem a nação teocrática, fundamentada e fiel ao concerto que o Senhor fez com os seus pais, é que poderiam reavivar a casa davídica e esperar o reinício do seu papel de mediação entre as nações da terra. Esdras e Neemias são incumbidos de esclarecer (1) a Pessoa e obras de Deus, (2) a identidade e função de Israel como povo do concerto e (3) a natureza do concerto nos tempos pós-exílicos” (ZUCK, R. B. (Ed.) Teologia do Antigo Testamento. 1.ed., RJ: CPAD, 2009, p.210).

 Texto Áureo
"E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentei-me, e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus" (Ne 1.4)

Verdade Aplicada
Na bonança ou na crise, a constância na oração é o pilar que concede
ao cristão equilíbrio necessário na caminhada rumo ao céu.

Objetivos da lição
1 - Apresentar quem foi Neemias;
2 - Identificar o contexto histórico-político da época em que Neemias viveu;
3 - Mostrar como as reações de Neemias podem ser úteis para os cristãos hoje.

 Neemias 1.1-4 
1 - As palavras de Neemias, filho de Hacalias: No mês de quisleu, no vigésimo ano, estando eu na fortaleza de Suzã,
2 - veio Hanani, um de meus irmãos, com alguns de Judá, e lhes perguntei pelos judeus que tinham escapado ao exílio, e acerca de Jerusalém.
3 - Eles me disseram: Os que sobreviveram ao exílio e estão de volta na província, encontram-se em grande aflição e opróbrio. Os muros de Jerusalém estão derrubados, e as suas portas queimadas a fogo. 
4 - Quando ouvi estas palavras, assentei-me e chorei. Lamentei por alguns dias, e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus.

INTRODUÇÃO
Neemias liderou o terceiro e grande retorno para Jerusalém, depois do exílio na Babilônia. Seu interesse pelo bem-estar de Jerusalém e seus habitantes o levou a tomar uma atitude corajosa.
Quem era Neemias. Seu nome significa “Deus consola”. Ele era filho de Hacalias e o seu irmão chamava-se Hanani (Ne 1.1; 7.2). Na corte persa, exerceu a função de copeiro do rei Artaxerxes I. Como se vê, Deus usa as pessoas segundo o seu querer e de acordo com a sua vontade.
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2011 » 4º Trimestre)

1. Neemias e a Obra de Deus.
Neemias, que servia ao rei da Pérsia como copeiro (Ne 2.1), quando foi visitado pela comitiva da qual seu irmão Hanani fazia parte, demonstrando pleno interesse por Jerusalém e seus habitantes, perguntou-lhes em que estado aqueles se encontravam. Suas iniciativas, bem como suas reações, nos trazem grandes ensinamentos.

1.1. Um Homem que Não Esqueceu Suas Origens.
Deus havia abençoado Neemias, dando-lhe um cargo de alta estima junto à corte real persa.
Em tais circunstâncias, ele poderia simplesmente ignorar a situação dos que haviam escapado e restado do cativeiro judeu. Todavia, em vez de permanecer indiferente às condições adversas dos que viviam em Jerusalém, prontificou-se a abrir mão das regalias a que tinha direito, para ajudar o próximo (Ne 2.5).
Chamado por Deus. Catorze anos depois da expedição de Esdras a Jerusalém, em 444 a.C, Neemias recebe urgentes e preocupantes notícias de Jerusalém. Apesar de o Santo Templo já estar funcionando conforme as leis levíticas, a cidade encontrava-se ainda abandonada (Ed 6.14-16; Ne 1.1.2). Ele, então, sente o chamado de Deus para deixar o conforto palaciano e viajar para Israel, a fim de reconstruir os muros da Cidade Santa que se achavam fendidos “e as suas portas, queimadas a fogo” (Ne 1.3).
Aqui, temos uma grande lição. Templo sem muros é igreja sem doutrina. E as portas queimadas representam o liberalismo que, infelizmente, predomina em muitas igrejas, facilitando a entrada de costumes mundanos entre os santos. Não é o que ocorre em nossos dias? Que jamais venhamos abandonar os padrões bíblicos de santidade, conduta e ética. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2011 » 4º Trimestre)

1.2. Um Homem Comprometido.
O capítulo inicial do livro de Neemias nos mostra o servo do Senhor condoendo-se por seus conterrâneos Sua ação de indagar por Jerusalém e seus habitantes à comitiva que veio de Judá revela o seu comprometimento. (Ne 1.2). Quem pergunta se compromete. Não basta perguntar somente para manter-se informado ou por mera curiosidade. Ao receber  informações acerca do sofrimento e das adversidades na vida do próximo, precisamos agir como Neemias: pensou, chorou, orou e agiu.
No inicio da igreja também temos como exemplo o apostolo Paulo que era extremamente comprometido:
Eu de muito boa vontade gastarei, e me deixarei gastar pelas vossas almas, ainda que, amando-vos cada vez mais, seja menos amado.
2 Coríntios 12:15
“Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo” (2 Co 11.2).

1.3. Um Homem em Constante Vigilância.
A historia de Neemias indica que ele era um servo de Deus que mantinha estreita comunhão com o Pai Celestial (Ne 1.4-11; 2.4). Ele estava atento às situações adversas e preparado para as oportunidades.
Somente o Senhor Deus poderia solucionar a situação da cidade de Jerusalém e seus habitantes.Neemias se colocou à disposição de Deus, que lhe permitiu estar em uma posição estratégica naquele momento e, assim, ser útil aos Seus propósitos.
“A tarefa [de Neemias], como vimos, era reconstruir os muros de Jerusalém, para que a vida na cidade pudesse ser restabelecida. Até que os muros estivessem de pé, nada poderia ser feito. Com eles no chão, Jerusalém não tinha defesa contra atacantes e invasores, e não era local para fazer um lar. Por isso, muitos dos cidadãos haviam se mudado de lá (7.4), a adoração no Templo não pudera ser mantida, e a moral afundara ao nível mais baixo.Observe que, generalizando, Jerusalém era um retrato das igrejas cristãs no mundo ocidental. A fraqueza, a desilusão e a languidez dos adeptos é a história em toda parte. Na Ásia, África e América Latina, o evangelho avança e as igrejas crescem, mas no mundo protestante da Grã-Bretanha, Europa, América do Norte e Austrália, a secularização da vida da comunidade e a hesitação dos teólogos, líderes e clérigos tem deixado a maioria das congregações em estado lastimável. O abandono da crença histórica num Criador santo, que, graciosamente, salva pecadores através da expiação e do novo nascimento, é ainda comum como o foi no século passado; já não é uma comunidade forte; a fé da qual Deus a fez curadora é desconhecida ao homem na rua, e quando conhecida, é largamente negligenciada; e a piedade, antes divulgada pela igreja como verdadeira humanidade, é agora considerada na cultura popular como uma esquisitice cômica e ultrapassada. A Igreja aparece como uma cidade arruinada; como Sarayevo ou Beirute depois do combate; como a Jerusalém encontrada por Neemias. E uma tremenda empreitada de reconstrução aguarda por alguém que ainda se importe com o seu bem-estar. Neste empreendimento, a reconstrução da fé bíblica será a tarefa básica e primordial” (PACKER, J. I. Neemias — Paixão pela fidelidade. Sabedoria extraída do livro de Neemias. 1.ed. RJ: CPAD, 2011, pp.78,79).

2. Neemias e suas Reações Reflexivas.
A tristeza não é uma emoção proibida ao cristão. Contudo, Neemias nos ensina que não podemos permanecer todo o tempo paralisado, cultivando tristeza e amargura (Ec 3.1-8). A Bíblia nos adverte a não permitir que o sol se ponha sobre nossa ira (Ef 4.26). O mesmo princípio pode ser aplicado à duração da tristeza (Rm 12.15;Sl 30.5). Analisemos, então, as três primeiras reações de Neemias.

2.1. Primeira Reação : Sentar-se.
Um grave erro em muitos cristãos é não saber se posicionar ante uma notícia desagradável, uma ofensa ou coisa do gênero. Na posição de copeiro do rei, Neemias demonstrou possuir equilíbrio, longanimidade e domínio próprio (Gl 5.22;Pv 25.15;Rm 2.4;Cl 1.11). Em circunstâncias como essas, é sábio "deixar a poeira baixar", isto é, não agir por impulso, sem antes consultar ao Senhor (Ne 1.4; 2.40).
“Assentei-me e chorei” (Ne 1.4). Ao tomar conhecimento da situação de seu povo, em Jerusalém, Neemias sentiu-se incomodado e pôs-se a orar ao Senhor. Sua oração, regada com abundantes lágrimas e acompanhada de jejum, lamentos, adoração e confissão, é um exemplo de como um homem de Deus deve proceder em momentos de crise (Ne 1.5-10). Ele fez o que o Senhor ordenou em 2 Crônicas 7.14. Neemias orou durante quatro meses antes de se dirigir ao rei (cf. 1.1 e 2.1). A oração é a chave que nos abre as portas dos céus. Neemias não confiava em sua capacidade ou habilidades diplomáticas. Sua confiança estava no Todo-Poderoso que ouve e responde as nossas orações.

2.2. Segunda Reação : Chorar.
Após sentar-se, a segunda reação de Neemias foi chorar (Ne 1.4). Quando foi até a casa de Lázaro,  que estava morto, o Senhor Jesus Cristo não conteve as lágrimas (Jo 11.33-34). Durante o choro, nossa visão se torna turva. Parece um convite a um período de reflexão, pois as imagens do mundo exterior não podem entrar. Esses momentos de introspecção, acompanhados de meditação bíblica e oração, têm a capacidade de trazer lucidez à nossa mente. Desta forma, temos a oportunidade de ponderar sobre as ações que pretendemos levar a termo (Gn 43.30).
O profeta das lágrimas. Vejamos por que Jeremias faz jus ao epíteto que para sempre o marcaria. Ante o lastimável estado moral e espiritual de seu povo, desmancha-se em lamentos: “Prouvera a Deus a minha cabeça se tornasse em águas, e os meus olhos, em uma fonte de lágrimas! Então, choraria de dia e de noite os mortos da filha do meu povo” (Jr 9.1). O teólogo espanhol Maximiliano Garcia Cordero sugere que este lamento é apenas um reflexo do que Deus estava sentindo por seu povo. Se o profeta assim sofria, quanto mais o amoroso, justo e santo Deus! Temos sofrido por nossa família, igreja e nação? Ou já não nos importamos com os que vão morrendo sem ter esperança de ver Deus?
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2010 » 2º Trim)

2.3. Terceira Reação : Lamentar.
Alguns sentidos da expressão "lamentar" são: "lastimar. afligir; condoer-se". Outra variante acrescenta que lamento é um choro acompanhado de gemidos e clamores. Em Gênesis 23.2, vemos o emprego dessa palavra quando "Abraão lamenta a morte de Sara". Assim como as razões de nossos lamentos podem ser muitas, Neemias também teve as suas. O profeta Jeremias, ao saber da condenação que Deus traria sobre a nação de Judá, registra os seus lamentos, que mais tarde seria chamado de livro das Lamentações de Jeremias. É interessante observar que a passagem bíblica de João 16.20 registra a promessa para aqueles que lamentariam a morte de Jesus Cristo. A pior das tragédias é quando permitimos que nossas lamentações evoluam para murmurações.
Jeremias não se restringe aos lamentos. Veja de que forma intercede por sua cativa e despojada gente: “Converte-nos, SENHOR, a ti, e nós nos converteremos; renova os nossos dias como dantes. Por que nos rejeitarias totalmente? Por que te enfurecerias contra nós em tão grande maneira?” (Lm 5.20,21).
Tem você intercedido pelo povo de Deus e por sua família? Ou agasta-se em comiserações e pesares? É hora de lamentar, sim, mas que nossos lamentos cheguem aos céus como a mais forte das intercessões. Que tal seguir este conselho de Jeremias: “Ponha a boca no pó; talvez assim haja esperança. Dê a face ao que o fere; farte-se de afronta. Porque o Senhor não rejeitará para sempre” (Lm 3.29-31).
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2010 » 2º Trimestre)

3. Neemias e suas reações dinâmicas.
Neste tópico, abordaremos outras reações de Neemias. Veremos que pode ser feita uma divisão entre elas : A Palavra de Deus afirma que, após sentar-se, chorar e lamentar, Neemias tomou algumas atitudes (Ne 1.4). Vejamos:

3.1.  Jejum, uma Recomendação Bíblica.
Infelizmente, para alguns cristãos e igrejas, a prática do jejum parece ter sido totalmente abolida. Todavia, os benefícios de tal exercício não podem ser lançados para segundo plano. O livro de Atos dos Apóstolos deixa registrado que muitas decisões da Igreja Primitiva, sob direção do Espírito Santo de Deus, concernente à obra do Senhor foram precedidas de jejum e oração (At 13.2; 14.23). Além disso, Ele nos deixou o exemplo, pois também jejuou (Mt 4.2).
O jejum no Antigo Testamento. No Antigo Testamento, o jejum era uma prática relacionada a um momento de humilhação diante de Deus, seja para receber de Deus o perdão, seja para alcançar uma bênção ou uma resposta divina. O profeta Joel, inspirado por Deus, disse ao povo: “Ainda assim, agora mesmo diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto” (Jl 2.12). O rei Acabe, quando confrontado por Deus por intermédio de Elias, se vestiu de pano de saco e jejuou, numa referência sobre o jejum ser acompanhado da prática de se vestir com roupas desprovidas de beleza e demonstrar humilhação (1Rs 21.27). Essa atitude do rei proporcionou o retardamento do juízo de Deus.
Os homens de Nínive jejuaram após a mensagem de Jonas sobre o juízo do Deus de Israel contra aquela cidade, e foram poupados (Jn 3.5). Daniel buscou ao Senhor em oração e jejum para receber dEle uma orientação sobre o cumprimento da profecia de Jeremias, e recebeu de Deus uma resposta (Dn 9.3). Quando Esdras recebeu autorização para retornar a Jerusalém e reconstruir a cidade, fez um jejum para receber de Deus proteção para sua viagem, e foi atendido (Ed 8.21-23).
(Lições CPAD Jovens » 2015 » 1º Trimestre)

3.2. Oração, uma Arma Espiritual Poderosa.
Neemias sabia que a situação da cidade de Jerusalém era dramática. Ele tinha uma escolha a fazer: agir ou omitir-se. Todavia, Neemias não poderia tomar nenhuma decisão sem antes consultar ao Senhor Deus. A oração é uma audiência com o Senhor dos Exércitos. Para consultarmos o Senhor, não é necessário senha ou agendamento de horário. Deus está disposto a nos ouvir a qualquer instante. Quando os desafios chegarem, nossa ação imediata deve ser a oração. O apóstolo Paulo nos recomendou a orar sempre (1Ts 5.17).
l. O que é a oração? A oração é um diálogo que temos com Deus. Por meio dela podemos demonstrar nossa gratidão por tudo que recebemos do Senhor. Podemos apresentar a Deus nossas necessidades e anseios, e interceder pelas pessoas que estão próximas ou distantes de nós. Por meio da oração também podemos pedir a Deus o perdão necessário por nossas faltas cometidas contra Ele e contra o nosso próximo.
Todas as pessoas são convidadas a buscar ao Senhor em oração, mesmo aqueles que aparentemente não o conhecem ou não possuem uma intimidade com Ele, a fim de que sejam salvos (Is 55.6,7). Todos são convidados a orar, independentemente do lugar ou da posição social que ocupam. Jonas, o profeta, orou no ventre do grande peixe, e foi ouvido (Jn 2.1,10). Daniel orou em um palácio, e teve sua oração atendida. O importante é ter o hábito de orar.
“Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse, e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra” (Tg 5.17).

3.3. Conhecendo os Elementos da Oração.
A oração de Neemias pode ser dividida em cinco partes. Nela, vemos os elementos de uma oração eficaz:
1) louvor (Ne 1.5);
2) ação de graças (Ne 1.5);
3) arrependimento (Ne 1.6-7);
4) petição (Ne 1.8-10); e
5) compromisso (Ne 1.11).
 Infelizmente, a maior parte das orações dos cristãos contém apenas o item 4. É uma pena que um significativo número de cristãos não siga as recomendações do Senhor Jesus Cristo (Mt 6.9-13). Assim como Neemias, devemos constantemente pedir ao Senhor Deus que guie os nossos passos e direcione nossos caminhos, para que não tomemos decisões equivocadas e nem precipitadas, como Esaú (Gn 25.29-34) e Jefté (Jz 11.30-31, 34-40), por exemplo. É importante orarmos com a Bíblia, pois a Palavra de Deus é a lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos (Sl 119.105). Somente Deus pode provar e conhecer nossos pensamentos (Sl 139.23). Apenas Ele sabe se há em nós algum caminho mau (Sl 139.24).

CONCLUSÃO
A vida de Neemias nos ensina a estar disposto a servir e obedecer, a abrir mão do lugar de conforto e deixar-se usar por amor à causa do Senhor. Neemias entristeceu-se, mas não se deixou dominar por esse sentimento. Ergueu a cabeça, clamou a Deus e avançou. Que aprendamos com os seus passos.


Bibliografia
[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 3 trimestre 2018, ano 28, número 108 - Editora Betel
PAE - Plano de Aula Expositiva - Auxílio EBD - http://editorabetel.com.br/auxilio/beteldominical/

                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             





                                                                                                                                                                              
[     

Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio para nossos estudos !

Não deixe de assistir ao vídeo abaixo
Um Chamado para Angústia
David Wilkerson (Tempo: 56 Minutos)





                                                   
                                                                                                                                                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário