terça-feira, 28 de agosto de 2018

Lição 10 - A monarquia em Israel

Aula presencial dia 2 de setembro de 2018 



Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e adicionar conteúdo. Não deixe de Divulgar e Compartilhar nas Redes Sociais !

1 - Mostrar a instituição da monarquia através da vida dos três primeiros reis;
2 - Apresentar a divisão do reino e as lições decorrentes desse período;
3 - Enfatizar que, apesar da desobediência da nação, Deus levantou homens para 
     transmitir Suas mensagens ao povo.

 Texto Áureo
"Quando entrares na terra que te dá o Senhor, teu Deus, 
e a possuíres, e nela habitares, e disseres: Porei sobre mim
um rei, assim como têm todas as gentes que 
estão ao redor de mim." ( Dt 17.14)

Verdade Aplicada
Mesmo após a instauração da monarquia,
Deus continuou considerando Israel como Seu povo, 
visando o cumprimento do divino plano redentor.

Motivo de Oração
Interceda pelas autoridades desta nação.

Hinos sugeridos.

88 - Revela a nós, Senhor

166- Deixa Entrar o Rei da Glória

440 - Em Viver Pra Cristo



 1 Samuel 8.1,3-6 
1 - E sucedeu que, tendo Samuel envelhecido, constituiu a seus filhos por juízes sobre Israel.
3 - Porém seus filhos não andaram pelos caminhos dele; antes, se inclinaram à avareza, e tornaram presentes, e perverteram o juízo.
4 - Então todos os anciãos de Israel se congregaram, e vieram a Samuel, a Ramá,
5 - E disseram-lhe: Eis que já estás velho, e teus filhos não andam pelos teus caminhos. Constitui-nos, pois, agora um rei para nós, para que ele nos julgue, como o têm todas as nações.

6 - Porém esta palavra pareceu mal aos olhos de Samuel, quando disseram: Dá-nos um rei, para que nos julgue. E Samuel orou ao Senhor.




IMPORTANTE
Apresento neste BLOG o Esboço da Lição e os comentários como 
professor de EBD em cima do PAE - PLANO DE AULA EXPOSITIVA 
NÃO APRESENTO O CONTEÚDO COMPLETO DIGITALIZADO DAS REVISTAS
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !



ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução
1. A instituição da monarquia
2. A cisão política e religiosa de Israel
3. Os profetas e as suas mensagens
Conclusão
Clique aqui para Visualizar o PAE (Plano de Aula Expositiva) da Editora Betel



                   


Lição 10 - A monarquia em Israel

Monarquia

Regime político no qual o chefe do Estado é um rei ou um imperador, em geral hereditário. https://www.priberam.pt/dlpo/monarquia

TEXTO ÁUREO

"Quando entrares na terra que te dá o Senhor, teu Deus, e a possuíres, e nela habitares, e disseres: Porei sobre mim um rei, assim como têm todas as gentes que 
estão ao redor de mim." ( Dt 17.14)
1 — Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus.

2 — Por isso, quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação.

VERDADE APLICADA

       Mesmo após a instauração da monarquia,Deus continuou considerando Israel como Seu povo, visando o cumprimento do divino plano redentor.

OBJETIVOS DA LIÇÃO
1 - Mostrar a instituição da monarquia através da vida dos três primeiros reis;
2 - Apresentar a divisão do reino e as lições decorrentes desse período;
3 - Enfatizar que, apesar da desobediência da nação, Deus levantou homens para 
     transmitir Suas mensagens ao povo.

TEXTO REFERÊNCIA
 1 Samuel 8.1,3-6 
1 - E sucedeu que, tendo Samuel envelhecido, constituiu a seus filhos por juízes sobre Israel.
3 - Porém seus filhos não andaram pelos caminhos dele; antes, se inclinaram à avareza, e tornaram presentes, e perverteram o juízo.
4 - Então todos os anciãos de Israel se congregaram, e vieram a Samuel, a Ramá,
5 - E disseram-lhe: Eis que já estás velho, e teus filhos não andam pelos teus caminhos. Constitui-nos, pois, agora um rei para nós, para que ele nos julgue, como o têm todas as nações.

6 - Porém esta palavra pareceu mal aos olhos de Samuel, quando disseram: Dá-nos um rei, para que nos julgue. E Samuel orou ao Senhor.

INTRODUÇÃO
Diante da instabilidade e corrupção que estavam ocorrendo na nação, o povo pediu um rei para o profeta Samuel. Então, o Senhor Deus concedeu o desejo do coração dos filhos de Israel.

1. A instituição da monarquia.
Após passar um momento de muita instabilidade politica e religiosa, fato este corroborado pelos altos e baixos registrado no livro de Juízes, o povo de Israel pediu ao profeta Samuel um rei, como as demais nações.

1.1. Saul, o primeiro rei de Israel.
Ao pedir um rei a Deus, o povo de Israel fez uma escolha errada. O profeta Samuel se entristeceu (1Sm 8.6), mas Deus o advertiu,: "ouve a voz do povo em tudo quanto te disser, pois não te tem rejeitado a ti; antes, a mim me tem rejeitado, para eu não reinar sobre ele" (1Sm 8.7). Essa passagem é corroborada pelo texto de 1 Samuel 12.17-19. infelizmente,vivemos um tempo no qual muitos usam o nome de Deus para legitimar sua ambição. Saul, o primeiro rei de Israel, reinou quarenta anos (At 13.21). No entanto não procurava guardar o que Deus ordenara (1Sm 13.13-14) e teve um fim trágico, pois foi rejeitado por Deus, passou a ser atormentado por um espírito mal e morreu ao se lançar sobre a própria espada (1Sm 31.4)
Então, disse o SENHOR a Samuel: Até quando terás dó de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche o teu vaso de azeite e vem; enviar-te-ei a Jessé, o belemita; porque dentre os seus filhos me tenho provido de um rei.
O motivo que levou Deus a rejeitar Saul foi a sua infidelidade (1 Sm 13.14).Ele não buscava a direção de Deus.Atualmente a obra de Deus sofre, em alguns locais, alguns lideres perderam a aprovação de Deus, alguns que chegam a "ensinar" somente por obrigação ou por remuneração. Entretanto, não é possível alguém permanecer à frente da obra Deus e ir muito longe se os seus fundamentos espirituais foram derrubados.
Disse Samuel: "Você agiu como tolo, desobedecendo ao mandamento que o Senhor seu Deus lhe deu; se você tivesse obedecido, ele teria estabelecido para sempre o seu reinado sobre Israel.(1 Sl 13:13)

1.2. Davi, homem segundo o coração de Deus.
"Porém, agora, não subsistirá o teu reino; já tem buscado o SENHOR para si um homem segundo o seu coração e já lhe tem ordenado o SENHOR que seja chefe sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o SENHOR te ordenou(1 Sm 13.14).
Davi foi escolhido e ungido rei ainda moço (1Sm 16), mas, em sua trajetória até o trono, passou por um longo período de perseguição, batalhas e desafios. Após vários anos Davi foi corado rei sobre todo o Israel. Ele levou a nação de Israel a patamares inimagináveis. No entanto, cometeu um adultério e um homicídio, Deus o perdoou, mas ele perdeu o controle de sua  casa e quase perdeu o reino. Davi entrou para história de Israel por causa de suas vitórias em batalhas, dos seus salmos e do seu coração voltado para Deus.
Neste tópico seria interessante deixar claro a expressão “segundo o coração de Deus”.
Explicar que o caráter de Davi o fez agradável aos olhos de Deus.
“Achei a Davi, meu servo; com o meu santo óleo o ungi” (Sl 89.20).
"Quando Jessé chamou o seu filho mais velho, Eliabe, Samuel pensou que certamente o jovem alto de postura nobre fosse o ungido do Senhor. Mas a ele foi recordado que o Senhor não vê como vê o homem. [...] Esta é uma observação importante que devemos recordar, porque somos rápidos para julgar pelas aparências, quando elas podem ser muito esmagadoras. Depois que a mesma coisa já havia acontecido com sete dos filhos de Jessé, Samuel perguntou: Acabaram-se os jovens? (11). Ainda havia o menor, e eis que apascenta as ovelhas - uma tarefa servil designada ao filho menos importante ou aos empregados do dono da casa. Davi foi chamado, e quando chegou, viu-se que era ruivo, e formoso de semblante (em hebraico "bonito aos olhos").'O que Deus observa' é visto tanto negativa como positivamente em 1 Samuel 16.6-13. [...] O Senhor não procura: (1) semblantes formosos, 7; (2) estatura física, 7; (3) idade ou maturidade, 11; (4) condição ou posição, 11. O Senhor olha para o coração, 7; e derrama o seu Espírito sobre aqueles que Ele aceita, 13".(Comentário Bíblico Beacon. Vol. 2: Josué a Ester. RJ: CPAD, 2005, p.208).
É um desastre quando não se utiliza critérios bíblicos na separação de uma pessoa para o santo ministério (At 9.11-15; Ef 4.11-12). O que tinha Davi de especial para que Deus lhe dispensasse tanta estima e consideração? As características de seu caráter revelam que ele era um homem que amava a Deus acima de todas as coisas, e nEle cria de todo o coração.  (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2007 » 3º Trimestre)

1.3. Salomão, mais sábio do que todos os homens.
Deus deu a Salomão "sabedoria e muitíssimo entendimento" (1Rs 4.29-31). Durante o seu reinado, ele construiu um templo de adoração a Deus, que era a gloria e o orgulho de toda a nação. Infelizmente, apesar de todas as obras deixadas por Salomão, o seu fim não foi bom, pois se envolveu na idolatria ao se casar com mulheres estrangeiras, algo expressamente proibido pela Lei (Êx 34.16) 
Sabedoria: Qualidade de sábio; caráter do que é dito ou pensado sabiamente. 
Salomão amava ao Senhor, e seguia os conselhos de seu pai Davi. Certa vez Salomão, num ato de adoração ao Senhor, ofereceu mil sacrifícios em Gibeão (1 Rs 3.4). Lá estava o tabernáculo e o altar de bronze que Moisés havia erigido no deserto (2 Cr 1.2-5). Naquela mesma noite, o Senhor apareceu em sonhos a Salomão. Neste sonho, Deus faz ao rei uma pergunta, dando-lhe a oportunidade de pedir o que desejasse, e sua resposta foi: sabedoria para governar o povo de Israel (1 Rs 3.3-10). Ao acordar do sonho, ele voltou à Jerusalém, ao tabernáculo, e ofereceu mais sacrifícios a Deus. Naquela noite, Salomão teve uma experiência com Deus que marcou seu reinado e, enquanto esteve perante o altar do Senhor, reinou com notória sabedoria e sucesso.

2. A cisão política e religiosa de Israel.
Após cento e vinte anos de monarquia, uma grande cisão política e religiosa durante o reinado de Roboão separou a nação de Israel em dois reinos : reino do Sul, Judá (duas tribos) e reino do Norte (dez tribos).
I. REINO DO NORTE E DO SUL
A divisão do reino de Israel. Os livros dos Reis e das Crônicas apresentam a história da divisão entre as tribos do Norte e do Sul em Israel. O reino do Norte era formado por dez tribos e a capital era Samaria. O reino do Sul era formado por duas tribos, Judá e Benjamim, e a capital era Jerusalém. No dias de Roboão, filho de Salomão e Naamá, mulher amonita, o reino enfraqueceu. Com o enfraquecimento econômico do reino de Israel, Roboão resolve aumentar a carga tributária, que já era pesada desde os tempos de Salomão. Por causa desse encargo que Roboão não quis aliviar, as tribos do Norte de Israel romperam com as tribos do Sul (2Cr 10.1-15).

(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2016 » 4º Trimestre)

2.1. A dinastia do reino do Norte.
A divisão do reino aconteceu em 931 a.C. Foram aproximadamente duzentos anos de dinastia, ,tendo o cativeiro assírio marcado o seu fim. Todos os reis fizeram o que pareciam mal aos olhos do Senhor e não deixaram de andar no mesmo caminho de Jeroboão, o primeiro soberano do reino do Norte (1Rs 12.20). Infelizmente, as atitudes de Jeroboão custaram muito caro para a nação. Por mais que os profetas exortassem o povo a voltar para os mandamentos de Deus, a liderança permanecia no erro, porque lhe era conveniente. Assim, o reno do Norte, deixou de existir como nação independente quando a Assíria derrubou a monarquia israelita e levou as tribos em cativeiro.
O Reino do Norte. O Reino do Norte conseguiu sobreviver por aproximadamente 200 anos. Foi governado por diferentes reis. Na sua grande maioria, os monarcas são identificados pela seguinte expressão: “era mau” aos olhos de Deus. A maldade dos governantes levou o povo de Deus a experimentar diferentes crises: políticas, sociais e religiosas. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2016 » 4º Trimestre)

Podemos afirmar, com segurança, que um dos períodos mais sombrios na história do reino do Norte, também denominado “Israel”, ocorreu durante o reinado de Acabe, filho de Onri. Acabe governou entre os anos 874 e 853 a.C, e o seu reinado foi marcado pela tentativa de conciliar os elementos do culto cananeu com a adoração israelita.
Uma primeira leitura dos capítulos 16.29 — 22.40 do livro de 1 Reis, revela que essa mistura foi desastrosa para o povo de Deus. Na prática, o culto ao Deus verdadeiro foi substituído pela adoração ao deus falso Baal, trazendo como consequência uma apostasia sem precedentes e pondo em risco até mesmo a verdadeira adoração a Deus. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2013 » 1º Trimestre)

2.2. A dinastia do reino do Sul.
O reino de Judá teve uma durabilidade um pouco maior, aproximadamente um século a mais que o reino do Norte, talvez pelo fato de que algumas vezes o povo se atentou para as leis de Deus. O governo foi exercido por vinte descendentes de Davi e a capital permaneceu sempre a mesma: Jerusalém. Um dos momentos áureos do reino de Judá foi a grande reforma promovida pelo rei Ezequias, na qual  o culto e o sacrifício a Deus foram restaurados (2Cr 30.26). Infelizmente, apesar das profecias advertindo o povo sobre abandonar a idolatria e voltar-se para Deus, eles continuaram vivendo de maneira leviana e irresponsável. O dia do juízo chegou; a cidade de Jerusalém se tronou em ruínas e o grande templo em moradia dos chacais. Foi um dos dias mais tristes da história do povo de Deus
O Reino do Sul. Segundo o Guia do Leitor da Bíblia, este reino foi regido por 19 reis que pertenciam à família de Davi. Judá também enfrentou muitas crises e teve que lutar com os mesmos inimigos do Reino do Norte. Ambos os reinos sofreram crises ameaçadoras e graves. (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2016 » 4º Trimestre)

2.3. A Lições da monarquia.
Embora a monarquia fosse algo previsto por Deus na história de Israel (Dt 17.14), ficou explícito em sua instituição que Deus reprovou tal escolha (1Sm 12.18-19). A monarquia em Israel traz uma série de lições para a nossa vida. Na monarquia imperava a descendência, onde muitos reis, despreparados e novos, herdavam o trono de seus pais e não eram aprovados por Deus. Eram reis que não conheciam ao Senhor e sempre repetiam os pecados de seus pais.O resultado de tal insanidade foi uma idolatria generalizada, o pecado grassando no meio da nação e a destruição dos reinos do Norte e do Sul.
 Professor, explique aos alunos que não era errado Israel desejar um rei, pois Deus já havia mencionado esta possibilidade (Dt 17.14-10). O problema residia no fato de que o povo estava rejeitando o Senhor como seu líder, porque queria ser como as “outras nações”. Deus, em sua misericórdia, ordenou que Samuel cuidadosamente explicasse ao povo os “prós” e “contras” de se ter um rei. Nesta lição, sugerimos que você reproduza a tabela abaixo (onde constam os problemas e as realizações da monarquia), e discuta com os alunos o que significou para Israel ter um rei.




























3. Os profetas e as suas mensagens.
Em meio à desobediência da nação, Deus levantou homens com mensagens de exortação, edificação e consolo para o Seu povo. Em Israel, o profeta ocupava lugar de destaque, pois era o responsável por transmitir a mensagem de Deus ao Seu povo.
A palavra hebraica nab é traduzida por ‘profeta’ cerca de 300 vezes no Antigo Testamento. Pode ser que a palavra originariamente significava ‘anunciar’ ou ‘falar’. (Comentário Bíblico Beacon. Vol. 4: Isaías a Daniel. RJ: CPAD, 2005, pp.261-62)

O Ofício Profético — “A Bíblia retrata o profeta como alguém que era aceito nas câmaras do conselho divino, onde Deus ‘revela o seu segredo’ (Am 3.7). O texto hebraico de 1 Samuel 9.15 retrata Deus ‘revelando aos ouvidos’ do profeta. Pelo processo da inspiração divina, Deus revelava o que estava oculto (2 Sm 7.27), de forma que o profeta percebia o que o Senhor dissera (Jr 23.18). Esta comunhão com Deus era essencial para que a verdade de Deus fosse revelada pelo processo de inspiração profética. A Palavra do Senhor era comunicada ao profeta e mediada ao povo pelo Espírito Santo — com uma convicção poderosa e precisão exata” (LAHAYE, T. Enciclopédia Popular de profecia Bíblica. 1.ed. RJ: CPAD, 2008, p.383).

3.1. Os profetas do reino do Norte.
Jonas, Oséias e Amós são alguns dos profetas que desenvolveram seu ministério no reino do Norte.O profeta Jonas desenvolveu seu ministério no reinado de Jeroboão II, mas também recebeu uma missão duríssima de levar uma palavra de Deus aos ninivitas. Na vida do profeta Amós, encontramos um homem que profetizou contra as injustiças sociais. Amós era da pequena cidade de Tecoa e rejeitou treinamento como profeta profissional admitindo que ele era pastor de ovelhas e plantador de sicômoros (Am 7.14) . Oséias foi o profeta que teve que viver na pele uma traição para poder entregar a mensagem de Deus à nação de Israel.
Abaixo um destaque sobre o profeta Amós:
Apesar de ser apenas um camponês de Judá, “boieiro e cultivador de sicômoros” (7.14) e de não fazer parte da escola dos profetas, foi enviado por Deus a profetizar em Betel, centro religioso do Reino do Norte (4.4). Ali, Amós enfrentou forte oposição do sacerdote Amazias, alinhado politicamente ao rei Jeroboão II (7.10-16).
Todo o sistema político, religioso, social e jurídico do Reino de Israel estava contaminado. Foi esse o quadro que Amós encontrou nas dez tribos do Norte. O profeta tornou pública a indignação de Jeová contra os abusos dos ricos, que esmagavam os pobres. Ele levantou-se também contra as injustiças sociais e contra toda a sorte de desonestidade que pervertia o direito das viúvas, dos órfãos e dos necessitados (2.6-8; 5.10-12; 8.4-6). No cardápio da iniquidade, estavam incluídos ainda o luxo extravagante, a prostituição e a idolatria (2.7; 5.12; 6.1-3).  (Lições CPAD Jovens e Adultos » 2012 » 4º Trimestre)

3.2. Os profetas do reino do Sul.
O reino do Sul teve mais profetas do que o reino do Norte. A tônica de suas mensagens era denunciar o pecado da nação e chamar o povo ao arrependimento. Podemos anumerar aqui os seguintes profetas: Joel, Isaías, Miquéias, Naum, Sofonias, Habacuque e Jeremias. Dentre estes, destacam-se Isaías profetizou numa época de declínio moral e espiritual da nação, pois existiam muitos lugares de cultos pagãos em secreto sendo tolerados, as pessoas negligenciavam suas famílias em busca de prazer carnal e muitos dos sacerdotes e profetas se corrompiam a fim de agradar a liderança. Jeremias foi foi um dos profetas que mais fez alusão à destruição do reino, mas a liderança e o povo não ouviram, nem tampouco mudaram de atitudes.

“O nome ‘Isaías’ significa ‘o Senhor salva’. Como profeta designado por Deus, Isaías começou seu ministério em 740 a.C., no ano em que morreu o rei Uzias. Profetizou por mais de quarenta anos e morreu provavelmente cerca de 680 a.C..
O longo ministério profético de Isaías teve lugar na época do reino dividido.[...]. O Reino do Sul — comumente chamado de ‘Judá’, com sua capital em Jerusalém — consistia das tribos de Judá e de Benjamim. Os dois reinos(norte e sul), na época de Isaías, estavam desviados de Deus e de sua lei e recorriam às nações pagãs e seus deuses falsos para livrá-los dos seus inimigos. O Reino do Norte foi subjugado e destruído pela Assíria em 722 a.C. Isaías advertiu Judá de que esse reino, também, seria destruído por causa de seu pecado e apostasia” (Bíblia de Estudo Pentecostal. RJ: CPAD, p.993).(Bíblia de Estudo Pentecostal. RJ: CPAD, p.993).

3.3. A mensagem dos profetas hoje.
As mensagens dos profetas do período monárquico, embora distantes de nosso tempo, são atuais e de grande valia para a Igreja do presente século. Um dos pontos abordados pelos profetas é a religião divorciada da moral, que biblicamente se define como prostituição espiritual (Os 5). A mensagem de Joel convida o povo ao arrependimento, antes que venha o terrível dia do Senhor. Amós denuncia as injustiças sociais e Miquéias o formalismo religioso; já o profeta Sofonias aborda as prioridades  do povo para com Deus. É necessário que atendemos para os ensinos deixados pelos profetas, pois tudo foi escrito para o nosso ensino (Rm 15.4).
Os profetas na Igreja“Os profetas continuaram a desempenhar um papel importante na Igreja no NT. Havia homens conhecidos como ‘profetas’ especialmente escolhidos para o constante e regular ministério da profecia (Ef 4.11). Depois dos próprios apóstolos, eles eram os ministros que ocupavam a mais elevada posição na Igreja primitiva (1 Co 12.28). Tais profetas permaneceram em evidência ao longo do livro de Atos. Seu ministério era geralmente duplo: o de pronunciar (proclamar), e o de prever (prenunciar). O trabalho de dois outros profetas era exortar (ou ‘consolar’) e fortalecer os irmãos (At 15.32), e era semelhante às funções da profecia relacionadas em 1 Coríntios 14.3, isto é, edificação, exortação e consolo. Em uma reunião da Igreja, um profeta poderia receber uma revelação que seria compartilhada com os crentes reunidos (1 Co 14.30). Em primeiro lugar, a mensagem de um profeta deve ser julgada pelos outros profetas presentes (1 Co 14.29), e depois pelos demais crentes. Este julgamento é feito comparando a mensagem do profeta com os ensinos dos apóstolos, que são depositários absolutos da Palavra de Deus”.
(Dicionário Bíblico Wycliffe. RJ: CPAD, 2006, p.1610)

CONCLUSÃO
A monarquia foi instaurada em Israel, com a expectativa do povo de que os seus problemas com os inimigos iriam ser resolvidos. No entanto, problemas espirituais não se resolvem com soluções humanas. A dificuldade não era quem lhes governava, mas, sim, a atitude deles diante da oposição e influência das nações vizinhas.

Bibliografia
[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 3 trimestre 2018, ano 28, número 108 - Editora Betel
PAE - Plano de Aula Expositiva - Auxílio EBD - http://editorabetel.com.br/auxilio/beteldominical/

1. Quantos anos durou o reinado de Saul  ?
R: Quarenta anos (At 13.21)

2. Quem foi escolhido e ungido rei ainda moço ?
R: Davi (1 Sm 16)

3. Por que o fim de Salomão não foi bom ?
R: Por que se envolveu na idolatria ao se casar com mulheres estrangeiras, algo expressamente proibido pela Lei (Êx 34.16).

4. Qual foi o primeiro soberano do reino do Norte ?
R: Jeroboão (1 Rs 12.20)

5.  Por que devemos atentar para os ensinos deixados pelos profetas ?
R: Porque tudo foi escrito para o nosso ensino (Rm 15.4).

                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             







                                                                                                                                                                              
[     

Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio para nossos estudos !
                                                   
                                                                                                                                                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário