segunda-feira, 9 de julho de 2018

Lição 3 - Moisés, um líder excelente

Aula presencial dia 15 de julho de 2018 



Estimado professor,   acredito que já tenha percebido que nosso SLIDE semanal traz uma abordagem DETALHADA de todos os pontos abordados na lição. É um resumo da lição fazendo uso de uma metodologia moderna de ensino,  tornando-o mais eficiente e efetivo. Aplica-se ao conteúdo da lição, ilustrações com figuras relacionadas com cada tópico a ser ensinado.  Faça bom uso !  Baixe o Slide no formato desejado, Tenha liberdade de cortar, alterar e adicionar conteúdo. Não deixe de Divulgar e Compartilhar nas Redes Sociais !

1 - Mostrar o cuidado de Deus para com Moisés desde o seu nascimento;
2 - Apresentar o comissionamento de Deus para Moisés;
3 - Extrair lições para efetuar uma liderança debaixo da vontade de Deus.

 Texto Áureo
“E nunca mais se levantou em israel
profeta algum como Moisés, a quem
o Senhor conhecera cara a cara”.(Deuteronômio 34.10)

Verdade Aplicada
O diferencial na vida de um líder está em sua
submissão à vontade de Deus e
desejo de ter comunhão com Ele.

Motivo de Oração
Ore pela liderança da igreja.

Hinos sugeridos.

151 - Fala, Jesus Querido

225 - Sê Valente

577 - Em Fervente Oração






 Êxodo 3:1-4 
1 - E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto e veio ao monte de Deus, a Horebe.
2 - E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio de uma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia.
3 - E Moisés disse: Agora me virarei para lá e verei esta grande visão, porque a sarça se não queima.
4 - E, vendo o Senhor que se virava para lá a ver, bradou Deus a ele do meio da sarça, e disse: Moisés! Moisés! E ele disse: Eis-me aqui.




IMPORTANTE
Apresento neste BLOG o Esboço da Lição e os comentários como 
professor de EBD em cima do PAE - PLANO DE AULA EXPOSITIVA 
NÃO APRESENTO O CONTEÚDO COMPLETO DIGITALIZADO DAS REVISTAS
TENHA SUA REVISTA EM MÃOS E FAÇA UM BOM ESTUDO !



ESBOÇO DA LIÇÃO
Introdução
1. O nascimento de Moisés 
2. O comissionamento de Moisés
3. A liderança de Moisés
Conclusão
Clique aqui para Visualizar o PAE (Plano de Aula Expositiva) da Editora Betel



                   


Lição 3 - Moisés, um líder excelente

Excelente:
1. Muitíssimo bom. = ÓTIMO
2. Perfeito.
3. Distinto.

"excelente", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/excelente [consultado em 11-07-2018].

TEXTO ÁUREO

"E nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, a quem o Senhor conhecera cara a cara." (Dt 34.10)
O profeta e Moisés
“Para um melhor entendimento da origem divina da instituição profética, a passagem-chave está em Deuteronômio 18.9-22. Em contrapartida à contínua atividade dos adivinhadores e vaticinadores cananeus, Deus prometeu enviar a Israel seus profetas. Portanto, Israel não seria compelida a lançar mão de meios humanos para obter informações sobre a vida e a morte. Antes, a nação deveria dar ouvidos aos profetas que iriam declarar as verdadeiras Palavras de Deus. Dessa forma, assim como Moisés, ele seria um mediador entre Deus e a nação. Da mesma forma como o sacerdote representava o povo perante Deus, também o profeta representava Deus perante o povo. Entretanto nenhum dos profetas foi uma cópia exata de Moisés. Somente com a vinda de Cristo, eles conheceram aquele grande Profeta que fora verdadeiramente representado por Moisés, aquele que conhecia a Deus Pai face a face (Dt 34.10).
Em Hebreus 3.1-6, existe um grande contraste entre Moisés e Cristo. Na casa de Deus, isto é, na divina organização ou dispensação, Moisés era fiel servo, mas Cristo está acima da casa como Filho. A era do Antigo Testamento, ou Era Mosaica, ficou aqui estabelecida como testemunha do período do Novo Testamento. Nesse sentido, todo o desígnio mosaico pode ser considerado como típico e preparatório de uma nova época. E nesse desígnio de aspecto e preparação, Moisés foi a maior figura, o único que era realmente parecido com Cristo”.

(Dicionário Bíblico Wycliffe. RJ: CPAD, 2006, p.1607)

VERDADE APLICADA

O diferencial na vida de um líder está em sua submissão à vontade de Deus e desejo de ter comunhão com Ele.

OBJETIVOS DA LIÇÃO
1 - Mostrar o cuidado de Deus para com Moisés desde o seu nascimento;
2 - Apresentar o comissionamento de Deus para Moisés;
3 - Extrair lições para efetuar uma liderança debaixo da vontade de Deus.

TEXTO REFERÊNCIA
 Êxodo 3:1-4 
1 - E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto e veio ao monte de Deus, a Horebe.
2 - E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio de uma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia.
3 - E Moisés disse: Agora me virarei para lá e verei esta grande visão, porque a sarça se não queima.
4 - E, vendo o Senhor que se virava para lá a ver, bradou Deus a ele do meio da sarça, e disse: Moisés! Moisés! E ele disse: Eis-me aqui.

INTRODUÇÃO
Deus levantou Moisés para inaugurar um novo ciclo na história do povo de Israel, um tempo de liberdade e de conquistas. No entanto, foi necessário Deus trabalhar em sua vida.

1. O nascimento de Moisés.
A narrativa do nascimento e livramento de Moisés é compacta, mas deixa bem claro que as forças do império egípcio não puderam conter a promessa de Deus de que a descendência de Abraão seria poderosa na terra (Gn 28.14).

1.1. A educação de Moisés.
Tão logo a filha de Faraó achou o cesto no rio, Miriã, irmã do menino, que estava por perto, indicou a sua própria mãe; que, além de cuidar de seu filho, receberia salário justo para isso. É impressionante como Deus age na história. Mesmo em momentos adversos, Deus muda o quadro de iminente morte para vida e honra. Durante a infância, a própria mãe de Moisés criou e ensinou-lhe os mandamentos do verdadeiro Deus, até que, já grande o menino, entregou-lhe a filha de Faraó, que o adotou em definitivo e colocou o seu nome de Moisés.
Professor explique para a classe que Moisés já estava nos planos de Deus para ser um excelente líder e para isso passaria por vários estágios e neste primeiro tópico destaque que:
Atos 7.22 declara que ele foi “instruído em toda a ciência dos egípcios”. E o conhecimento adquirido por Moisés lhe foi muito útil, muito o ajudou como líder do seu povo, profeta, escritor e legislador.
Quando foi abandonado, a filha do faraó o tomou e o criou como seu próprio filho.
Moisés foi educado em toda a sabedoria dos egípcios e veio a ser poderoso em palavras e obras. (Atos 7:21,22)

1.2. A fuga de Moisés.
Segundo o relato de Atos 7.23, quando Moisés completou 40 anos, foi visitar seus irmãos, os filhos de Israel; e vendo a hostilidade com que os egípcios tratavam os hebreus, matou um egípcio e escondeu seu corpo na areia. Em Atos 7.24 aparece a expressão "maltratado"; no original grego "adikos", que significa "fazer sofrer em ferimentos". Tendo como base este conceito, podemos imaginar o sofrimento que os hebreus estavam expostos. No outro dia, ao ver que dois hebreus contendiam. Moisés tentou resolver o problema e temeu ao ver que homicídio havia sido descoberto (Êx 2.13-14). Correndo risco de ser morto, Moisés foge para Midiã. Diante dos ensinamentos maternos, aliado a opressão do seu povo. Moisés quis tomar uma atitude para mudar a história e acabou tendo que fugir.
Destaque que este período fora do Egito era necessário para Deus modificar o seu caráter de tal forma que depois de muitos anos se tornaria o homem mais manso da terra.
Obs. Quando Moisés matou o Egípcio o seu caráter ainda não havia sido modificado.
E era o homem Moisés mui manso, mais do que todos os homens que havia sobre a terra. (Números 12:3)
“Capacitou e transformou o seu caráter
O ser humano deve reconhecer a sua deficiência em realizar a obra de Deus com perfeição. Moisés, reconhecendo a sua incapacidade de fazer o que o Senhor lhe ordenara, relutou e perguntou humildemente: ‘Quem sou eu?’ (Êx 3.1). Certamente o valente e afoito príncipe herdeiro do trono egípcio sentia-se incapaz de cumprir a ordem do Senhor, pois muitos anos se haviam passado, e ele pouco ou nada sabia sobre o Egito de então. E, depois, voltar ao país de origem para libertar seu povo da escravidão seria uma missão muito árdua. Assim sendo, preferiria ficar no deserto pastoreando os rebanhos de seu sogro. Sentia-se mais útil. Além disso, a rejeição de seus irmãos o abatera fortemente.
Como se vê, o tempo passara e tudo havia se transformado; o homem também. Contudo, o Todo-Poderoso permanecera imutável, pois nEle não há sombra de variação. Moisés sentiu-se desanimado, mas Deus o fortalecera, dizendo: ‘Eu serei contigo’ (Êx 3.12-15). A promessa da presença real de Deus é a resposta para toda fraqueza humana” (COHEN, A. C. Comentário Bíblico Êxodo. 1 ed., RJ: CPAD, 1998, p.32).

1.3. A família e a profissão de Moisés.
Longe dos holofote e fora da vida palaciana, Moisés se torna um estrangeiro. Vai morar na casa de Reuel e recebe como esposa sua filha Zípora, com a qual teve dois filhos. O primeiro filho se chamava Gérson, pois simbolizava sua peregrinação em terra estranha. O segundo se chamava Eleazar. Junto com a constituição de sua família, Moisés se torna pastor de ovelhas (Êx 2.15-22). Embora sua vida parecesse normal, tudo fazia parte de uma projeto de Deus. Moisés estava sendo preparado nos mínimos detalhes para marcar a história de um povo.
Há muitos que abandonam suas profissões, família, tudo, quando acreditam que são chamados para a obra do Senhor. Na maioria dos casos ainda não estão preparados para atuarem e normalmente os resultados são prejuízos para si,para sua família e também para a obra de Deus.Os discípulos de Jesus foram preparados antes de serem enviados.O apostolo Paulo nos faz uma recomendação que vale a pena atentarmos:
Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. (2 Timóteo 2:15)
O período de preparação e experiência com Deus é essencial e indispensável a todos que desejam atender o chamado do Senhor, foi assim com Elias, Daniel, Josué, Timóteo e muitos outros...
Segundo o Pr. Antonio GilbertoUm líder cristão não é feito da noite para o dia. É preciso que sua liderança seja amadurecida pelo tempo.”

2. O comissionamento de Moisés.
 Após 40 anos de sua fuga do Egito e de pastoreio, Moisés tem uma experiência que iria marcar e mudar a sua vida. O Anjo do Senhor aparece no meio de uma chama de fogo, onde a sarça ardia, mas não era consumida pelo fogo (Êx 3.2). Esta experiência sobrenatural marca a chamada de Moisés para libertar o povo de Deus da escravidão do Egito e conduzi-lo à Terra Prometida (Êx 3.8).

2.1. Deus chama Moisés.
Na passagem de Êxodo 3.10, Deus diz: "Vem agora, pois, eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo (os filhos de Israel) do Egito". O verbo "vem" exprime uma ação e nos mostra que Deus exigia de Moisés uma atitude, uma decisão em relação a aceitar o seu chamado. O escritor aos Hebreus nos diz que Moisés recusou ser chamado filhos da filha de Faraó, escolhendo ser maltratado com o povo de Deus do que, por um pouco de tempo, ter o gozo do pecado (Hb 11.24-25). Moisés teve que tomar uma decisão: viver como pastor de ovelhas ou ser líder do povo de Deus; escolher andar por vista ou por fé. 
O receio de Moisés e suas desculpas. O Moisés impulsivo que matou o egípcio e o enterrou na areia já não existia mais. Ele havia sido mudado e moldado pelo Senhor, e agora precisava crer não no seu potencial, mas no Senhor que o chamara. Ao ser chamado pelo Senhor para ser o libertador dos hebreus, Moisés apresentou algumas desculpas — “eles não vão crer que o Senhor me enviou”; “não sou eloquente”. Quantas desculpas também não damos quando Deus nos chama para um trabalho específico? As escusas de Moisés, assim como as nossas, nunca são aceitas pelo Senhor, pois Ele conhece o mais profundo do nosso ser. Se o Senhor está chamando você para uma obra, não tema e não perca tempo com desculpas. Confie no Senhor e não queira acender a ira divina como fez Moisés, que tentou protelar sua chamada dando uma série de desculpas a Deus (Êx 4.14).
A fim de encorajar Moisés e confirmar o seu chamado, o Senhor realiza alguns sinais (Êx 4.1-9). Da mesma forma Deus ainda demonstra sinais para nos mostrar o seu poder e a sua vontade.
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2014 » 1º Trim.)

2.2. Deus envia Moisés.
Não basta ser chamado por Deus, é preciso ser enviado. Moisés não foi um aventureiro, Deus o chamou e o enviou e isto fez toda a diferença. Ele aprendeu a viver na dependência de Deus, esperando Seu tempo e Suas provisões. Infelizmente, encontramos muitas pessoas com chamada, mas que não foram enviadas por Deus, não quiseram esperar o tempo e queimaram etapas.
O retorno de Moisés. Moisés não revelou ao seu sogro Jetro o que ele faria no Egito. Ainda não era a hora certa para isso. O líder precisa saber o momento adequado para revelar seus projetos. Entretanto, Moisés não poderia partir sem o consentimento de sua família, assim ele disse a Jetro que iria ao Egito rever seus irmãos: “Eu irei agora e tornarei a meus irmãos que estão no Egito, para ver se ainda vivem” (Êx 4.18). Jetro prontamente liberou Moisés dizendo: “Vai em paz”. Moisés não saiu sem a bênção dos seus parentes. Para realizar a obra de Deus o líder precisa ter o apoio e cooperação da sua família. Se você ainda não o tem, ore a Deus nesse sentido.
Então foi Moisés, e voltou para Jetro, seu sogro, e disse-lhe: Eu irei agora, e tornarei a meus irmãos, que estão no Egito, para ver se ainda vivem. Disse, pois, Jetro a Moisés: Vai em paz.
Disse também o Senhor a Moisés em Midiã: Vai, volta para o Egito; porque todos os que buscavam a tua alma morreram. (Êxodo 4:18,19).

2.3. Consciência de sua missão
Em seu comissionamento, Deus deixou explícito a Moisés a sua missão: libertar os filhos de Israel do Egito (Êx 3.10). Moisés foi obediente a esta visão. mesmo diante das desculpas apresentadas, das dificuldades e do grande desafio que estava diante dele, ele aceitou a missão e foi até o fim. Ele fez tudo como o Senhor o ordenara, viveu uma vida digna, ao ponto de ter comunhão com o Eterno como quem fala com um amigo (Êx 33.11) Quando perdemos a visão que Deus nos deu, passamos a viver sem sentido tateando ministerialmente. Que Deus nos ajude a manter o foco e a chama da divina convocação.
Note no comentário abaixo que Moisés atendeu e entendeu o chamado de Deus:
Chegando ao Egito, Moisés e seu irmão Arão procuraram Faraó para comunicar-lhe a vontade de Deus para o povo de Israel. Quão difícil e arriscada era a tarefa de Moisés. Após o encontro que já tivera com Deus, ele estava preparado para apresentar-se ao rei do Egito. Faraó recusou de imediato o pedido de Moisés. Além de recusar deixar o povo ir embora, Faraó agora aumenta o volume de trabalho do povo (Êx 5.8,9). Moisés fez tudo como Deus lhe ordenara, porém, sua obediência não impediu que ele e seu povo sofressem. Talvez você esteja realizando alguma obra em obediência ao Senhor, mas isto não vai impedir que surjam dificuldades, problemas e aflições. Esteja preparado. Não podemos nos esquecer de que “por muitas tribulações nos importa entrar no Reino de Deus” (At 14.22). Enquanto estivermos neste mundo, estamos sujeitos às dificuldades (Jo 16.33).
(Lições CPAD Jovens e Adultos » 2014 » 1º Trim.)

3. A liderança de Moisés.
Ser líder não é uma tarefa fácil; formar um líder não é um processo rápido, mas Deus investe na formação de seus líderes para serem agentes de transformação no exercício de sua missão. Indubitavelmente, Moisés foi um grande ícone de liderança no Antigo Testamento.

3.1. Tempo para Deus.
Moisés era um homem preparado pelos homens e por Deus, para desempenhar uma liderança. Mesmo diante de tal preparo, ele tinha tempo estar com Deus. Basta olharmos para o momento em que ele passa 40 dias e 40 noites na presença de Deus (Êx 24.18). Mesmo diante dos afazeres diários e da grande multidão que liderava, ele se retirou para estar com Deus. Infelizmente, vivemos dias em que muitos líderes "não tem mais tempo" para estar com Deus. Uma das maiores deficiências de nossos dias está na falta de oração. Que venhamos a cultivar uma vida de oração.
O chamado se confirma na oração, na intimidade e comunhão com Deus. As adversidades do chamado são atravessadas e enfrentadas na caminhada sincera de rendição e oração a Deus”
(BRANDT, L. Robert; BICKET, J. Zenas. O Espírito nos Ajuda a Orar: Uma Teologia Bíblica da Oração. 1ª Edição. RJ: CPAD, 1996. pp.175-177).

Vivendo a graça da oração verdadeira
Orar não é um monólogo, através do qual você fala o tempo todo, sem haver quem lhe responda. É mais apropriado definir como diálogo, através do qual você fala com Deus e, ao mesmo tempo, ouve-lhe a voz. Certa vez, o pastor Antonio Gilberto definiu a oração como 'uma via de mão dupla, mediante a qual, de um lado, com sua carga de súplicas, você vai ao encontro de Deus, e de outro, Ele vem ao seu encontro com respostas'. Isto significa afirmar que nossas orações, sem nenhuma sombra de dúvida, são objetos do cuidado especial do Pai, que sempre se dispõe a respondê-las, embora haja ocasiões em que não compreendemos (ou não aceitamos) a forma como nos responde [...].
Mas o que é a oração, senão o oxigênio da alma que mantém o vigor da vida espiritual? É óbvio que orar exige disciplina, porém jamais deve constituir-se em rotina desagradável, da qual, enquanto nos é possível, fugimos. Orar não é uma sucessão de palavras ao vento. Não é simplesmente ferir os joelhos de tanto ficarmos ajoelhados e apresentá-los como troféu de nossa pretensa espiritualidade. Orar é perceber com clareza, entre milhões de alaridos, o cicio que identifica a doce voz do supremo pastor [...]".
(COUTO, G. A transparência da vida cristã. RJ: CPAD, 2001, pp. 162,164.)

3.2. Amor pelos seus liderados.
XXXEm seu relacionamento com o povo de Deus, Moisés lhes devotava atenção e amor. Êxodo 32.30-35 identifica um momento da história em que o povo de Israel se enveredou pelo caminho da idolatria. Então, Moisés intercedeu pelo povo e orou a Deus da seguinte maneira: "Agora, pois, perdoa o seu pecado; se não, peço-te, do teu livro, que tens escrito" Êx32.32.
A nossa posição de liderança não pode nos distanciar do povo, mas, sim, nos aproximar mais e mais dele. Através dessa atitude, Deus se torna benevolente com o Seu povo. Assim como Cristo amou a Sua Igreja, necessitamos amar os nossos liderados. Paulo exortou aos cristãos a terem o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus (Fp 2.5-11). Olhemos para o conselho de Salomão: "Procura conhecer o estado das tuas ovelhas; põe o teu coração sobre o gado". (Pv 27.23).
Paulo, um líder que amava a igreja. Ao longo de toda a Carta aos Filipenses, percebemos que a relação do apóstolo Paulo para com esta igreja era estabelecida em amor. Não era uma relação comercial, pois o apóstolo não tratava a igreja como um negócio. Ele não era um gerente e muito menos um patrão. A melhor figura a que Paulo pode ser comparado em seu comportamento em relação à igreja é a de um pai que ama os seus filhos gerados na fé de Cristo. Todas as palavras do apóstolo — admoestações, exortações e deprecações — demonstram um profundo amor para com a igreja de Filipos. Precisamos de obreiros que amem a Igreja do Senhor. Esta é constituída por pessoas necessitadas, carentes, mas, sobretudo, desejosas de serem amadas pelos representantes da igreja (2Tm 2.1-26).
(Lições CPAD Jovens e Adultos »  2013 » 3º Trim)
Veja também a recomendação de Pedro:
Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto;
Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho.(1 Pedro 5:2,3)

3.3. Humildade para ouvir conselhos.
Um dos maiores enganos é achar que não precisamos aprender mais nada ou que sabemos tudo sobre liderança. Êxodo 18 nos mostra Moisés sobrecarregado de afazeres, pois o povo ficava em pé diante dele o dia inteiro (Êx 18.14). O ritmo de Moisés o levaria a exaustão (Êx 18.18). diante de tanta dificuldade, Jetro aconselha Moisés a escolher homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborrecessem a avareza; e os colocasse como maiorais de mil, de cem, de cinquenta e de dez (Êx 18.21). O conselho de Jetro é o modelo organizacional de muitas empresas hoje. Um líder que deseja executar com excelência sua missão precisa ter humildade para aceitar bons conselhos.
 Mansidão e humildade (Nm 12.3). Deus falava com Moisés face a face. Todavia, ele com humildade parou para ouvir os conselhos de Jetro, que não era nem mesmo israelita. Se você deseja ser bem-sucedido em sua liderança, seja humilde. A soberba, além de ser pecado, impede o líder de crescer. A Palavra de Deus diz que na “multidão de conselheiros, há segurança” (Pv 11.14), todavia, a soberba impede que o líder ouça seus auxiliares.

CONCLUSÃO
Moisés foi um homem escolhido por Deus para exercer uma liderança diante de um povo que estava em formação. Através da sua jornada de vida, aprendemos que o Senhor Deus possui o Seu modo de trabalhar na vida de um líder, a fim de que o mesmo exerça com excelência os Seus propósitos.

Bibliografia
[1] Bíblia de Estudo Cronológica Aplicação Pessoal - CPAD - ARC
Biblia de estudo pentecostal, Almeida revista e corrigida, Rio de Janeiro, CPAD
Bíblia do Culto - Editora Betel
Revista EBD Betel Dominical Professor - 3 trimestre 2018, ano 28, número 108 - Editora Betel
PAE - Plano de Aula Expositiva - Auxílio EBD - http://editorabetel.com.br/auxilio/beteldominical/

1. O que as forças do império egípcio não puderam conter ?
R: A promessa de Deus (Gn 28.14).

2. Qual era a missão de Moisés ?
R: Libertar os filhos de Israel do Egito (Êx 3.10).

3. O que Êxodo 32.30-35 identiica ?
R: Um momento da história em que o povo de Israel se enveredou pelo caminho da idolatria (Êx 32.30-35).

4. O que Paulo exortou aos cristãos ?
R: A terem o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus (Fp 2:5-11)

5.  Quem aconselhou Moisés a não se sobrecarregar ?
R: Jetro (Êx 18.17-23)

                              AGORA VAMOS A VÍDEO AULA SOBRE ESTA LIÇÃO.  TENHA BOM ESTUDO !                             









                                                                                                                                                                              
[     

Estimado Professor, segue abaixo o material de apoio para nossos estudos !
Separei alguns comentários do Pr.Gesiel Gomes para reforçar alguns tópicos, achei bastante interessante, as colocações.

Pr. Gesiel Gomes
Revista Lições da Palavra de Deus
Ano 7 - Número 29 - trechos das Páginas (65-70)
Editora Central Gospel

Esta Lição fala de Moisés que foi um dos personagens mais influentes do Antigo Testamento. Ele é considerado o mais importante de todos os profetas, vejamos: 
"E nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, a quem o SENHOR conhecera face a face" (Deuteronômio 34:10).
Juntamente com Davi e Abraão, tornou-se um grande referencial para o povo hebreu.

VISÃO PANORÂMICA DA VIDA DE MOISÉS
Existem algumas peculiaridades sobre a história de Moisés que merecem destaque. Algumas delas são tão marcantes que deveriam ser constantemente apreciadas por quem estuda a Bíblia. Por exemplo, Moisés era chamado de:
- Profeta de Deus (Dt 34.10)
- Homem de Deus (Dt 33.1)
- Servo de Deus (Êx 14.31)
Ele também foi :
- um confidente de Deus (Dt 34.10)
- enviado por Deus com sinais sobrenaturais (Êx 3.10-12)
- o único homem a ser sepultado pelo próprio Deus (Dt 34.5,6)
- comparado com Jesus (Dt 18.15,18)
Além disso tudo, a ele é atribuída a autoria dos cinco primeiros livros da Bíblia (o Pentateuco), do salmo 90 e do livro de Jó.
O cuidado de Deus por Moisés nos ensina a depender totalmente dele e a crer que Seus planos jamais serão frustrados. Deus não precisa de circunstâncias favoráveis para estabelecer os Seus desígnios.

1.1. A educação de Moisés.
O Senhor teve tanta misericórdia pela vida da criança que, além de livrá-la da morte, permitiu que a própria mãe do menino cuidasse dele como sua ama (Êx 2.1-9).
Essa certamente foi a maneira pela qual o Senhor fez com que Moisés crescesse sob os costumes do Seu povo. O contato diário da criança com a sua mãe produziu em Moisés a identidade de um hebreu, mesmo crescendo também sob os costumes egípcios. É maravilhoso imaginar que, todos os dias, Joquebede ensinava a Moisés as lições dos patriarcas e as promessas de Deus.
Professor neste tópico enfatize para os alunos que os pais e mães não pode ignorar a importância de sua missão: dar educação aos filhos, instruindo no caminho da fé e da obediência a Deus, seguindo o exemplo de Lóide e Eunice que instruía o menino Timóteo. (grifo meu - Prof.Éder Tomé)
Nada deve substituir o ensino transmitido no lar. Embora a igreja preste um grande auxílio na formação das crianças, essa tarefa se torna incompleta ou insustentável quando não encontra o respaldo do ensino e do exemplo dos pais (Pv 22.6).
IMPORTANTE : 
1 - Os ensinamentos que Moisés recebeu no lar produziram, em seu coração, uma compaixão pela situação de escravidão de seu povo.
2 - A Bíblia não relata que ele teve experiências com Deus antes do encontro na sarça ardente, onde o Senhor se apresentou a ele (Êx 3.1-6).


1.2. A fuga de Moisés.
Os 120 anos da vida de Moisés podem ser divididos em três etapas de 40 anos cada:
(1) 40 anos no Egito, como príncipe de faraó;
(2) 40 anos no deserto de Midiã, como pastor de ovelhas;
(3) 40 anos liderando o povo de Deus na travessia do deserto, rumo a Canaã.
Deus permitiu que Moisés vivesse no palácio de Faraó como príncipe e no deserto de Midiã como pastor de ovelhas como uma preparação, um treinamento. Pois era necessário estar qualificado para a execução da difícil tarefa de tirar o povo do Egito e guiá-lo ao longo do deserto. (grifo meu - Prof.Éder Tomé)


1.3. A família e a profissão de Moisés.
Moisés era filho de Anrão e Joquebede e pertenciam à tribo de Levi (Nm 26.59).
Conforme vimos acima em Midiã, Moisés era pastor de Ovelhas.


2.1. Deus chama Moisés.
Moisés declarou a Deus sua completa incapacidade de levar sua missão, mas o Senhor lhe respondeu concedendo visão, autoridade e sinais para executar a missão de legislador e libertador de Israel. Além disso, o Senhor determinou que Arão, irmão de Moisés e bem mais fluente que ele, fosse seu porta-voz diante de faraó e do povo de Israel (Êx 4.10,14,15).
Alguns estudiosos apontam que Moisés havia sido educado para ser o próximo faraó e que por isso, ele possuía um vasto conhecimento sobre a cultura e a ciência egípcia. Contudo ele não foi capaz de entender o mistério da sarça que ardia no fogo, mas não se consumia. 
Naquele dia, Deus revelou a Moisés alguns dos Seus preciosos atributos, tais como: santidade, autoridade, soberania, sabedoria e glória.
Aprouve a Deus se manifestar a Moisés por meio do fogo, o qual nos traz a figura do Espírito Santo. No dia dia de Pentecostal e, nessa atmosfera de avivamento, realiza a obra de Deus, enquanto aguarda a volta triunfante do Senhor Jesus.

No deserto, a temperatura pode chegar perto de 60 graus centigrados. Assim, às vezes, é comum ver algumas árvores secas pegarem fogo por combustão instantânea. A sarça é um arbusto espinhento, muito comum no deserto daquela região. Devido à alta temperatura, ela também poderia consumir-se em combustão. Contudo, no momento em que Moisés viu a sarça pegando fogo, ele percebeu que havia algo além do natural, pois a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia (Êx 3.2).

2.2. Deus envia Moisés.
Moisés foi chamado e enviado, decidiu voltar ao Egito e, lá, convenceu os hebreus a organizarem-se para a grande marcha rumo à Terra Prometida. Esse era o início de um plano que traria libertação ao povo de Deus

OUTRAS OBSERVAÇÕES
(1) Moisés, como mediador da Antiga Aliança, é sombra de Jesus, que é o Mediador e Garantia da Nova Aliança. Jesus é tanto o Grande Sumo sacerdote quanto o Sacrifício que selou a Nova Aliança e colocou-a em ação. (Bíblia de Estudo Batalha Espiritual e Vitória Financeira, Editora Central Gospel,2007, p.83),
(2) Era Moisés da idade de cento e vinte anos quando morreu; os seus olhos nunca se escureceram, nem  perdeu ele o seu vigor (Dt 34.7).


EDUCAÇÃO EGÍPCIA
Por ter sido criado pela filha do Faraó, "Moisés foi instruído em toda a ciência dos egípcios" (At 7.22), e segunda a tradição egípcia isso incluía aritmética, geometria, poesia, música, astronomia e muitas outras matérias. As escolas no Egito eram ligadas aos templos e controladas pelos sacerdotes. A medicina e a religião eram temas importantes, caso o menino se tornasse sacerdote.
Moisés deve ter sido ensinado pelo "professor dos filhos do rei", na corte real, e aprendido a escrever os hieróglifos egípcios com tinta sobre os papiros.
Ele provavelmente aprendeu também a escrita cananita, porque Canaã era sócia do Egito na época. Quando Moisés recebeu ordem de ensinar a lei ao povo, isso foi feito por repetição e exemplo (Dt 11.19), leitura pública (Dt 31.10-13), e uso da música escrita (Dt 31.19). Desde que era comum no Egito cantar as lições, isso reflete provavelmente a maneira como Moisés foi ensinado. Pode ser importante notar que Deus chamou Moisés para a liderança com base num forte ambiente educacional, assim como Paulo séculos mais tarde foi chamado para guiar a igreja. 
(Manual dos usos & costumes dos Tempos Bíblicos - CPAD - Página 73)


EDUCAÇÃO JUDAICA
Quando o povo judeu saiu do deserto e entrou em Canaã, eles não tinham um sistema educacional organizado. Esse sistema desenvolveu-se à medida que a sua civilização progrediu, sofrendo as influências das práticas das nações circunvizinhas. No início, portanto, a educação estava centrada no lar. Era responsabilidade da mãe educar tanto os filhos como as filhas durante os três primeiros anos (provavelmente até o desmame). Ela ensinava às filhas os deveres domésticos durante toda a infância delas. A partir dos três anos de idade, os meninos aprendiam a lei com o pai, e os pais ficavam também responsáveis por ensinar um ofício aos filhos. Um rabino disse certa vez: "O pai que não ensina ao filho um ofício útil está educando-o para ser ladrão". Jesus não era só o filho do carpinteiro (Mt 13.55), mas também o carpinteiro (Mc 6.3).
Isso explica porque havia grupos de trabalhadores em linho e oleiros morando no mesmo lugar (1Cr 4.21-23). As meninas podiam vir a ter uma profissão, trabalhando talvez como parteiras (Êx 1.15-21) e cantoras (Ec 2.8).
A educação era basicamente religiosa, capacitando as crianças a compreenderem a natureza de Deus pelo que Ele fizera e o que Ele exigia na lei.
Deuteronômio 6 é uma passagem-chave: as palavras do shema (credo):"Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás pois o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder (Dt 6.4,5) [...]
(Manual dos usos & costumes dos Tempos Bíblicos - CPAD - Página 74)




                                                                                                                                                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário