segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Lição 14 - Israel e a Escatologia Bíblica

Aula presencial dia 30 de setembro de 2018 



Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e adicionar conteúdo. Não deixe de Divulgar e Compartilhar nas Redes Sociais !

1 - Enfatizar que o arrebatamento da Igreja é uma realidade;
2 - Explicar que os eventos com a nação de Israel são um dos sinais da proximidade do arrebatamento;
3 - Mostrar que Israel reconhecerá Jesus como Messias.


 Texto Áureo
"Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido,
e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram 
em Cristo ressuscitarão primeiro". (1 Tessalonicenses 4.161-12).

Verdade Aplicada
A grande obra de restauração de Israel será completada no futuro,
pois continua sendo alvo do amor de Deus.

Motivo de Oração
Ore para que Deus desperte aqueles que estão
dormindo o sono da negligência espiritual.

Hinos sugeridos.

204 - O Peregrino na Terra

442 - Breve Verei o Bom Jesus

509 - Ao Passar o Jordão







 Daniel 9.24-25 
24 -Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para extinguir a transgressão, e dar fim aos pecados, e para expiar a iniquidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santo dos santos.
25 - Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até o Messias, o Príncipe, sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e as tranqueiras se reedificarão, mas em tempos angustiosos.
 Mateus 24.36 
36 - Porém daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas unicamente meu Pai.




IMPORTANTE
Apresento neste BLOG o Esboço da Lição e os comentários como 
professor de EBD em cima do PAE - PLANO DE AULA EXPOSITIVA 
NÃO APRESENTO O CONTEÚDO COMPLETO DIGITALIZADO DAS REVISTAS
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !



ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução
1. O Arrebatamento da igreja
2. As Setenta Semanas de Daniel
3. O futuro de Israel
Conclusão
Clique aqui para Visualizar o PAE (Plano de Aula Expositiva) da Editora Betel



                   


Lição 14 - Israel e a Escatologia Bíblica
O que é Escatologia?
"[Do gr. escathos, últimas coisas + logia, discurso racional] Estudo sistemático e lógico das doutrinas concernentes às últimas coisas. Compreendida como um dos capítulos da dogmática cristã, a escatologia tem por objeto os seguintes temas: Estado Intermediário, Arrebatamento da Igreja, Grande Tribulação, Milênio, Julgamento Final e o estado perfeito eterno". (Dicionário Teológico, CPAD, p.165.)

TEXTO ÁUREO
"Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro". 
(1 Tessalonicenses 4.161-12).

VERDADE APLICADA

      A grande obra de restauração de Israel será completada no futuro, pois continua sendo alvo do amor de Deus.
      

OBJETIVOS DA LIÇÃO
1 - Enfatizar que o arrebatamento da Igreja é uma realidade;
2 - Explicar que os eventos com a nação de Israel são um dos sinais da proximidade do arrebatamento;
3 - Mostrar que Israel reconhecerá Jesus como Messias.

TEXTO REFERÊNCIA
 Daniel 9.24-25 
24 -Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para extinguir a transgressão, e dar fim aos pecados, e para expiar a iniquidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santo dos santos.
25 - Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até o Messias, o Príncipe, sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e as tranqueiras se reedificarão, mas em tempos angustiosos.
 Mateus 24.36 
36 - Porém daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas unicamente meu Pai.

INTRODUÇÃO
As Escrituras Sagrados revelam que tanto o arrebatamento da Igreja como os diversos acontecimentos envolvendo o povo judeu fazem parte dos eventos escatológicos que brevemente ocorrerão.
Professor deixe claro que existem diferentes escolas ou Correntes de Interpretações Escatológicas.  Abaixo segue explicação detalhada sobre o assunto, que evidentemente se abordado, deve ser de forma sintética utilizando no Max. 5 min., para não prejudicar o roteiro didático cuidadosamente montado pelo nosso comentarista.

Quais são as Escolas ou Correntes de Interpretações Escatológicas?

1.Futurista. 
Esta corrente de interpretação por ser a mais adequada à realidade das profecias sobre os últimos tempos, entende-se que: Maior parte das profecias ainda vai se cumprir começando com o arrebatamento da Igreja e demais fatos subsequentes. 
O que os Futuristas dizem sobre a ocasião do arrebatamento da Igreja ?
Sobre a ocasião do arrebatamento da Igreja, os Futuristas se dividem em três outras correntes:
a) Pré-tribulacionista. São aqueles Futuristas que afirma que o Senhor Jesus arrebatará sua Igreja antes da Grande Tribulação de sete anos (Jo 14.1-3; 1 Ts 4-5).
b) Midi-tribulacionistas. Ou Meso-Tribulacionistas são aqueles Futuristas que afirmam  que a Igreja será arrebatada no meio da tribulação.
c) Pós-tribulacionistas. São aqueles Futuristas que acreditam que a Igreja vai passar pela Grande Tribulação. No entanto, esse ensino não tem base sólida na Palavra de Deus, Paulo ensina que devemos "[...] esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dos mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura" (1 Ts 1.10) o que dizer de Ap 3:10 "Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra". (Particularmente não creio que a Igreja passará por aflições, concordo que o proposito da grande tribulação não é preparar a igreja para estar com Cristo, mas, preparar Israel para a restauração do plano de Deus).
O que os Futuristas dizem sobre o Milênio ?
Referente ao Milênio os Futuristas são da corrente Pré-milenista: Essa corrente conclui que a vinda de Cristo ocorrerá Antes do milênio, quando Cristo virá reinar sobre a terra por um período de mil anos. Em Apocalipse 20 a bíblia fala sobre este reinado milenial de Cristo, onde Jesus Cristo estabelecerá um governo  teocrático com a presença pessoal e reinando como Rei.

2. Histórica. 
Considera que o Apocalipse é um livro histórico, cujos fatos já se cumpriram na sua maior parte. Mas tal entendimento não corresponde à realidade bíblica.

3.Preterista. Os preteristas entendem que o Apocalipse já se cumpriu totalmente na época do Império Romano, incluindo a destruição de Jerusalém, no ano 70 a.C. Entretanto, as profecias bíblicas sobre os fins dos tempos indicam que diversos eventos escatológicos ainda não se cumpriram, como o Arrebatamento da Igreja (1 Ts 4.17), a Grande Tribulação ou "a hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo" (Ap 3.10), a Vinda de Cristo em glória (Mt 16.27) e o milênio (Ap 20.2-5).

4. Simbolista. 
É também chamada de interpretação idealista ou espiritualista. Tudo é "espiritualizado", simbólico; nada é histórico, mas apenas uma alegoria da luta entre o bem e o mal. Nessa linha de pensamento, há o ensino:
a) amilenista, segundo o qual não haverá um período literal de mil anos para o reinado de Cristo. Ensinam que a Igreja está vivendo um milênio simbólico. (Particularmente vejo na bíblia referências que indicam que o milênio será literal e ocorrerá de fato, leia Ap 20.2-5; Hc 2.14). 
b) pós-milenistas. que pregam que Jesus só voltará depois do milênio. Os textos bíblicos, porém, indicam uma ordem diferente dos acontecimentos escatológicos. A ressurreição dos mortos salvos ocorrerá na vinda de Cristo (1 Ts 4.13-17). A volta de Jesus é tão literal quanto o foi a sua Ascensão (cf. At 1.9,11).

A Assembléia de Deus em sua doutrina defende qual escola ou corrente ?
A Assembléia de Deus defende a doutrina futurista:  pré-tribulacionista e pré-milenista, ou seja,
creem que a maior parte das profecias ainda vão se cumprir começando com o arrebatamento da Igreja que ocorrerá quando Jesus Cristo voltar antes da Grande Tribulação e após a Grande Tribulação, Jesus estabelecerá o seu reino na terra por mil anos. (Lições CPAD Jovens e Adultos »2016 » 1º Trim)
Eu particularmente concordo.

1. O Arrebatamento da igreja.
Existem aproximadamente 265 citações acerca do arrebatamento em todo o Novo Testamento. O assunto foi ensinado por Jesus e reiterado pelos Seus discípulos. Jesus, em Seu sermão, disse que aquele dia e hora ninguém sabe (Mc 13.32).

1.1. Definindo o Termo.
A certeza do arrebatamento é uma promessa do próprio Senhor Jesus, o dono da Igreja.
“Virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também” (Jo 14.3).
A expressão "arrebatados", encontrada em 1 Tessalonicenses 4.17, no grego "harpadzo", possui, entre outros significados: "capturar"; "tomar (à força); "tomar para si". Esse evento, descrito aqui e em 1 Coríntios 15, refere-se à ocasião em que a Igreja do Senhor será arrebatada da terra para encontrar-se com Ele nos ares. Outros dois termos usados no grego são: "parousia", que pode ser traduzido como vinda ou presença; e "epiphaneia", que significa aparição, resplendor ou manifestação, indicando a visibilidade do retorno de Cristo (1 Ts 4.15, Tt 2.13). O arrebatamento abrange apenas os salvos em Cristo.
Quem será arrebatado? Todos os salvos que foram transformados mediante o novo nascimento. Só chegarão aos céus aqueles que lavaram suas vestes no sangue do Cordeiro. A vida cristã não é fácil, exige renúncia. O caminho que conduz ao céu é estreito. Todo crente, em sua jornada aqui na terra, enfrenta montes e vales, alegrias e tristezas. Infelizmente, muitos não perseveram e acabam voltando atrás, se desviam e acabam vencidos pela carne, o mundo e Satanás. Seja fiel, meu irmão e minha irmã, pois há uma recompensa para os que são fiéis e igualmente para todos os infiéis. A Palavra de Deus alerta que no grande dia do Senhor os ímpios “ficarão de fora” (Ap 22.15), mas os que permaneceram no Senhor serão transformados e subirão para se encontrar com Deus. A promessa do arrebatamento e do céu é para quem vencer (Ap 3.12). Não desista!
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2016 » 1º Trim)

1.2. Sinais da Volta de Jesus.
Ninguém sabe o dia e nem a hora em que há de vir o Filho do homem (Mt 24.36). Infelizmente, muitos falsos profetas tentaram inutilmente datar os eventos do arrebatamento, mas todos falharam em seus prognósticos. Jesus elencou alguns sinais de Sua vinda, vejamos:
1) O aparecimento de falsos cristos (Mt 24.5)
2) Guerras e rumores de guerra (Mt. 24.6)
3) Fomes e Terremotos em vários lugares (Mt 24.7)
4) Falsos profetas surgindo e enganando a muitos (Mt 24.11)
5) O pecado aumentando e o amor esfriando (Mt 24.12)
6) Escândalo, traição e ódio (Mt 24.10)
Professor acredito ser oportuno utilizarmos Israel como um dos sinais evidentes da volta de Jesus, pois como sabemos ele é a figueira que brotou e nos alerta pelos acontecimentos atuais nesta nação que Jesus está voltando...
Segundo o Pr. Ezequias Soares Israel é o relógio de Deus na terra. Jesus disse: “Olhai para a figueira (Israel), e para todas as árvores; quando já têm rebentado, vós sabeis por vós mesmos, vendo-as, que perto está já o verão” (Lc 21.29-30).
A figueira é Israel. Pelas palavras de Jesus, conscientizamo-nos de quão próximo está “o verão”, pois a figueira está brotando. A restauração nacional já ocorreu, falta apenas chegar o verão para a restauração espiritual.
Restauração nacional. A restauração nacional será seguida da restauração espiritual (Ez 36.24; 37.21). Ou seja: quando todos os ossos se juntarem e formarem os nervos, e as carnes recobrirem os ossos, estará pois o corpo pronto (Ez 36.24; 37,21).
Restauração espiritual. Depois, em 36.25 e 37.22 de Ezequiel, vemos a restauração espiritual dos judeus. Diz ainda o profeta depois de haver profetizado acerca da formação do corpo: “Mas não havia neles espírito” (Ez 37.8).Quando o espírito de graça e de súplica vier sobre os judeus, aí ocorrerá a restauração espiritual (Zc 12.10; Ez 37.23-28). A partir de então os judeus não mais rejeitarão o seu Messias.

1.3. A Igreja Recebida no Céu.
Enquanto o mundo estará vivenciando a Grande Tribulação e Israel o início da septuagésima semana de Daniel, os salvos estarão no céu participando de dois eventos, a saber: o tribunal de Cristo e as Bodas do Cordeiro.
O primeiro evento encontra respaldo em 2 Coríntios 5.10 ao dizer que todos os cristãos salvos comparecerão ante o tribunal de Cristo para receber o devido galardão. Paulo ansiava por este dia ao dizer em 2 Timóteo 4.8 sobre a recompensa do Justo Juiz. Apocalipse 22.12 fala sobre o galardão que os crentes receberão logo após o arrebatamento.


O julgamento. 
Todos os crentes, já transformados e com um corpo incorruptível, vão comparecer perante o Tribunal de Cristo (cf. 2Co 5.10; 1Co 1.8). Não se trata de julgamento de pecados, pois os que serão julgados já são salvos. Os ímpios é que passarão pelo julgamento de suas obras e pecados, no juízo do Trono Branco, após o Milênio (cf. Ap 20.11-15). Os salvos em Cristo Jesus, desde que permaneçam fiéis, em santidade, não mais passarão por qualquer tipo de condenação: “Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito” (Rm 8.1). Estar “em Cristo Jesus” é a condição indispensável para ter sido salvo e permanecer salvo. Neste tribunal serão julgadas as obras dos salvos que foram praticadas na Terra, a fim de que recebam, ou não, o galardão (Ap 22.12). (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2016 » 1º Trim)
  
“O propósito do julgamento dos crentes diante do Tribunal de Cristo é determinar se as obras de cada um foram dignas ou não. O julgamento é apenas para os crentes, de modo que, ainda sofram danos, estes serão salvos. Além disso, aqueles que ali forem julgados terão firmado suas vidas na Rocha, que é o próprio Jesus Cristo (1Co 3.11,12). O Senhor avaliará as obras dos crentes ao longo de toda a vida. Uma vez que fomos separados para as boas obras que Deus preparou para os crentes (Ef 2.10), deveríamos esperar que Ele examinasse a fidelidade de nossas ações” (LAHAYE, Tim. Enciclopédia Popular de Profecia Bíblica.1ª Edição. RJ: CPAD, 2008, pp.463,464)..

2. As Setenta Semanas de Daniel.
As setenta semanas de Daniel são tempos em que Deus tratará com a nação de Israel, visando estabelecer a fidelidade ao pacto, bem como o seu cumprimento cabal para a nação.

2.1. As Primeiras Sete Semanas.
A contagem das semanas proféticas tem seu início no decreto para reedificar os muros de Jerusalém (Dn 9.25). Esse primeiro período tem duração de sete semanas, computando 49 anos, que se iniciou em 445 a.C. com o decreto emitido pelo rei Artaxerxes, lembrando que Neemias foi comissionado para tal missão (Ne 2.1-8). O texto de Daniel 9.25 relatou que as ruas e as tranqueiras se reedificariam, mas em tempos angustiosos; foi justamente o que aconteceu.

2.2. A Segunda Parte das Semanas Proféticas.
Este é o maior período das semanas, pois compreende sessenta e duas semanas, totalizando 434 anos, que foi interrompido com a retirada do Messias. Neste período de quatro séculos e meio muita coisa aconteceu na história do povo judeu. Este período é conhecido como período interbíblico, tempo entre Malaquias e Mateus, no qual se tem registro do ministério de algum profeta. Mas, historicamente falando, os judeus passaram por vários reinos, tais como o império persa, onde eles tiveram o apoio do governante para reconstruir a cidade, templo e muros.

2.3. O Messias Será Tirado.
Conforme Daniel 9.26, depois de sessenta e duas semanas, será tirado o Messias e não será mais. As sessenta e nove semanas findam com a morte do Messias, na crucificação. Através deste episódio , é como se as semanas proféticas, ou o relógio escatológico da nação, parassem de marcar. O período entre 69 semana e a 70 semana é o tempo em que estamos vivendo, identificado como "o tempo dos gentios" e dispensação da igreja; um calendário do Espírito com a dispensação da graça. A última semana profética acontecerá justamente com o arrebatamento da Igreja e a revelação na terra do Anticristo.
O intervalo que precede a septuagésima semana (Dn9.27). O estudo das Escrituras demonstra um longo intervalo de tempo que precede a septuagésima semana. A Bíblia identifica este intervalo profético como “o tempo dos gentios”. A comunhão espiritual entre judeus e gentios, mediante a salvação em Cristo, formou um novo povo para Deus: a Igreja (Ef 2.12-16; 1Pe 2.9,10). Atualmente, estamos no tempo da graça de Deus e temos de anunciar o ano aceitável do Senhor para o mundo inteiro (Lc 4.18,19).
Após o tempo gentílico virá a última semana que, identificada pelas profecias bíblicas, significa um tempo de Grande Tribulação. É neste tempo que o “assolador”, isto é, o “anticristo” ou “o homem do pecado” ou “o homem da perdição”, virá sobre a asa das abominações (v.27).
Os sinais que precedem a revelação dessa figura abominável estão ocorrendo por toda parte. Todavia, a Igreja de Cristo não mais estará neste mundo, pois a noiva do Senhor será arrebatada antes do tempo da tribulação (1Co 15.51,52).
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2014 » 4º Trim)

3. O Futuro de Israel.
Portanto, resta o terceiro grupo de semanas, o de uma semana (7 anos), conforme Daniel 9.27. Ocorrerá no futuro. Terá início após o arrebatamento da igreja. Será um tempo de Grande Tribulação, mas no final Cristo aparecerá e livrará Israel da destruição total.

3.1.  A Guerrra de Gogue e Magogue.
Em Ezequiel 38, o profeta recebeu a revelação acerca de uma coalizão de nações que farão uma ataque contra Israel após a restauração do povo à sua pátria. Os motivos desta invasão se baseiam em dois pilares, que são as riquezas e a posição estratégica que Israel ocupa. Ezequiel 39.4-5 nos mostra que o invasor e seus aliados serão derrotados pelo próprio Deus no território de Israel. 
O texto sagrado registra que a invasão se dará "no fim dos anos" (Ez 38.8), bem como o fato de ser um investida contra o "povo que se congregou dentre muitos povos" (RA), ou seja, indicando o grande retorno dos judeus à sua terra (Ez 37.21). Na época da invasão de Israel por Gogue, o Anticristo estará em evidência, mas ocultando sua verdadeira identidade e propósito. Com a destruição de Gogue e seus aliados, haverá uma grande instabilidade do poder político e bélico mundial, formando assim uma plataforma para o surgimento imediato do Anticristo como líder e salvador do caos mundial.
A Confederação do Norte combaterá a Besta na Grande Tribulação. A profecia diz que a confederação do Norte, tendo como líder Gogue, colocará seus exércitos contra a autoridade da Besta, ou seja, o Anticristo (Ez 38.2-6). A profecia indica que Gogue, chefe da terra de Magogue invadirá a terra de Israel nos últimos dias (Ez 38.8,16). É possível que essa invasão venha acontecer no período da Grande Tribulação. Os motivos principais para a invasão do “rei do norte” estão expostos em Ez 38.11,12. A idéia de “tomar o despojo e de arrebatar a presa” não é difícil entender pelo fato de a antiga União Soviética ter perdido seus principais intelectuais e cientistas (na maioria judeus), os quais retornaram para Israel. Diz a Bíblia que esse invasor será destruído pela intervenção divina (Ez 38.20), nos montes de Israel (Ez 39.4). Então, as nações da Terra reconhecerão o Deus de Israel (Ez 39.21,22). Devemos entender que essa invasão nada tem a ver com a batalha do Armagedom, e a guerra decorrente que acontecerá no início da “semana profética” de Daniel (Dn 9.27). A batalha do Armagedom se dará no final da “semana”, pois o seu líder será o Anticristo, a Besta (Zc 12.3; 14.2; Ap 16.14).

(Lições CPAD Jovens e Adultos » 1998 » 3º Trim)

3.2. Israel vai Clamar pelo Messias.
Ao profeta Zacarias foi revelada outra grande investida contra Israel (Zc 12). A cidade de Jerusalém será sitiada por todas as nações. Ocorrerá então a batalha do Armagedom (Zc 14.2; Ap 16.16; 19.19). Quando o Anticristo enviar as suas tropas para destruir Israel, os judeus ficarão encurralados, e sem saída. neste exato momento, quando os judeus estiverem sem qualquer esperança de salvação, a ponto de serem tragados pelo inimigo, eles clamarão angustiados pelo Messias, conforme a passagem bíblica de Zacarias 12.10-12.
“O termo ‘Armagedom’ vem da língua hebraica. Har é a palavra para ‘montanha’ ou ‘colina’. Mageddon provavelmente diz respeito às ruínas da antiga cidade de Megido, que fica acima do Vale de Esdrelom no norte de Israel, onde os exércitos do mundo se reunirão.
De acordo com a Bíblia, grandes exércitos do oriente e do ocidente se reunirão nesta planície. O Anticristo derrotará os exércitos do sul, pelo fato de estes ameaçarem o seu poder, e destruirá uma Babilônia reconstruída a leste — antes de finalmente voltar as suas forças para Jerusalém a fim de dominá-la e destruí-la. Quando ele e seus exércitos marcharem contra Jerusalém, Deus entrará em ação e Jesus Cristo voltará para resgatar o seu povo, Israel. O Senhor, com seu exército angelical, destruirá os exércitos, capturará o Anticristo e o Falso Profeta e lança-los-á no lago de fogo (Ap 19.11-21).
Quando o Senhor voltar, o poder e domínio do Anticristo terão fim. Charles Dyer afirma: ‘Daniel, Joel e Zacarias identificam Jerusalém como o local onde ocorrerá a batalha final entre Cristo e o Anticristo. Os três predizem que Deus interferirá na história do seu povo e destruirá o exército do Anticristo em Jerusalém. Zacarias profetiza que a batalha terá um fim quando o Messias voltar à terra e seus pés tocarem o Monte das Oliveiras. Esta batalha será concluída com a segunda vinda de Jesus’.

A campanha do Armagedom — na verdade, em Jerusalém — será um dos acontecimentos mais desapontadores da história. Com exércitos tão gigantescos reunidos em ambos os lados, seria de se esperar um confronto épico entre o bem e o mal. Não importa, todavia, quão poderoso alguém é na terra. Ninguém é páreo para o poder de Deus” (LAHAYE, Tim. Enciclopédia Popular de Profecia Bíblica. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2008, pp.74,75).

3.3. O Messias Livra Israel.
Diante deste clamor que se ouvirá à distância, o Messias, o Senhor Jesus Cristo, pisará no Monte das Oliveiras, cumprindo o texto de Atos 1.11, que diz: "Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o viste ir". Esta será a vinda de Jesus visível, no grego "epiphaneia", "manifestação", "onde todo o olho o verá".
Ao descer sobre o Monte das Oliveiras, conforme descrito em Zacarias 14.4-5, o mesmo se fenderá ao meio, abrindo uma passagem por onde o povo de Israel escapará. Nesta ocasião Israel reconhecerá Jesus como o Messias, o Ungido de Deus. Ao chegar o momento da volta de Jesus, haverá convulsões em toda a natureza. Terá chegado a hora do colapso das nações amotinadas contra Deus e Seu povo.
 Jesus Cristo, o Messias prometido, será revelado quando da sua segunda vinda visível sobre o Monte das Oliveiras (Zc 9.9,10). O Rei aniquilará por completo o poderio do Anticristo, do falso profeta e do próprio Diabo (Ap 19.19-21) e estabelecerá um reino de paz e harmonia no mundo todo. Esta é uma mensagem de esperança para o nosso coração. Não tenhamos medo, creiamos tão somente! Breve Jesus voltará! Alegremo-nos nesta esperança!
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2014 » 4º Trim)

CONCLUSÃO
Embora hoje vivamos a dispensação dos gentios, chegará um dia em que Deus consumará o Seu plano para com o povo judeu. Diante de tanto sofrimento, o povo vai clamar e o Messias se apresentará como o Desejado das nações, trazendo salvação. Israel é a prova incontestável da soberania divina.

Bibliografia
[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 3 trimestre 2018, ano 28, número 108 - Editora Betel
PAE - Plano de Aula Expositiva - Auxílio EBD - http://editorabetel.com.br/auxilio/beteldominical/

1. Quando há de vir o Filho do homem ?
R: Ninguém sabe o dia e nem a hora (Mt 24.36)

2. Do que fala Apocalipse 22.12 ?
R: Sobre o galardão que os crentes receberão logo após o arrebatamento (Ap 22.12)

3. O que o texto de Daniel 9.25 relatou ?
R: Que as ruas e as tranqueiras se reedificariam, mas em tempos angustiosos.

4. Quem vai clamar pelo Messias ?
R: Israel (Zc 12.10-12).

5.  Quem pisará no Monte das Oliveiras para livrar o Seu povo ?
R: Jesus (Zc 14.4,5).

                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             





                                                                                                                                                                              
[     

Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio para nossos estudos !
                                                   
                                                                                                                                                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário