segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Lição 9 - Juízes: Os Altos e Baixos da Nação de Israel

Aula presencial dia 26 de agosto de 2018 



Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e adicionar conteúdo. Não deixe de Divulgar e Compartilhar nas Redes Sociais !

1 - Mostrar o contexto político-religioso da época dos juízes;
2 - Explicar que Deus disciplina o Seu povo, para tratar a sua desobediência;
3 - Ressaltar a necessidade de viver em obediência e total submissão a Deus.

 Texto Áureo
"E foi também congregada toda aquela geração a seus pais, e outra
geração após eles se levantou, que não conhecia ao Senhor,
tampouco a obra que fizera a Israel" (Jz 2.10)

Verdade Aplicada
Apesar da inconstância do povo de Israel, a misericórdia de Deus
sempre trouxe livramento em tempo oportuno.

Motivo de Oração
Ore pelos irmãos em todo o país,
especialmente pelos líderes

Hinos sugeridos.

88 - Revela a nós, Senhor

131- De valor em valor

432 - Consagrado ao Senhor





 Juízes 2:11-14 
11 - Então fizeram os filhos de Israel o que parecia mau aos olhos do Senhor; e serviram aos baalins.
12 - E deixaram o Senhor, Deus de seus pais, que os tirara da terra do Egito, e foram-se após outros deuses, dentre os deuses das gentes que havia ao redor deles, e encurvavam-se a eles; e provocaram o Senhor à ira.
13 - Porquanto deixavam ao Senhor e serviram a Baal e a Astarote.
14 - Pelo que a ira do Senhor se acendeu contra Israel, e os deu na mão dos roubadores, e os roubaram; e os entregou na mão dos seus inimigos ao redor; e não puderam mais estar em pé diante dos seus inimigos.




IMPORTANTE
Apresento neste BLOG o Esboço da Lição e os comentários como 
professor de EBD em cima do PAE - PLANO DE AULA EXPOSITIVA 
NÃO APRESENTO O CONTEÚDO COMPLETO DIGITALIZADO DAS REVISTAS
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !



ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução
1. O contexto do livro de Juízes
2. Os inimigos oprimem o povo de Deus
3. Sansão, um homem irresponsável
Conclusão
Clique aqui para Visualizar o PAE (Plano de Aula Expositiva) da Editora Betel



                   


Lição 9 - Juízes: Os Altos e Baixos da Nação de Israel

TEXTO ÁUREO

"E foi também congregada toda aquela geração a seus pais, e outra geração após eles se levantou, que não conhecia ao Senhor, tampouco a obra que fizera a Israel" (Jz 2.10)
Josué não preparou seu sucessor, como fez Moisés, após a sua morte o povo ficou como ovelha sem pastor. Jesus foi o maior exemplo,após sua morte deixou homens capazes de continuar a obra evangelizadora e através desta obra o evangelho chegou até nós.

VERDADE APLICADA

     Apesar da inconstância do povo de Israel, a misericórdia de Deus sempre trouxe livramento em tempo oportuno.

OBJETIVOS DA LIÇÃO
1 - Mostrar o contexto político-religioso da época dos juízes;
2 - Explicar que Deus disciplina o Seu povo, para tratar a sua desobediência;
3 - Ressaltar a necessidade de viver em obediência e total submissão a Deus.

TEXTO REFERÊNCIA
 Juízes 2:11-14 
11 - Então fizeram os filhos de Israel o que parecia mau aos olhos do Senhor; e serviram aos baalins.
12 - E deixaram o Senhor, Deus de seus pais, que os tirara da terra do Egito, e foram-se após outros deuses, dentre os deuses das gentes que havia ao redor deles, e encurvavam-se a eles; e provocaram o Senhor à ira.
13 - Porquanto deixavam ao Senhor e serviram a Baal e a Astarote.
14 - Pelo que a ira do Senhor se acendeu contra Israel, e os deu na mão dos roubadores, e os roubaram; e os entregou na mão dos seus inimigos ao redor; e não puderam mais estar em pé diante dos seus inimigos.

INTRODUÇÃO
A nação de Israel viveu um período de muitas conquistas e prosperidade.
No entanto, esqueceu-se da educação religiosa de seus filhos, levando-os a viver uma vida sem comprometimento com Deus.

1. O contexto do livro de Juízes.
Após a morte de Josué e dos anciãos (Jz 2.7), surgiu uma geração que não conhecia ao Senhor nem tampouco os sinais que Ele operara no Egito (Jz 2.10). Essa geração fez o que era mal aos olhos do Senhor e provocou a Sua ira (Jz 2.11-12).

1.1. Cenário histórico.
O livro de Juízes registra um longo período da história de Israel (estudiosos estimam de 350 a 400 anos). Ao longo deste período (considerando "período dos juízes" - Jz 2.16-19), que se estende desde a morte de Josué até Saul ser ungido rei de Israel, a nação era uma sociedade tribal, que vivenciou momentos de grandes conflitos e dificuldades devido à desunião política, invasões de outros povos e depravação moral e espiritual. Ao servirem de forma deliberada a deuses estranhos por diversas vezes, o povo de Israel quebrou a aliança com o Senhor.
O livro de juízes é o principal elo histórico entre Josué e o período dos reis de Israel.O período dos juízes vai de 1375 a 1050 a.C,aproximadamente[...].A autoria do livro é incerta(Bíblia de estudo pentecostal)


1.2. O estado da nação.
No período em que a nação ficou sem uma liderança nacional, as tribos mostravam-se independentes e cada indivíduo agia como lhe parecia melhor. Nesse período, o Senhor testou a nação para ver se ela guardava a Sua aliança num ambiente pagão e idólatra (Jz 3.1-5). Os israelitas caíram numa condição crônica de apostasia; aceitavam o livramento do Senhor, mas, quando lhes faltava uma forte liderança, retornavam rapidamente às práticas pagãs que os rodeavam. Espiritualmente falando, era uma época muito diferente da de Josué, pois a nação estava mergulhada no caos. Em Sua infinita misericórdia, Deus operou grandes livramentos nesse período.


FONTE: http://www.milhoranza.com/2012/04/23/antigo-testamento-juizes/

1.3. Lições do período dos juízes.
O período dos juízes revela o quanto a misericórdia de Deus sobre o Seu povo não tem limites. Neste breve relato de vinte e um capítulos, aprendemos que Deus é santo e castiga o Seu povo pelos seus pecados, mas também é misericordioso para salvá-lo quando há arrependimento. O período dos juízes nos ensina que a opressão é um castigo pela infidelidade e a libertação é o resultado do retorno a Jeová. Outra lição é que onde não existe um governo central e forte, estabelece-se a anarquia cultural e moral. Por não existir um governo central, muitas vezes reinou o caos e até houve guerras entre as próprias tribos (Jz 17.6; 21.25)
Naquela época não havia rei em Israel; cada um fazia o que lhe parecia certo.(Juízes 17:6)
Naquela época não havia rei em Israel; cada um fazia o que lhe parecia certo.(Juízes 21:25)
A história de Josué terminou maravilhosamente bem. Ele viveu cento e dez anos e sua geração foi fiel a Deus e cumpriu tudo que com o tempo se permitiu (Jz 2.7-8). Porém, em meio a tanto sucesso, a seguinte geração pouco herdou da herança espiritual de seus pais. Nos dias de Josué houve muitas conquistas, mas não todas. O que restava deveria ser concluído pelos filhos daquela geração. Não somente morreu Josué e sua geração, morreu também seu legado. A seguinte geração, além de não conhecer a Deus, ainda desconheceu o legado de seus antepassados (Jz 2.7). (Revista EBD Betel 1ºtrim.2017)
A nossa responsabilidade com relação à próxima geração foi colocada de forma bem clara pelo próprio Deus.
Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração;

E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te.Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas. Dt 6:5-9

2. Os inimigos oprimem o povo de Deus.
Como consequência da rebeldia da nação de Israel, a ira do Senhor se acendeu contra eles (Jz 2.14-15). Durante anos, o povo foi oprimido pelos moabitas, cananeus, midianitas, filisteus e amonitas. Esses invasores se avantajavam sobre os israelitas, tomando sua propriedades e campos.
Bem aventurada a nação cujo Deus é o Senhor(Sl 33.12). uma nação sem Deus é uma nação sem rumo. Ao conquistar a terra prometida Israel deveria ter sido um canal para que outras nações conhecesse a Deus , mas não foi isto que aconteceu.

E, quanto a vós, não fareis acordo com os moradores desta terra, antes derrubareis os seus altares; mas vós não obedecestes à minha voz. Por que fizestes isso?(Jz 2:2)

2.1. Os moabitas oprimem Israel.
Após o falecimento de Otniel, Israel fez o que era mal aos olhos do Senhor e Deus os entregou na mão dos moabitas por dezoito anos. Apoiados pelos amonitas e amalequitas, os moabitas invadiram Israel e começaram a cobrar tributo do povo. O texto nos chama atenção ao dizer que o Senhor esforçou a Eglom, rei dos moabitas (Jz 3.12). A expressão "esforçou", no original "hazaq", mostra a contribuição de alguém fortalecendo seres humanos para dominar os demais. Foi justamente isto que aconteceu. Contudo, no auge do sofrimento, o povo de Israel clamou ao Senhor e Deus levantou Eúde para os livrar.
As Escrituras mostram que num contexto de idolatria e imoralidade Deus pode reavivar o seu povo, a História da Igreja também mostra que em momentos difíceis da Igreja, Deus restabeleceu seus “púlpitos”, a Palavra teve primazia e um desejo incomensurável de buscar a Deus em oração devorava os corações dos irmãos. Isso aconteceu na Inglaterra, na Grã-Bretanha, na América, na África, na China, na Manchúria, na Coreia, na índia e em muitos outros lugares. É possível um grande avivamento em meio à crise! (Subsidio ensinador cristão)

2.2. Jabim, rei de Canaã, invade Israel.
Novamente, o povo de Israel fez o que era mal aos olhos do senhor e Deus os vendeu na mão de Jabim, rei de Canaã (Jz 4.1-2). Os cananeus assolaram os israelitas de tal maneira que eles não se atreviam a transitar pelas ruas principais, mas viajavam escondidos pelos caminhos montanhosos ou secundários que atravessavam os campos (Jz 5.6). Débora, em seu cântico, mencionou que, quando os cananeus invadiram Israel, não se via com o exército de Israel escudo ou lança (Jz 5.8). Jabim tinha novecentos carros de ferro e por vinte anos oprimiu Israel de maneira violenta (Jz 4.3). Diante de tamanha humilhação e opressão, o povo se voltou para o Senhor. Então, Deus levantou Débora e Baraque para livrar Israel.
Jabim, rei de Canaã (Jz 4.1-3), dominava as principais rotas comerciais da região. Isso fazia com que o povo de Israel se sentisse oprimido, não havendo outra alternativa senão tomar outro rumo (Jz 5.6). Os cananeus eram bem superiores a Israel, especialmente no que tange às armas de guerra (Jz 4.3). Possuíam novecentos carros de ferro (Jz 4.7,15) e recebiam treinamento militar especializado. Dominavam a indústria e o comércio bélicos, armavam seus vizinhos contra Israel, e não permitiam que ninguém vendesse armas aos judeus: "não se via escudo nem lanças entre quarenta mil em Israel" (Jz 5.8 - ARA).
Foi nessa época que Débora recebera sua divina chamada. Só a intervenção sobrenatural de Deus poderia fazer de Israel um povo vitorioso. Quando a guerra é do Senhor a vitória é certa! (1 Sm 7.1-13; 17.40-54). Inicialmente Deus os entregara nas mãos de Jabim para prová-los (Jz 4.2). Porém, mais tarde, o Senhor entregou Jabim nas mãos dos filhos de Israel para honrá-los (Jz 4.14). O Todo-Poderoso precisava de uma pessoa corajosa para interceder pelo povo (Ez 22.30).
Deus continua procurando e convocando seus santos arautos (Is 6.8; Jn 3.1-3; Mc 16.15,16). (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2007 » 3º Trim.)

2.3. A servidão sob os midianitas.
Israel se enveredou pelo caminho da idolatria novamente. Então, Deus os colocou na mão dos midianitas, começando um novo período de opressão (Jz 6.1). Dois verbetes nos ensinam muito nesta passagem. O primeiro é a expressão "fizeram o que parecia mal". A palavra mal, da raiz hebraica "ra", admite como um dos significados, um sentido ético e moral, ou seja, Israel estava denegrindo a imagem do Deus santo, como povo santo que era. Outro termo é "e o Senhor os deu na mão dos midianitas". O termo "mão", do original "yadh", fala de poder ou direito que alguém tem sobre algo. Em outras palavras, Deus deu autoridade aos midianitas para que subjugasse o Seu povo durante sete anos. Foi um período de grande miséria. Os israelitas empobreceram muito por causa dos midianitas, pois trabalhavam para dar suas colheitas a outros (Jz 6.6). Então, o povo mais uma vez clamou a Deus por libertação e Ele levantou Gideão, que obrou um grande livramento em Israel.
Gideão. Com a coragem que recebera do Senhor, e, com apenas trezentos homens, Gideão triunfou sobre o exército dos midianitas, composto por cento e trinta e cinco mil soldados armados (Jz 7.20-25). (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2008 » 3º Trim.)

3. Sansão, um homem irresponsável.
Por causa da opressão dos filisteus, Deus levantou Sansão para libertar o Seu povo. Diferentemente dos outros opressores, os filisteus invadiram o território israelita, não só para saqueá-lo, mas, sim, para ocupá-lo permanentemente e governá-lo.
Professor comente com seus alunos que Sansão aparece entre os heróis da fé não pelo seu modo exemplar de servir a Deus, mas sim pela fé que possuía. È bom lembrar que foi movido por esta fé que ele se vingou dos inimigos e opressores do povo de Deus.

Que mais direi? Não tenho tempo para falar de Gideão, Baraque, Sansão, Jefté, Davi, Samuel e os profetas,
os quais pela fé conquistaram reinos, praticaram a justiça, alcançaram o cumprimento de promessas, fecharam a boca de leões,(Heb 11:32,33)

3.1. O nascimento de Sansão.
O nascimento de Sansão foi resultado do agir divino por dois motivos: seu nascimento foi anunciado por um anjo (Jz13.3); e sua mãe era estéril (Jz 13.2-3). Deus usou as circunstâncias da época para trazer à existência a vida de Sansão. Ele atendeu a oração de uma mãe, escolhendo seu filho para ser o grande libertador da nação. O nome Sanção dignifica "sol", nome muito apropriado para o período de travas em Israel se encontrava. A importância de sua missão é observada no anúncio de seu nascimento pelo próprio anjo de Deus.

3.2. Narizeu de Deus.
Quando o anjo anunciou seu nascimento, disse aos seus pais que Sansão seria narizeu de Deus, ou seja, uma pessoa consagrada a Deus (Jz 13.7). O nazireu era alguém que fazia um voto de consagração a Deus. O voto incluía abstinência de vinho ou outra bebida intoxicante, não podia cortar o cabelo e nem aproximar-se de cadáveres por um momento ou durante toda sua vida, como foi o caso de Sansão.
Sansão. Sansão foi chamado para ser juiz de Israel e durante vinte anos julgou Israel, sendo o responsável por guardar os israelitas e libertá-los da opressão dos filisteus. Sansão, desde sua infância possuía um voto com Deus, era nazireu de Deus (veja Nm 6.1-21), não podia ser dado ao vinho, nem à prostituição e nem navalha poderia passar sobre sua cabeça, resumindo, Sansão era separado para o ministério: como juiz, deveria andar debaixo de um conjunto de normas e regras, tendo uma conduta exemplar diante de Israel e permanecendo obediente às leis de Deus.
Infelizmente Sansão andou de forma contrária a todas as regras estabelecidas por Deus, quebrando todos os princípios. Violando de tal maneira a Lei de Deus, Sansão pecou desenfreadamente e o livro de Juízes, do capítulo 13 ao 16 descreve claramente seus inúmeros delitos: Sansão dormiu com uma prostituta, tocou no corpo de um animal morto, casou-se com uma filisteia, mentiu várias vezes e, por último, em seu relacionamento com Dalila – mulher do vale de Soreque – revelou seu segredo tendo os cabelos cortados, quebrando totalmente seu voto de nazireado.
…chamado para ser juiz de Israel… andou de forma contrária a todas as regras estabelecidas por Deus. (Pr.Paulo Junior)

3.3. As irresponsabilidades de Sansão.
Embora fosse consagrado a Deus Sansão viveu de maneira irresponsável e leviana. Ele buscou esposa fora dos limites do seu povo, não aceitando o conselho de seus pais (Jz 14.1-3). Em sua festa de casamento, serviu vinho aos convidados, tocou em um cadáver e procurou consolar suas mágoas e traições no colo de uma prostituta (Jz 16.1). Depois, apaixonou-se por Dalila, cujo nome significa "delicada", (Jz 16.4). Tanta irresponsabilidade trouxe sérias consequências: ele teve seu cabelo cortado, olhos furados, tornou-se escravo dos filisteus, foi condenado a ficar em um moinho e depois serviu de diversão para os inimigos.

CONCLUSÃO
O período dos juízes nos mostra os altos e baixos da nação de Israel, mas também revela um Deus que, ao punir a nação pelos seus erros, manifestou Sua misericórdia para com o Seu povo. Através da vida dos juízes aprendemos que, nos momentos de crise, Deus sempre escreve uma nova história.

Bibliografia
[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 3 trimestre 2018, ano 28, número 108 - Editora Betel
PAE - Plano de Aula Expositiva - Auxílio EBD - http://editorabetel.com.br/auxilio/beteldominical/

1. Por que o Senhor testou a nação de Israel  ?
R: Para ver se ela guardaria a Sua aliança num ambiente pagão e idólatra (Jz 3.1-5). 

2. Qual foi a consequência da rebeldia da nação de Israel ?
R: A ira do Senhor se acendeu contra eles (Jz 2.14,15).

3. Por quantos anos Jabim, rei de canaã, oprimiu Israel de maneira violenta ?
R: Vinte anos (Jz 4.3),

4. Quem era estéril ?
R: A mãe de Sansão (Jz 13.2-3).

5.  Qual o significado do nome Dalila ?
R: "Delicada" (Jz 16.4)

                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             





                                                                                                                                                                              
[     

Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio para nossos estudos !


TEXTO ÁUREO


"E foi também congregada toda aquela geração a seus pais, e outra geração após eles se levantou, que não conhecia ao Senhor, tampouco a obra que fizera a Israel" (Jz 2.10)
Uma geração morreu, e a seguinte não seguiu a Deus. De Jz 2.10 até Jz 3.7 temos uma breve previsão do ciclo de pecado, juízo e arrependimento pelo qual Israel passou por várias e várias vezes. Cada geração falhou em ensinar a geração seguinte a amar e seguir a Deus. No entanto, este era o centro da lei de Deus (Dt.6-4-9). É tentador deixar o trabalho de ensinar a fé cristã à igreja ou à escola cristã. Mas Deus diz que a responsabilidade por esta tarefa pertence, basicamente, à família. Como os filhos aprendem muito pelo nosso exemplo, o lar é o lugar mais eficaz para transmitir a fé à geração seguinte.
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - Pág.383)



TEXTO REFERÊNCIA

 Juízes 2:11-14 
11 - Então fizeram os filhos de Israel o que parecia mau aos olhos do Senhor; e serviram aos baalins.
12 - E deixaram o Senhor, Deus de seus pais, que os tirara da terra do Egito, e foram-se após outros deuses, dentre os deuses das gentes que havia ao redor deles, e encurvavam-se a eles; e provocaram o Senhor à ira.
13 - Porquanto deixavam ao Senhor e serviram a Baal e a Astarote.
14 - Pelo que a ira do Senhor se acendeu contra Israel, e os deu na mão dos roubadores, e os roubaram; e os entregou na mão dos seus inimigos ao redor; e não puderam mais estar em pé diante dos seus inimigos.


Baal era um deus de tempestades e chuvas; por isso, considerava-se que ele controlasse a vegetação e a agricultura. Astarote era a deusa mãe do amor, da guerra e da fertilidade (também chamada Astarte ou Ishtar). A prostituição no templo e o sacrifício de crianças eram parte da adoração desses ídolos cananeus. Esta geração de israelitas abandonou a fé de seus pais e começou a adorar os deuses de seus vizinhos. Muitas coisas podem nos tentar a abandonar o que sabemos que é correto. O desejo de ser aceitos pelos nossos vizinhos pode nos levar a comportamentos que são inaceitáveis para Deus. Não permita que sua vida se incline à transigência, nem que seja incentivada à desobediência.
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - Pág.383)

Deus sempre libera sua crítica mais rígida e sua punição àqueles que adoram ídolos. Por que os ídolos eram tão maus, aos olhos de Deus ? Adorar um ídolo violava os dois primeiros mandamentos (Êx 20:3-6). Os cananeus tinham deuses para praticamente todas as gerações, atividades ou lugares. Para eles, o Senhor era apenas outro deus a acrescentar à sua coleção de deuses. Israel, por outro lado, devia adorar apenas o Senhor. Eles não podiam crer que Deus era o único Deus verdadeiro e, ao mesmo tempo, curvar-se diante de um ídolo. Os que adoram ídolos não podiam ver seu deus como seu criador, porque eles o haviam criado. Esses ídolos representavam aspectos sensuais, carnais e imorais da natureza humana. Mas a natureza de Deus é espiritual e imortal. Acrescentar a adoração de ídolos à adoração de Deus não podia ser tolerado.
(Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - Pág.384)


                                     Fonte: Biblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - Pág.382



Esta semana vou deixar o link e o Slide da lição 9 da Betel do 1 Trimestre de 2017 que aborda com profundidade sobre a geração pós-josué, será muto útil no estudo desta semana.

                                                   
                                                                                                                                                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário